Sociedade Anónima com sede na Herdade da Mata do Duque – Sesmarias, 44 B, em Benavente, Capital Social de 50. 000€, Pessoa Colectiva 504 271 415



Baixar 9.77 Kb.
Encontro21.07.2016
Tamanho9.77 Kb.
G.P.D.G.

Gestão e Participações, S.A.


Sociedade Anónima com sede na Herdade da Mata do Duque – Sesmarias, 44 B, em Benavente, Capital Social de 50.000€ , Pessoa Colectiva 504 271 415




COUDELARIA QUINTA DO FIGUEIRAL


Herdade da Mata do Duque – Sesmarias, 44 B

2130-127 Santo Estevão – Benavente


Exmo. Senhor Presidente da

Fundação Alter Real

Prof. Vitor Barros

( C/C Eng. Manuel Campilho – Pres. APSL )

Tapada do Arneiro

7441-909 Alter do Chão
Santo Estevão, 18 de Fevereiro de 2008

Registado com A/R



ASSUNTO: Pedido de Inquérito á APSL e Pedido de Suspensão de Juizes da Raça Lusitana e do seu Secretário Técnico.
Na qualidade de associado da APSL, vimos por este meio solicitar a V. Exa. a abertura de um inquérito á actuação suspeita de alguns Juizes do Cavalo da Raça Lusitana e do seu Secretário Técnico, nos últimos cinco anos, com a eventual suspensão dos mesmos, após a análise das classificações suspeitas e anómalas que foram atribuindo neste período.

No sentido de clarificar os procedimentos actuais e futuros solicitamos que providenciem junto da actual Direcção da APSL para que modifiquem os seus estatutos e o regulamento do Livro Geneológico do Cavalo de Raça Lusitana, conforme proposta que sugerimos em 17/01/2008, que anexamos, no sentido de clarificar um sistema de classificações de reprodutores/as pouco transparente, que promove a suspeição, o compadrio e a corrupção, no seio de uma organização que V. Exa. superiormente tutela, nos termos do art. 3.º, n.º 2, alínea e) dos Estatutos da Fundação Alter Real publicado no DL n.º 48/2007, de 27 de Fevereiro, e que deve preservar uma raça milenar com pelo menos 4 famílias diferentes ( Alter Real, Andrade, Veiga e Ervideira ) e que por falta de objectividade de critérios de classificação leva a todo o tipo de arbitrariedades e discricionaridades na aplicação dos critérios de selecção da raça, pondo em risco a salvaguarda do Património Genético do Cavalo da Raça Lusitana.

Mais, informamos que não deixaremos de, oportunamente, fazer a denúncia das situações anómalas, aqui reportadas, á Procuradoria da República, para investigação e eventual instrução do respectivo procedimento criminal, dado aquelas condutas tipificarem os crimes de Abuso de Poder, de Corrupção Passiva para Actos Ilícitos e de Participação Económica em Negócios.

Assim, estamos certos que apenas a intervenção urgente da tutela, de forma a corrigir a actual e lamentável situação, infelizmente já conhecida pelo escândalo do Cavalo Dourado, poderá evitar a instauração daquele procedimento criminal que não beneficiará em nada o prestigio da Pura Raça Lusitana, da APSL e da Fundação Alter Real.


Com os nossos melhores cumprimentos


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal