Revisão da terminologia linguística para os ensinos básico e secundário (Dicionário Terminológico) Janeiro de 2008



Baixar 1.39 Mb.
Página1/13
Encontro05.08.2016
Tamanho1.39 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13










REVISÃO DA

TERMINOLOGIA LINGUÍSTICA PARA OS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO

(Dicionário Terminológico)


Janeiro de 2008

Índice


1. Preâmbulo 3

2. Relatório da revisão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário 5

2.1. Pressupostos 5

2.2. Lista de termos 6

2.3. Hierarquização dos termos 7

2.4. Base de dados 7

2.5. Fundamentação da revisão efectuada nos domínios da Análise do discurso, Retórica, Pragmática e Linguística textual 8

2.5.1. Razões e horizontes da revisão 8

2.5.2. Objectivos 10

2.6. Metodologia de revisão 11

3. Indicações de leitura: 12

4. Hierarquia dos Termos 13

A. Língua, comunidade linguística, variação e mudança 13

B. Linguística Descritiva 14

B.1. Fonética e Fonologia 14

B.2. Morfologia 15

B.3. Classes de palavras 18

B. 4. Sintaxe 20

B.5. Lexicologia 22

B.6. Semântica 23

C. Análise do discurso, Retórica, Pragmática e Linguística textual 23

C.1. Análise do discurso e áreas disciplinares correlatas 23

D. Lexicografia 27

E. Representação gráfica 27

6. Bibliografia comentada 145




1. Preâmbulo

A Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário (TLEBS) foi adoptada a título de experiência pedagógica, em 2004, como documento de referência para as práticas pedagógicas dos professores de língua portuguesa, com a finalidade de superar a desactualização da Nomenclatura Gramatical Portuguesa de 1967 (documento legal em vigor até à data de adopção da TLEBS) e consequente deriva terminológica, largamente documentada nos materiais didácticos destinados ao ensino da língua.

O documento então homologado resultou das propostas de professores do ensino básico e secundário para a selecção dos termos considerados necessários à análise do funcionamento da língua, publicados na Portaria n.º 1488/2004, de 24 de Dezembro; a subsequente proposta de definição dos termos seleccionados foi da responsabilidade de uma equipa de consagrados especialistas dos diferentes domínios da Linguística e de várias Universidades portuguesas e publicada na forma de base de dados, em CD-ROM (vd. Bibiliografia). Este documento previa, desde logo, a revisão e actualização da TLEBS, com as recomendações que o processo de experiência pedagógica viesse a recomendar.

A experiência pedagógica piloto, levada a efeito no ano lectivo de 2005-2006, em 14 agrupamentos e oito escolas do ensino básico, com um total de 174 docentes envolvidos, permitiu identificar lacunas e dificuldades, tanto no processo de adopção da TLEBS, como no próprio documento. Em simultâneo, foi feito um estudo no Ensino Secundário, com o objectivo de conhecer as contigências sentidas pelos professores deste nível de ensino na exploração da TLEBS, de acordo com o programa em vigor (ambos os relatórios estão disponíveis para consulta em www.dgidc.min-edu.pt).

Da prossecução destas medidas no ensino básico e no ensino secundário, conclui-se da necessidade:
- de ultrapassar o estado de deriva terminológica, de desactualização e de incorrecção da Nomenclatura Gramatical de 1967, documento legal anterior à TLEBS;

- de uniformizar, em documento, os termos utilizados para analisar e descrever os elementos e a estrutura da língua;

- de promover na sala de aula práticas pedagógicas que incentivem a articulação entre o ensino-aprendizagem das estruturas da língua e o domínio das competências de oralidade, de leitura e de escrita, conforme consignado pelos programas, bem como de outros campos não menos relevantes, como a promoção de hábitos e competências de leitura e o conhecimento da literatura;

- de responder às dificuldades expressas pelos docentes dos diferentes níveis de ensino, decorrentes da experiência pedagógica, evidenciadas na apropriação dos termos e conceitos da TLEBS, na necessidade de esclarecimento de opções tomadas, na detecção de aspectos a corrigir na base de dados e na apresentação de propostas de materiais didácticos validados e significativamente viáveis.


Pelo acima exposto, e de acordo com a Portaria n.º 476/2007, de 18 de Abril, decidiu o Ministério da Educação tomar medidas para a revisão da TLEBS, apresentando para homologação um documento de carácter científico que consubstancie uma lista de termos e suas definições, bem como um documento de didactização, organizado por níveis e ciclos de ensino e por competências, apresentando propostas de materiais destinados às práticas.

Para a revisão científica da TLEBS foram convidados o Professor Doutor João Costa e o Professor Doutor Vítor Aguiar e Silva, cuja proposta se apresenta neste documento, em conjunto com o relatório de revisão apresentado pelos dois especialistas.



2. Relatório da revisão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário

No presente relatório, dá-se conta da metodologia e dos critérios de revisão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário (TLEBS).

Como é sabido, a TLEBS constitui uma ferramenta de auxílio ao ensino da gramática e ao estudo dos textos, sendo um documento normativo, que pretende fixar os termos a utilizar na descrição e análise de diferentes aspectos do funcionamento da língua. Enquanto documento normativo, não se confunde com um programa, com uma gramática escolar ou com uma lista de conteúdos, devendo ser entendido como dicionário terminológico que é, fixando os termos, mas não a sua distribuição por anos ou, muito menos, ditando que as definições sejam matéria de ensino explícito.

O documento original, que foi agora objecto de revisão, resultou de um trabalho importante de sistematização da terminologia gramatical relevante para a descrição e análise de aspectos da gramática do português. Conforme será referido, foi feito com o pressuposto de que consistiria numa ferramenta de apoio e não numa listagem dos termos a ser explicitados em contexto de ensino. Seria, portanto, necessário que cada docente fizesse o cruzamento entre a terminologia e os documentos orientadores para seleccionar os termos a explicitar. Este pressuposto levantou algumas dificuldades, pelo que se optou, na revisão, por uma redução da lista de termos, para que esta inclua apenas os termos cuja explicitação é mais provável ou necessária.

Tal como a proposta original, a revisão da TLEBS regeu-se pelos seguintes princípios: economia, abertura, hierarquização, flexibilidade, complementaridade e a não vinculação a um paradigma.

O presente relatório encontra-se organizado da seguinte forma:

- no ponto 2.1 são listados os pressupostos de que decorreram as alterações à TLEBS;

- no ponto 2.2 comentam-se os principais tipos de alteração efectuada na lista de termos;

- no ponto 2.3 definem-se os critérios subjacentes à revisão da hierarquia de termos;

- no ponto 2.4 explicitam-se os critérios formais subjacentes à revisão da base de dados;

- no ponto 2.5 apresenta-se a fundamentação para a revisão nas áreas da análise do discurso, retórica, pragmática e linguística textual. Por esta ser a única área em que se verifica um acréscimo no número de termos, tornou-se relevante proceder a uma justificação mais detalhada das opções tomadas;

- finalmente, no ponto 2.6, explicita-se a metodologia de revisão adoptada.






Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal