Relatório financeiro de 2012 da ue: o orçamento da ue, um instrumento de investimento cada vez mais importante na ue



Baixar 11.71 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho11.71 Kb.



Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 26 de novembro de 2013



Relatório financeiro de 2012 da UE: o orçamento da UE, um instrumento de investimento cada vez mais importante na UE

O relatório financeiro de 2012 publicado hoje pela Comissão Europeia revela que 94 % do montante total de 135,6 mil milhões de euros do orçamento de 2012 da UE foram afetados a beneficiários espalhados por toda a Europa: investigadores, estudantes, pequenas e médias empresas, cidades, regiões ou ainda ONG.

Em 2012, o orçamento da UE permitiu aumentar o financiamento nas áreas que promovem o crescimento, a criação de emprego e o investimento na investigação e na educação:


  • com 9,6 mil milhões de euros afetados no ano passado, o Fundo de Coesão contribuiu para a construção de 1 274 km de estradas e de 950 km de vias férreas.

  • No ano passado foram recebidos 17 374 pedidos de financiamento para atividades de investigação na UE, tendo sido concedidos 7,8 mil milhões de euros a título do Sétimo Programa-Quadro de Investigação.

  • Foram investidos 1,2 mil milhões de euros em atividades no domínio da aprendizagem ao longo da vida.

O relatório revela igualmente que a UE continua a ser um líder mundial no que diz respeito à ajuda humanitária, prestando ajuda a mais de 122 milhões de pessoas em mais de 90 países terceiros.

Em 2012, a percentagem das despesas administrativas (salários, pensões, edifícios, etc.) no orçamento total da UE permaneceu estável ao nível de 6%.

Janusz Lewandowski, Comissário responsável pelo orçamento e pela programação financeira, afirmou «Embora o ano de 2012 tenha sido marcado por dificuldades financeiras, o orçamento desse exercício continuou a financiar e a apoiar investimentos no interesse dos cidadãos e das regiões da Europa. A elevada taxa de execução orçamental confirma a importância acrescida do financiamento da UE na fase inicial da retoma da economia».

Beneficiários principais

Em termos absolutos, e com 15,7 mil milhões de euros, a Polónia foi o principal beneficiário dos fundos concedidos pela UE (seguida da Espanha e de França). Comparando o volume de financiamento concedido pela UE com o respetivo rendimento nacional bruto, a Estónia é o primeiro beneficiário (seguida da Letónia e da Lituânia).

A Alemanha (seguida de França, do Reino Unido e de Espanha) continuou a ser o principal beneficiário dos fundos da UE em domínios como a investigação e a inovação; a Polónia foi o país que mais beneficiou dos fundos de coesão. A França foi o maior beneficiário dos fundos agrícolas, seguida da Alemanha, Espanha e Itália. Os Países Baixos são o principal beneficiário no domínio da liberdade, da segurança e da justiça, enquanto a Itália, seguida da Bélgica, é o principal beneficiário do orçamento da UE no domínio relativo à «cidadania».

Contribuições dos Estados-Membros para o orçamento da UE

Tradicionalmente, o relatório fornece informações sobre os «saldos orçamentais de funcionamento», ou seja, a diferença entre o montante da contribuição dos Estados-Membros para o orçamento da UE e o montante que recebem da UE. Este cálculo dá apenas uma imagem incompleta da relação custos/benefícios da adesão à UE, dado que não tem em conta vários parâmetros, como os benefícios financeiros que os Estados-Membros retiram do mercado interno ou o facto de as suas empresas privadas beneficiarem da adjudicação de contratos no âmbito de projetos financiados pela UE em outros países.

Os Estados-Membros afetados pela crise (Grécia, Portugal e Espanha) figuram entre os principais beneficiários de fundos em 2012, enquanto os maiores contribuintes líquidos são a Suécia, a Dinamarca e a Alemanha.

As maiores economias são as que mais contribuem para o orçamento da UE. Em 2012, a riqueza (expressa pelo indicador do rendimento nacional bruto - RNB) dos contribuintes líquidos aumentou, em média, 2,4 %, enquanto o RNB dos beneficiários de fundos permaneceu praticamente inalterado devido à crise económica. Uma vez que o orçamento da UE assenta no princípio da solidariedade, em alguns casos as contribuições líquidas registaram um aumento.

Além disso, a maioria dos Estados-Membros melhorou a execução dos fundos da política de coesão e de outros programas de investimento que lhes são atribuídos e receberam mais fundos a título da política agrícola; estes fatores explicam igualmente o pequeno aumento das contribuições dos contribuintes líquidos.

O relatório financeiro de 2012 sobre o orçamento da UE pode ser consultado no seguinte sítio Web:



http://ec.europa.eu/budget/financialreport/index_en.html

Contacts :

Patrizio Fiorilli (+32 2 295 81 32)

Wojtek Talko (+32 2 297 85 51)

Anexo

Orçamento da UE de 2012 – Pagamentos executados (milhões de euros)



Receitas da UE em 2012



IP/13/1163


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal