RecuperaçÃo final 2011 História andré



Baixar 93.62 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho93.62 Kb.



RECUPERAÇÃO FINAL 2011

História - ANDRÉ
1ª Série do Ensino Médio



Roteiro 1ª parte


OS ÁRABES E O ISLAMISMO



  • A civilização árabe ou islâmica surgiu no Oriente Médio, numa península desértica situada entre a Ásia e a África.

  • É área de aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados, com centenas de milhares recobertos por um enorme deserto, pontilhados por alguns oásis e por uma cadeia montanhosa, a oeste.

  • Somente uma estreita faixa no litoral sul da península possui terras aproveitáveis para a agricultura.

  • Até o século VI, os árabes viviam em tribos, sem que houvesse um Estado centralizado.

  • No interior da península havia tribos nômades de beduínos, que viviam basicamente do pastoreio e do comércio.

  • Ás vezes entravam em luta pela posse de um oásis ou pela liderança de uma rota comercial.

  • Também era comum o ataque a caravanas que levavam artigos do Oriente para serem comercializados no Mar mediterrâneo ou no Mar Vermelho.

  • Apesar de dispersos num grande território os árabes edificaram algumas cidades, entre as quais as mais importantes localizavam-se a oeste, na parte montanhosa da Península Arábica.

  • Eram elas: latribe, Taife e Meca, todas na confluência das rotas das caravanas que atingiram o Mar Vermelho.

  • A cidade de Meca era, sem dúvida, a mais destacada, pois, como centro religioso de todos os árabes, ali se reuniam milhares de crentes, o que tornava seu comércio ainda mais intenso.

  • Embora fossem politeístas e adorassem diversas divindades, os ídolos de todas as tribos estavam reunidas num templo, chamado Caaba, situado no centro de Meca. A construção, que existe até hoje, assemelha-se a um cubo e, assim como a administração da cidade, ficava sob os cuidados da tribo dos coraixitas.


DUAS ÉPOCAS DA HISTÓRIA:


Pré-islâmica: antes da criação da religião muçulmana (ano 570)


Islâmica: após a criação do islamismo

A Arábia Pré-Islâmica (até 570)

Árabes do deserto (Beduínos): eram nômades - transporte de mercadorias em camelos e pastores.

Árabes da Cidade (Urbanos): eram sedentários - dedicavam-se ao comércio e agricultura

Crença Religiosa: Politeístas (acreditavam em vários deuses)


  • Maomé, que iria causar enormes transformações em seu povo e no mundo, nasceu por volta de 570, na poderosa tribo dos coraixitas.

  • Tendo sido por muito tempo guia de caravanas, Maomé percorreu o Egito, a Palestina e a Pérsia, conhecendo novas religiões, como o judaísmo e o cristianismo.

  • A grande transformação de sua vida teve lugar quando, já bem estabelecido economicamente, divulgou que tivera uma visão do anjo Gabriel - entidade da religião cristã - em que este lhe revelara a existência de um deus único.

  • A palavra deus, em árabe, se diz Alá.


Maomé – O Profeta


  • Maomé, que iria causar enormes transformações em seu povo e no mundo, nasceu por volta de 570, na poderosa tribo dos coraixitas.

  • Tendo sido por muito tempo guia de caravanas, Maomé percorreu o Egito, a Palestina e a Pérsia, conhecendo novas religiões, como o judaísmo e o cristianismo.

  • A grande transformação de sua vida teve lugar quando, já bem estabelecido economicamente, divulgou que tivera uma visão do anjo Gabriel - entidade da religião cristã - em que este lhe revelara a existência de um deus único.

  • A palavra deus, em árabe, se diz Alá.

  • Começou então a pregar o islamismo, ou seja, a submissão total a Alá, com a consequente eliminação de todos os outros ídolos.

  • Os crentes na nova religião eram chamados muçulmanos ou maometanos.

  • A revelação feita a Maomé e todas as suas pregações estão reunidas no Corão, o livro sagrado dos muçulmanos e primeiro texto escrito em árabe.

  • Além da submissão total a Alá, o Corão registra as seguintes regras fundamentais para os muçulmanos:

  • orar cinco vezes por dia com o rosto voltado para Meca; jejuar regularmente; dar esmolas; peregrinar ao menos uma vez na vida para Meca.

  • Com os ensinamentos de Maomé se instalaram também outras regras de comportamento individual e social, como a proibição de consumir carne de porco, de praticar jogos de azar e de reproduzir a figura humana, além da defesa da autoridade do pai na família e da permissão da poligamia masculina.

  • Os habitantes de Meca, temerosos de perder o comércio as caravanas de fiéis que se dirigiam à Caaba, passaram a perseguir Maomé, e a maioria da população árabe da cidade não aderiu ao seu monoteísmo.

  • Maomé foi obrigado, então, a fugir para latribe, que passou a chamar-se Medina, nome que significa a "cidade do profeta".

  • Essa fuga, que ocorreu em 622, é chamada de hégira e indica o início do calendário muçulmano, tendo, para esse povo, o mesmo significado que o nascimento de Cristo tem para os cristãos.

  • Gradualmente, o número de crentes em Alá foi aumentando e, apoiado nessa força, Maomé começou a pregar a Guerra Santa, ou seja, a expansão do islamismo, através da força, a todos os povos "infiéis“


Jihad – a Guerra Santa


  • O grande estímulo era dado pela crença de que os guerreiros de Alá seriam recompensados com o paraíso, caso merecessem em luta, ou com a partilha do saque das cidades conquistadas, caso sobrevivessem.

  • A Guerra Santa serviu para unificar as tribos árabes e tornou-se um dos principais fatores a permitir a expansão posterior do islamismo.


Maomé e o Islamismo


Fundador do islamismo (ano 570)

Monoteísta: existência de um único deus: alá

pedra negra (caaba): símbolo religioso

Os princípios do islamismo



Corão ou Alcorão: livro Sagrado

Guerra Santa: combate aos não-muçulmanos que ameaçavam a religião muçulmana

Promessa do paraíso para quem for fiel a Alá



- Obrigações religiosas dos muçulmanos: crer em Alá, Rezar 5 vezes por dia em direção à Meca , dar esmolas, Jejuar no mês de Ramadã, Ir a Meca pelo menos uma vez na vida.
A expansão muçulmana


  • Após a morte, Maomé foi substituído pelo califas - os "sucessores do profeta" - que eram chefes religiosos e políticos.

  • Com os califas iniciou-se a expansão da civilização muçulmana, motivada principalmente pela necessidade de terra férteis que o aumento populacional da Península Arábica após a unificação das tribos exigia.

  • Os guerreiros islâmicos, impulsionados pela crença no paraíso após a morte e pelas recompensas terrenas, avançaram rapidamente, aproveitando-se da fraqueza de seus vizinhos persas e bizantinos.

  • Caracterizando-se, em geral, pelo respeito aos costumes dos povos vencidos, os muçulmanos dominaram toda a Península Arábica.

  • Expandindo-se para leste, alcançaram a Índia e, estendendo-se em direção ao Mar Mediterrâneo, conquistaram o norte da África e parte da Península Ibérica.




  • Apesar do avanço muçulmano na Europa ter sido freado na Batalha de Poitiers, em 732, pelo franco Carlos Martel, os árabes ainda conseguiram conquistar as ilhas Baleares, a Sicília, a Córsega e a Sardenha.

  • A extensão dos domínios muçulmanos pelo Mediterrâneo prejudicou o comércio da Europa Ocidental com o Oriente.

  • Este foi um dos fatores que contribuíram para o isolamento dos reinos bárbaros cristãos que voltaram mais ainda para uma economia agrícola e rural, o que contribuiu para a formação do feudalismo.



Ciência e Cultura


  • A tolerância dos muçulmanos para com os povos conquistados permitiu-lhes atingir grande progresso econômico e cultural, pois, utilizando elementos próprios e de outras culturas, desenvolveram conhecimentos e técnicas valiosas até hoje.

  • Foi o caso do uso da bússola e da fabricação do papel e da pólvora, aprendidos com os chineses e introduzidos no Ocidente.

  • Em virtude da enorme extensão de seu império, os árabes difundiram o cultivo de produtos agrícolas, como a cana-de-açucar, o algodão, o arroz, a laranja e o limão.

  • No campo das ciências desenvolveram a Matemática, com muitas contribuições à Álgebra, Geometria, Trigonometria e Astronomia.

  • Os algarismos que usamos atualmente são uma herança indiana transformada e transmitida aos ocidentais pelos árabes, daí serem chamados arábicos.

  • Até mesmo a palavra algarismo deriva da língua árabe.

  • A Medicina que desenvolveram baseou-se nos conhecimentos dos gregos.

  • Séculos mais tarde, os turcos, originários da Ásia Central e seguidores dos islamismo, conquistaram grande parte dos domínios muçulmanos.

  • Eles formaram no século XIV o Império Turco, que englobou esses domínios e acabou, depois de várias tentativas, conquistando o Império Bizantino, com a tomada de Constantinopla em 1453.


Expansão Árabe: O Império Muçulmano


Califa (líder): comandou a expansão territorial dos árabes: conquistaram o norte da África, Península Ibérica e regiões na Ásia

Guerra Santa para expansão do islamismo

Conquista de territórios e respeito a cultura dos povos dominados, em troca de tributos

Cultura Árabe - Desenvolveram:



Comércio: cheques, recibos, cartas de crédito, etc.

Ciência: química (busca de pedra filosofal) e conhecimentos de medicina

Literatura: Aladim e a lâmpada maravilhosa, Simbad, o marujo, Mil e uma noites, Ali baba e os 40 ladrões
Islamismo Hoje


Espalhado em diversos países do Mundo: principalmente no Oriente Médio e Ásia Sociedade Patriarcal e pouca participação das mulheres na sociedade e na democracia
Sunitas e Xiitas


  • Partindo de uma noção de viés religioso, os sunitas adotam a Suna – livro que conta a trajetória do profeta Maomé – como referencial na resolução das questões não muito bem esclarecidas pelo Alcorão.

  • Seguindo tal livro sagrado, os sunitas somente reconhecem a ascensão dos líderes religiosos que fossem diretamente escolhidos pela população islâmica.

  • Ao todo, os sunitas representam cerca de 80% da comunidade islâmica espalhada pelo mundo.

  • Tomando outras justificativas, o grupo xiita prefere uma interpretação mais rígida do Alcorão e não reconhece os conselhos e exemplos provenientes de qualquer outro livro.

  • De acordo com os xiitas, o mundo islâmico deve ser politicamente controlado por membros diretos da família do profeta Maomé.

  • A justificativa apresentada para tal opção se baseia na crença de que somente os descendentes da casa de Maomé teriam a sabedoria necessária para conduzir os fiéis.

  • Atualmente, o grupo político xiita é comumente associado aos pequenos grupos terroristas que mancham a reputação do mundo árabe. Contudo, tais alas radicais não refletem as posições políticas e religiosas de grande parte da comunidade muçulmana.

LISTA DE EXERCÍCIO S


01 A civilização árabe é dividida culturalmente em dois momentos de sua história, analisando as afirmativas abaixo marque a alternativa correta que se refere a esse contexto.


  1. A etapa pré-islâmica politeísta e a etapa judaico-cristã monoteísta.

  2. A etapa cristã monoteísta e a etapa islâmica monoteísta.

  3. A etapa pré-islâmica mítico-grega e a etapa islâmica monoteísta.

  4. A etapa pré-islâmica politeísta e a etapa islâmica monoteísta.

  5. A etapa judaico-cristã monoteísta e a etapa islâmica politeísta.

02 O islamismo, religião fundada por Maomé e de grande importância na Unidade árabe, tem como fundamento:




  1. O politeísmo, isto é, a crença em muitos deuses, dos quais o principal é Alá.

  2. O culto dos santos e profetas através de imagens e ídolos.

  3. O princípio da aceitação dos desígnios de Alá em vida e a negação de uma vida pós-morte.

  4. A concepção do islamismo vinculado exclusivamente aos árabes, não podendo ser professado pelos povos inferiores.

  5. O monoteísmo, influência do cristianismo e do judaísmo, observado por Maomé entre povos que seguiam essas religiões.

03 "Inspiramos-te, assim como inspiramos Noé e os profetas que o sucederam; assim, também inspiramos Abraão, Ismael, Isaac, Jacó e as tribos, Jesus, Jonas, Aarão, Salomão, e concedemos os Salmos a Davi. E enviamos alguns mensageiros, que te mencionamos, e outros, que não te mencionamos; e Allah falou a Moisés diretamente... Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Allah senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tãosomente um mensageiro de Allah e o seu Verbo, que Ele enviou a Maria, e um Espírito d’Ele." Alcorão, 4:163-164 e 171. O significado dos versículos do Alcorão Sagrado com comentários, p. 137-138.


A respeito do Islão é correto afirmar:


  1. A religião muçulmana, apesar das influências do judaísmo e do cristianismo, significou uma ruptura com a tradição monoteísta ao estabelecer Alá como divindade superior a um conjunto de gênios e divindades secundárias.

  2. A religião muçulmana surgiu no século VII, a partir das pregações de Maomé realizadas na Palestina, entre as tribos judaicas que haviam renegado o Livro Sagrado.

  3. A pregação de Maomé, registrada no Alcorão, ajudou a reverter a tendência à fragmentação política e cultural dos povos árabes, fornecendo as bases religiosas para a expansão islâmica, a partir do século VII.

  4. A pregação de Maomé foi registrada no Alcorão, primeiro livro sagrado escrito em hebraico e traduzido para o árabe, grego e latim, o que facilitou sua divulgação na Península Arábica, Palestina, Mesopotâmia e Ásia Menor.

  5. A transferência da capital do império islâmico para Damasco, durante a dinastia Omíada, e para Bagdá, com a dinastia Abássida, provocou uma revalorização da cultura tribal árabe e a retomada dos valores panteístas dos primeiros califas.

04 A burca não é um símbolo religioso, é um símbolo da subjugação, da subjugação das mulheres. Quero dizer solenemente que não será bem-recebida em nosso território. Nicolas Sarkozy, presidente da França, 22/6/2009, Estadão.com.br, 22/6/2009.



http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,burcas-naotem-lugar-na-franca-diz-sarkozy,391152,0.htm–Acessado em 10/6/2010.
Deputados que integram a Comissão Parlamentar encarregada de analisar o uso da burca na França propuseram a proibição de todos os tipos de véus islâmicos integrais nos serviços públicos. (…) A resolução prevê a proibição do uso de tais vestimentas nos serviços públicos — hospitais, transportes, escolas públicas e outras instalações do governo. Folha Online, 26/1/2010.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u684757.shtml. Acessado em 10/6/2010.

Com base nos textos acima e em seus conhecimentos, assinale a afirmação correta sobre o assunto




  1. O governo francês proibiu as práticas rituais islâmicas em todo o território nacional.

  2. Apesar da obrigatoriedade de o uso da burca se originar de preocupações morais, o presidente francês a considera um traje religioso.

  3. A maioria dos Estados nacionais do Ocidente, inclusive a França, optou pela adoção de políticas de repressão à diversidade religiosa.

  4. As tensões políticas e culturais na França cresceram nas últimas décadas com o aumento do fluxo imigratório de populações islâmicas.

  5. A intolerância religiosa dos franceses, fruto da Revolução de 1789, impede a aceitação do islamismo e do judaísmo na França.

05 O islamismo é a religião que mais cresce no mundo contemporâneo. Suas origens remontam ao século VII d.C. e sua expansão foi baseada na Jihad, guerra santa contra outros povos, especialmente cristãos. Entre os séculos VII e VIII, foi constituído o Império Árabe-Muçulmano, que dominou a Península Arábica, os territórios dos atuais Irã e Iraque, todo o norte da África e a Península Ibérica (atuais Portugal e Espanha).


Considerando o domínio árabe-muçulmano e suas relações com o Ocidente, assinale as afirmativas a seguir, com (V) as verdadeiras e com (F), as falsas:


  1. O Ocidente organizou as Cruzadas, expedições militares constituídas pelos reinos cristãos europeus, com o apoio da Igreja Católica, para refrear a expansão do Islamismo.

  2. Os árabes-islâmicos, durante o seu domínio na Península Ibérica, contribuíram na construção de uma sociedade mais tolerante, ao equipararem o status de judeus e cristãos.

  3. Os árabes-islâmicos defrontaram-se, na Península Ibérica, com uma região de população cristã de origem romano germânica, bastante pluralista e desenvolvida nas ciências e nas artes.

  4. O domínio árabe-muçulmano permitia aos povos, sob o seu controle, a liberdade de culto, não impondo a crença nos valores do Islão.

  5. O tratamento dado pelos árabes muçulmanos às artes e ciências foi semelhante àquele dos cristãos, durante a Inquisição: perseguição a artistas e cientistas, e censura a obras provenientes de culturas de povos considerados “infiéis”.

06 Islã é uma palavra árabe que significa submissão, rendição, ou seja, resignação à vontade de Deus. Os adeptos do islamismo são chamados de muçulmanos, isto é, resignados. Nesse contexto, a religião está intimamente ligada à vida social e a determina nas suas origens.


As afirmativas abaixo destacam as principais características do islamismo em suas origens. julgue as verdadeiras com (V) e as que lhe são impróprias com (F).


  1. O monoteísmo – Alá é o deus único, espiritual e eterno.

  2. Crença na imortalidade da alma; crença no ‘juízo final’, a existência do paraíso e do inferno.

  3. Aceitação da poligamia, um homem casado com várias mulheres; e a escravidão.

  4. Aceitação do fatalismo, devido a ideia de resignação.

07 Sobre o desenvolvimento da cultura árabe islâmica e a sua contribuição para a cultura ocidental pode-se julgar as assertivas abaixo com (V) para as verdadeiras e com (F) para as falsas.




  1. A herança culinária e alimentar, difundiram o cultivo de produtos agrícolas, como a cana-de-açucar, o algodão, o arroz, a laranja e o limão.

  2. No campo das ciências desenvolveram a Matemática, com muitas contribuições à Álgebra, Geometria, Trigonometria e Astronomia.

  3. Na área das técnicas inventaram o vidro, a lente, o papel, a pólvora, o moinho hidráulico.

  4. Nas relações de poder, inventaram a política de base racional possibilitando o desenvolvimento da democracia e da cidadania.

08 (FUVEST) A Hégira marca o início do calendário muçulmano. Explique o que foi a Hégira.

09 (FUVEST) Do ponto de vista político-religioso, como se explica a expansão islâmica a partir do século VII?

10 (PUC-SP) Em relação a questão da liderança do islamismo após a morte de Maomé, grupos se dividiram entre sunitas e xiitas. Explique qual a posição social e religiosa de sunitas e xiitas.




Roteiro 2ª parte




  • HISTÓRIA DA AMÉRICA

Foi no continente africano que surgiram os primeiros humanos, segundo muitos cientistas. Nossos ancestrais deslocaram-se da África para outras regiões da Terra. Esses deslocamentos se deram no decorrer de milhares de anos. Uma dessas regiões foi a América. O continente americano foi provavelmente um dos últimos a ser ocupado pelo ser humano.


Sabemos com certeza que, o povoamento da América começou muito antes da chegada dos europeus, em 1492. A partir do século XIX, os pesquisadores se interessaram em estudar a questão. Os arqueólogos iniciaram as primeiras escavações no território americano em busca de evidências que pudessem esclarecer ou pelo menos dar pistas confiáveis da origem do homem americano. Até hoje se discute muito como ocorreu esse povoamento, isto é, como o homem chegou até aqui.
Entre as teorias que explicam a presença humana na América e também no Brasil destacam-se especialmente: a teoria de teoria transoceânica também chamada de australiana-polinésia e a asiática – do estreito de Bering


  • A Teoria Transoceânica – australiana-polinésia

   Alguns pesquisadores identificam outros caminhos migratórios, como as ilhas Aleutas, também por passagem terrestre, ou então por uma precária navegação iniciada nas ilhas da Polinésia.

   Remadores da Polinésia teriam navegado pelo oceano Pacífico até alcançar o litoral sul-americano. Nessa aventura que durou muitas gerações, esses grupos de navegantes pré-históricos lançaram-se ao mar em diferentes momentos, entre 10 mil e 4 mil anos atrás.


  • A Teoria Asiática ou de Bering

   Os primeiros habitantes da América descendiam de caçadores, que saíram da Sibéria Oriental, na Ásia. Entre 50 mil e 12 mil anos atrás, atravessaram o estreito de Bering e alcançaram a América do Norte durante a última glaciação. Dali, os grupos nômades e seus descendentes foram espalhando-se pelo continente americano.

    Durante a última glaciação, os territórios que hoje correspondem ao Alasca e à Sibéria, estavam unidos por um istmo de gelo, que formava uma passagem entre a Ásia e a América. Quando a temperatura do planeta voltou a subir, esse istmo de gelo se desfez, formando o atual estreito de Bering.

Nos últimos anos se tem encontrado alguns fósseis que estão datando ser mais antigos do que os 12 mil anos, mas não se altera a evidência cada vez mais forte dessa teoria, especialmente os resultados de algumas pesquisas no campo da genética que tem mostrado as origens asiáticas dos povos americanos.




  • Estágios culturais dos povos da América antes da chegada dos europeus

Baixas civilizações: nativos dos Estados Unidos e do Brasil

Estágio paleolítico-nômade: sobrevivência na pesca, caça, coleta e agricultura rudimentar.

Estágio neolítico: organização mais elaborada em termos sociais, políticos e econômicos per-

manecem com organização simples e elementar


  • Altas civilizações ou civilizações complexas: nativos do México, América Central, América do Sul

São os povos que atingiram o estágio de civilização com estrutura complexa na: Organização social, política, econômica, técnica e cultural mais elaborada e técnicas sofisticadas: Astecas no México; Maias na América Central; Incas na América do Sul, na Cordilheira Andina.




  • Civilização Asteca – Situada no México

Povo guerreiro e militar, os astecas habitaram a região do atual México entre os séculos XIV e XVI. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), numa região de pântanos, próxima do lago Texcoco.


O Estado era centralizado e teocrático. A sociedade se constituía de estamentos, era hierarquizada e comandada por um imperador, chefe do exército. A nobreza era também formada por sacerdotes e chefes militares, o poder tinha caráter teocrático. Os camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos compunham grande parte da população. Esta camada mais baixa da sociedade era obrigada a exercer um trabalho compulsório (obrigatório) para o Estado e o imperador, quando este os convocava para trabalhos em obras públicas (canais de irrigação, estradas, templos, pirâmides). 
Durante o governo do imperador Montezuma II (início do século XVI), o império asteca chegou a ser formado por aproximadamente 500 cidades, que pagavam altos impostos para o imperador. O império começou a ser destruído em 1519 com as invasões espanholas. Os espanhóis dominaram os astecas e tomaram grande parte dos objetos de ouro desta civilização. Não satisfeitos, ainda escravizaram os astecas, forçando-os a trabalharem nas minas de ouro e prata da região. 
Os astecas desenvolveram muito as técnicas agrícolas, construindo obras de drenagem e as chinampas (ilhas de cultivo), onde plantavam e colhiam milho, pimenta, tomate, cacau etc. As sementes de cacau, por exemplo, eram usadas como moedas por este povo.
O artesanato a era riquíssimo, destacando-se a confecção de tecidos, objetos de ouro e prata e artigos com pinturas. 
A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada.
A escrita (inexistente o alfabeto) era representada por desenhos e símbolos. O calendário maia foi utilizado com modificações pelos astecas. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia.

Na arquitetura, construíram enormes pirâmides utilizadas para cultos religiosos e sacrifícios humanos. Estes, eram realizados em datas específicas em homenagem aos deuses. Acreditavam, que com os sacrifícios, poderiam deixar os deuses mais calmos e felizes.




  • Civilização Maia – Situada na América Central e sul do México

O povo maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (região sul do atual México). Viveram nestas regiões entre os séculos IV a.C e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas regiões e dominaram a civilização maia.


Nunca chegaram a formar um império unificado, o poder político era descentralizado com cidades-estados independente, isso foi um dos fatores que favoreceu a invasão e domínio de outros povos. As cidades formavam o núcleo político e religioso da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses na Terra. 
A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos. 


Os incas viveram na região da Cordilheira dos Andes (América do Sul ) nos atuais Peru, Bolívia, Chile e Equador. Fundaram no século XIII a capital do império: a cidade sagrada de Cusco. Foram dominados pelos espanhóis em 1532.


O imperador, conhecido por Sapa Inca era considerado um deus na Terra. O Estado era centralizado, militar e teocrático. A sociedade era hierarquizada e formada por: nobres (governantes, chefes militares, juízes e sacerdotes), camada média (funcionários públicos e trabalhadores especializados) e classe mais baixa (artesãos e os camponeses). Esta última camada pagava altos tributos ao rei  em mercadorias ou com trabalhos em obras públicas.
Na arquitetura, desenvolveram várias construções com enormes blocos de  pedras encaixadas, como templos, casas e palácios. A cidade de Machu Picchu foi descoberta somente em 1911 e revelou toda a eficiente estrutura urbana desta sociedade. A agricultura era extremamente desenvolvida, pois plantavam nos chamados terraços (degraus formados nas costas das montanhas). Plantavam e colhiam feijão, milho (alimento sagrado) e batata. Construíram canais de irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias. A arte destacou-se pela qualidade dos objetos de ouro, prata, tecidos e jóias. 

Domesticaram a lhama (animal da família do camelo) e utilizaram como meio de transporte, além de retirar a lã , carne e leite deste animal. Além da lhama, alpacas e vicunhas também eram criadas.

A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti). Porém, cultuavam também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar. Acreditavam num criador antepassado chamado Viracocha (criador de tudo).
Criaram um interessante e eficiente sistema de contagem : o quipo. Este era um instrumento feito de cordões coloridos, onde cada cor representava a contagem de algo. Com o quipo, registravam e somavam as colheitas, habitantes e impostos. Mesmo com todo desenvolvimento, este povo não desenvolveu um sistema de escrita.
Referência bibliográfica para estudo


  • Os livros didáticos do COC

  • Os Slides que estão na página da escola – cocminas.com.br

  • www.historianet.com.br/

LISTA DE EXERCÍCIO S


01 Numa reportagem publicada na Revista Veja, em 21 de abril de 1999, é feita a seguinte constatação:
“Outro trabalho científico de destaque envolvendo a chegada do homem à América foi publicado no mês passado pela revista americana Science, uma das mais importantes do mundo na área. O estudo foi feito por dois geneticistas brasileiros, Sérgio Danilo Pena e Fabrício Santos, que confirmaram o parentesco genético entre tribos de seis países americanos (Brasil, Peru, Argentina, Colômbia, México e Estados Unidos) e um pequeno povoado nas Montanhas Altai, entre a Sibéria, na Rússia, e a Mongólia.”

A partir da citação, analise as hipóteses abaixo sobre a origem do homem no continente americano. A mais aceita pela historiografia e que, mais uma vez, foi confirmada pela pesquisa citada, é a hipótese da:


a) origem autóctone que afirma ser o homem oriundo da própria América.

b) origem polinésia que defende terem os grupos de homens saído das ilhas do Arquipélago Polinésio, em canoas rudimentares, atravessado o Oceano Pacífico e se estabelecido em diferentes locais da América.

c) origem asiática que pressupõe a emigração sucessiva de grupos humanos provenientes da Ásia. Esses grupos teriam atravessado o estreito de Bering, que durante invernos rigorosos formava um istmo de gelo, possibilitando sua travessia a pé.

d) origem africana que defende a vinda de sucessivos grupos de homens do continente africano. Esses homens teriam atravessado o Oceano Atlântico em canoas rudimentares e se instalado em vários pontos da América.

e) origem fenícia que pressupõe uma migração dos fenícios para as Américas, atestada por antigas inscrições encontradas em pedras em vários locais do continente.

02 As principais sociedades ameríndias (maias, astecas e incas) tinham como característica:


  1. Homogeneidade étnica e diferenciação lingüística, localizando-se na chamada Mesoamérica (México e América Central).

  2. Organização econômica com predominância da agricultura de subsistência, baseada em um sistema de propriedade privada, mas sem hierarquia social.

  3. Organização política que evoluiu de teocracias centralizadas para impérios descentralizados, constituídos de cidades-estado bastante autônomas.

  4. Cidades comparáveis a cidades européias, e melhores que estas, com calçamento, ajardinamento, sistema de esgoto e canalização de água.

  5. Religião monoteísta, naturalista, em que se praticava a astrolatria e sacrifícios humanos.

03 De acordo com o seu domínio de conteúdos sobre os povos pré-colombianos, os povos que viviam nas regiões identificadas respectivamente como América do Sul, na cordilheira Andina, na Meso-américa ou América Central e América do Sul, na América do Norte, no México são:




  1. astecas, incas e maias.

  2. incas, maias e astecas.

  3. astecas, maias e incas.

  4. maias, astecas e incas.

  5. maias, incas e astecas.

04 Analise as afirmativas abaixo sobre as altas civilizações pré-colombianas e marque a alternativa correta.




  1. Organizados a partir de uma teocracia, os astecas consideravam o imperador como uma espécie de Deus, apresentavam uma divisão social altamente hierarquizada, eram politeístas e a sua economia baseava-se na agricultura.

  2. Os Incas tinham uma economia baseada na agricultura, apresentavam um significativo conhecimento de arquitetura, como apresentado pela cidade de Machu Picchu, e eram detentores de um razoável sistema de estradas.

  3. Situados na meso-américa, os maias constituíam-se como um império centralizado, semelhante ao império romano, era uma sociedade rígida e hierarquizada, eram politeístas e o imperador era considerado divino; a sua economia era agrícola, cultivavam principalmente o milho.

  4. Na comunidade asteca, as camadas mais baixas formadas por camponeses, além de pagarem impostos ao imperador, eram obrigadas a prestar serviços em obras de interesse público.

Estão corretas apenas:


a) I, II e IV

b) I, II e III

c) II e III

d) I e II

e) Todas

05 Acerca do estágio cultural conhecido como neolítico, considere as seguintes afirmações:




  1. Durante o neolítico, os homens estabeleceram uma nova relação com a natureza, cultivando plantas, domesticando animais e ocupando o espaço de florestas e outros ecossistemas naturais.

  2. Nesse estágio, as pessoas viviam em grupos pequenos e nômades, obtendo da caça e da coleta tudo aquilo de que necessitavam para a sua subsistência.

  3. O neolítico marca o surgimento de inovações culturais e sociais fundamentais, tais como a invenção da cerâmica e da metalurgia e a origem das aldeias sedentárias.

  4. O neolítico representa o estágio anterior do paleolítico, no primeiro, os homens vivem ainda em caráter nômade e coletor, vivendo de caça e de pesca, o segundo, paleolítico é o aparecimento da cerâmica, da metalurgia, do sedentarismo.

06 Antes da chegada dos europeus ao continente americano, os seus habitantes vivenciavam estágios diferentes de desenvolvimento.


Sobre esses estágios, analise as afirmativas abaixo.


  1. As tribos mais numerosas, no Brasil, pertenciam ao tronco lingüístico tupi-guarani, praticavam a agricultura, mas não conheciam os metais, à exceção do ouro, e constituíram Estado.

  2. Os Astecas absorveram os conhecimentos de outras culturas, como a dos Olmecas e a dos Maias, formando uma sociedade hierarquizada e estamental, com uma agricultura sofisticada.

  3. Os Incas notabilizavam-se pelo uso da roda e da escrita, pela prática do monoteísmo e pelas relações de igualdade entre todos os seus membros.

  4. Os Maias nunca chegaram a formar um Estado unificado, mas o poder político era teocrático, a sociedade era hierarquizada e estratificada. Também desenvolveram uma cerâmica elaborada.

07 As afirmativas abaixo relatam sobre as civilizações pré-colombianas, isto é, àquelas que chegaram num estágio de organização social, política e técnica mais complexas que se equiparam a demais civilizações do Antigo Oriente e do Egito Antigo.
De acordo com o seu conhecimento baseado no conceito de baixas civilizações e altas civilizações ou sociedades complexas, analise essas alternativas expostas e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas.


  1. De acordo com contas e documentos dos indígenas americanos e dos europeus, as civilizações americanas no momento da colonização européia possuíam muitas realizações, por exemplo, os Astecas construíram uma das cidades mais impressionantes do mundo, Tenochtitlán, mas era bem inferior as cidades européias, que surgiram nos arredores dos burgos como um processo urbano e sanitário de planejamento.

  2. Os Cheyennes das planícies, os Sioux do nordeste, ambos dos Estados Unidos, assim como os tupi-guaranis do Brasil são grupos complexos por desenvolverem um amplo poder político e social dividido em classe em que predomina um poder centralizado na figura de um imperador que exerce a autoridade política, militar e religiosa.

  3. Se destacam no contexto de civilização complexa, os Astecas, que se situavam na América do Norte, região do México, destacando a cidade de Tenochtitlan; a civilização Maia que ocupava as planícies de Iucatã, quase toda a Guatemala e parte de Honduras, destacando a cidade de Copan; e os Incas, na cordilheira andina, especialmente no Peru, destacando a cidade de Cusco.

  4. Os Astecas, os Maias e os Incas desenvolveram arquitetura e cerâmica sofisticada, estradas pavimentadas, sistemas de irrigação e técnicas de plantio; também foram grandes artesãos do ouro, da prata e do cobre. Desconheciam o ferro, mas elaboram o bronze, liga de cobre com o estanho, minerais abundantes, especialmente na região da América do Sul.

08 (VUNESP) As pesquisas sobre as origens do homem americano levantam três hipóteses para explicar a sua chegada à América e o povoamento do território: a hipótese do ‘autoctonismo’, a hipótese ‘polinésia’, e a hipótese da ‘passagem do estreito de Bering’.


Dentre essas hipóteses, fundamentou-se uma tese, qual delas atualmente é aceita pela ciência? E explique as razões de sua aceitação.

09 (CEUB) Há no continente americano pré-colombiano diferenças grandes nas formas de organização social dos povos e das sociedades que se formaram, desde as formas mais primitivas, simples e rudimentares de organização social, política, e recursos técnicos, até as formas mais sofisticadas, em grupos que a história vai classificar de ‘civilizações complexas’


Discorra, sobre essa questão destacando quem seriam esses povos e as suas formas de organização social e de sobrevivência daquilo que chamamos de ‘civilizações primitivas’ e civilizações complexas’.

10 De acordo com seus conhecimentos sobre as altas civilizações da América pré-colombiana responda as questões abaixo.


a) Cite dois produtos de cultivo, e dois aspectos culturais do povo asteca.
b) Cite dois produtos de cultivo, e dois aspectos culturais do povo inca.
c) Em termos religiosos, o que era traço comum nesses povos? Explique.






©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal