Repertório Homeopático Essencial Aldo Farias Dias Edição 2003 Sumário



Baixar 0.5 Mb.
Página6/10
Encontro29.07.2016
Tamanho0.5 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

Repertório Homeopático Essencial


O Repertório Homeopático Essencial contém as rubricas essenciais para a prática da homeopatia e apresenta características estruturais dos repertórios sintéticos, dos repertórios de Bönninghausen, dos repertórios temáticos e dos repertórios de concordância. Permite, portanto, repertorizar pelos métodos de Kent e Bönninghausen.

Estrutura


Um estudo estatístico, realizado por Kasparian, demonstrou que as rubricas mais confiáveis do repertório de Kent são as rubricas mais gerais, contendo medicamentos em diversos graus de valorização.

Fontes da compilação


Horst Barthel publicou, em 1987, o Synthetic Repertory, em 3 volumes. O volume I contém os sintomas mentais; o volume II, os sintomas gerais e o volume III, os sintomas do sono, sonhos e sexualidade. Utilizou 16 fontes para a compilação. Estas adições foram incorporadas pelos autores dos repertórios sintéticos mantendo a mesma numeração.

  • (1) (kt) Kent, J. T.; 2 (he) Knerr,C. B.; (3) (bg) Boger, C.M.; (4) (jh) Jahr, G.H.; (5) (gl) Gallavardin, JP.; (6) (st) Stauffer, K.; (7) (ps) Schmidt, P.; (8) (bo) Boericke, O. E.; (9) (sp) Stephenson, J.; (10) (mz) Mezger, J.; (11) (al) Allen, T.F.; (12) (cl) Clarke, J.H.; (13) (wk) Klunker, W.; (14) (jl) Julian, O. A.; (15) (jk) Kunzli, J.; (16) (ha) Hahnemann.

No Repertório Essencial acrescentam-se as seguintes fontes:

  • (bf) Bronfman; (dt) Detinis; (gh) GEHSH; (gm) Gamarra; (lr) Lara de la Rosa; (lm) Lamothe; (rm) Murphy; (sc) Scholten; (sy) Synthesis; (vh) Vithoulkas; (vj) Vijnovsky; (vm) Vermeulen; (zv) Zandvoort; (zz) Zizia infobase.

As fontes dos agregados nas rubricas só estão indicadas na versão digital.

Capítulos e Rubricas


  • As rubricas estão distribuídas em dois capítulos:

  1. Mente: incluindo os sonhos e sintomas da sexualidade.

  2. Físicos: incluindo os sintomas gerais e das partes anatômicas.

Indexação


As rubricas estão indexadas de duas maneiras:

  1. Ordem alfabética, a partir do fenômeno, sua localização e modalidade.

  2. Ordem anatômica para os fenômenos físicos particulares e gerais e núcleos estruturais temáticos para os sintomas mentais (na versão digital que acompanha o livro.).

A versão digital permite alternar a ordem do índice e visualizar as rubricas em Português/Inglês e Inglês/Português.

Notação das rubricas


  • Convenções do registro das rubricas no Repertório Essencial.

  • As rubricas estão separadas das subrubricas por “_”.
FENÔMENO_localização_modalidade

INFLAMAÇÃO (GN)

INFLAMAÇÃO_abdome;

INFLAMAÇÃO_amígdalas

INFLAMAÇÃO_amígdalas_tempo frio agg.

INFLAMAÇÃO_etc.

DOR_tipo de dor_localização_modalidade

DOR em geral (GN)

DOR_queimante (GN)

DOR_queimante_laringe

DOR_queimante_laringe_frio agg.


Os CONCOMITANTES estão registrados “_com_”

ABANDONO_com_nostalgia
As CAUSALIDADES, os transtornos por, estão registradas “_por_”

MEDO_por_ilusões
Os elementos desmembrados

  • Exemplo.O sintoma nódulos nas cordas vocais, está representado em 3 rubricas:

  1. TUMOR_nódulos

  2. LOCAL_cordas vocais

  3. TUMOR_nódulos_cordas vocais.
Rubricas generalizantes

  • As rubricas afins e referências cruzadas estão agrupadas como sub-rubricas de uma rubrica generalizante (super-rubrica) (GN). Exemplo. A rubrica generalizante GN FUTURO contém todos os remédios das sub-rubricas: ansiedade pelo futuro, medo do futuro, indiferença pelo futuro, sonhos de eventos futuros, etc.

  • Todos os fenômenos: mentais, sensoriais, funcionais e lesionais, estão representados por uma rubrica generalizante (GN)com todos os medicamentos das sub-rubricas de localização e modalizadas individualizantes do fenômeno. Exemplo: a super-rubrica ÚLCERA contém todos os medicamentos das sub-rubricas de Úlcera com suas localizações, sensações, modalidades e concomitantes.
Generalização das modalidades

As modalidades dos sintomas físicos estão associadas a três níveis de generalização:

  • ao sintoma individual; DOR_olho_crepúsculo agg. 1r;

  • ao órgão ou função; LOCAL_olho_crepúsculo agg. 5r.; VISÃO_crepúsculo agg.

  • em geral. CREPÙSCULO agg. 45r.

As modalidades do sintomas mentais estão registradas nas rubricas correspondentes e generalizadas nas rubricas MENTE_modalidade. Generalizante de todas as rubricas mentais com aquela modalidade.

  1. ANSIEDADE_crepúsculo agg. 14r.

  2. TRISTEZA_crepúsculo agg. 6r.

  3. TACITURNO_crepúsculo agg. 2r.

  4. Etc._crepúsculo agg.

                  1. = >MENTE_crepúsculo agg. (GN) 37r.
Texto da concordância

A mente começa a generalizar logo que sabe que vários objetos percebidos são diferentes como indivíduos, embora sejam de algum modo, semelhantes’. Porter.

Uma das funções mais importantes de um repertório é a generalização. Exemplo:



  1. Imagina que é deixada por conta própria e permanece sozinha no mundo. {plat}

  2. Abandono e nostalgia pela manhã. {carb-an}

  3. Triste, solitária e nostálgica. {mag-m}

  4. Imagina que perdeu o amor dos outros {aur}.

O repertoriador seleciona uma idéia para formar a rubrica ABANDONO e inclui os quatro medicamentos. A rubrica dá a idéia comum aos 4 medicamentos, mas apenas o texto original os individualiza neste aspecto comum.

Conclui-se, portanto, que só conhecemos realmente uma rubrica, quando sabemos porque cada medicamento está nela. Daí a utilidade do campo de concordância, na estrutura de um repertório. Os medicamentos que não encontramos concordância provém de agregados clínicos ou de fontes duvidosas.

No HomeoPro, grande parte das rubricas contém o texto da Matéria Médica, fonte das inclusões. As concordâncias dos sonhos e de algumas rubricas mentais são da Concordância de Elias Carlos Zoby.

Rubricas originais

Há centenas de rubricas originais baseadas na Matéria Médica Pura, rubricas gerais temáticas e sub-rubricas temáticas individualizantes vinculadas ao texto da Matéria Médica pura. Centenas de agregados de remédios nas rubricas baseados na Matéria Médica Pura e na promoção criteriosa de remédios da sub-rubrica para a rubrica principal. Registro das fontes de todos os agregados, de rubricas ou de medicamentos.

Os agregados originais do GEHSH baseiam-se nos textos da Matéria Médica Pura, na promoção criteriosa de remédios que se encontram nas sub-rubricas e não constam da rubrica principal, nos agregados dos nosódios baseados em Paschero e Roberts e de algumas sugestões de Catherine Coulter e, Portraits of homeopathic medicine. Muitos sintomas físicos foram extraídos de Boericke e Boger. Foram criadas rubricas novas, como por exemplo, Infeliz, sensibilidade as repreensões, culpa religiosa, abandono como tema etc. Agregados de rubricas temáticas.


Valorização e pontuação

Na edição impressa a pontuação está indicada pelo tipo de impressão:

  • Todas as letras em maiúscula: 4 ou 5 pontos. Ex. ALUM.

  • A primeira letra em maiúscula: 3 pontos. Ex. Alum.

  • Todas as letras em minúscula: 2 ou 1 ponto. Ex. alum.

Na versão digital a pontuação é utilizada para o resultado da repertorização.

O valor característico apresenta dois sentidos:



  1. sentido do raro, estranho e peculiar de cada sintoma, dado pelo número de medicamentos na rubrica - Grau de especificidade. Rubricas características.

  2. sentido da regularidade de produção, reprodução patogenética e confirmação em curas clínicas deste sintoma por um determinado remédio - Grau de indicação. Desta forma uma rubrica pode ser comum em si, por conter muitos medicamentos, mas ser característica para os medicamentos com pontuação 3 ou maior.
Pontuação dos medicamentos em cinco graus, baseada nos repertórios de Boger/Bönninghausen

  • 1 ponto: sintomas patogenéticos sem confirmação clínica e de aparecimento único na patogenesia. Sintomas da observação clínica ocasional sem confirmações de outros;

  • 2 pontos: sintomas patogenéticos que se repetem até 10 vezes e/ou que são produzidos por mais de um experimentador. Sintomas da observação clínica confirmados por mais de 10 homeopatas de reconhecida experiência clínica;

  • 3 pontos: sintomas patogenéticos que se repetem mais de 10 vezes e são produzidos por mais de um experimentador, podendo ou não ter confirmação clínica. Sintomas da observação clínica confirmados repetidas vezes por mais de 15 homeopatas de reconhecida experiência clínica;

  • 4 pontos: todos os critérios acima com uma regularidade superior ou sintomas da observação clínica de confirmação em mais de 80% dos casos;

  • 5 pontos: característica de excepcional regularidade patogenética e repetidas confirmações clínicas.
Rubricas Puras

  • MM_. Estas rubricas contém apenas os medicamentos com texto na Matéria Médica.
Depressão, humor deprimido, abatido, triste etc. (rubrica pura generalizante) (GN)

acon agar Alum am.c am.m Ambr anac ant.c arn ARS asar AUR bar.a bar.c bell bry CALC calc.a cann.s CARB.AN carb.v caust chel chin CIC Clem Cocc coloc Con cupr cycl DIG Dros euph ferr Graph hell hep Hyos ign iod ip Kali.c kali.n LYC M.aust mag.c mag.m MANG meny merc mez MUR.AC NAT.C NAT.M NIT.AC Nux.v olnd Op petr PH.AC PHOS PLAT puls rheum RHUS.T ruta sars SEP sil Spig spong stann STAPH sul.ac SULPH tarax thuj verat zinc.
Abatimento - Niedergeschlagen - Despondency

acon agar alum am.c ambr ant.c ars AUR bar.c bell bry CALC cann.s carb.an Caust chel chin coloc Con Dig Dros graph hep hyos iod kali.c lyc m.aust mang merc nat.c nat.m nit.ac nux.v petr PH.AC PHOS plat rhus.t sars sep sil sul.ac sulph thuj verat zinc
Sem alegria - Freudlos - Joyless

alum bell caust coloc dros ip kali.c lyc mag.m mur.ac nat.m nit.ac sars sulph
Desencorajado - Muthlos - Discouraged

agar anac AUR caust chin cocc Dig dros hep Iod Lyc m.aust nat.m op Petr Ph.ac puls ruta sep spig stann verat
Sem esperança - Hoffnunglos - Hopeless

arn aur carb.an chin Nat.m nit.ac op
Melancólico - melancholisch- Melancholy

am.m anac ARS asar AUR Calc Carb.an caust cupr euph ferr ign iod lyc nat.c NAT.M nit.ac op PHOS puls rhus.t ruta sep sil Stann sul.ac sulph verat zinc
Sombrio - Truebsinn- Gloomy

am.m anac ars asar calc carb.an chin Clem Dig graph iod kali.n lyc m.aust meny merc mez nat.c op Petr ph.ac Plat puls rheum sep spig sulph tarax
Triste - Traurig - Sad

Alum am.c Ambr anac ant.c ARS bar.a bar.c CALC calc.a CARB.AN carb.v caust chel chin CIC Cocc cycl DIG Dros ferr Graph hell hep Hyos Kali.c LYC M.aust mag.c MANG meny mez MUR.AC NAT.C NAT.M NIT.AC Nux.v olnd Op petr PH.AC PHOS PLAT puls RHUS.T ruta sars SEP Spig spong STAPH SULPH zinc.
Rubricas heterogêneas

  • Rubricas heterogêneas, alienígenas: são rubricas incorporadas de outros repertórios. São quase sempre incompletas e muitas delas são apenas sinônimas de rubricas do Kent. Elas deveriam ser atualizadas ou incluídas como sub-rubricas de uma rubrica de Kent mais semelhante. Elas são identificadas pelo número do autor. Deve-se dar atenção especial às rubricas provenientes de Gallavardin 5, a grande maioria, traços de caráter, incompletas e de confiabilidade insegura.
Referências cruzadas

  • Sempre que possível são evitadas. Os sintomas análogos estão agrupados tematicamente. Exemplo: CORAJOSO figura como uma rubrica geral e as rubricas análogas: destemido; audacioso; ousado; sem senso de perigo; figuram como sub-rubricas de Corajoso e não como referências cruzadas como nos repertórios sintéticos.
Rubricas originais inéditas

  • Há dezenas de rubricas originais inéditas no repertório do GEHSH, como as rubricas puras, as temáticas, as generalizantes, as inéditas, o campo da concordância.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal