Requerimento nº 1405, de 2003



Baixar 10.29 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho10.29 Kb.


REQUERIMENTO Nº 1405, DE 2003



REQUEIRO, nos termos regimentais, que se registre nos anais desta Casa, votos de congratulações com o Professor Doutor Sergio Henrique Ferreira, pela nomeação para integrar a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, que enobrece não só a cidade de Ribeirão Preto, como nosso estado e o país.

REQUEIRO, outrossim, que seja cientificada a ilustre família do homenageado na Rua Marcondes Salgado, 1857, Ribeirão Preto/SP, CEP 14025-160, e ao Departamento de Farmacologia da FMRP, Faculdade de Medicina da Universidade de Ribeirão Preto – USP/SP, Cidade Universitária, Ribeirão Preto/SP, 14100-000
J U S T I F I C A T I V A
Formado em 1960 pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 1961, passa a trabalhar no Departamento de Farmacologia da FMRP-USP. Sergio Henrique Ferreira, professor titular do Departamento de Farmacologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), foi nomeado membro estrangeiro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS) no ano passado, sendo oficialmente integrado em 26 de abril do corrente, em Washington, EUA. É doutor em Farmacologia, Livre-Docente, Professor Adjunto e Professor Titular do Departamento de Farmacologia. As áreas de pesquisa que desenvolve atualmente são: Controle da migração de leucócitos em inflamação; Mediadores da dor inflamatória; Analgésicos Periféricos; Analgésicos NO/GMPc dependente.

É o quarto brasileiro a fazer parte da Academia, fundada em 1863. Os outros três são Jacob Palis Júnior, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (ligado ao MTC), Francisco Mauro Salzano, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e, o professor Warwick Kerr, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, fundador do Departamento de Genética da FMRP-USP.

Nos anos 60, sob a orientação do Professor Maurício Oscar da Rocha e Silva, Sergio Henrique Ferreira detecta no veneno da Bothrops uma substância que potencializava intensamente os efeitos farmacológicos da bradicinina. Este s estudos foram o ponto de partida para o desenvolvimento da mais nova classe de substância hipotensora existente atualmente. Cientistas de indústrias internacionais de medicamentos baseados em seus achados desenvolveram um medicamento sintético e com vantagens sobre as substâncias presentes no veneno da jararaca, pois era mais potente e podia ser administrada oralmente. Estas substâncias são conhecidas como inibidoras da conversão da angiotensina, por que no organismo não permite a conversão da angiotensina I em angiotensina II, a forma mais ativa em promover hipotensão. Hoje existem mais de 20 substâncias semelhantes, a primeira sintetizada pela Squibb (Captopril, Capoten no Brasil), cuja venda mundial ultrapassa a cifra dos 8 bilhões de dólares. O uso deste medicamento tende a aumentar, pois descobriu-se que na insuficiência cardíaca e na lesão devido ao infarto do miocárdio, a potenciação dos efeitos da bradicinina possui um resultado cardioprotetor. Por estes estudos o Professor Sergio Henrique Ferreira, juntamente com os cientistas da Squibb, recebeu em 1983 o Prêmio CIBA Award for Hypertension Research , outorgado pela American Heart Association. Em 1990, a Sociedade de Hipertensão Norueguesa instituiu o Prêmio “Ferreira Award” para os pesquisadores cujos trabalhos se destaquem na área de hipertensão.

O professor Sergio Henrique Ferreira também é reconhecido internacionalmente por sua contribuição no ramo de analgésicos anti-inflamatório. Participou nos experimentos pioneiros que levaram ao descobrimento do mecanismo de ação das drogas do tipo da aspirina, conjuntamente com o Professor John R. Vane, que por sua contribuição nesta área ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 1982. O seu grupo de pesquisa, em Ribeirão Preto, descobriu o mecanismo de ação analgésica periférica da dipirona e propôs o desenvolvimento de drogas opiáceas de ação periférica. Estes estudos têm levado ao desenvolvimento de novas substâncias analgésicas de ação periférica.

Por seus trabalhos em inflamação e anagesia recebeu em 1990 “The Scientific Merit Award”, dada pela Interamerican Society for Clinical Pharmacology and Therapeutics. Como reconhecimento pela sua carreira científica recebeu “The Award of the Third World Academy of Sciences”.

Recebeu ainda, “Werle Comemorative Medal”, outorgada pela The E.K. Frey-E Foundation em 1993, comenda que o admitiu na Ordem Nacional do Mérito Científico, na classe da Grã-Cruz, em 1996. Foi eleito pela Revista Médicos, de dezembro de 1998, através de pesquisa realizada entre os principais centros científicos brasileiros, um dos 10 Maiores Médicos do Século. Em setembro de 1999, a Folha de São Paulo, o elegeu como Cientista Brasileiro mais citado no exterior, com base no ISIS. Recebeu o Prêmio México de Ciência e Tecnologia, em 1999, do Conselho de Ciência e Tecnologia do México, prêmio outorgado pelo Governo Mexicano, Prêmio Rheinboldt Hauptmann, outorgado pelo Instituto de Química da USP, São Paulo, em 2001, Prêmio Péter Muranyi, outorgado pela Fundação Péter Muranyi, São Paulo, em 2002.



Nosso homenageado ocupou ainda os seguintes cargos: 1991/1994 - Presidente da FESBE – Federação das Sociedades de Biologia experimental; 1995/1999 – Presidente da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência; 1997/2001- Membro do CCT – Conselho de Ciência e Tecnologia – Ministério das Tecnologias;1198/2000 – Presidente da SBED – Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor – capítulo brasileiro da IASP e 199/2001- Presidente da SBIn – Sociedade Brasileira da Inflamação.
Sala das Sessões, em 08-05-2003
a) BALEIA ROSSI

sma/


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal