Sistemas de Classificação e Nomenclatura



Baixar 13.17 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho13.17 Kb.
Sistemas de Classificação e Nomenclatura

Vimos anteriormente que o sistema de classificação formulado por Lineu (1735) é valido até hoje. Mas Lineu não só classificou os seres vivos dentro de categorias lierárquicas, como também adotou um sistema de nomenclatura que é utilizado até hoje conhecido como Sistema Binominal de Nomenclatura. Isso quer dizer que o nome de uma espécie é sempre composto, ou seja, formado por duas palavras. O primeiro nome se refere do gênero _Canis_ mais pertencem a espécies diferentes. O cão pertence a espécie Canis familiaris , e o lobo a espécie Canis lupus. Quanto ao idioma em que deveria ser escrito o nome científico, Lineu concluiu que o ideal seria utilizar uma nomenclatura universal (comum a todos os cientistas, independentemente da nacionalidade) e que não sofresse modificações.

O latim, por ser uma língua morta, foi a escolhida. Com essas propostas, Lineu teve o mérito de uniformizar universalmente a nomenclatura dos seres vivos.

Alguns exemplos de classificação e nomenclatura


  • As principais Regras de nomenclatura:


Todo nome científico deve ser escrito em latim.

O nome científico de um ser vivo deve sempre ter duas palavras: a primeira refere-se do gênero, e a segunda à espécie .

O nome do gênero deve ser escrito com inicial maiúscula, e o da espécie com minúscula; exemplos: Homo sapiens (homem) Canis familiaris (cão) Zeamays (milho).

O nome científico, tanto do gênero como da espécie, deve ser escrito de modo a se destacar do texto (manuscrito, deve ser sublinhado e em imprensa deve-se utilizar o itálico. Quando ocorrem subdivisões das categorias taxonômicas , por exemplo: subespécie , subgênero , subclasse etc. O nome de subespécie deve vir depois do nome da espécie e em letra minúscula ; exemplo: Crotalus terrificus durissus (cascavel da América Central).

O nome científico do subgênero deve vir entre o nome do gênero e da espécie, e deve ser escrito entre parênteses e com inicial maiúscula;exemplos: Anophheles (nyssurhyunchus) clarlingi_(um tipo de mosquito).

Quando se deseja mencionar o autor e a data que descreve a espécie,seu nome e data vêm depois da espécie; exemplo: Trypanosoma cruzi chagas,1909(protozoário que transmite a doença de Chagas ).

O nome das famílias deriva do gênero, acrescido da terminação idae.

Exemplos: Homo (gênero da espécie humana) família Homidae.

Com o passar dos tempos, os critérios de classificação foram tomando novos rumos, pois a humanidade acumula conhecimentos, passou a contestar alguns princípios estipulados por Lineu, como idéia da imutabilidade ou faxismo.

Com os trabalhos de Darwin, sobre a evolução das espécies e o processo de seleção natural, prevaleceu a idéia de que os organismos mais bem adaptados do meio têm maiores chances de sobrevivência.

E a seleção natural, agindo sobre determinado grupo, pode provocar transformações, podendo levar a constituição de uma nova espécie; contestando assim a idéia de Lineu, de que as espécies eram imutáveis.

Atualmente, os recursos que permitem determinar o grau de parentesco entre seres vivos estão bastante sofisticados. Semelhanças são examinadas até o nível de DNA: a seqüência de aminoácidos em uma proteína varia de espécie para espécie; por isso, quanto maior forem as diferenças entre as seqüências de aminoácidos, menor será o grau de parentesco.

E a diferenciação de espécies proposta Lineu hoje passou a ter uma nova definição: espécie designa um conjunto de seres semelhantes capazes de ser cruzar entre si em condições naturais, produzindo descendentes férteis.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal