Seminário Intensivo Avançado, dos Magos da Terra Por: Valum Votan em Cisternino, Itália



Baixar 0.49 Mb.
Página1/7
Encontro23.07.2016
Tamanho0.49 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7
Seminário Intensivo Avançado, dos Magos da Terra

Por: Valum Votan - em Cisternino, Itália


Synchronotron
Primeiro dia: 142 857
NS.1.22.2.15

Kin 46 - Enlaçador de Mundos Ressonante Branco

Dali 15 da Lua Lunar do Escorpião

Ano: Semente Auto-existente Amarela



OM 108


O Poder Magnético do Sete: Recuperar o Intervalo do Tempo Perdido na Eternidade. Viver a Cosmologia do Tempo.
Como estão todos? Para o que estão prontos? Para tudo. Talvez mais que tudo.
Estamos entrando, oficialmente, na comunicação intergaláctica, graças à Invocação das Sete Direções. Tudo nesta comunicação meditativa, intergaláctica, chega graças ao poder do 7. Uma vez que entramos nela, temos a responsabilidade de alcançar a unificação galáctica da mente e do coração, o que sempre é mais fácil falar do que fazer. O ser humano é apegado aos seus costumes, hábitos, ego, intelecto e a suas coisas. Apesar de muita gente afirmar que quer a unificação da mente e do coração e que somos todos irmãos, poucos chegam realmente a fazê-lo. Aproveito para dizer que este evento de 7 dias não é para “observadores casuais”; se estão aqui como observadores casuais ou curiosos, a única coisa que vão encontrar é a sua própria opinião.
Para a Comunidade da Inteligência Cósmica Intergaláctica não interessa nenhuma opinião individual de nenhum ser humano. Só lhes interessa saber se podem alcançar o nível de unificação coletiva, isso é a única coisa que importa. Estamos aqui para compreender o que significa funcionar em um sistema de comunicação intergaláctico; o que significa funcionar em níveis de consciência e comunicação que não são os habituais de nosso dia a dia, mas, superiores. O Que significa isto? Este Ashram de Babaji é um vórtice que também está aberto para receber a possibilidade de viver isto. Nossos irmãos responderam ao chamado para estarem aqui, que nos permitirá alcançar este nível de consciência superior. Estamos aqui para começar a aprender o sistema que se utiliza particularmente na ordem galáctica, no qual operamos e que se chama o Novo 7.
Nossa galáxia é a 4851 e está próxima a outras, dentro de uma homogeneidade de comunicação.
Este mesmo momento que estamos vivenciando, está se repetindo em outras 6 galáxias. Existem 10 milhões de galáxias no universo que conhecemos; então, sete galáxias é muito pouco. Sete galáxias significam 70 milhões de estrelas, e nestes 70 milhões de estrelas, há 7 estrelas que têm um sistema de planetas, e no terceiro planeta de cada um deles, está acontecendo a mesma coisa que aqui.
Quando falamos de “unificação coletiva” estamos falando da unificação da consciência de um planeta. Esta unificação planetária só tem valor se ocorre de forma simultânea em outros planetas. Portanto, estamos falando de um processo de unificação intergaláctica. Sabemos que faltam 1201 dias para o fim do ciclo - 1201 dias para que se alcance a massa crítica de consciência unificada em Velatropa 24.3. Este ponto de unificação ocorre, simultaneamente, nos outros 6 sistemas.
Para a Assembléia da Federação Galáctica, está muito claro que o tempo de unificação chegou, e todos os sistemas de crenças anteriores não vão funcionar. Este é o propósito e o sentido deste encontro, no vórtice de Babaji. É o ponto no qual nossa presença é capaz de estimular a descida de todo o sistema de consciência que podemos compartilhar. É muitíssimo importante deixar sua sujeira para trás, e deixar o que você acredita que é, ou o que você acredita que não é, e manter a mente totalmente pura, branca e limpa. Se vocês pensam que não estão entendendo, deixem também esse sentimento de lado. Se não o entendem, simplesmente relaxem e pensem: “Está bem, não entendo, mas algo está ocorrendo em meu interior e poderei entender depois”.

Por isso digo que este seminário não é para curiosos ou observadores casuais.


Se existe uma palavra para descrever o que estamos aprendendo aqui, ela é: SYNCHRONOTRON.

Synchronotron é o resumo de leis e informações que definem a sincronicidade.
Todo o Encantamento do Sonho, o Calendário de 13 Luas, a Lei do Tempo, e o Telektonon... fazem parte do Synchronotron.
A unidade matemática fundamental do Sincronotron é 7. Conhecemos esta formulação básica de 4:7::7:13. Desde que realizamos a Invocação às Sete Direções, entramos em um sistema de comunicação intergaláctica. Neste sistema de comunicação intergaláctica, tudo é parte de uma grande ordem que pode ser definida por uma lei matemática que chamamos sincronicidade.
Agora estamos vivendo a sincronicidade. Ela pode ser definida por diversas modalidades matemáticas. Tudo o que estamos fazendo já está sincronizado, de uma forma ou de outra. Estamos no ano Semente Auto-existente; no sétimo heptal e este seminário começa no tom 7 e termina no tom 13. Assim, todo o programa está condensado na fórmula 4:7::7:13. É importante saber que neste sétimo heptal do ano da Semente Auto-existente, estamos aqui graças ao Antonio, que foi usado por Deus, que cochichou para ele: “Não achas que já é hora de realizar outro seminário de 7 dias?” Já faz 7 anos que não se realiza um seminário de 7 dias. E o Antonio queria fazê-lo na onda encantada do Caminhante do Céu, porém nesta onda do Sol temos o Enlaçador no tom 7 e o Humano no tom 13, sendo o Humano 13 o kin 52, o número chave de Sírius B, que é uma estrela binária e leva 52 anos para dar uma volta ao redor de Sírius A. Então, o que estamos tratando aqui é um capítulo de Sírius, na Assembléia Cósmica Intergaláctica. Portanto, esta é a semana ideal para o seminário pela matemática que contém.
O que vamos tratar nestes 7 dias é impressionante, inclusive para mim, portanto, estou pensando como e o que vou apresentar. Na realidade estamos apresentando a organização da consciência galáctica accessível aos seres humanos atuais em seu nível de evolução.
Do ponto de vista da consciência intergaláctica, o ser humano atual é uma grande incógnita. A pergunta é: “em que direção caminha o ser humano?” Em 1201 dias a porta se fechará. É determinante visualizar o processo de assistir ao ser humano contestando à pergunta, aonde vamos e direcionando até um nível mais alto. O sistema do Sincronotron deve materializar-se (descer). Para explicar isto, devemos dar um contexto de como este sistema chegou à Terra.
Talvez alguns se lembrem de que faz 7, 8 ou 9 anos e que desde então não haviam me visto. Resumindo: quando ensinávamos coisas como o Telektonon, as 20 Tábuas da Lei do Tempo era para formar os alicerces, base de um edifício. A Fundação articulou e aperfeiçoou algo chamado a Lei do Tempo e esta provou ser um dos componentes-chave do Synchronotron.
Recebemos um sinal muito claro de que teríamos que ir dos Estados Unidos para a Nova Zelândia ou Austrália, para estar em uma localização alinhada mais diretamente com o Pólo Sul. Sabíamos que havia organizações alinhadas com o pólo norte, porém muito poucas, com o pólo sul. Então começamos esta aventura da qual depois contaremos os detalhes. Pouco tempo depois da chegada à Nova Zelândia, recebemos um convite para ir a Istambul. Fui convidado pela Fundação Mevlana para ser um dos quatro participantes na apresentação do livro em 1º de novembro. Assim, lá tive a oportunidade de conhecer, pessoalmente, a Senhora Bülent. Fiquei muito honrado por ter a oportunidade de conhecer uma pessoa de tão elevado nível de consciência galáctica neste planeta. É claro que recebi uma cópia do Livro do Conhecimento e comecei a estudá-lo imediatamente.
Encontrei-me diante de várias páginas que falavam de Sírius, de Sírius B e do ciclo de 52 anos. Toda esta informação provinha de um raio cósmico de Sírius. Também me dei conta de que a estrela que estava nesse momento em cima de nós, na Nova Zelândia, era Sírius e esta foi uma das razões pela qual fui chamado a este lugar. Isto me permitiu iniciar a conclusão da “descida” de toda esta informação proveniente de Sírius.
No dia Dali 1 da Lua Ressonante do Macaco, Kin 117 - Terra Cósmica Vermelha, do ano Lua Magnética Vermelha, em sonho, uma voz me disse: “441 é o índice da freqüência telepática”. Despertei pensando neste número estranho. Comecei a investigar sobre este número. A primeira coisa que pude ver foi que ele era o inverso de 144. 144 é um número chave no Livro das Revelações e no sistema Maia. Também vi que 441 = 21 ao quadrado e que 144 = 12 ao quadrado, sendo estes dois números também inversos. Isto me fez ver que havia algo realmente importante nesses números. Então, comecei a criar quadrados de 21 x 21 com 441 unidades em seu interior. Esta é a Matriz base de 441. O 1 está embaixo à direita. Dali a matriz segue em uma espiral continua anti-horária até chegar ao 441 no centro.

Temos a Matriz Espacial ou do Espaço. Um fator muito interessante desta matriz de 21 x 21 é que dá como resultado duas colunas, uma vertical e outra horizontal (ambas unidecimais) que dividem toda a matriz em 4 partes de 104 unidades: 10 ao quadrado + 10 ao quadrado + 10 ao quadrado + 10 ao quadrado + 41 unidades que estão nas colunas vertical e horizontal (= 441 ou 21 ao quadrado). E continuei observando outras curiosidades. 11 (a 11ª coluna vertical e horizontal da matriz do espaço) ao quadrado são 121. No sistema vigesimal há unidades até 19 e quando chegamos a 20 o escrevemos como 1.0. Quando chegamos a 20 ao quadrado, o escrevemos como 1.0.0, que parece 10 ao quadrado. É interessante que quando escrevemos 21 ao quadrado no sistema vigesimal, parece 11 ao quadrado porque se escreve 1.2.1. A primeira cifra (1) indica 400, a segunda cifra (2) indica 40 (20+20) e a última cifra (1) indica a unidade.


Há 21 níveis ou estágios. 21 ao cubo = 9261, que no sistema vigesimal se escreve: 1.3.3.1.

É interessante observar que ao multiplicar 11 ao quadrado x 11 (11 ao cubo) é = 1.331.

Pode-se ver a simetria com o cubo de 21. Estes são apenas alguns exemplos.
A Matriz do espaço se divide em 4 seções de 100 unidades mais as 41 unidades das colunas horizontal e vertical. Se em cada quadrante (de 10 x 10 unidades) marcamos outro quadrado interno (traçando uma linha para dentro) de 8 x 8 unidades, temos um quadrante externo de 10 ao quadrado e outro interno de 8 ao quadrado, que é o programa do Banco Psi o qual vai através de 4 seqüências.

Aprenderemos mais sobre isto, só estava massageando seus cérebros.

Existe a Matriz do Tempo. Tomamos a matriz 441 (= 21 ao quadrado) e a dividimos em 9 quadrantes de 7 x 7, temos 9 quadrantes de 49 unidades (49 x 9). Isto nos abre ao mundo de 9 dimensões.
Há quatro dimensões do tempo exterior, que são as dimensões de tempo com as quais estamos, mais ou menos, familiarizados. Estas quatro dimensões estão nos ângulos da matriz.
Depois, encontramos as quatro dimensões radiais de tempo: a 5ª na metade esquerda; a 6ª na metade direita; a 7ª metade superior e a 8ª metade inferior. Nestas dimensões experimentamos as realidades paranormais e subliminares que nos conectam com outros universos. São as dimensões que usamos para viajar no tempo.
A 7ª e 8ª dimensão vertical do tempo são as que usamos como ascensor para ir às dimensões superiores. A 9ª dimensão central é o núcleo que cria a estrutura pela qual ascendemos a todas as dimensões do tempo. Isto é só uma breve descrição.
Ainda temos a Matriz Base do 441, do Tempo-Espaço, além da Matriz Sincrônica onde está o Tzolkin no centro (ocupando desde a 5ª coluna vertical até a 17ª) com as 13 dimensões de tempo. Os Dias Fora do Tempo, dos anos bissextos, foram retirados daí.
Existem 4 colunas verticais de cada lado do Tzolkin, com 84 unidades cada uma com seu próprio sistema numérico: 4 colunas de 21 unidades cada uma = 84, que são as “84 Portas do Dharma”. Dharma significa Lei, Religião, Caminho, Verdade. Buda ensinou que existem 84.000 Dharmas.

(Nota: portas de acesso à consciência cósmica)


Na matriz há 84 unidades na porta esquerda e 84 na direita; sempre existe um caminho pela esquerda e outro pela direita.
Uma curiosidade matemática muito interessante desta matriz: começando pela primeira coluna vertical vai do número 1 ao 21. O 22 está no fim da 21ª coluna (embaixo) que sobe até 42. O 43 está (em cima) na 2ª coluna vertical esquerda que desce até 63. O 64 está na 20ª coluna (embaixo) e sobe até 84. Assim até a última coluna, que sobe de 148 (na 18ª coluna) chegando até 168.
Algo fascinante: na porta esquerda (de 1 a 147), se somarmos os quatro números de cada linha horizontal, dá como resultado 256. Por exemplo: na primeira linha: 1 + 43 + 85 + 127 = 256, que é 13 vezes 28. Se fizermos o mesmo na porta direita, a soma das unidades horizontais é igual a 420. Se somarmos 420 + 256 = 676 = 26 ao quadrado ou 13 x 52.
Este processo foi estruturado para criar um sistema que coordene os códigos diários da ordem sincrônica, para ter cada dia um indicador de freqüência telepática diferente e assim acumular, em cada heptal, os índices de freqüência de transmissão diária.
Fui instruído para utilizar o Alcorão como texto de referência para eleger versos ao acaso, por exemplo, Sura 19, verso 49, e assim criar números: 19 vezes 49; juntando-os também temos 1949. Estes são índices diferentes de freqüência.
Escrevi uns 30 diários com estas freqüências telepáticas.

Depois, colocava estes números sobre as matrizes e via que coincidiam com as freqüências do programa de sincronização diário (kin do dia, dia da Lua etc.).

Eu pensava que estava ficando louco, mas, não era a primeira vez que isto me acontecia. Cada vez que pensava que estava ficando louco começava um processo que me levava à algo novo.

No momento me dei conta de que isto ocorria porque estava penetrando em um grande sistema vivo de comunicação e mensagens telepáticas que se fala em todo o universo. Levantava-me pela manhã, até minhas preces e leituras e minha consciência se expandia para participar dessa consciência superior. Comecei a dar-me conta de que havia certas freqüências que se repetiam, com mensagens específicas.


A fase seguinte deste processo foi não dizer nada a ninguém. Dei-me conta de que havia entrado em um sistema tão grande e expandido que era melhor não falar sobre ele. Falei apenas em um Boletim Rinri.
O processo foi evoluindo minha própria consciência, para participar ativamente em diferentes graus de comunicação telepática galáctica.
Um ano depois, no ano Mago Lunar, achava-me em um lugar muito lindo da Nova Zelândia, junto a um lago com Sírius acima. No dia 6 da Lua Planetária, Estrela Solar, cheguei a um povoado da Austrália vizinho à Byron Bye, e tive uma experiência muito intensa de túnel radial, atravessando o que chamo de “diversas lentes do tempo”. Passei através de 4 lentes do tempo:

- 144.000

- 216.000

- 288.000

- 432.000

Logo, refere-se a um sistema-mestre com o número 864.000.


A continuação cita os seguintes números também em relação às lentes:

- 108 ao quadrado

- 144 ao quadrado

- 216 ao quadrado


A isto chamei de “Sistema Hunab’ku 21” – O Arquétipo Galáctico, Mago do Infinito.
Também estava trabalhando com o sistema do Perceptor Holomental, que é como um microchip telepático, correspondente à matriz 441 e que está inscrita no centro do corpo caloso. Cada dia do heptal, pontos diferentes são ativados. Hoje, por exemplo, que é o primeiro dia, o ponto que é ativado está na base do crânio e corresponde a 108. No segundo dia é ativado o ponto situado em cima do primeiro. No terceiro dia, no terceiro olho, no quarto, no começo da raiz do cabelo, e os últimos três dias na parte anterior, posterior e central do crânio respectivamente.
Também são ativadas as 7 esferas mentais descritas como:

- 1ª esfera mental: pré-consciente

- 2ª esfera mental: subconsciente

- 3ª esfera mental: consciente

- 4ª esfera mental: consciente contínuo

- 5ª esfera mental: super-consciente

- 6ª esfera mental: subliminal consciente

- 7ª esfera mental: consciência radial do Perceptor Holomental.


Através do Perceptor Holomental, ascendemos à ativação de 21 pontos na matriz.
É muito simples de fazer o modelo 21.

Na linha vertical central estão 7 pontos que são ativados nos 7 dias.

Cada um dos 20 selos contém um arquétipo (por exemplo, o Enlaçador de Mundos é o Hierofante). Além disso, o arquétipo de Hunab’ku 21 está situado no centro. Isto é explicado e representado na página 106 do 5º volume de Crônicas da História Cósmica. As esferas mentais também são explicadas no volume II.
O nível final deste processo de revelação veio depois do estabelecimento deste seminário, quando ocorreram diversas revelações, em relação à Roda Sincrônica do Tempo (Bússola).
Um dia, olhando a Bússola Galáctica, tive uma grande revelação acerca dos “7 espaços em branco” e sua relação com o Intervalo de Tempo Perdido na Eternidade.
O que é esta proporção do 7?
Comumente, a roda se divide em 360°. O 7 se refere a 7 vezes 18 graus que é igual a 126 (7 x 18). 126 é o Intervalo do tempo perdido na eternidade.

234 é o que fica fora deste intervalo. Se somarmos 234 + 126 = 360.


Se colocarmos isto no sistema vigesimal, 7 = 140 e 13 = 260.

140 é o circuito do Telektonon, que é 7 x 20 ou 5 x 28

260 é o Tzolkin. (Nota da tradutora: 7 corresponde aos 7 espaços vazios da roda, e 13 aos 13 tons da roda. Vemos que se relacionam com o Telektonon e o Tzolkin).
Se somarmos 140 + 260 = 400.

Em uma breve visita aos Estados Unidos, depois de estar na Austrália, recebi o cubo do Synchronotron, com o novo sistema de 7 galáxias. A nossa está no centro, com o nº. 4851 = 11 x 441. Estamos operando na 11ª dimensão, aquela que conclui o “descenso” da informação da tecnologia espiritual.


Cheguei ao sistema Synchronotron com a visão das 7 galáxias e esta roda, que se denomina a “Roda da Lei do Um”, com suas 7 e 13 partes.

Quando dizemos que Hunab’ku é o Doador do Tempo e Medida, estamos dizendo que o movimento é a Roda do Tempo, ou é a Roda da Lei de 13 e 7. E 13 + 7 = 20, que no sistema vigesimal = 1.0; por isto é a Lei do Um.

A medida é a matriz 441.
Juntos constituem o Sincronotron, o último estado que sintetiza toda a informação da Lei do Tempo e do sistema de comunicação galáctico, incluindo a Cosmologia do Livro do Conhecimento.

Mevlana, a canalizadora do Livro do Conhecimento, escreveu-me recentemente, e disse que o ser humano, que viveu ao longo dos séculos de evolução, ainda assim, não conseguiu abandonar a consciência de si mesmo e alcançar a consciência coletiva. E este é o ponto deste evento. O cosmos deseja que o ser humano alcance a unificação do espírito e a consciência coletiva. Este é o desejo do Cosmos: que alcancemos a unificação espiritual. Isto significa nos unificar e submeter à Lei Superior. Ou você se molha ou você cai duro.


Pausa para descanso.
Bem vindos à parte final da sessão de hoje.

Como sabemos pela Lei do Tempo, estamos sempre nos movendo sintropicamente a níveis superiores de consciência e organização. Nestes níveis de consciência superior experimentamos sensações de harmonia e êxtase. O apego ao ego e às pequenas coisas que têm a ver com a vida individual nos afasta de tudo isto. Precisamos chegar ao estado em que não tenhamos medo de nos unificar; de perder a nos mesmos e de ganhar o Cosmos. Neste sentido é muito importante contar com as Famílias Terrestres. Cada família se converte em um microcosmo de unificação da mente coletiva, e dá a oportunidade à voz coletiva de falar através de cada um de nós e de chegarmos juntos a compreender algo de que até então só havíamos ouvido falar.



Os sete postulados do sistema de operação galáctico.

O slogan operativo é “Torne-se Galáctico”.


Primeiro Postulado: somos o planeta. Nossa mente é a mente planetária. Nossa unificação como um todo, é a salvação do planeta e a ressurreição da consciência galáctica. Isso também é conhecido como Noosfera.
Segundo Postulado: nossa consciência planetária é uma função paralela dentro de um sistema operacional de outras seis galáxias. Isto também é conhecido como “penca” de galáxias, ou o sistema Nova Sete. Somos uma formação dentro da zona administrativa coordenada pela Assembléia Federal Intergaláctica do Cosmos, ou AFIC.
Terceiro Postulado: o meio de comunicação unificador comum dentro desta sub-ordem intergaláctica da realidade é a telepatia. O sistema de telepatia é coordenado pela linguagem numérica, transmitida e compreendida de maneira coletiva.
Quarto Postulado: em vez do ABC é usado o 3-7-21. 3 x 7 = 21. 21 x 21 = 441, o código-índice da freqüência telepática comum a todos os membros da AFIC.
Quinto Postulado: o 3-7-21 estabelece o cubo 441, 1.3.3.1. Este é o sistema telepático operacional mínimo, para estabelecer os códigos do tríplice preceito: Sistema – Ordenança – Ordem Universal. Também conhecido como a medida de Hunab’Ku.
Sexto Postulado: a Lei do Tempo é o movimento de Hunab’Ku, ou a Lei do Uno 13 e 7 (20=1.0), que estabelece:

- o ciclo da freqüência 13:20, o fator de sincronização universal.

- a Onda Encantada, a cosmologia perfeita 13:7, recapitulada.

- a Matriz Tzolkin, o tempo quadridimensional que estabelece o índice cosmológico da

personalidade.

Sétimo Postulado: para nosso planeta, que está iniciando a ascensão à consciência galáctica, o estandarte do tempo unificado é o sincronário harmônico de 13 Luas de 28 dias, que é uma função da cosmologia da proporção da Lei do UNO 13 e 7. Onda Encantada é o meio mais simples, direto e imediato para dar cumprimento ao programa de unificação galáctica, e estabelecer a base para o aprendizado do 3-7-21, o sistema da linguagem telepática cósmica.

Quando falamos de 3, referimo-nos ao triângulo, a primeira forma geométrica tridimensional possível. Quando falamos de 7, referimo-nos ao humano prismático. O 3 e o 7 dão o 21.

O valor triangular de 3 = 6. O valor triangular de 6 = 21.

O 21 também é encontrado na seqüência espiral de Fibonacci: 1-1-2-3-5-8-13-21-34-55-89-144…


É um novo ABC.

No sistema de 7 chakras, há 7 portais que nos permitem o acesso à consciência solar. No sistema do Synchronotron, temos 7 mantras solares, introduzidos pelo Yogacharya Janakiraman que foi estudado por Carolina Rosso, da Itália, em seu livro “Yoga Solar”. Os 7 mantras solares, tanto quanto os chakras, são portas de acesso à consciência solar.

Estes mantras solares são: HRAM, HRIM, HRUM, HRAIM, HRAUM, HRAHA, OM.

Esta seqüência começa no chakra raiz e acaba no coronário. Porém, se começa com o mantra correspondente ao chakra do plasma do dia.

De acordo com as 20 Tábuas da Lei do Tempo, esta semana (N.T.: em que aconteceu o seminário) é o Códon 48 - “Alcançar a Fonte”.

Na seqüência das 20 Tábuas este é o último Códon; do último trimestre, do último dos 16 anos das 20 Tábuas, ou o quarto quadrante do ano Tormenta Ressonante Azul, o ano da sincronização galáctica. Portanto, estamos em uma viagem no tempo, experimentando este ponto de sincronização galáctica.


“Alcançar a Fonte”, que no I Ching tradicional é “O Poço”, significa um aviso ou chamada de atenção: se a corda que segura o cubo não é suficientemente longa, não se chega ao fundo. Ou, se houver uma abertura, a água escapará.
O Códon bifásico da Harmônica 12, é o 26, “O Templo do Tempo”. Isto durará os três primeiros dias deste Heptal (N.T.: do Seminário) e logo entraremos na Harmônica 13, com o Códon 48 que é, novamente, “Alcançar a Fonte”. Assim, definitivamente, deveremos “alcançar a fonte”, indo ao fundo do significado de tudo isso. Devemos permanecer continuamente abertos, limpando a sujeira da nossa mente, para recuperar a fonte evitando infiltrações, para que a água seja limpa e a corda suficientemente longa. Ou, em outras palavras, cultivar a paciência e perseverança para compreender o que, ainda, não entendemos. Isto é muito importante. Também constatamos que o valor triangular de 7 é = 28, que é a unidade Crono-Psi de hoje, Estrela Lunar Amarela.
Vejamos a informação codificada para hoje. (N.T.: dia 15 da Lua Lunar do Escorpião).

Primeiro o mantra solar, codificado segundo os plasmas. (as datas mostram a seqüência).

Cada dia tem um código de acesso numérico. Hoje corresponde a 1/7 = 0,142857. Tiramos a vírgula e o convertemos em um número intero (142857). Este é o número recíproco de 7, que se considera o número cíclico recombinante perfeito. Se olharmos os códigos numéricos de cada dia nos 6 primeiros dias, encontraremos a mesma seqüência em ordem diferente: por exemplo, o segundo dia será 285714 que é o resultado de 2/7. Mantendo-se os mesmos números, por isso é o número recombinante cíclico perfeito:

1º. dia: 1/7 = 142 857

2º dia: 2/7 = 285 714

3º dia: 3/7 = 428 571

4º dia: 4/7 = 571 428

5º dia: 5/7 = 714 285

6º dia: 6/7 = 857 142

Aqui dá-se uma seqüência com os mesmos números em posições diferentes. Por isso o 7 é um número mágico perfeito. Se dividirmos estes números em dois tripletes, vemos que o 1º dia e o 6º são recíprocos perfeitos. O mesmo ocorre com o 2º e 5º dias, assim como com o 3º e 4º.

Vocês não vão encontrar outro número como o 7, que é o número cíclico recombinante perfeito. Isto mostra que a cosmologia do 7 é uma cosmologia auto-contida.
Se multiplicarmos o primeiro número (0,142857) x 7 é igual a 0,999999, que é o número código de 7º dia do heptal. Então, os 6 primeiros números são como os 6 primeiros dias da criação, e o 7º dia da criação é um salto quântico.
Se somarmos os números: 1+4+2+8+5+7 = 27

27 x 6 =162 = 9 ao quadrado x 2

Logo, 999999 = 54 (9 x 6)

54 x 4 = 216 = 6 ao cubo.

216 é a freqüência perfeita do cubo, porque o cubo tem 6 lados. 216 é uma das freqüências-chaves da linguagem telepática pela qual estamos passando.
Em outras palavras: quando criamos as cifras recíprocas de 7, estamos recriando o cubo perfeito. Nos 7 dias da criação, criamos o cubo.

O Synchronotron é um cubo inter-dimensional multi-galáctico, que inclui o sistema de 7 galáxias, chamado Nova 7.


Todos os cubos se comunicam entre si, então, a experiência de se tornar um cubo é a experiência de se tornar um cubo único.

Voltaremos a todo este sistema de símbolos várias vezes.


Vamos passar a falar das 6 Runas Harmônicas de UR, da Segunda Criação.

Hoje, primeiro dia Dali corresponde a um símbolo (ver synchronotron) e é UR A 84, e significa “O Inteiro (totalidade) da vida galáctica se torna um meio de transmissão”.

Assim, no processo que estamos atravessando hoje nos identificamos com a totalidade galáctica, e estamos aprendendo a ser um meio de transmissão. Cada um de nós é um canal com a capacidade de se tornar um meio de transmissão galáctico.
Tomando o desenho da Roda da Cosmologia original da freqüência 13:20, vemos a divisão em 7 de um lado e a divisão em 13 de outro lado.

Na divisão de 7 vemos, de novo, os sete números cíclicos recombinantes.

O 13 também é um número cíclico recombinante perfeito. Por exemplo, na primeira divisão está o número 076 923 e na 12ª divisão está o 923 076.

Assim, o 7 e o 13 são números recíprocos. Isto é algo peculiar e cria este tipo de simetria de tripletes. A cosmologia de 7 e de 13 é uma cosmologia completa. O Chilam Balam diz que toda a criação ocorre pelo poder de 7 em infinitas seqüências de 13.


O sistema do Synchronotron visa compreender toda a cosmologia. Semelhante sistema só pode vir de um nível dimensional muito elevado, concretamente do Concílio de Sírius e da AFIC (Assembléia da Federação Intergaláctica Cósmica).

Partindo do nível atual do sistema da ciência tridimensional, não se tem a possibilidade de compreender isso, ainda que de vez em quando chegue a certas aproximações, como por exemplo, que a origem do universo ocorreu há 13.700 milhões de anos.


Ainda falta levarmos em consideração o Perceptor Holomental, com as inscrições telepáticas no centro do corpo caloso.
  1   2   3   4   5   6   7


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal