Santos F. C imigrantes



Baixar 20.91 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho20.91 Kb.



PROJETO DE LEI Nº 12 , DE 2008
Dá à Estação Imigrantes do Metrô a denominação de Estação "Santos F.C - Imigrantes"



A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:
Artigo 1º - Passa a denominar-se Estação Santos F.C - Imigrantes, a atual Estação Imigrantes do Metrô – Companhia do Metropolitano de São Paulo.
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.



JUSTIFICATIVA

A presente propositura visa a prestigiar o Santos Futebol Clube (Santos F.C) por sua importância histórica no cenário do esporte nacional, atribuindo sua denominação à recém inaugurada Estação Imigrantes do Metrô.

Não são necessários grandes arrazoados para demonstrar a relevância do clube para o segmento futebolístico, bastando, para tanto, a observação empírica do respeito que lhe é devotado pelo público em geral, da legião de torcedores que ele arregimenta e de suas últimas realizações.

Entretanto, nunca é demais um breve escorço histórico e de suas conquistas para fazer coro à presente proposição.

No dia 14 de abril de 1912, por iniciativa de três esportistas da Cidade de Santos (Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior) era fundado o Santos Foot-Ball Club que já no início de 1913 receberia um convite da Liga Paulista de Futebol para disputar o campeonato estadual.

Logo em sua primeira disputa nesta competição oficial a equipe de novatos amargou sua primeira derrota: foi no fatídico dia 1º de junho de 1913 que o Santos F.C sucumbiu por 8 a 1 diante do Germânia.

Mas este fato serviu apenas como um estímulo para que o time trilhasse sua trajetória de vitórias. Três semanas depois, no dia 22 de junho, o Santos F.C conquistava sua primeira vitória na competição batendo o Corinthians por 6 a 3 em pleno Parque São Jorge.

Ainda em 1913, a equipe disputou pela primeira vez e venceu o Campeonato Santista de Futebol que contou com a participação do América, Escolástica Rosa e Atlético, conquistando, portanto, seu primeiro título.

Já em 1935 o Santos F.C conquistou seu primeiro título de relevância estadual, sagrou-se Campeão Paulista.

Em 1955, após 20 anos sem ser campeão, voltou a conquistar o campeonato estadual, vencendo o Taubaté.

Mas é no ano seguinte que a história do Santos F.C daria uma grande guinada. Em 1956, trazido pelas mãos de Valdemar de Brito, chegava à Vila Belmiro, um menino de 15 anos apelidado de Pelé, que daria novo impulso ao Santos, levando-o a conquistas que enalteceram o futebol brasileiro no planeta.

O Santos de Pelé fez seu nome no exterior. Praticamente deu a volta ao mundo, encantando torcedores com o futebol mágico de seus craques. Formou um ataque memorável: Dorval, Mengávio, Coutinho, Pelé e Pepe.

Nesse período, o Peixe, como é carinhosamente chamado por todos, foi Bicampeão Mundial Interclubes (1962/1963), Bicampeão da Taça Libertadores da América (1962/1963), entre outras glórias.

Após a Era Pelé, o Santos F.C. continuou seu caminho de glórias. Em 1978 formou um time campeão. Os Meninos da Vila, apelido dado pela juventude dos atletas da equipe, conquistaram o Campeonato Paulista de 78. Destacaram-se na época Juari, Pita, Ailton Lira entre outros.

Após isso o time continuou conquistando títulos, como o Paulista de 1984 e a Taça Conmebol de 1998.

Em 2002, ano em que o clube completou 90 anos, o Santos conquistou, pela sétima vez, o principal torneio nacional (o Campeonato Brasileiro). O time que conseguiu a conquista foi, basicamente, formado dentro da Vila Belmiro. Os Meninos da Vila viraram febre no Brasil inteiro e a dupla Diego e Robinho se tornou símbolo de um futebol vistoso e alegre.

No ano seguinte, com a base mantida, o Peixe chegou aos vice-campeonatos da Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro.

Em 2004, conquistou dois títulos importantes, um com sua equipe principal outro com seu time B criado neste ano. O time B, dirigido por Márcio Fernandes, foi campeão da Copa Federação Paulista de Futebol e garantiu vaga ao clube na Copa do Brasil.

Já o time principal conquistou novamente o Campeonato Brasileiro, sob a direção técnica de Vanderlei Luxemburgo e com Robinho, Elano, Ricardinho e Léo em campo.

Mas os feitos do Santos Futebol Clube não se restringem apenas às suas glórias como time paulista.

Seus méritos vão além, sendo certo que ao longo dos tempos o Peixe sempre foi uma equipe que cedeu vários atletas para a Seleção Brasileira.

Só de campeões mundiais, o Peixe cedeu 11 atletas. Na história das Copas, o Alvinegro Praiano teve 15 de seus jogadores convocados para defender as cores do Brasil pelo Mundo, sendo o atacante Araken Patusca, o primeiro santista a disputar um Mundial, em 1930, no Uruguai.

Em 1958, na Suécia, o Alvinegro Praiano cedeu o ponta-esquerda Pepe, além do volante Zito e do Rei do Futebol, Pelé. Estes dois atletas foram importantíssimos na arrancada brasileira rumo ao primeiro título de campeão mundial.

Isso porque Pelé e Zito só estrearam na vitória brasileira sobre a União Soviética, por 2 a 0, na última partida da primeira fase.

A consagração de Pelé começaria ali mesmo em gramados suecos, com o Atleta do Século sendo o artilheiro do Brasil, com seis gols, sendo que dois deles foram marcados na final contra os donos da casa.

Em 1962, no Chile, o time da Vila Belmiro cedeu sete jogadores para que a seleção disputasse essa Copa do Mundo. Gilmar (goleiro), Mauro (zagueiro), Zito (volante), Mengálvio (meia), Coutinho (atacante), Pelé (atacante) e Pepe (atacante), foram os santistas que brilharam na conquista do bicampeonato. Pelé jogou apenas duas partidas, marcando um gol sobre o México, por 2 a 0, na estréia brasileira. Mas o Rei não pode continuar ajudando a Seleção, pois uma lesão muscular o impediu de atuar no restante da Copa.

Porém a Seleção continuou vencendo sem Pelé. Na final, Zito teve uma participação decisiva na vitória sobre a Tchecoslováquia por 3 a 1, já que o capitão santista fez o segundo gol brasileiro na final. O Peixe também teve uma grande participação com o zagueiro Mauro, que além de ter feito uma bela participação no Mundial disputado em terras chilenas, foi o capitão do time e teve a honra de erguer a Taça Jules Rimet, com o Brasil sendo coroado bicampeão do Mundo.

Após a Copa de 1966 na Inglaterra, em que o Brasil foi muito mal, a seleção recorreu mais uma vez a força dos jogadores do Santos FC para trazer o troféu de campeão, no mundial seguinte. Em 1970, Carlos Alberto Torres (lateral-direito), Joel Camargo (zagueiro), Clodoaldo (volante), Pelé (atacante) e Edu (atacante), ajudaram o Brasil a ganhar a terceira estrela.

Considerada por muitos como a melhor seleção que o Mundo viu jogar, o time liderado por Carlos Alberto Torres, que era o capitão desta seleção e Pelé, no auge de sua maturidade futebolística foram os responsáveis por comandar a equipe que encantou o Mundo e trouxe a Taça Jules Rimet de forma definitiva para o Brasil, com a conquista inédita na época de tricampeão mundial.

Os últimos jogadores santistas que foram para uma Copa do Mundo com a Seleção Brasileira foram o zagueiro Marinho Peres e o atacante Edu, ambos defenderam o Brasil na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha.

Mesmo nas Copas de 1994 (Estados Unidos) e 2002 (Coréia do Sul e Japão), o Santos FC se fez presente na Seleção Brasileira que conquistou os dois títulos. Em 94, o zagueiro Ricardo Rocha e o volante Dunga, já tinham atuado com o manto alvinegro. O Dunga atuou no Peixe em 1986, enquanto que Ricardo Rocha por pouco não foi convocado pelo time da Vila Belmiro, onde atuou até o fim de 93, quando terminou o contrato dele com o clube e o zagueiro resolveu ir para o Vasco da Gama (RJ).

Não obstante todas essas conquistas que, por si só, demonstram a pertinência e justeza de uma homenagem ao alvinegro praiano de tantas glórias, convém lembrar que se trata até de uma medida de isonomia já que outros grandes clubes paulistas já foram homenageados com a atribuição de sua denominação às estações do Metrô de São Paulo próximas à localização de suas sedes.


É o caso das Estações Corinthians Itaquera, Palmeiras Barra Funda e da futura São Paulo Morumbi que antes mesmo de ser construída já leva o nome do time paulista.
Quanto ao Santos F.C embora sua sede (A vila Belmiro) não se situe na capital paulista, o critério para a escolha da Estação que deve guardar o mínimo de pertinência lógica com o time, não se devendo confundir com a cidade de Santos.

Neste sentido parece-nos razoável eleger a recém inaugurada Estação Imigrantes do Metrô para receber o nome do clube futebolístico, por uma porque ela já leva o nome da principal rodovia de acesso à cidade de Santos, a rodovia dos “Imigrantes”, por duas porque, como foi recentemente inaugurada, seu nome ainda não está tão latente na memória da população em geral, sendo mais fácil fixá-lo com esse novo prefixo.


Diante de todo o exposto, dada a relevância do time santista e da necessidade de lhe atribuir esta homenagem, apelo aos meus nobres pares para que aprovem a presente propositura.


Sala das Sessões, em 8-2-2008
a) Bruno Covas - PSDB


SPL - Código de Originalidade: 775700 070208 0927



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal