RecuperaçÃo semestral (1º semestre – 2011) História bruno borges



Baixar 20.58 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho20.58 Kb.



RECUPERAÇÃO SEMESTRAL (1º SEMESTRE – 2011)

História - BRUNO BORGES
3ª Série do Ensino Médio



Roteiro





  • Antiguidade Clássica (Grécia e Roma)

  • Feudalismo

  • Renascimento Cultural

  • Grandes Navegações

  • Colonizações Espanhola e Inglesa

  • Reforma e Contrarreforma

  • Absolutismo e Mercantilismo

  • Revolução Inglesa

LISTA DE EXERCÍCIOS


01 Em relação à Revolução Puritana, como eram constituídas as forças antagônicas?

02 Comente dois instrumentos mercantilistas utilizados pelo Estado absolutista.


03 (UFES) Escreva e justifique as diferenças entre as colonizações inglesa e espanhola, na América do Norte e na América hispânica.

04 (UFU) “Que obra-prima é o homem! Como é nobre pela razão! Como é infinito em faculdade! Em forma e movimentos, como é expressivo e maravilhoso! Nas ações, como se parece com um anjo! Na inteligência, como se parece com um deus! A maravilha do mundo! Protótipo dos animais!”

(SHAKESPEARE. Hamlet, Príncipe da Dinamarca. São Paulo: Abril Cultural, 198l, p. 240)
Transcreva, da citação acima, dois trechos que caracterizam o humanismo renascentista e explique-os.

05 (EFOA) Não se deixava viver o recém-nascido que não fosse bem constituído. Toda a educação tendia a fazer do menino um soldado. Passava o tempo, sob as ordens de um monitor, fazendo ginástica e correndo no campo; dormia no chão e era obrigado a roubar uma parte do que necessitava para viver. Cidadão aos trinta anos, permanecia arregimentado. À noite jantava com os que deviam ser, na guerra, os seus companheiros de tenda.


O texto oferece subsídios que se aplicam aos


  1. persas

  2. espartanos

  3. romanos

  4. atenienses

  5. macedônios

06 (FATEC-SP) Reformas religiosas, Renascimento e Humanismo são movimentos europeus dos séculos XV e XVI integrantes de um mesmo conjunto de fenômenos que, nos planos religioso, artístico e filosófico revelaram:




  1. a intensa vida cultural dos centros urbanos da Itália e da França.

  2. as crises decorrentes do confronto dos comportamentos e ideias da sociedade feudal com aqueles relacionados à sociedade capitalista em formação.

  3. o espírito científico e especulador dos intelectuais do período, diretamente ligados a igreja.

  4. a reação anticristã da burguesia européia a dominação religiosa exercida pela Santa Sé.

  5. a completa identificação entre os valores da antiguidade clássica e da modernidade europeia.

07 O sistema feudal caracterizava-se:




  1. pela inexistência do regime de propriedade da terra, predomínio da economia de comércio e organização da propriedade pública.

  2. pelo cultivo da terra por escravos com produção intensiva e grandes benefícios para os vassalos.

  3. pela aplicação do sistema assalariado e trabalho forçado dos vilões nas pequenas propriedades senhoriais.

  4. pela divisão da terra em pequenas propriedades e utilização de técnicas avançadas de cultivo.

  5. pela propriedade senhorial da terra, regime de trabalho servil e bases essencialmente agrárias.

08 (UNB) A sociedade grega era constituída de cidades-estados que possuíam formações sociais, políticas e econômicas diferenciadas. A respeito dessa sociedade, julgue os itens seguintes:




  1. Apesar das distintas composições políticas, Atenas e Esparta aboliram o trabalho escravo e mantiveram uma ordenação social segundo os estatutos militares.

  2. A colonização empreendida no Mar Mediterrâneo garantiu o equilíbrio sócio-econômico e desenvolveu a prática mercantil.

  3. Atenas, ao estender a igualdade sócio-política a toda a população, favoreceu o crescimento econômico, bem como vulgarizou o estudo da filosofia.

  4. Os gregos, em virtude do desenvolvimento político e dos estudos filosóficos, racionalizaram as crenças religiosas e ignoraram os deuses e heróis.

09 (UNB) Leia o texto que se segue, trecho da resposta do rei Luis XIV ao parlamento de Paris, em 1766:

“É exclusivamente na minha pessoa que reside o poder soberano(...) é só de mim que os meus tribunais recebem a sua existência e a sua autoridade; que eles não exercem senão em meu nome, permanece sempre em mim, e o seu uso não pode nunca ser voltado contra mim; é a mim únicamente que pertence o poder legislativo sem dependência e sem partilha (...) a ordem pública inteira emana de mim, e os direitos e interesses da nação, de que se ousa fazer um corpo separado do monarca, estão necessariamente unidos com os meus e repousam unicamente nas minhas mãos.”

(Gustavo de Freitas. 900 textos e documentos de história)


Com o auxílio das informações contidas no texto, julgue os itens abaixo, relativos ao Estado Nacional Moderno:


  1. formado na crise do sistema feudal, o estado moderno opôs-se tanto aos particularismos urbanos, feudais e regionais quanto ao universalismo da Igreja e ao antigo ideal romano-germânico de império.

  2. em ‘O Príncipe’, Maquiavel defende a existência de um estado unificado, com um poder político forte, centralizado e laico.

  3. a expressão ‘maquiavelismo’ pode ser entendida a partir da concepção, presente em ‘o príncipe’, de que não há limite ético ou moral às ações do soberano que, visando à manutenção da vida e do Estado, está livre para o emprego de quaisquer meios.

  4. a doutrina do direito divino dos reis, elaborada por Thomas Hobbes, em seu livro ‘Leviatã’, constituiu o único caminho de justificação teórica e de legitimação ideológica do absolutismo.

10 (UFU) A revolução inglesa do século XVII (1642-1689) transformou a estrutura política, econômica e social da Inglaterra. Nesta perspectiva, pode-se afirmar que:




  1. o poder político mudou de mãos, passando para a pequena nobreza rural, a ‘gentry’, identificada com a burguesia mercantil.

  2. no plano econômico a estrutura agrária foi transformada, havendo a aceleração do processo de cercamento, possibilitando assim, surgimento da grande propriedade capitalista e a generalização das relações proletarizantes de trabalho no campo.

  3. a antiga aristocracia teve seus bens confiscados ou altamente taxados, sendo obrigada a produzir para o mercado. O tradicional clero anglicano perdeu os seus bens e sua autonomia; a pequena nobreza rural, “gentry”, expandiu seu horizonte econômico com a expansão dos cercamentos.

  4. a revolução inglesa possibilitou, pela primeira vez à sociedade, a conquista e o gozo da liberdade civil e política, especialmente aos homens de propriedade.










Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal