Segundos colegiais



Baixar 217 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho217 Kb.
RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS

CADERNO 06 REGULAR

SEGUNDOS COLEGIAIS
AULAS 19 A 21
1. (CEFET-BA – Adaptado) No final do século XIX e

na primeira metade do século XX, o crescimento

acelerado das cidades e a sua modernização

tornou-se comum em muitas nações

industrializadas, hoje chamadas desenvolvidas.

Esse processo permitiu a observação de

contrastes, como:

➜ a) divisão do espaço urbano em bairros operários,

na periferia das cidades, e bairros

centrais, embelezados por obras públicas.

b) a aceleração da migração da população da

zona urbana para a zona rural, com a criação

dos subúrbios.

c) minimização dos conflitos sociais urbanos e

aumento dos conflitos no campo.

d) integração entre regiões com diferentes culturas,

criando uma sociedade de massas.

e) aumento de produção nos setores primário e

a decadência do setor terciário.
2. (UFF-RJ – Adaptado) Observe os gráficos a seguir,

com dados relativos ao Brasil:

Com base na comparação dos dois gráficos podemos

concluir que:

I. o declínio do crescimento populacional compensa

as taxas elevadas de urbanização, podendo

levar a uma situação de equilíbrio demográfico,

sem problemas urbanos.

II. a urbanização aumenta num sentido inverso

ao do crescimento da população, que vem

registrando uma queda em função da diminuição

da natalidade.

III. o aumento da urbanização é acompanhado

pela queda do crescimento populacional,

ambos influenciados pelo processo de

modernização da economia brasileira.

Assinale a opção que contém apenas a(s) afirmativa(

s) correta(s):

a) somente a afirmativa I

b) I, II e III

c) I e II

d) I e III

➜ e) II e III

3. (PUCCamp-SP – Adaptado) Analise a tabela a seguir:

Taxa de crescimento da população urbana

na década de 1950

Países desenvolvidos 31%

Países subdesenvolvidos 59%
Pode-se afirmar que o salto de urbanização dos

países subdesenvolvidos, mostrado na tabela, é

explicado, entre outras razões:

a) pelo elevado crescimento industrial, sobretudo

a partir da entrada das indústrias de

capital transnacional.

b) pela modernização rural e emprego de maquinaria

na produção agrícola, liberando

contingentes populacionais do campo.

➜ c) pela precariedade das condições socioeconômicas

do campo, provocando o êxodo rural.

d) pelo crescimento considerável do setor terciário

ampliando a oferta de emprego nas

cidades.


e) pelo elevado crescimento vegetativo ocorrido

nas cidades, devido à industrialização.


4. (ESPM-SP – Adaptado) A expansão do setor de serviços

é típica das sociedades urbanas modernas,

mesmo que elas estejam concentradas apenas

em grandes metrópoles, como é o caso de alguns

países subdesenvolvidos. Sobre o assunto,

analise os textos:

Na grande cidade, há cidadãos de diversas classes,

desde os fartos de recursos, que podem utilizar a metrópole

toda, até os que, por falta de meios, somente

a utilizam parcialmente, como se fosse uma pequena

cidade.

Milton Santos. O espaço do cidadão. 1987.



(Adaptado.)

Em São Paulo, 90% dos restaurantes, 89% dos teatros,

73% dos cinemas e 61% dos museus estão no centro

histórico e no centro expandido da cidade, regiões que

ocupam apenas 14% da área do município e onde vivem

somente 20% da população.

Júlia Faliveni Alves. Metrópole: cidadania e

qualidade de vida, 1992. (Adaptado.)
Com base em seus conhecimentos geográficos

e nos textos apresentados, você diria que:

a) apesar de seu tamanho, a metrópole de São

Paulo funciona como uma pequena cidade

para seus habitantes, pois todos os recursos

utilizáveis ainda estão próximos.

b) São Paulo não pode ser considerada uma metrópole,

pois, apesar de seu crescimento periférico,

a maior parte de seus habitantes se

concentra em 14% do município.

c) mesmo em metrópoles como São Paulo, é

possível encontrar modos de vida que se assemelham

mais aos de cidades do interior,

onde todas as coisas são sempre muito próximas.

➜ d) o maior poder aquisitivo, em geral, é determinante

para que pequena parcela da população

tenha acesso aos recursos oferecidos

pela metrópole.

e) Em São Paulo, a falta de meios de deslocamento

faz com que a população e os recursos

se concentrem em uma estreita área que compreende

14% do município.



5. O relatório Indicadores Sociais Municipais, baseado

no Censo de 2000, mostrou que o número

de cidades brasileiras saltou de 4.491 para

5.561, entre 1991 e 2000. Esse aumento resultou

da rápida urbanização e do povoamento

do interior do país. Mas as cidades, separadas

por tamanho, não cresceram de forma homogênea.

Veja o gráfico:


Com base nesses dados, podemos fazer as seguintes

afirmações:

I. O número de cidades que mais cresceu foi o

das pequenas, com menos de 5 mil habitantes.

II. O número de cidades com população entre 5

mil e 10 mil habitantes teve um aumento relativo

próximo ao aumento do número total

de cidades.

III. A categoria de cidades entre 10 mil e 500 mil

habitantes é a mais numerosa e cresceu proporcionalmente

ao número total de cidades.

IV. O número de cidades com mais de 500 mil

habitantes aumentou 24%, próximo ao aumento

do número total de cidades.

São corretas apenas as afirmações:

a) I e II d) I, II e IV

b) II e III e) Nenhuma delas é correta.

c) III e IV



6. (UFMS – Adaptado) Ao lado da revolução urbana, a internacionalização

da economia vem consolidando nas últimas

décadas o que vários sociólogos e urbanistas convencionaram

chamar de cidades globais – os vetores

mais importantes da globalização. As cidades globais,

segundo pesquisa da Universidade de Loughborough

(Inglaterra), são aquelas que concentram perícia e conhecimento

em serviços ligados à globalização, independente

do tamanho da sua população. Isso é medido pela presença

de escritórios das principais empresas mundiais em contabilidade,

consultoria, publicidade, bancos e advocacia.
Sobre o processo de urbanização e o surgimento

das cidades globais, é correto afirmar que:

a) cidades globais são fenômenos exclusivos de

países capitalistas desenvolvidos, com alto

índice de industrialização.

b) o processo de urbanização brasileiro é recente

e não apresentou qualquer cidade com as

características do que se convencionou chamar

de cidades globais.

➜ c) grandes centros urbanos, de localização privilegiada,

são importantes para o processo

de globalização porque neles instalam-se centros

de decisão, como escritórios de empresas

transnacionais e de grandes instituições

financeiras, além de serem bem-servidos pela

rede de comunicação e de serviços.

d) na América Latina nenhuma cidade alcançou

a posição de cidade global, já que nenhuma

apresenta o número de habitantes que caracteriza

esse tipo de espaço urbano.

e) os grandes centros urbanos europeus não

são cidades globais porque a presença de

um intenso processo de industrialização não

é condição necessária para que uma cidade

seja considerada global.
AULAS 22 E 23
1. (FURG-RS – Adaptado) Nos grandes aglomerados

urbanos, as mudanças no uso do solo e o aumento

na concentração de poluentes na atmosfera

alteram os processos de absorção, difusão

e reflexão da radiação solar que, por sua vez,

afetam a dinâmica atmosférica, gerando o chamado

clima urbano.

São fenômenos comuns do

clima urbano:

I. Ilha de calor.

II. Buraco na camada de ozônio.

III. Enchentes.

IV. Inversão térmica.

V. Geadas.


Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e III ➜ d) I e IV

b) II, III e IV e) I, II e V

c) II e IV



2. (UEL-PR – Adaptado) Analise a figura abaixo:

Com base na tira e nos conhecimentos sobre

poluição nas grandes cidades, é correto afirmar

que:


a) a poluição circunscreve-se às vias de trânsito

rápido, daí a existência de placas, como

a apresentada na tira, advertindo sobre o

perigo de doenças respiratórias.

b) o foco central da tira é o descumprimento

da proibição do Ministério da Saúde, relativa

à diminuição do tráfego urbano individual.

c) o tema central da tira é o estresse provocado

pelo trânsito, principalmente nas pessoas

que utilizam transporte particular individual.

d) a tira critica a ineficácia da campanha publicitária

do Ministério da Saúde sobre a

relação entre a vida urbana e o aumento de

doenças respiratórias.

➜ e) a tira adverte que a poluição atmosférica

proveniente da emissão de monóxido de carbono

é um problema de saúde pública característico

dessas cidades.



3. (UFPel-RS – Adaptado) As chuvas ácidas são um

fenômeno atmosférico causado principalmente,

em escala local e regional, pela emissão de

poluentes das indústrias e dos meios de transporte.

Com base no texto acima e em seus conhecimentos,

é incorreto afirmar que:


a) as indústrias de Cubatão fizeram desaparecer

a vegetação de pequeno porte em alguns

pontos da encosta da Serra do Mar, em São

Paulo, devido à poluição atmosférica que se

precipita sobre a região.

b) nas zonas poluídas onde ocorrem as chuvas

exageradamente ácidas e smog, a acidez é

agravada pela presença do trióxido de enxofre

e óxidos de nitrogênio.

c) a chuva ácida está destruindo, além de vários

ecossistemas, importantes monumentos da

história humana e obras de arte expostas em

locais abertos, como é o caso dos muitos monumentos

na Europa.

d) grande número de lagos escandinavos estão

se tornando acidificados pelas chuvas ácidas

que se precipitam sobre eles, como consequência

da poluição decorrente das indústrias

localizadas em outros países europeus.

➜ e) os países em que as chuvas ácidas ocorrem

com mais intensidade estão localizados no

sudoeste da América do Norte e na Europa

ocidental.

4. (PUC-RS – Adaptado) O desenho retrata um fenômeno

urbano moderno:


O desenho se refere:

a) ao efeito tampão, que causa aumento exagerado

de temperatura em cidades litorâneas

durante o inverno.

b) ao efeito estufa, que provoca aumento de calor

em função da agressão à camada de ozônio.

c) à formação de chuva ácida, que ocorre somente

em áreas urbanas muito industrializadas.

d) à inversão térmica, ocasionada pelo movimento

do ar das zonas rurais para as zonas

urbanas, aumentando as temperaturas nas

cidades.


➜ e) à formação de ilha de calor, aumentando a

temperatura à medida que nos aproximamos

da área central das grandes cidades.
5. (PUC-RS – Adaptado) Com relação ao lixo doméstico

produzido nas cidades brasileiras, é correto

afirmar que:

a) a quase totalidade é depositada em aterros sanitários

apropriados, o que elimina a possibilidade

de contaminação do lençol freático.

b) um elevado percentual das receitas municipais

já provém da reciclagem desse lixo, o que

demonstra a importância social dos coletores

de papel nas áreas urbanas.

c) há uma grande quantidade de plásticos, vidros

e metais, facilmente decompostos em

ambientes anaeróbicos.

➜ d) a reciclagem poderia ser a solução para o lixo

doméstico, composto de plásticos, papéis, vidros,

metais e borrachas, que são materiais

reaproveitáveis.

e) quase 100% da população urbana brasileira

tem acesso ao serviço de coleta de lixo, o

que demonstra a preocupação dos políticos

brasileiros com o meio ambiente.
6. As enchentes estão entre os mais graves problemas

urbano-ambientais que atingem várias das

grandes cidades brasileiras. São feitas muitas

análises das causas desse fato e apontadas diferentes

soluções, legalmente viáveis. Analise algumas

delas:


I. Uma das causas das enchentes está relacionada

com o processo de ocupação desordenada

dessas cidades, fato exemplificado pela

ocupação das áreas de várzea de rios, onde

se constroem avenidas e edificações.

Uma das formas de minimizar esse problema seria

destruir – por decisão unilateral do poder

executivo municipal – as construções existentes

nessas várzeas e replantar a vegetação

original.

II. Como muitas dessas cidades tiveram uma

ocupação urbana sem planejamento, elas estão

quase totalmente tomadas por avenidas

e edificações, o que impede que a água das

chuvas seja absorvida pelo solo. Uma das formas

de minimizar esse problema é construir

grandes reservatórios, denominados piscinões,

para captação do excesso de água das

áreas sujeitas às inundações.

III. Uma das causas das enchentes nas grandes

cidades está relacionada com o intenso assoreamento

dos rios que as atravessam, já que

esse processo torna os rios mais rasos e,

consequentemente, faz com que eles transbordem

rapidamente em dias de chuvas inensino

tensas. A melhor forma de minimizar esse

problema é rebaixar as calhas desses cursos

fluviais.

IV. A culpa das enchentes é inteiramente das

populações urbanas que têm o hábito de jogar

lixo nas ruas, o que entope bueiros e galerias

pluviais, que deveriam escoar a água

das chuvas. Uma das formas de minimizar

esse problema seria, por decisão do poder

municipal, multar quem joga lixo nas ruas.

Das análises, são corretas apenas as dos itens:

a) I, II e III d) II e IV

b) I, III e IV e) III e IV

➜ c) II e III
AULAS 24 E 25
1. (PUC-PR – Adaptado) Em 1940, segundo o IBGE, viviam no campo aproximadamente 69% dos brasileiros.

Setenta anos depois, uma inversão se processou: cerca de 86% da população já vive nas cidades. A respeito

desse processo, analise as afirmativas:

I. A velocidade com que se deu a transferência de população do meio rural para o urbano não foi acompanhada

de igual ritmo na geração de emprego nas cidades.

II. O conceito de urbano no Brasil (sede de município) não é o mesmo que o de muitos países europeus, o que

ajuda a entender por que a urbanização na Europa não se assemelha à nossa.

III. Os hábitos de consumo do brasileiro não mudaram em razão da urbanização, e a grande maioria da

população continua sem acesso a bens como geladeira e televisão.

IV. A urbanização ampliou a expectativa de vida do brasileiro, sobretudo pela grande cobertura da rede

de esgoto e do abastecimento de água, que atingiu mais de 90% dos domicílios do país.

Está correta ou estão corretas:

➜ a) apenas I e II. d) todas.

b) apenas III e IV. e) nenhuma.

c) apenas I, III e IV.

2. Os dados abaixo foram colhidos em 1950, na cidade do Rio de Janeiro, que era então o Distrito Federal do

Brasil:


Rio de Janeiro chega a 2,4 milhões de habitantes (em %)

População Negros Jovens de 0 a 19 anos Analfabetos
Sobre o processo urbano indicado por esses dados,

podemos afirmar que, passados 60 anos, a

parcela de:

a) favelados das grandes metrópoles brasileiras

foi muito reduzida.

b) negros nas áreas faveladas foi muito reduzida,

graças aos programas de integração social.

c) jovens nas áreas não faveladas se elevou

muito devido ao êxodo rural.

d) analfabetos nas favelas se equiparou à da

população não favelada, graças à elevação

de seu padrão socioeconômico.

➜ e) população favelada se elevou, fenômeno que

se estendeu também para cidades menores.



3. (CEFET-PR – Adaptado) Leia o texto:

O fenômeno dos sem-teto, curiosidade na primeira

metade do século XX, hoje é um fato banal, presente

em todas as grandes cidades do mundo. O desemprego

é algo tornado comum. A pobreza também aumenta.

No fim do século XX havia mais de 600 milhões de pobres

do que em 1960; e 1,4 bilhão de pessoas ganham

menos de um dólar por dia. O fato, porém, é que a pobreza,

tanto quanto o desemprego, são considerados

como algo “natural”, inerente a seu próprio processo.

Junto ao desemprego e à pobreza absoluta, registrese

o empobrecimento relativo de camadas cada vez

maiores graças à deterioração do valor do trabalho.
Com base no texto, pode-se afirmar que, para

o autor:


I. o processo da globalização acentuou os

contrastes sociais por todo o mundo.

II. a globalização diz respeito à economia e

nada tem a ver com esses contrastes sociais.

III. a globalização acirrou a exclusão social e

pôs a nu as contradições do sistema capitalista.

Analisando as proposições acima, assinale:

a) se somente as proposições II e III forem corretas.

b) se somente a proposição I for correta.

c) se somente a proposição II for correta.

➜ d) se somente as proposições I e III forem corretas.

e) se somente as proposições I e II forem corretas.




4. Um dos mais graves problemas sociais que a

humanidade enfrenta hoje é o desemprego, que

atinge cerca de 6% da força de trabalho disponível

em todo o mundo, ou seja, quase 200 milhões

de pessoas. São muitos os fatores responsáveis

por tal situação, porém é possível agrupá-los em

dois conjuntos: as causas conjunturais e as causas

estruturais. Qual das alternativas apresenta

somente fatores classificados como causas estruturais

do desemprego?

a) Crise do petróleo; desenvolvimento da informática;

globalização.

b) Transformações sociais; recessão econômica;

políticas nacionais.

➜ c) Modernização das telecomunicações; desenvolvimento

da informática; automação industrial.

d) A reengenharia da produção; crises econômicas

específicas; longos períodos de recessão.

e) Problemas políticos internos de alguns países;

desenvolvimento científico; tecnologia

industrial.
5. (UEG-GO – Adaptado) Com base em seus conhecimentos

e na interpretação da charge abaixo,

marque a alternativa incorreta:
a) Crianças e jovens brasileiros sofrem diversos

tipos de violência, na família, na rua, na

escola e em diversas instituições.

b) As inúmeras fugas das unidades da Febem

(atual Fundação Casa), que abrigam menores

infratores, indicam que essa instituição

não cumpre o papel para o qual foi

criada.


c) A precariedade da estrutura física, a superlotação

e a carência de pessoal especializado

são alguns dos problemas encontrados nas

unidades da FEBEM (atual Fundação Casa).

d) A diminuição da violência na infância e na juventude

passa por políticas públicas que priorizam

a prevenção, com ações ligadas ao apoio

às famílias, à educação e à saúde, entre outras.

➜ e) A adoção de medidas punitivas e o aumento

da repressão à criança e aos jovens infratores,

além da criação de maior número de unidades

da Febem (atual Fundação Casa), são soluções

para o problema social do menor abandonado.

6. (UEL-PR – Adaptado) As imagens a seguir fazem

parte de uma peça publicitária veiculada na

mídia impressa.
As imagens da peça tanto podem indicar a condição

de pobreza acompanhando o indivíduo

pela vida toda, como a pobreza passando de geração

a geração na mesma família.

A peça recorre, ainda, à mendicância para ilustrar o fenômeno

da reprodução social da pobreza, resumido,

também, no dito popular: filho de pobre, pobre

será.
Considerando as imagens, que apresentam

a mendicância como expressão da acentuação

da pobreza, e com base nos conhecimentos

sobre o fenômeno da reprodução social da pobreza,

é correto afirmar que:

a) para combater a mendicância, o primeiro passo

é identificar o conjunto de características

físicas (fenótipo) padrão dos indivíduos que

se encontram nessa condição. A partir daí

pode-se agir sobre esses grupos específicos.

b) a mendicância está ligada à predisposição

física da família, por isso passa de pai para filho.

Nesses casos, a caridade assistencialista

resolve o problema.

c) a mendicância é a expressão do fracasso pessoal

e se relaciona a certos tipos físicos característicos,

sendo reforçada pelo isolamento

dos fracassados em pequenos grupos marginalizados

da vida social.

➜ d) a mendicância decorre da forma de organizar

a produção e a distribuição das riquezas sociais.

Seu enfrentamento exige o envolvimento

do cidadão no questionamento da exclusão

social vigente e na luta por direitos sociais.

e) a mendicância relaciona-se às características

raciais e culturais mais marcantes da população

brasileira pobre – a origem ibérica, a

mestiçagem e a indolência – que a impedem

de desenvolver hábitos adequados de higiene

e trabalho.


AULAS 26 A 28
1. Leia o trecho da letra da música a seguir:

Quando Bob Dylan se tornou cristão

Fez um disco de reggae por compensação (…)

Quando os povos d’África chegaram aqui

Não tinham liberdade de religião

Adotaram Senhor do Bonfim:

Tanto resistência, quanto rendição

Quando, hoje, alguns preferem condenar

O sincretismo e a miscigenação

Parece que o fazem por ignorar

Os modos caprichosos da paixão

Paixão, que habita o coração da natureza-mãe

E que desloca a história em suas mutações (…)

Eu cá me ponho a meditar

Pela mania da compreensão

Ainda hoje andei tentando decifrar

Algo que li que estava escrito numa pichação

Que agora eu resolvi cantar

Neste samba em forma de refrão:

“Bob Marley morreu

Porque além de negro era judeu

Michael Jackson ainda resiste

Porque além de branco ficou triste”

De Bob Dylan a Bob Marley – um samba provocação,

de Gilberto Gil, Disco Gil, WEA, 1989.


Agora responda:

a) A letra é racista e condena a miscigenação?

Justifique.

Não, a letra não é racista e não condena a miscigenação.

Analisando a letra, verifica-se o contrário: o

autor comenta o caso de um branco (Bob Dylan),

fazendo uma típica música negra (reggae); indica o

caso dos negros que realizaram o sincretismo religioso,

já que eram proibidos de cultuar seus deuses;

mostra que os que criticam o sincretismo ignoram a

paixão; e, por fim, tenta compreender a resistência

cultural que representou Bob Marley frente a um

Michael Jackson, que “embranqueceu”.
b) No trecho da letra que diz Quando, hoje, alguns

preferem condenar / O sincretismo e a miscigenação

/ Parece que o fazem por ignorar / Os

modos caprichosos da paixão, o autor procura

denunciar um comportamento de que tipo?

O autor denuncia a existência de comportamentos

racistas que condenam o fato de os negros terem incorporado

em seus rituais religiosos elementos da

cultura e da religião católica (sincretismo) e que negam

a mistura de povos e etnias que formaram o Brasil,

país onde quase metade da população é composta

por negros e mulatos (miscigenação).
2. A União Soviética fragmentou-se em 15 novos países.

A Iugoslávia foi dividida em 5 novos Estados.

A Tchecoslováquia dividiu-se ao meio. O País Basco

quer se separar da Espanha, e o Quebec, do Canadá…

Uma onda de separatismos varreu o mundo

desde o início dos anos de 1990. No Brasil, alguns

se perguntam: por que não separar o Sul?

Região Sul do Brasil

N

Região Sul Brasil

Taxa de analfabetismo 6,1% 14,2%

Taxa de mortalidade infantil 19,3% 39,4%

Crescimento vegetativo 0,9% 1,4%

Negros na população 3% 7%

Mestiços na população 10% 38%

IDH 0,893 0,789
Sobre esse assunto, responda:

a) O desejo separatista dos sulistas é suficientemente

forte para ser caracterizado como uma

etnogênese?

Não, por vários motivos, dos quais destacamos: o

grau de hostilidade dos sulistas com relação ao resto

dos brasileiros é baixo; os ideais separatistas raramente

são expressos por meios de comunicação ou

por formadores de opinião importantes; e as organizações

que promovem esse tipo de ideais são raras.


b) A probabilidade de ocorrência de um desmembramento

desse tipo no Brasil é tão grande

quanto nos países citados?

Não. A região Sul, embora individualizada sob diversos

aspectos socioeconômicos e culturais, está profundamente

interligada à economia do Sudeste do Brasil,

o que dificultaria esse processo de independência.

Além disso, diferentes pesquisas de opinião mostraram

que apenas uma parcela pequena das populações

das capitais da região apoia a hipótese de um

desmembramento.
3. (UNESP – Adaptado) No momento em que se discute

o uso de cotas étnicas em concursos e no

acesso às universidades brasileiras, convém

lembrar que o termo pardo, usado de forma genérica

pelo IBGE, pode ser o cafuzo, o mameluco

(ou caboclo) ou, ainda, o mulato. Todos eles

têm origem na intensa e permanente miscigenação

que ocorreu ao longo de toda a formação do

país. A propósito desse assunto, pode-se afirmar

que mameluco, cafuzo e mulato são, respectivamente,

o cruzamento entre:

a) índio e negro; branco e índio; branco e negro.

b) branco e negro; branco e amarelo; índio e

branco.


➜ c) índio e branco; negro e índio; negro e branco.

d) índio e negro; branco e índio; branco e pardo.

e) índio e mestiço; índio e negro; branco e negro.
4. Em 1992, comemorou-se em toda a América os

500 anos de seu descobrimento. No ano 2000,

coube ao Brasil realizar as suas comemorações

dos 500 anos. Várias organizações indígenas protestaram

contra esses festejos, alegando que

não havia o que comemorar, pois a colonização

europeia acarretou a morte de milhões de indígenas

e a destruição de suas culturas.


a) Você concorda com essa posição política dos

indígenas? Por quê?

Espera-se que os alunos concordem. Os índios não

têm o que comemorar, já que suas culturas foram massacradas

com a colonização, e seus povos, dizimados.

O genocídio praticado na América contra os índios

matou milhões de elementos dessas etnias, do Alasca

à Terra do Fogo.


b) Quem foram os beneficiados com o descobrimento

da América? Por quê?

Os principais beneficiados foram os europeus, que

retiraram imensas riquezas do continente durante

vários séculos e acabaram se tornando maioria da

população na maior parte dos seus países.




5. (ENEM – Adaptado) As origens de diversos problemas

ligados ao racismo e à formação étnica

do Brasil. Sobre o assunto, leia o texto:

”A identidade negra não surge da tomada de consciência

de uma diferença de pigmentação ou de uma

diferença biológica entre populações negras e brancas

e/ou negras e amarelas. Ela resulta de um longo processo

histórico que começa com o descobrimento, no

século XV, do continente africano e de seus habitantes

pelos navegadores portugueses, descobrimento esse

que abriu o caminho às relações mercantilistas com a

África, ao tráfico negreiro, à escravidão e, enfim, à colonização

do continente africano e de seus povos.“
Com relação ao assunto tratado no texto, é correto

afirmar que

a) a colonização da África pelos europeus foi simultânea

ao descobrimento desse continente

e da América.

b) a existência de lucrativo comércio na África

levou os portugueses a desenvolverem esse

continente.

c) o surgimento e ampliação do tráfico negreiro

foi posterior ao início da escravidão no Brasil.

➜ d) a exploração da África e o escravismo decorreram

do movimento de expansão europeia,

marcado pelas Grandes Navegações.

e) a colonização da África e o escravismo antecederam

as relações comerciais entre esse

continente e a Europa.


6. A questão étnica no Brasil tem provocado diferentes

atitudes:

I. Instituiu-se o “Dia Nacional da Consciência

Negra” em 20 de novembro, em vez da tradicional

celebração do 13 de maio. Essa nova

data é o aniversário da morte de Zumbi, que

hoje simboliza a crítica à segregação e à exclusão

social.


II. Um turista estrangeiro que veio ao Brasil, no

Carnaval, afirmou que nunca viu tanta convivência

harmoniosa entre as diversas etnias.

Também sobre essa questão, estudiosos fazem

diferentes reflexões:
”Entre nós [brasileiros], (…) a separação imposta pelo

sistema de produção foi a mais fluida possível. Permitiu

constante mobilidade de classe para classe e até de

uma raça para outra. Esse amor, acima de preconceitos

de raça e de convenções de classe, do branco pela cabocla,

pela cunhã, pela índia (…) agiu poderosamente

na formação do Brasil, adoçando-o.“

”[Porém] o fato é que ainda hoje a miscigenação não

faz parte de um processo de integração das ”raças“

em condições de igualdade social. O resultado foi que

(…) ainda são pouco numerosos os segmentos da ”população

da cor“ que conseguiram se integrar, efetivamente,

na sociedade competitiva.“

Fonte: Florestan Fernandes. O negro no mundo dos brancos.

Considerando as atitudes expostas acima e os pontos

de vista dos estudiosos, é correto aproximar:

a) a posição de Gilberto Freire e a de Florestan

Fernandes igualmente às duas atitudes.

b) a posição de Gilberto Freire à atitude I e a de

Florestan Fernandes à atitude II.

➜ c) a posição de Florestan Fernandes à atitude I e

a de Gilberto Freire à atitude II.

d) somente a posição de Gilberto Freire a ambas

as atitudes.

e) somente a posição de Florestan Fernandes a

ambas as atitudes.


AULAS 29 E 30
1. (UFRJ – Adaptado) Leia o texto a seguir.

A História do Brasil pode ser contada de vários modos

e sob vários ângulos, mas para a maioria ela é a

história da fome e da miséria. Um modo perverso de

dividir o mundo em dois, produzindo um gigantesco

apartheid (…). Uma parte ostensiva, rica, branca, educada,

motorizada e dolarizada. Outra parte imensa na

sombra, negra, analfabeta, dando duro todos os dias,

comendo o pão que o diabo amassou (…). Dois mundos

no mesmo país, na mesma cidade, muito próximos

pela geografia e infinitamente distantes como experiência

de humanidade.
A leitura do texto, conjugada à análise das muitas

facetas da questão da fome e da exclusão

social no Brasil, permite concluir que:

➜ a) os dois mundos citados não são totalmente

separados e que a riqueza de um depende

também da pobreza do outro.

b) a população afetada pela fome concentra-se

no campo, pois nas cidades há serviços públicos

que evitam o problema.

c) a fome é causada mais por inadequação de

hábitos alimentares do que pela estrutura socioeconômica

do país.


d) a situação social relatada corresponde a uma

etapa atravessada, no passado, por todos os

países hoje desenvolvidos.

e) os dois brasis referidos no texto são, na verdade,

as regiões Nordeste e Sudeste do país.
2. Veja essa ilustração, que mostra uma placa fixada

num elevador em São Paulo:

O texto apresentado é o de uma lei municipal.

Com base nele e nos assuntos estudados em sala

de aula, responda:
a) Por que foi criada essa lei na cidade de São

Paulo?


Essa lei foi criada porque, em muitos edifícios da cidade

de São Paulo, as pessoas negras, os deficientes

físicos, os idosos, as empregadas domésticas e

muitas outras pessoas eram obrigadas a usar o elevador

de serviço para subir aos apartamentos ou escritórios.
b) O que significa o trecho “É vedada (…) qualquer

forma de discriminação”?

Significa que estão proibidas quaisquer formas de

preconceito e/ou de ações discriminatórias contra

qualquer tipo de pessoa. Trata-se de uma forma de

deixar bem clara a extensão da lei, impedindo todas

as formas de discriminação.
c) Você acha que essa lei é necessária e deveria

ser estendida para todo o Brasil?

Resposta pessoal. Entretanto, os alunos devem

estar informados de que, em muitos lugares do

Brasil, inúmeras pessoas são discriminadas no uso

dos elevadores. A aprovação de lei semelhante em

todo o território nacional seria importante para tentar

conter o problema.


3. (ENEM – Adaptado) Comer com as mãos era um hábito

comum na Europa, no século XVI. A técnica

empregada pelo índio no Brasil ou por um português

de Portugal era a mesma: apanhavam o

alimento com três dedos da mão direita (polegar,

indicador e médio) e atiravam-no para dentro da

boca. Um viajante europeu, de nome Freireyss,

de passagem pelo Rio de Janeiro, já no século

XIX, conta como “nas casas das roças despejavam-

se simplesmente alguns pratos de farinha

sobre a mesa donde cada um se serve com os dedos,

arremessando, com um movimento rápido,

a farinha na boca, sem que a mínima parcela caia

para fora”. Diversos outros viajantes da época

descrevem esse hábito em todo o Brasil e entre

todas as classes sociais. Mas, para Saint-Hilaire,

os brasileiros “lançam a farinha de mandioca à

boca com uma destreza adquirida, na origem dos

indígenas, e que ao europeu muito custa imitar”.

Dentre as palavras listadas nas alternativas abaixo,

assinale a que traduz o elemento comum às

descrições das práticas alimentares dos brasileiros,

feitas pelos diferentes autores citados no texto:
a) Regionalismo – caráter da literatura que se

baseia em costumes e tradições regionais.

b) Intolerância – não admissão de opiniões diversas

das ruas em questões sociais, políticas

ou religiosas.

c) Exotismo – caráter ou qualidade daquilo que

não é indígena; estrangeiro; excêntrico, extravagante.

➜ d) Racismo – doutrina que sustenta a superioridade

de certas raças sobre outras.

e) Sincretismo – fusão de elementos culturais

diversos, de culturas distintas ou de diferentes

sistemas sociais.


4. Durante 28 anos, no auge da Guerra Fria, a cidade

de Berlim esteve dividida por um muro, que

separava não apenas seu espaço, mas também

dois modos de vida completamente diferentes.

Veja o mapa a seguir, que mostra a situação iniciada

em 1961.


Cerca de 165 quilômetros de muro dividiam a cidade de

Berlim em duas partes: a ocidental, com regime socioeconômico

capitalista, e a oriental, com regime socialista.

O muro começou a ser removido em 1989, mas

“as relações pessoais continuam se chocando

com um muro invisível. Muitos dos weiss (ocidentais)

queixam-se da grande quantidade de

ossis (orientais) que vêm fazer compras no lado

de cá, como se o muro não tivesse deixado de

existir”. (Adaptado da revista The Economist.)
a) Os weiss e os ossis vivem no mesmo espaço

urbano, Berlim, atual capital da Alemanha

unificada. Os dois grupos têm a mesma visão

sobre esse lugar? Justifique sua resposta.

Não. Embora os dois grupos vivam hoje na mesma cidade

unificada pela queda do muro, eles têm visões

diferentes da cidade. O fato de terem ficado separados

por um muro intransponível durante 28 anos

contribuiu para ampliar as diferenças entre os dois

grupos humanos, determinando a formação de diferentes

visões do mesmo lugar, o que contribui para a

difusão de um preconceito racial e cultural entre os

dois grupos.
b) Você acredita que em grandes cidades brasileiras

– como São Paulo e Rio de Janeiro, por

exemplo – possa haver moradores reclamando

de que o seu espaço urbano esteja sendo

“invadido” por estranhos?
A resposta é pessoal. Espera-se que os alunos

concordem. É comum existirem, em grandes cidades,

grupos humanos que se consideram donos do espaço

urbano e veem outras pessoas, vindas de diferentes

partes do país, como invasoras. Trata-se de uma forma

de preconceito racial e/ou cultural, que se manifesta

de forma branda ou violenta, em função da época

ou da cidade em análise.


A existência de diferentes grupos culturais e o preconceito racial e/ou cultural

entre eles têm se tornado comuns nas grandes

cidades do mundo. A questão, embora difícil e delicada,

não pode deixar de ser abordada.
AULAS 31 A 34
1. (UFSJ-MG – Adaptado) O racismo nos Estados Unidos

era muito intenso até o final da década de

1950, como retrata bem a foto abaixo:

Na segunda metade da década de 1950, o movimento

pelos Direitos Civis, liderado por Martin

Luther King, ganhou força, lutando contra essa

situação. Esse movimento combatia:

a) a proposta dos republicanos de imigração

maciça forçada de negros americanos para

a Libéria, Estado africano criado com essa

finalidade, ameaçando a estrutura social do

país pela escassez de mão de obra e minando

as bases eleitorais dos democratas.

b) a ascensão do movimento comunista norteamericano,

com a criação do Partido Comunista

dos EUA, a politização dos sindicatos

e os comícios antiamericanos, por meio dos

quais os bolcheviques estadunidenses buscavam

minar o “american way of life”.

➜ c) a segregação e discriminação contra os negros

norte-americanos, sobretudo nos estados

do Sul, onde eles eram impedidos de votar

e obrigados a, entre outras coisas, ceder

lugar aos brancos nos transportes coletivos,

frequentar escolas separadas e usar banheiros

separados.

d) a excessiva liberdade concedida aos negros

norte-americanos pelo governo democrata

de Franklin Roosevelt, quando foram garantidas

prioridades para os então chamados de

afro-americanos nas escolas públicas, nos

serviços de saúde e nos empregos federais.

e) a segregação imposta pelas leis criadas após a

libertação dos escravos do Sul do país, datadas

do início do século XX, quando algumas restrições

ao uso de bens públicos foram mantidas.


2. (UEL-PR – Adaptado) Leia o texto:

“Minha mãe me escondia, pois temia que os brancos

me levassem com eles. Todos os bens dos brancos

me assustavam: tinha medo de seus motores, de suas

lâmpadas elétricas, de seus sapatos, de seus óculos

e de seus relógios. Mas, quando seus aviões nos sobrevoavam,

eu não era o único a ficar assustado, os

adultos também tinham medo.”

Essa narrativa de Davi, um yanomami nascido

na Amazônia brasileira, descreve o medo de seu

povo frente ao contato com os brancos. Sobre o

tema, é correto afirmar:

a) Esse tipo de reação foi rara na história do encontro

entre brancos e indígenas.

b) A chegada do branco foi gradual e evitou alterações

profundas no cotidiano indígena.

ensino médio – 2ª- série 305 sistema anglo de ensino

c) O contato com a tecnologia assegurou a preservação

dos povos indígenas.

d) A presença dos brancos, registrada por Davi,

foi ignorada pelos yanomamis.

➜ e) As sucessivas ocupações das terras indígenas

geraram violência.
3. (FUVEST – Adaptado) O processo de descolonização

na África foi acompanhado por:

a) elevação nas taxas de crescimento da população

do campo, que foi modernizado para

produzir alimentos para o mercado interno.

b) abertura da economia dos países africanos,

devido à dimensão do seu mercado consumidor,

aumentando significativamente sua

participação no comércio mundial.

c) democratização do continente, que se livrou

das ditaduras nele instaladas nos anos noventa

do século XX, com apoio das antigas

metrópoles.

➜ d) imposição de limites fronteiriços pelas exmetrópoles,

que gerou uma série de conflitos

étnicos em vários países.

e) migração controlada da população africana,

decorrente dos conflitos tribais, para países

que anteriormente dominaram o continente.
4. (FGV-SP – Adaptado) O genocídio que teve lugar em

Ruanda, assim como a guerra civil na República

Democrática do Congo ou ainda o conflito em

Darfur, no Sudão, revelam uma África marcada

pela divisão e pela violência. Esse estado de coisas

deve-se, em parte:

a) às diferenças ideológicas que perpassam as

sociedades africanas, divididas entre os defensores

do liberalismo e os adeptos do planejamento

central.


b) à intolerância religiosa que impede a consolidação

dos estados nacionais africanos, divididos

nas inúmeras denominações cristãs e

muçulmanas.

c) aos graves problemas ambientais que produzem

catástrofes e aguçam a desigualdade ao

perpetuar a fome, a violência e a miséria em

todo o continente.

➜ d) à herança do colonialismo, que introduziu o

conceito de Estado-nação sem considerar as

características das sociedades locais.

e) às potências ocidentais que continuam mantendo

uma política assistencialista, o que faz com

que os governos locais beneficiem-se do caos.


5. (PUC-RS – Adaptado) A Irlanda do Norte vivenciou,

ao longo de sua história, grandes conflitos, sendo

abalada nas últimas décadas por inúmeros

protestos e alguns atentados terroristas. Em relação

a essa situação podemos afirmar que:

a) os islâmicos lutam contra os católicos, grupos

que pretendem dominar politicamente o

país, antes ligado ao Reino Unido.

b) a maioria da população é católica e deseja

continuar vinculada a Londres, lutando contra

o IRA, grupo armado islâmico.

c) os grupos revolucionários pretendem libertar

a Irlanda do Norte da República da Irlanda,

negando-se a assinar um acordo de paz

com o IRA.

➜ d) os protestantes desejam que a Irlanda do Norte

permaneça como membro do Reino Unido

e a minoria católica deseja unir-se à República

da Irlanda.

e) católicos e protestantes recentemente depuseram

armas, pois conseguiram, através de

acordos diplomáticos, realizados entre a Inglaterra

e os Estados Unidos, a divisão territorial

entre os dois grupos.


6. (MACK-SP – Adaptado) No continente europeu, estão

numeradas as áreas de 1 a 4, onde, nas últimas

décadas, vêm se travando exemplos de

intolerância humana, justificada por questões

étnicas ou religiosas. Tais exemplos ofuscam

também questões econômicas:

No mapa, a alternativa que identifica, correta e

respectivamente, essas questões é:

➜ a) 1 – Basca, 2 – Irlandesa, 3 – Balcânica, 4 – do

Cáucaso.


b) 1 – Basca, 2 – Irlandesa, 3 – Báltica, 4 – da

Caxemira.

c) 1 – Irlandesa, 2 – Curda, 3 – Basca, 4 – da

Chechênia.

d) 1 – Irlandesa, 2 – Curda, 3 – Balcânica, 4 – da

Armênia.


e) 1 – Curda, 2 – Basca, 3 – da Caxemira, 4 –

Báltica.
7. (ESPM-SP – Adaptado) Leia o texto:

“Sua população é constituída de muçulmanos não

árabes, na maioria sunitas que falam um idioma próximo

ao persa. O total da população está entre 27 a 35

milhões, vivendo espalhados pelo Irã, Iraque, Turquia,

Síria, Armênia e Azerbaijão. Essa população almeja organizar

um país autônomo, pois constitui a maior etnia

sem Estado do mundo.”

O texto apresentado trata de um povo do Oriente

Médio que tem gerado conflitos armados em

diversos territórios da região. Trata-se dos:

a) palestinos.

➜ b) curdos.

c) tibetanos.

d) armênios.

e) chechenos.
8. (FGV-SP – Adaptado) A segunda metade do século

XX foi marcada por uma intensificação dos conflitos

internos das nações dos mais diversos lugares

do mundo. Alguns deles estão colocados

no quadro abaixo:

I. Povo implicado

no conflito

II. Território onde

habita esse povo

Assinale a alternativa correta:

➜ a) A luta armada é característica básica comum

aos conflitos indicados no item I, exceto no

Quebec.

b) Todos os povos indicados em I encetaram lutas



para separar-se dos países citados em II.

c) A luta armada é característica básica comum

aos conflitos indicados em I, exceto na Irlanda

do Norte.

d) No Daguestão e Kosovo, os conflitos são manifestações

da Guerra Fria.

e) Canadá e Irlanda, nos conflitos citados, exercem

a mesma forma de dominação econômica

feita sobre os países subdesenvolvidos.
AULAS 35 E 36
1. (CEFET-MG – Adaptado) Analise os dados do gráfico

abaixo, que mostra a evolução do crescimento

da população absoluta mundial e a variação

do seu crescimento vegetativo:

Crescimento da população absoluta e

crescimento vegetativo


Os dados do gráfico mostram que a população

mundial (linha) tem crescido de modo contínuo

ao longo do tempo, porém com intensidades

diferentes (colunas). Após a Segunda Guerra

Mundial, houve uma grande aceleração do crescimento

vegetativo mundial, que ocorreu, dentre

outros fatores, devido:

a) à queda das taxas de natalidade e mortalidade

na Europa e na Ásia.

b) ao acentuado aumento das taxas de natalidade

e à queda da mortalidade nos países desenvolvidos

em geral.

➜ c) à queda das taxas de mortalidade e à manutenção

das altas taxas de natalidade nos países

subdesenvolvidos.

d) ao acentuado aumento das taxas de natalidade

e mortalidade nos países subdesenvolvidos.

e) à aceleração das migrações internacionais

em todos os continentes.
2. (CEFET-PR – Adaptado) No dia 12 de outubro de

1999, em um ato simbólico realizado pela ONU,

a Terra recebeu o seu habitante de número 6 bilhões,

nascido em Sarajevo. Veja as quatro fases,

de forma desordenada, pelas quais o crescimento

da população mundial passou, até chegar à

atualidade:

I. Crescimento lento. Altas taxas de natalidade

e mortalidade. Aumento populacional muito

pequeno.


II. Crescimento rápido. Altas taxas de natalidade

e mortalidade em queda. A população

mundial dobrou em 123 anos.

III. Diminuição do crescimento demográfico.

Queda acentuada da taxa de natalidade. Envelhecimento

crescente da população.

IV. Altos níveis de crescimento vegetativo. Explosão

demográfica. A população mundial

dobrou em 43 anos.

Coloque as fases em ordem cronológica e marque

a alternativa que representa essa ordem:

a) III – II – I – IV

➜ b) I – II – IV – III

c) II – III – IV – V

d) I – IV – III – II

e) IV – II – I – III



3. Observe a evolução da pirâmide etária do Canadá:

Evolução da pirâmide etária do Canadá


Aponte a alternativa que analise corretamente

os gráficos:

a) O estreitamento da base foi determinado pela

queda da taxa de mortalidade a partir de

aproximadamente 1965/1970.

b) O estreitamento das faixas etárias masculina

e feminina passa a ter diferenças entre si acima

de 65 anos, devido à queda das taxas de

natalidade.

➜ c) O estreitamento nas faixas etárias mais altas

não impede que a população idosa, com

mais de 65 anos, forme uma parcela superior

a 20% e esteja entre as mais elevadas do

mundo.


d) O alargamento da pirâmide nas faixas etárias

entre 25 e 49 anos foi determinado pela elevação

da expectativa de vida e pela queda da

taxa de natalidade.

e) A manutenção da largura das faixas etárias

jovens indica que as taxas de mortalidade infantil

estão em queda e a expectativa de vida

está aumentando.




4. Recentemente a Comissão Europeia divulgou que há, nos 27 membros da União Europeia, mais de 23

milhões de imigrantes, dos quais mais de 8 milhões estão ilegalmente nos países-membros. A quase totalidade

desses imigrantes se concentra nos países mostrados abaixo:
Podemos afirmar que:

a) essa imigração não tem importância econômica, já que a maior parte dessa população é proveniente de

países pobres do norte da África e do Oriente Médio.

b) como a maior parte desses imigrantes vive ilegalmente na Europa entende-se a aversão que parte da

população dos países receptores sente em relação a eles.

c) o número desses imigrantes está em rápida

redução graças à adoção de políticas de expulsão

dos ilegais e de fechamento das fronteiras

entre os países-membros da U.E.

d) o incentivo à imigração tem aumentado, o

que provocou a elevação da parcela de ilegais

e o crescimento dos protestos sindicais contra

essa política estatal.

➜ e) considerando que esses países têm uma população

idosa numerosa, pode-se supor que a

elevada parcela de imigrantes, entre 4 e 10%



da população absoluta, é importante como

mão de obra.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal