São Paulo: Arte & Estilo Por Jair Marcos Vieira



Baixar 8.4 Kb.
Encontro22.07.2016
Tamanho8.4 Kb.
São Paulo: Arte & Estilo

Por Jair Marcos Vieira


A Cidade Informal em cartaz no MCB

Projetos de urbanização para favelas de sete cidades da América Latina, inclusive um no Parque Amélia (SP), selecionados por John Beardsley e Christian Werthmann, professores da Graduate School of Design da Universidade Harvard (EUA), estão na exposição “Redesenhando a Cidade Informal”, no Museu da Casa Brasileira, instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura. São Paulo é a primeira metrópole do País a receber a mostra, que já passou por Boston e Buenos Aires e, em outubro, desembarca no Rio de Janeiro. A intervenção no Parque Amélia, localizado na região da represa de Guarapiranga, zona sul de SP, foi coordenada por Elisabete França, atualmente Superintendente de Habitação Popular da Secretaria Municipal de Habitação. O projeto de urbanização, que beneficiou um total de 736 famílias, é de autoria do arquiteto e urbanista João Walter Toscano. O local ganhou água encanada, esgoto, drenagem e pavimentação. Um dos destaques foi a construção de uma praça com espaço para a prática de esportes e a canalização de um córrego, com projeto dos arquitetos Marta Lagreca, Marcos Boldarini e Stetson Lareu.

Os dois professores de Harvard escolheram as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, no Brasil; Cidade do México e Tijuana, no México; Caracas, na Venezuela; Bogotá, na Colômbia; e Buenos Aires, na Argentina. O critério adotado foi selecionar projetos, executados ou não, que representem estratégias desenvolvidas na América Latina para melhorar as condições da moradia informal.

A exposição, que, em Inglês adotou o nome de Dirty Work, compõe-se de grandes painéis, que contam a história de cada projeto até a nova realidade, por meio de croquis, fotos, mapas e textos. Museu da Casa Brasileira. Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705, Jardim Paulistano. Tel.: (11) 3032-3727. De terça a domingo, das 10h às 18h. Ingresso: R$ 4 / estudantes: R$ 2 e gratuito aos domingos e feriados. Acesso para pessoas com deficiência. Visitas orientadas: (11) 3032-2564 / agendamentomcb@terra.com.br / www.mcb.org.br. Até 28/6.

Divas do cinema e das artes em mostra no MuBE

O que Mona Lisa tem em comum com Sophia Loren? E Vênus de Milo com Marilyn Monroe? Para o pintor Neto Sansone há algumas semelhanças, e elas poderão ser vistas em seu novo trabalho, na exposição “Divas - A Fonte Feminina nas Duas Artes”, que acontece no MuBE - Museu Brasileiro da Escultura. São 15 acrílicos sobre tela inéditos, de 3m x 1,5m, que retratam mulheres no cinema e nas artes. Obras históricas de gênios como Da Vinci e Picasso lado a lado de estrelas que marcaram época nas telonas. Como Kate Winslet, de Titanic, em pose muito semelhante ao retrato La Maja Desnuda, de Goya. Ou Janet Leigh e sua expressão marcante na cena de terror do filme Psicose; Audrey Hepburn encantando no longa norte-americano Bonequinha de Luxo; o trio de As Panteras etc. Até 5/7. Museu Brasileiro da Escultura (MuBE). Rua Alemanha, 221, Jardim Europa. De terça a domingo, das 10 às 19 horas. Tel.: (11) 2594-2601. Entrada Franca. Acesso para pessoas com deficiência. De 10/6 a 5/7.

Arte Pré-Colombiana no MuBE

Começa em junho e segue até 20/7 esse curso, às 2ªs feiras, das 20h às 22h. Será ministrado pela professora de pintura do MuBE, Rô Gonçalves, artista plástica formada pela FAAP e Beaux Arts de Paris, com especialização na Bélgica. Público-alvo: professores, pesquisadores, alunos e interessados em geral. Conteúdo: Tradições artísticas e cronológicas, arte e arquitetura das antigas civilizações Mesoamericanas, desde os Olmecas até os Astecas, e das civilizações Andinas, culturas dos Chavin de Huantar até os Incas. Valor: 2 x R$ 50. Auditório Pedro Piva.MuBE - Museu Brasileiro da Escultura. Rua Alemanha, 221. Tel.: (11) 2594-2601.

cursos@mube.art.br/www.mube.art.br

Sons de Paris na Fundação Maria Luisa...



Imperdível o recital de Flavio Varani, que executa no piano obras maravilhosas. No Programa: H. Villa-Lobos (1887 – 1959) - Bachianas Brasileiras n°4 I- Prelúdio (Introdução)/ II- Coral (Canto do sertão)/ III- Ária (Cantiga)/ IV- Dança (Miudinho); P. Paray (1886 – 1979) – Tarantelle; F. Chopin (1810 – 1849) - Balada opus 52 nº 4 em fá menor; F. Poulenc (1899 – 1963) – Intermezzo/ Toccata; G. Fauré (1845 – 1924) - Barcarolle n°2, Op.41e F. Liszt (1811 – 1886) - Valsa Mephisto. Varani foi agraciado, em 2001, com o prêmio de “melhor instrumentista clássico” concedido pelo Detroit Music Awards (USA). Fundação Maria Luisa e Oscar Americano. Av. Morumbi, 4.077, Morumbi. Tel.: (11) 3742-0077. Em 21/6, domingo, às 11h30. Auditório climatizado com 107 lugares. Ingressos: R$ 20 (acesso à Fundação e concerto no auditório) / R$ 10 (estudantes e acima de 60 anos); R$ 10 (acesso à Fundação) / R$ 5,00 (estudantes e acima de 60 anos). Venda antecipada de ingressos por telefone. www.fundacaooscaramericano.org.br / info@fundacaooscaramericano.org.br.

Releases, toques e sugestões para esta coluna, escreva para areliquiasp@uol.com.br ou jair@areliquia.com.br. Tels. (11) 2601-5954 / 9787-8271/ 9307-1214.

Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal