Resumo da Apresentação o que os utilizadores pensam do projecto



Baixar 13.46 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho13.46 Kb.
CCU – Grupo 1 – iMax

Relatório

Aula 2

Resumo da Apresentação

O que os utilizadores pensam do projecto

As entrevistas por nós realizadas não nos permitiram ter dados quantitativos e percentuais que nos permitam ter uma ideia definitiva acerca do percurso que o nosso projecto irá seguir, isto porque as entrevistas foram realizadas totalmente em aberto, no entanto, conseguimos obter uma ideia geral de aquilo que pretendem e também algumas características muito interessantes que poderemos aplicar.

Todos os nossos entrevistados visualizam o dispositivo como um “gestor pessoal” dos conteúdos multimédia, tanto físicos como digitais, sendo assim conseguimos reunir uma série de requisitos e preferências para cada uma destas vertentes.
Relativamente à vertente de suportes físicos, a maioria dos utilizadores falou numa biblioteca virtual que tenha a informação de objectos físico existentes (fotos, livros, cds/dvds /vinil, filmes), ou seja, é necessário que cada um destes objectos tenha a sua representação no espaço virtual de uma forma bastante detalhada, bem como a sua localização e estado, isto é, em que divisão da casa, em que prateleira, álbum (…), se está emprestado e a quem. Uma característica importante reside na rapidez e facilidade de inserir novos conteúdos na biblioteca, pois, se esta for uma tarefa fastidiosa, o dispositivo não irá constituir, de todo, uma vantagem. Outra característica também sugerida foi a integração de software de conversão para dados digitais, por exemplo, ao digitalizar uma foto real já inventariada, a foto digital irá conter todos os detalhes que estavam associados na biblioteca de suportes físicos da mesma.
Relativamente à vertente digital, foi-nos sugerido que o projecto faça a interacção entre os vários dispositivos de suporte (telemóvel, máquina fotográfica digital, PDA, computador, etc.), o dispositivo deverá ter acesso online de modo a obter informação mais detalhada acerca dos conteúdos existentes, deverá também permitir a pesquisa de novos conteúdos bem como a compra dos mesmos online. Foi-nos ainda sugerida a opção de poder visualizar a programação dos vários canais de TV e de rádio, bem como eventos musicais e de cinema.

Em resumo, a ideia geral, será fazer um dispositivo (com o suporte físico ainda em aberto) que faça a gestão, inventariação e organização de todos conteúdos multimédia físicos e digitais da família. É de salientar este ponto pois foi-nos sugerida a característica de multi-utilizador no projecto, para que existam restrições de acesso a informação pessoal, bem como controlo parental. Por fim, foi-nos dada a sugestão de ter uma representação gráfica da casa com suas divisões e armários onde seria possível pesquisar os objectos de forma mais interactiva, no entanto, embora tenhamos gostado bastante da ideia sabemos que é muito difícil de concretizar.


Grupo de utilizadores e seu perfil
Tal como foi descrito anteriormente, a maioria dos nossos entrevistados manifestaram interesse no projecto de forma doméstica, ou seja, como utilizadores casuais. Desta forma, o tipo de utilizadores alvo apresentará as seguintes características: utilização esporádica e rápida do dispositivo, valorização da simplicidade e organização, utilização de larga variedade de tecnologias. Poderão ainda ser do tipo de coleccionadores utilizando maioritariamente um tipo de multimédia com maior detalhe.
Lista de Tarefas

Após a análise das opiniões e propostas dos utilizadores chegamos a conclusão que o dispositivo deverá permitir a realização das seguintes tarefas: navegação interactiva entre os diferentes tipos de multimédia existentes em formato digital, pré-visualização de detalhes dos mesmos, inserção pesquisa e remoção de multimédia digital e informação relativa a suportes físicos, restrições a conteúdos e controlo parental, interacção com conteúdos online, upload/download de dados de outros dispositivos físicos (máquina digital, telemóvel, PDA), apresentação gráfica animada do espaço físico (casa) onde se encontram os suportes.



Grupo de acompanhamento

O grupo de acompanhamento será constituído por 4 pessoas que conhecemos bem, o acompanhamento será então realizado de uma forma descontraída e flexível, estas pessoas são: uma coleccionadora de vários tipos de multimédia diferentes (CD, DVD, livros e mp3), um utilizador muito casual (mp3, algumas fotos, poucos filmes), utilizador assíduo de multimédia (especificamente mp3), uma fotógrafa amadora.



Discussão na aula e críticas ao projecto

O nosso grupo foi o terceiro a realizar a apresentação, durante a mesma e no final foram-nos dirigidas algumas opiniões, sugestões e críticas bastante construtivas por parte do professor e dos outros grupos.

Relativamente à primeira parte, sobre o que pensam os utilizadores, apenas nos foi dirigida uma crítica, relativamente à sugestão que nos foi dada acerca da apresentação de informação da programação de televisão e rádio, eventos musicais, de teatro e cinema. Alguns colegas pensam que esta funcionalidade desvia-se um pouco do objectivo do dispositivo e das restantes funcionalidades. No entanto o professor indicou-nos que isto não é uma desvantagem, o facto de realizar as entrevistas em aberto permitiu-nos ter uma opinião interessante que se for moldada com cuidado dará bom resultado. Teremos, no entanto, que ter cuidado para não no afastarmos muito do tema inicial. Foi-nos dado o exemplo de um grupo que está a realizar o projecto eTrek e pretendia alargar o dispositivo para percursos de automóvel, é um exemplo a não seguir pois comporta um afastamento praticamente total do resto do tema e implicaria a concretização de inúmeras tarefas desnecessárias.

Relativamente ao tipo de utilizadores seleccionado, verificamos que apostámos num grupo alvo diferente de outros colegas, nós apostámos nos utilizadores casuais e amadores embora possam ser coleccionadores, enquanto outro grupo apostou em utilizadores mais intermédios com a necessidade de algumas funcionalidades mais avançadas. O professor salientou que esta diferença implicará percursos diferentes de desenvolvimento e permitir-nos-á ter outra visão daquilo que estamos a fazer.

Os cenários de utilização foram desenvolvidos correctamente, o professor indicou-nos que o fizemos de maneira correcta, no entanto, salientou para todos os grupos que aquilo que se pretende de um cenário de utilização é uma história detalhada do ponto de vista da pessoa e da tarefa concreta e não deve incluir detalhes do dispositivo (se tocou no botão xpto etc).

Relativamente à lista de tarefas foram-nos dirigidas algumas críticas relativamente á dificuldade ou até talvez impossibilidade de realização, alguns colegas nossos destacaram a interacção entre dispositivos, para isto é necessário desenvolver um sistema que seja compatível com múltiplos sistemas diferentes (telemóvel, máquina digital, PDA). Seria uma funcionalidade extremamente vantajosa, no entanto, teremos que fazer o estudo devido para verificar se é concretizável. Tal como esta tarefa, a apresentação gráfica do espaço físico e a separação multi-utilizador irão apresentar-nos bastantes dificuldades ao longo do desenvolvimento.

Em conclusão, reparámos que, tal como apostámos num grupo de utilizadores alvo diferente de outros colegas, também o grupo de acompanhamento é bastante diferente. O professor indicou-nos que o grupo poderá ser algo restrito a um tipo de opinião e por isso deveremos apostar na opinião de outras pessoas durante o desenvolvimento.

Carlos Fraga – 53816



Camillo Lopes – 53817

João Sirgado – 55399




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal