RecuperaçÃo semestral (1º semestre – 2011) História neto



Baixar 26.1 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho26.1 Kb.



RECUPERAÇÃO SEMESTRAL (1º SEMESTRE – 2011)

História - NETO
2ª Série do Ensino Médio



Roteiro





  • O I REINADO (1822-1831).




  • O processo do reconhecimento interno e externo da Independência

  • A dissolução violenta da Assembléia Constituinte de 1823 e a outorga da Constituição de 1824

  • Os aspectos mais significativos da Constituição de 1824

  • A reação ao autoritarismo do Imperador e a Confederação do Equador de 1824.

  • A Crise econômica e social

  • A Guerra Cisplatina

  • A “lusofofia” e os conflitos políticos.

  • A Abdicação em 07/04/1831



  • O PERÍODO REGENCIAL (1831-1840).




  • A menoridade de Pedro II e os preceitos constitucionais asseguraram o início do Período Regencial

  • Diversas experiências regenciais que culminaram no Ato Adicional de 1834( salientar as mudanças processadas)

  • A Regência Una de Feijó e Araújo Lima

  • As elites estavam politicamente divididas nos partidos ou agremiações políticas( restaurador, exaltados e moderados)

  • Fase tensa e convulsionada, marcada por diversas revoltas: Farroupilha, Sabinada, Malês, Cabanagem e Balaiada.






  • Golpe da maioridade

  • Revolta Praieira de 1848

  • Parlamentarismo as avessas e política da conciliação

  • O Café, Industrializaçao e modernização

LISTA DE EXERCÍCIOS

01 O período monárquico no Brasil costuma ser dividido em três momentos distintos: Primeiro Reinado (1822-1831); Regências (1831-1840) e Segundo Reinado (1840-1889).


Sobre as principais questões que marcaram esses momentos, assinale a alternativa INCORRETA.


  1. A Guerra do Paraguai marcou o Primeiro Reinado e foi a grande responsável pelo enfraquecimento do poder de D. Pedro I, resultando na Independência do Brasil.

  2. A primeira etapa da monarquia brasileira teve dificuldades para se consolidar, o Primeiro Reinado foi curto e marcado por tumultos e conflitos entre D. Pedro I que era português com os brasileiros.

  3. A primeira Constituição Brasileira foi outorgada em 1824, por D. Pedro I.

  4. A segunda etapa da história do Brasil monárquico inicia-se em 1831, com a renúncia de D. Pedro I em favor do filho Pedro de Alcântara, com apenas cinco anos de idade.

  5. O terceiro momento da monarquia no Brasil inicia-se com o reinado de Dom Pedro II, período marcado pela centralização do poder de um lado e pelas disputas político-partidárias entre liberais e conservadores, de outro.

02 Termos da abdicação de D. Pedro I:

Usando do direito que a Constituição me concede, declaro que hei muito voluntariamente abdicado na pessoa do meu mui amado e prezado filho o Sr. Pedro de Alcântara. Boa Vista _ 7 de abril de 1831, décimo da Independência e do Império _ D. Pedro I.

(Antonio Mendes Jr. et al. Brasil-História, Texto e Consulta.Império. São Paulo: Brasiliense, 1977. p.200)
Os fatos que conduziram à abdicação foram:


  1. repressão aos revolucionários da Confederação do Equador, incorporação da Guiana Francesa e outorga da Constituição.

  2. favorecimento aos comerciantes brasileiros em detrimento dos portugueses, dívida externa elevada com a Guerra da Cisplatina e falência do Banco do Brasil.

  3. repressão contra os revolucionários da Confederação do Equador, perda da província Cisplatina e falência do Banco do Brasil.

  4. perda da Província Cisplatina, dissolução da Assembléia Constituinte e punição exemplar aos pistoleiros que executaram o jornalista Líbero Badaró.

  5. controle das finanças nacionais, respeito aos constituintes que elaboraram a primeira constituição e favorecimento aos comerciantes brasileiros.

03 Com relação ao período regencial brasileiro afirma-se:




  1. A Constituição de 1824 previa a eleição de um regente, caso o imperador estivesse impossibilitado de governar. Como o herdeiro era menor de idade, a Assembléia Geral viu-se forçada a eleger tal regente.

  2. Pelo Ato Adicional de 1834 substituía-se a Regência Una por uma Regência Trina, tirava-se a autonomia das províncias e criava-se o Conselho de Estado.

  3. Foram criadas três correntes políticas: a dos chimangos (que queriam a autonomia para as províncias), a dos restauradores (que eram a favor da monarquia e da centralização administrativa) e a dos farroupilhas (que tinham como objetivo o retorno de D. Pedro I ao trono imperial).

Deve-se dizer, sobre essas afirmações, que:




  1. todas são corretas.

  2. nenhuma é correta

  3. apenas I e II são corretas.

  4. apenas II e III são corretas.

  5. apenas I e III são corretas.

04 Durante o governo de D. Pedro II, o Rio de Janeiro consolidou-se como o centro político do Império, lugar de grandes negócios e de convivência com as novidades da época. Nesse período, registrou-se:




  1. uma acelerada industrialização, com a entrada marcante de capitais europeus.

  2. o hábito crescente de imitar a moda parisiense por parte das suas elites sociais.

  3. um aumento no número de bancos, dinamizando a economia e suas práticas.

  4. um destaque para investidores, como o Barão de Mauá, introdutor do telégrafo urbano.

05 Assinale as afirmativas abaixo em V ou F:




  1. os partidos políticos durante o segundo reinado tiveram choques quanto a questão da abolição, levando os liberais a romperem com D. Pedro II, já que representavam em sua maioria a elite urbana sem interesses em manter a escravidão

  2. a revolução praieira foi inspirada na Primavera dos Povos, um dos princícpios era o socialismo científico proposto por Marx e assimilado pelos operários no Brasil.

  3. O parlamentarismo as avessas significava a intervenção do Imperador através do poder moderador, desta forma o executivo se sobrepõe ao legislativo.

  4. As eleições do Cacete foram eleições fraudulentas e também utilizou a violência para garantir a vitória das eleições ao partido liberal.

06 Observe as questões abaixo e marque V ou F:




  1. O café se tornou um dos principais produtos de exportação do Brasil no II reinado, perdendo apenas para a tradicional Cana de Açúcar.

  2. A industrializaçao durante o II reinado teve como um dos fatores a Tarifa Alves Branco, que favoreceu a economia nacional.

  3. A mão de obra escrava foi abolida em 1850 com a lei Eusébio de Queiroz.

  4. Os imigrantes tiveram incentivo do governo brasileiro para aquisição de pequenas e médias propriedades no oeste paulista voltada para a produção de café.

07 Explique os fatores que favoreceram a chamada Era Mauá.


08 Comente sobre o processo de imigração no II reinado destacando o que foi:




  1. Sistema de parcerias


  1. Sistema subvencionado

09 Descreva a importância do Ato adicional de 1834 durante o periodo regencial



10 Cite quais foram as revoltas regenciais e eleja 1 (uma) para explicar.







©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal