Sefaz-ba secretaria da Fazenda do Estado da Bahia sgf superintendência da Gestão Fazendária dti



Baixar 351.96 Kb.
Página8/10
Encontro18.07.2016
Tamanho351.96 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

COMPLEXIDADE FUNCIONAL

A complexidade funcional de cada EE/SE/CE é baseada no número de Arquivos Lógicos Referenciados (ALR) e no número de Dados Elementares Referenciados (DER).




    1. CÁLCULO DOS PONTOS

Após o cálculo do número de ALRs e de DERs existentes em cada EE/SE/CE, deve-se determinar a complexidade funcional com base nas tabelas abaixo:


Tabela de classificação da complexidade para EE:





1 a 4 DER

5 a 15 DER

16 ou + DER

0 ou 1 ALR

Baixa

Baixa

Média

2 ALR

Baixa

Média

Alta

3 ou + ALR

Média

Alta

Alta

Tabela de classificação da complexidade para SE e CE:






1 a 5 DER

6 a 19 DER

20 ou + DER

0 ou 1 ALR *

Baixa

Baixa

Média

2 a 3 ALR

Baixa

Média

Alta

4 ou + ALR

Média

Alta

Alta

*A CE deve referenciar pelo menos 1 ALI/AIE
Após a determinação da complexidade funcional, definir a contribuição da EE/SE/CE no cálculo dos pontos de acordo com a tabela abaixo:




Baixa

Média

Alta

EE

3

4

6

SE

4

5

7

CE

3

4

6


    1. SITUAÇÕES ESPECIAIS





  • Situação 1 – Processos Elementares (PEs) Separados (Ex.: Consultas Externas) Participando de Outros PEs:

Para cálculo da complexidade de qualquer tipo de funcionalidade, seja EE, CE ou SE, valem as seguintes afirmações:




  • Não serão contados ALRs nem DERs referentes a PEs separados (CEs correspondentes a combo boxes ou list boxes);




  • Serão contados os DER’s referentes aos campos que existem por causa da necessidade de relacionamento com outro ALR.


Caso I (Combo Box ou List Box):
Um ALR associado a um combo box ou list box só deve ser contado em uma funcionalidade se, durante o PE, for atualizado ou houver consulta a algum dado seu que não seja exibido pelo combo ou list.
Se o combo ou list for usado apenas para listar os elementos do domínio de um campo, o ALR associado e o dado exibido pelo combo ou list não devem ser contados na funcionalidade. Entretanto, deve-se contar o campo-chave desse ALR, caso este seja requerido pelo usuário para estabelecer um relacionamento com outro ALR.
Ex: Numa funcionalidade de cadastro de municípios, havendo um combo box que exibe os nomes das UFs (Unidades da Federação), deve-se contar o código de UF (campo-chave do ALR associado ao combo de UF), pelo fato deste ser necessário para relacionar o município com sua respectiva UF). Já o ALR de UF e seu nome exibido no combo não serão contados por fazerem parte de um PE separado (CE).

Caso II (Label ou Text Box):
Por outro lado, caso se utilize, em lugar de um combo box, um label ou text box para exibir o dado, deve-se contar o ALR envolvido e, como DER, o dado exibido, pois, neste caso, a própria funcionalidade sendo pontuada terá que buscar o dado no ALR e exibi-lo para o usuário.


  • Situação 2 - Exclusão Múltipla de Registros com Consulta Prévia:

O processo de exclusão múltipla não será contado numa situação em que um sistema ofereça o recurso de exclusão múltipla de registros selecionados em um grid de dados e exiba previamente uma tela de consulta dos registros a serem excluídos, desde que esta tela de consulta seja igual à tela de busca para carga do grid, pois, na verdade, o processo configuraria uma combinação de dois outros processos pontuados separadamente: a consulta prévia dos dados a serem excluídos e a execução repetida de exclusões individuais (de um só registro).




  • Situação 3 - ALRs Usados para Garantia de Integridade Referencial:

ALRs usados para tratar integridades referenciais (via trigger ou FK) serão contados como parte do PE pontuado. Sendo assim, numa inclusão, contar-se-á os ALRs que necessariamente precisam ser lidos para garantir a consistência da informação alimentada pelo usuário; numa exclusão, contar-se-á aqueles ALRs acessados para impedir a exclusão de registros com informações relacionadas.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal