Ricardo Nicotra/2002 Índice Introdução 5 Capítulo I o dízimo na Bíblia 6



Baixar 412 Kb.
Página16/21
Encontro18.07.2016
Tamanho412 Kb.
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   21

Por que a Assistência Pastoral é Fraca?


Muitos adventistas não se preocupam em descobrir as causas da fraca assistência pastoral. Quando percebem que ela é insatisfatória, vão logo disparando suas críticas demolidoras contra o pastor distrital: "Este pastor é irresponsável, não visita os membros, não aparece mais na igreja, não dá a assistência devida ao rebanho".

Este é um problema generalizado. Acredite! Não acontece só em sua igreja. Está acontecendo em todo o Brasil. Este problema também tem uma causa e vamos analisá-la agora.






?




Falta de Assistência Pastoral




Apostasias e Evangelismo Deficiente

Este diagrama indica que nossa próxima tarefa é encontrar a causa da falta de assistência pastoral. Duas observações antes de prosseguirmos:

  • Esta insistência para a busca das causas deve-se ao fato de que estamos interessados em soluções. Não podemos sugerir soluções enquanto não encontrarmos a causa dos problemas. Temos que atacar o problema em sua raiz.

  • Quando falamos a respeito da causa de um determinado fenômeno, estamos nos referindo à principal causa, pois pode haver mais de uma causa para o mesmo problema. Uma análise feita com bom senso, utilizando-se a Bíblia e o Espírito de Profecia, deixará claro qual é a principal causa.

Será que a culpa pela falta de assistência pastoral é dos pastores distritais?

Imagine um pastor que tem 100 ovelhas. Quando uma se perde, o pastor logo percebe sua ausência, deixa as 99 em um lugar seguro e vai em busca da perdida. Imagine agora um pastor que tem 100 ovelhas em um lugar, mais 150 em outro lugar, mais 50 em outro lugar, mais 200 em outro lugar e assim por diante. Imagine um pastor com 6 ou 7 rebanhos de 50, 100, 300 ovelhas em lugares diferentes tendo que pastorear todas ao mesmo tempo. Enquanto ele está pastoreando um rebanho, os outros rebanhos estão sem pastor.

A causa da assistência pastoral deficiente está evidente. Com muitos rebanhos para pastorear é impossível esperar um bom trabalho do pastor.

Esta situação invariavelmente gera descontentamento entre o povo. É muito comum na recepção de um novo pastor distrital, observações como esta por parte dos membros: “Este novo pastor será o melhor da história de nossa igreja”, “este vai ser um excelente pastor”. Após alguns meses ou até mesmo após algumas semanas começa aparecer insatisfação. Por quê? As pessoas esperam do pastor uma assistência integral. Ele é apresentado para a igreja como o “ministro de tempo integral” que se dedica exclusivamente para a igreja. Mas isto não corresponde à verdade. Esta falsa expectativa acaba gerando críticas e um descontentamento constante por parte dos membros. Quando encaramos a realidade, percebemos que os anciãos e os líderes locais dedicam mais tempo que o pastor ao lado do rebanho e, graças a estes líderes leigos dedicados, a igreja sobrevive.

Muitos rebanhos para um só pastor, distritos com muitas igrejas, eis o motivo da fraca assistência pastoral.

Grandes Distritos




Falta de Assistência Pastoral




Apostasias e Evangelismo Deficiente


O Tamanho dos Distritos


Quando questionado a respeito da diferença entre o salário do pastor e a remessa para a Associação, o irmão João disse a Pedrinho que os dízimos arrecadados em regiões mais ricas são utilizados para auxiliar as regiões mais pobres. Será que as regiões mais pobres são ajudadas pelas mais ricas? Infelizmente não. Um estudo estatístico demonstrou que o tamanho dos distritos é inversamente proporcional ao dinheiro que as igrejas produzem, ou seja, igrejas mais ricas têm alguma assistência, já as igrejas pobres têm assistência pastoral praticamente desprezível. No Nordeste um pastor cuida, em média, de 13,4 igrejas21. Isto significa que o pastor visita a igreja um sábado por trimestre, em média.

No final de 1998 a União Nordeste Brasileira divulgou a criação de mais quatro regiões administrativas. Isto significa mais quatro edifícios administrativos, menos pastores no campo e mais pastores em escritórios, secretárias, computadores, telefones e uma série de despesas administrativas. Analise os números divulgados:



Associação Pernambucana: 110 igrejas e 188 grupos com 36.221 adventistas. No total, 298 igrejas para 25 pastores. Nesta Associação um pastor “cuida”, em média, de doze rebanhos. Um pastor para 1.448 ovelhas.

Missão Nordeste: 46 igrejas e 84 grupos para 13 pastores. Esta Missão tem apenas 13 pastores no campo. Provavelmente há mais funcionários e departamentais trabalhando no escritório do prédio da Missão do que pastores no campo.

Associação Bahia Sul: 109 igrejas e 239 grupos. No total 348 igrejas para 19 pastores e 24.837 adventistas. Nesta Associação teremos graves problemas de assistência pastoral. Divida 348 igrejas por 19 pastores. Na Associação Bahia Sul um pastor “cuida”, em média de 18,3 igrejas, ou seja, o pastor vai visitar a igreja uma vez a cada quatro ou cinco meses. Um pastor para 1.307 ovelhas. (Seriam ovelhas demais se estivessem em apenas um aprisco. Imagine estas ovelhas divididas em vários apriscos).

Esta notícia foi publicada com mais detalhes na Revista Adventista de Fevereiro/1999, na pág. 14.

Os adventistas que pensam estar auxiliando as regiões mais pobres através de seus dízimos estão enganados. A qualidade da assistência pastoral é proporcional ao dinheiro que as igrejas produzem.

Nas regiões Sul e Sudeste a situação financeira dos membros é melhor que nas regiões Norte e Nordeste. Isto permite que os distritos sejam menores (aproximadamente um terço do tamanho). No entanto a falta de assistência pastoral não melhora de maneira significativa. Por que não?

Imagine um aluno da faculdade de medicina que assiste a apenas uma aula por mês. Certamente ele será reprovado em todas as matérias. É impossível ser aprovado freqüentando a escola uma vez por mês. Imagine agora um segundo aluno, da mesma turma, que freqüenta as aulas uma vez por semana. Embora a freqüência do segundo aluno seja quatro vezes superior ao primeiro, podemos afirmar que este segundo aluno também será reprovado por um motivo bem simples: Freqüentar a faculdade uma vez por semana também não é suficiente para atender aos requisitos do curso. Um aluno sério e responsável deve assistir a todas as aulas e se, em alguma ocasião, precisar faltar, deverá se esforçar para repor o que foi perdido.

O aluno que assiste apenas uma aula por mês representa os pastores dos enormes distritos nordestinos. O aluno que assiste uma aula por semana representa os pastores da região Sul e Sudeste, ou seja, não importa se o pastor "cuida" de 20 ou de 5 igrejas, a assistência pastoral será insuficiente da mesma forma. Se a liderança local não for eficiente a igreja morre.

Em entrevista concedida ao Jornal Adventus, publicação da União Central Brasileira, edição 3, o Pr. Marsola, presidente da Missão Matogrossense, quando perguntado sobre as desvantagens do seu território para ganhar almas, responde da seguinte maneira:

“A extensão do território Matogrossense, as estradas - boa parte sem asfalto, e o tamanho dos distritos em área e número de membros para um contingente pequeno de obreiros”22



Este jornal apresenta algumas informações sobre a referida missão e sobre a Associação Paulista Central. A Associação Paulista Central tem 141 igrejas, 95 grupos organizados e 23 grupos em formação, um total de 259 igrejas em 48 distritos, ou seja, na APaC um pastor cuida de 5,4 igrejas, em média. A Missão Matogrossense tem 285 igrejas e grupos divididos em 29 distritos pastorais. Isto significa que na Missão Matogrossense um pastor cuida de 9,8 igrejas em média.
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   21


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal