Resumo: o conceito de democracia em Gramsci Ana Maria Said



Baixar 5.33 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho5.33 Kb.
Resumo: O conceito de democracia em Gramsci

Ana Maria Said

Não havendo um movimento espontâneo que transforme o mundo, em um momento de crise econômica, que Gramsci denomina crise orgânica, a história carece de forças e sujeitos que se definam sobre o terreno das superestruturas, entrelaçando interesses econômicos e orientações políticas e ideológicas. É o movimento de agrupar-se e reagrupar-se com seus interesses e culturas que transforma a história. E é somente a partir do movimento desses sujeitos que se pode compreender o momento da crise.

A crise é a mudança morfológica das forças que organizam e guiam o crescimento civil em uma determinada formação social. Traz consigo a possibilidade do desenvolvimento posterior que uma formação social tem em seu seio, com a potência criativa dos sujeitos agregando-se e orientando os vários reagrupamentos sociais, o que possibilita o confronto de classes antagônicas no capitalismo avançado. Essa é a base sobre a qual Gramsci propõe, nos Cadernos, a passagem da guerra de movimento para a guerra de posição, baseado na função dos sujeitos na história. Então, percebe-se a importância da luta pela democracia, que seria o lugar em que novos sujeitos definiriam o seu papel e as próprias estratégias, organizando-se para a luta contra o capitalismo. A estratégia da guerra de posição revela uma concepção instrumental da democracia burguesa. As conquistas democráticas possibilitam uma maior organização e consciência política, mas não bastam para a transformação.



O conceito de hegemonia é chave para entendermos a estratégia de Gramsci; o que fundamentalmente o diferencia de Marx e Lênin é a análise que faz do Estado no capitalismo avançado, como define a organização social ocidental. Entende que, em uma organização social em que o Estado não é apenas coercitivo, mas, também, uma intrincada rede de aparelhos privativos de hegemonia da sociedade civil, não é possível a guerra frontal, como havia sido na Rússia de 1917, onde não existia uma sociedade civil desenvolvida. Assim sendo, é necessário que o partido, com seus intelectuais organicamente ligados à classe trabalhadora, ocupe-se em tomar postos nesses aparelhos privados de hegemonia, tendo uma influência ideológica maior em instituições, como escola, igreja, organizações sociais, etc. E a democracia burguesa pode ser o espaço para ir conquistando tais postos, para ir tomando a direção hegemônica da sociedade civil e, com isto, preparando a reforma intelectual e moral que mantenha a dominação da classe trabalhadora depois da conquista do Estado.

Porém, o que é fundamental para entender a estratégia gramsciana é compreender que Gramsci é comunista e tenta pensar uma estratégia revolucionária que se concretize com o fim do Estado burguês para chegar à sociedade regulada, a sociedade comunista, a verdadeira democracia.
Catálogo: gramsci


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal