Responsabilidade intransferível dos pais



Baixar 27.82 Kb.
Encontro05.08.2016
Tamanho27.82 Kb.

Lição 4 Embaixadores de Deus Pag.



Capítulo 29

Tarefa que não pode ser transferida
Responsabilidade intransferível dos pais
Pais, tendes responsabilidades que ninguém pode levar em vosso lugar. Enquanto viverdes, sois responsabilizados por Deus quanto a guardar o Seu caminho. ... Os pais que fazem da Palavra de Deus seu guia, e que compreendem quanto seus filhos dependem deles na formação do carácter, dar-lhes-ão um exemplo que lhes seja seguro seguir. — Carta 356, 1907.{LA 187.1}

Os pais e mães são responsáveis pela saúde, a constituição, o desenvolvimento do carácter de seus filhos. Nenhum outro devia ser feito fiador desta obra. Ao vos tornardes pais, sobre vós recai a tarefa de cooperar com o Senhor na educação dos filhos em princípios sadios. — Manuscrito, 126, 1897.{LA 187.2}

Quão triste é que muitos pais têm deposto a responsabilidade que Deus lhes deu com respeito aos filhos, nas mãos de estranhos! Estão desejosos de que outros trabalhem por seus filhos e os libertem de todo o peso na questão. — The Review and Herald, 25 de Outubro de 1892.{LA 187.3}

Muitos que estão agora lamentando o desvio dos filhos são os únicos culpados. Examinem suas Bíblias e vejam o que Deus deles exige como pais e guardiões. Assumam eles seus deveres negligenciados por muito tempo. Necessitam humilhar-se e arrepender-se diante de Deus por sua negligência em seguir Sua direcção na educação dos filhos. Necessitam mudar seu curso de acção e seguir estrita e cuidadosamente a Bíblia como seu guia e conselheiro. — Manuscrito, 57, 1897.{LA 187.4}


A igreja sozinha não pode assumir
essas responsabilidades

Se os jovens e as crianças entregassem o coração a Cristo, que exército poderia então ser suscitado para levar outros à justiça Mas os pais não devem deixar esta obra exclusivamente para a igreja. — The Signs of the Times, 13 de Agosto de 1896.{LA 188.1}
Nem o pode o pastor
Acumulais grandes responsabilidades sobre o pregador e o fazeis responsável pela alma de vossos filhos; mas não sentis vossa própria responsabilidade como pais e instrutores. ... Vossos filhos e filhas são corrompidos por vosso próprio exemplo e frouxos preceitos; e, não obstante esta falta de ensino doméstico, esperais que o pastor contorne vossa obra diária e realize a maravilhosa tarefa de educar-lhes o coração e a vida para a virtude e a piedade. Depois de haver o pastor feito tudo que pode para a igreja mediante fiel e afectiva admoestação, paciente disciplina e fervente oração para reconquistar e salvar a alma, não sendo bem-sucedido, os pais e mães não raro culpam-no por não se haverem os seus filhos convertido, quando a causa pode ser a sua própria negligência. A tarefa repousa sobre os pais. Tomarão eles sobre si a obra que Deus lhes confiou, a fim de fielmente realizá-la? Prosseguirão para a frente e para cima, trabalhando de maneira perseverante, paciente e humilde, a fim de alcançarem para si mesmos a exaltada norma e levar os filhos consigo? — Testimonies for the Church 5:494, 495.{LA 188.2}

Não há muitos pais e mães pondo suas responsabilidades nas mãos de outros? Não pensam muitos deles que o pastor deve tomar o encargo e preocupar-se para que seus filhos se convertam e o selo de Deus seja posto neles? — The Review and Herald, 21 de Maio de 1895.{LA 188.3}


Nem o pode também a Escola Sabatina
É seu privilégio [dos pais] ajudar os filhos a obter o conhecimento que os pode levar à vida futura. Mas por alguma razão muitos pais não apreciam dar a seus filhos instrução religiosa. Permitem que respiguem na Escola Sabatina o conhecimento que eles deviam comunicar acerca de sua responsabilidade diante de Deus. Esses pais necessitam compreender que Deus deseja que eduquem, disciplinem e instruam seus filhos, pondo sempre diante deles o facto de que estão formando carácter para a vida presente e a futura. — The Review and Herald, 6 de Junho de 1899. {LA 188.4}

Não recai sobre os professores da Escola Sabatina a obra de indicar a vossos filhos o caminho que devem seguir. A Escola Sabatina é uma grande bênção; ela pode ajudar-vos em vosso trabalho, mas não pode tomar vosso lugar. Deus deu a todos os pais e mães a responsabilidade de levar os filhos a Jesus, ensinando-lhes como orar e crer na Palavra de Deus.{LA 189.1}

Na educação de vossos filhos, não ponhais de lado as grandes verdades da Bíblia, na suposição de que a Escola Sabatina e os pastores farão a obra por vós negligenciada. A Bíblia não é intocavelmente sagrada e sublime que não possa ser aberta diariamente e estudada diligentemente. As verdades da Palavra de Deus devem ser relacionadas com as coisas da vida supostamente consideradas pequenas. Se correctamente consideradas, elas animarão a vida comum, fornecendo motivos para a obediência e princípios para a formação de um carácter recto. — Manuscrito, 5, 1896.{LA 189.2}

Capítulo 30

Companheirismo da família
Devem os pais familiarizarem-se com os filhos
Alguns pais não compreendem os filhos, e não se relacionam verdadeiramente com eles. Existe com frequência grande separação entre aqueles e estes. Caso penetrassem os pais mais plenamente no sentimento dos filhos e verificassem o que lhes está no coração, isto exerceria sobre eles uma influência benéfica. — Testemunhos Selectos 1:146.{LA 190.1}

Pai e mãe devem trabalhar unidos, em plena simpatia mútua. Devem fazer-se companheiros dos filhos. — Manuscrito, 45, 1912.{LA 190.2}

Os pais devem estudar a maneira melhor e mais bem-sucedida de ganhar o amor e a confiança dos filhos, a fim de poderem guiá-los no caminho direito. Devem eles reflectir o sol do amor na família. — The Review and Herald, 30 de Agosto de 1881.{LA 190.3}
Encorajamento e louvor
As crianças gostam de ter companhia, e raramente se podem divertir sozinhas. Anseiam simpatia e ternura. O que lhes dá prazer, elas crêem que também o dá à mãe; e é natural que a ela se dirijam com suas pequeninas alegrias e pesares. A mãe não deve ferir-lhes o coraçãozinho tratando com indiferença essas coisas que, embora insignificantes para ela, são de grande importância para as crianças. A simpatia e aprovação que ela lhes dispensa, são preciosas. Um olhar de aprovação e uma palavra de ânimo ou louvor, serão como um raio de sol em seu coraçãozinho tornando-as às vezes felizes o dia inteiro. — A Ciência do Bom Viver, 388.{LA 190.4}
Confidentes dos filhos
Os pais devem animar os filhos a confiar neles, e desabafar com eles o coração quando têm desgostos e em suas diárias contrariedades e provas. — Testemunhos Selectos 1:141.{LA 190.5}

Instruí-os bondosamente, e ligai-os ao vosso coração. É um tempo crítico para as crianças. Influências serão exercidas sobre elas a fim de aliená-las de vós, e cumpre-vos contrabalançá-las. Ensinai-lhes a fazerem de vós seus confidentes, segredem-vos elas ao ouvido suas provas e alegrias. — Testemunhos Selectos 1:136.{LA 191.1}

Os filhos seriam poupados a muitos males, fossem eles mais familiares com seus pais. Estes devem estimular neles a disposição de ser abertos e francos com eles, a lhes levarem suas dificuldades, e a quando se acharem perplexos quanto à direcção certa a tomar, a exporem a questão diante de seus pais, tal como eles a vêem, pedindo-lhes conselho. Quem é tão capaz de ver e indicar o perigo que eles correm, como os pais piedosos? Quem pode, como eles, compreender o temperamento particular de seus filhos? A mãe que observou toda disposição de espírito desde a infância, estando assim familiarizada com a natural inclinação, está mais bem preparada para aconselhar seus filhos. Quem pode dizer tão bem quais os traços de carácter a combater e restringir, como a mãe, ajudada pelo pai? — Testemunhos Selectos 1:142.{LA 191.2}
Falta tempo”
“Falta tempo”, diz o pai; “não tenho tempo de dedicar-me à instrução de meus filhos; não tenho tempo de dedicar-me a prazeres sociais domésticos.” Então não devíeis ter tomado sobre vós a responsabilidade de uma família. Privando-os do tempo que lhes pertence por direito, estais lhes roubando a educação que deviam receber de vossas mãos. Se tendes filhos, tendes uma obra a fazer, em união com a mãe, na formação do carácter deles. — Fundamentos da Educação Cristã, 65, 66.{LA 191.3}

Eis a afirmação de muitas mães: “Não tenho tempo de estar com meus filhos.” Então por amor de Cristo gastai menos tempo com vossa roupa. Negligenciai vosso adorno pessoal, e o fazer e receber visitas. Negligenciai cozinhar uma variedade interminável de pratos. Mas nunca, nunca negligencieis vossos filhos. Que é a palha em face do trigo? Que nada se interponha entre vós e os melhores interesses de vossos filhos. — The Signs of the Times, 3 de Abril de 1901. {LA 191.4}

Sobrecarregadas de muitos cuidados, as mães sentem que não podem às vezes dedicar tempo para instruir seus pequenos, e dispensar-lhes amor e simpatia. Lembrem-se elas, no entanto, de que, se os filhos não encontram nos pais e no lar aquilo que lhes satisfaz o desejo que experimentam de afecto e companheirismo, volvem-se para outras fontes, onde tanto a mente como o carácter podem perigar. — A Ciência do Bom Viver, 389.{LA 192.1}
Junto aos filhos no trabalho e nas recreações
Concedei algumas de vossas horas de lazer aos filhos; associai-vos com eles no trabalho e nos desportos, e ganhai-lhes a confiança. Cultivai-lhes a amizade. — Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, 124.{LA 192.2}

Dediquem os pais as noites às suas famílias. Ponham de lado os cuidados e perplexidades com os trabalhos do dia. — Christian Temperance and Bible Hygiene, 65.{LA 192.3}


Conselho a pais reservados e ditatoriais
Há perigo de tanto os pais como os professores comandarem e ditarem demasiadamente, ao passo que deixam de se pôr suficientemente em relações sociais com os filhos e alunos. Mantêm-se com frequência muito reservados, e exercem sua autoridade de maneira fria, destituída de simpatia, que não pode atrair o coração dos educandos. Caso reunissem as crianças bem junto de si, e lhes mostrassem que as amam, e manifestassem interesse em todos os seus esforços, e mesmo em seus desportos, tornando-se por vezes uma criança entre elas, dar-lhes-iam muita satisfação e lhes granjeariam o amor e a confiança. E mais depressa as crianças respeitariam e amariam a autoridade dos pais e mestres. — Testemunhos Selectos 1:318. {LA 192.4}
Competidores do lar
Satanás e seu exército estão fazendo os mais poderosos esforços para manejar a mente das crianças, e estas devem ser tratadas com imparcialidade, ternura e amor cristãos. Isto vos dará uma forte influência sobre elas, e sentirão que podem depor ilimitada confiança em vós. Rodeai vossos filhos com os encantos do lar e do vosso convívio. Se assim fizerdes, não terão tanto desejo de se unirem com outras companhias. ... Devido ao mal que há agora no mundo, e à restrição que é necessário impor aos filhos, os pais devem ter cuidado dobrado em mantê-los unidos ao seu coração, fazendo-os compreender que desejam sua felicidade. — Testemunhos Selectos 1:136, 137.{LA 193.1}
Os pais devem se familiarizar com seus filhos
Não se deve permitir que se erga entre pais e filhos barreira alguma de frieza e reserva. Relacionem-se os pais com eles, buscando compreender-lhes os gostos e disposições, penetrando em seus sentimentos e discernindo o que lhes vai no coração.{LA 193.2}

Pais, deixai que vossos filhos vejam que os amais, e fareis tudo que estiver ao vosso alcance para torná-los felizes. Se assim fizerdes, as necessárias restrições que lhes impuserdes terão incomparavelmente mais peso em seu espírito. Governai vossos filhos com ternura e compaixão, lembrando que “os seus anjos nos Céus sempre vêem a face de Meu Pai que está nos Céus”. Mateus 18:10. Se quereis que os anjos façam por vossos filhos a obra de que Deus os incumbiu, cooperai com eles, fazendo a vossa parte.{LA 193.3}

Criadas sob a sábia e amorosa guia de um lar verdadeiro, as crianças não terão desejo de ausentar-se em busca de prazer e camaradagem. O espírito que prevalece no lar moldará seu carácter; formarão hábitos e princípios que serão uma forte defesa contra a tentação, quando deixarem o abrigo do lar e assumirem sua posição no mundo. — A Ciência do Bom Viver, 394. {LA 193.4}


O lar adventista, pp. 187-194 Vários 25, Julho, 2015




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal