Sugiura a impotância do sulfato ferroso em crianças de seis meses a dezoito meses campo grande /MS



Baixar 102.64 Kb.
Encontro23.07.2016
Tamanho102.64 Kb.


CARINE A. P. ALVES CLEICIANE G. DO AMARAL e SIRLENE M. SUGIURA


A IMPOTÂNCIA DO SULFATO FERROSO EM CRIANÇAS DE SEIS MESES A DEZOITO MESES

CAMPO GRANDE /MS

2011
CARINE A. P. ALVES CLEICIANE G. DO AMARAL e SIRLENE M. SUGIURA

A IMPOTÂNCIA DO SULFATO FERROSO EM CRIANÇAS DE SEIS MESES A DEZOITO MESES

Projeto de intervenção apresentado á

Universidade Federal de Mato Grosso

do Sul,como requisito para conclusão

do curso de Pós Graduação á nível de

Especialização em Atenção Básica em

Saúde da Família.

Orientador: Profº. Especialista Luciano

Trindade.

Sidrolandia /MS

2011

Esta Monografia foi submetida ao processo de avaliação pela banca examinadora para obtenção do titulo de especialista em Atenção Básica e Saúde da Família, atendendo as exigências da Fundação Osvaldo Cruz e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.


Banca


Banca

Banca


Ando devagar por que já tive pressa e levo



esse sorriso por que já chorei demais, hoje me

sinto mais forte,mais feliz quem sabe pois

levo a certeza de que muito pouco eu sei ou nada sei....”

Almir Sater
AGRADECIMENTOS

A Deus que pela sua infinita misericórdia, permitiu que nós trilhássemos o caminho do conhecimento e aperfeiçoamento no trabalho destinado a melhorar a vida das pessoas, sua mais perfeita obra prima.

Aos nossos familiares que estiveram sempre ao nosso lado nos dando apoio e acreditando em nossa capacidade.

Ao nosso orientador Luciano pela simplicidade e clareza ao transmitir os objetivos do curso de Pós Graduação em Saúde da Família.

A Secretaria de Saúde Tânia Rossato, que com sua capacidade de gerenciamento como gestora entendeu a importância de estimular e apoiar os servidores na busca pelo conhecimento técnico científico.





RESUMO
O Programa Nacional de Suplementação de ferro foi destinado á todos os Municípios Brasileiros desde 2005, seu processo de implantação foi gradativo, porém muitos Municípios não aderiram, alguns aderiram parcialmente como no caso do Município de Sidrolandia, o Programa Nacional consiste na suplementação de ferro em crianças de 06 a 18 meses. Os desafios do programa são: Garantia de fornecimento regular do suplemento, melhoria de informação para os profissionais que atuam nos ESF’s,e principalmente aumentar o numero de Municípios com o programa implantado,melhorar a adesão da população ao Programa.
PALAVRAS-CHAVE: ATENÇAO BASICA; SUPLEMENTO DE FERRO; ADESAO

SUMARIO



1 INTRODUÇÃO 8

2- OBJETIVOS 10

2.1 Objetivo Geral 10

2.2 Objetivo Específico 10

3 PROBLEMAS NUTRICIONAIS MAIS PREVALENTES NA INFANCIA 11

4 O QUE É ANEMIA 12

4.1 O que é Anemia por deficiência de ferro 12

4.2 Quais as conseqüências da anemia por deficiência de ferro 13

4.3 Como consumir ferro através dos alimentos 13



5 O USO DO SULFATO FERROSO NA ODONTOLOGIA 15

5.1 SITUAÇÃO DO PROGRAMA NO MUNICIPIO DE SIDROLANDIA 17



6 METODOLOGIA 18

6.1 LISTAGENS DE PROBLEMAS 18

6.2 DESCRIÇÂO DOS PROBLEMAS 18

6.3 ÁRVORE EXPLICATIVA 19

6.4 DESENHO DA SITUAÇÃO INICIAL E SITUAÇÃO OBJETIVO 20

6.5 SELEÇÃO DOS NÓS-CRITÍCOS 20



7. DESENHO DAS OPERAÇÕES E DEMANDAS DAS OPERAÇÕES 21

8 CONCLUSÃO 22

8.1 CONCLUSÃO DO ENFERMEIRO 22

23



9 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS 23




1 INTRODUÇÃO

A anemia é definida pela organização mundial de saúde como uma condição na qual o conteúdo da hemoglobina está abaixo do normal, com o resultado da carência de um ou mais nutrientes. Estima - se que 90% dos casos sejam causados pela deficiência do ferro.

A anemia ferropriva é o problema de maior magnitude do País atingindo a prevalência de 41% a 77% entre lactentes e 13,3% a 50,5% entre pré-escolares e 35% em gestantes. Estão entre os grupos de riscos as nutrizes e mulheres em idade reprodutiva. Esse tipo de anemia representa um problema nutricional com severas conseqüências econômicas e sociais, pois atinge todas as classes de renda.

Segundo estimativas essa deficiência acarreta um custo adicional para economia Brasileira em tratamentos e perda da produtividade e em dias de trabalho, além de baixos rendimentos escolares. De acordo com o Ministério da Saúde a fortificação de alimentos tem se mostrado uma ação de grande sustentabilidade para o controle da anemia e carência de ferro e deve ser incentivada.

A redução da anemia por carência de ferro no Brasil esta entre as diretrizes de política nacional de alimentação.

A reconhecida relevância da anemia por deficiência de ferro, em termos de saúde publica,decorre não apenas da magnitude da sua ocorrência, mas principalmente do efeito deletério que ocasiona na Saúde da criança tais como: repercussões negativas no desenvolvimento psicomotor e cognitivo, diminuição da capacidade de aprendizagem e comprometimento da imunidade celular com menos resistência às infecções. (Walter et al; 1999; Granthan-Mac Gregor et al; 2001);

A deficiência de ferro está entre os dez principais fatores de riscos elencados pela OMS que contribuem para diminuição da qualidade e da expectativa de vida no mundo. Diante desse Panorama o governo federal resolveu adotar políticas publicas de controle e prevenção a anemia pó deficiência de ferro.

As estratégias á longo prazo de combate à anemia em crianças tem suas bases estruturadas em: Melhoria das condições de escolaridade da população, suplementação de ferro para gestantes e nutrizes, clampeamento tardio do cordão umbilical, amamentação exclusiva nos primeiros seis meses de vida, alimentação complementar com alta biodisponibilidade de ferro, suplementação profilática de ferro á partir dos seis meses de vida, consumo de alimento fortificado com ferro. (Informe da atenção básica nª 46; junho 2008).

A alta prevalência e a precocidade da anemia em nosso meio tornaram-se um problema de Saúde Publica, a presente pesquisa visa esclarecer sobre a importância do uso do sulfato ferroso em doses profiláticas á crianças de seis meses á dezoito meses para prevenção de anemia ferropriva.

2- OBJETIVOS



2.1 Objetivo Geral




  • Orientar os profissionais e a comunidade sobre a relevância do uso do sulfato ferroso como profilaxia á anemia ferropriva em crianças de seis a dezoito meses no Município de Sidrolãndia, MS.


2.2 Objetivo Específico




  • Melhorar a adesão das crianças de seis meses á dezoito meses no programa Saúde de ferro.

  • Conscientizar as mães e os profissionais de Saúde sob os efeitos nocivos da anemia em crianças.

  • Propor um projeto de intervenção para melhorar a situação da adesão ao programa saúde de ferro no município de sidrolandia.


3 PROBLEMAS NUTRICIONAIS MAIS PREVALENTES NA INFANCIA


A Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou a estratégia global para alimentação de lactentes e crianças pequenas, que visa a revitalizar os esforços no sentido de promover, proteger e apoiar adequadamente a alimentação das crianças. Em todo o mundo cerca de 30% das crianças menores de cinco anos apresentam baixo peso, como conseqüência da má alimentação e repetidas infecções. Mesmo em Países em desenvolvimento, com escassez de recursos, a ênfase em ações de orientação alimentar pode conduzir a melhores praticas alimentares, levando ao melhor estado nutricional. Nas Ultimas décadas, avançou-se muito nas evidencias das necessidades biológicas das crianças, o que possibilita recomendar praticas alimentares que propiciam o crescimento adequado das crianças. Apud (World Health Organization, 2003).

A partir dos seis meses de idade, a alimentação complementar,conforme o nome sugere,tem a função de complementar a energia e micro nutrientes necessários para o crescimento saudável e pleno desenvolvimento da criança. As situações mais comuns relacionadas á alimentação complementar oferecida de forma inadequada são: Anemia, excesso de peso e desnutrição.

Considera-se atualmente que o período ideal para a introdução de alimentos complementares é após o sexto mês de vida, já que antes desse período o leite materno é capaz de suprir todas as necessidades nutricionais da criança. Além disso, no sexto mês de vida a criança já tem desenvolvido os reflexos necessários para a deglutição, como o reflexo lingual, já manifesta excitação á visão do alimento, já sustenta a cabeça. (Caderno da Atenção básica nª23, Saúde da Criança, Nutrição infantil, 2009).

A anemia é uma situação que na maioria das vezes será percebida na idade escolar, uma vez que as crianças começam apresentar sonolência em sala de aula, déficit de aprendizagem, falta de apetite e desanimo, o que precisa ser levado em consideração é o tempo de aprendizagem perdida até que essa situação seja percebida pelos adultos.

4 O QUE É ANEMIA


Anemia é um estado que a concentração da hemoglobina no sangue esta abaixo da sua normalidade em conseqüência da carência de um ou mais nutrientes essenciais de qualquer origem. Apesar da ausência de muitos nutrientes contribuírem para ocorrências de anemias carênciais, o ferro é dentre eles o mais importantes. A anemia por deficiência de ferro é atualmente um dos mais graves problemas nutricionais mundiais em termos de prevalência, sendo determinada quase sempre, pela ingestão ineficiente de alimentos rico em ferro ou pela inadequada utilização orgânica. (Ministério da Saúde; PINAN).




4.1 O que é Anemia por deficiência de ferro


A anemia por deficiência de ferro é a carência nutricional de maior magnitude no mundo, sendo considerada uma carência em expansão em todos os segmentos sociais, atingindo principalmente crianças menores de dois anos e gestantes.

Embora ainda não haja um levantamento nacional, estudos apontam que aproximadamente metade dos pré-escolares escolares brasileiros sejam anêmicos (cerca de 4,8 milhões de crianças) com a prevalência chegando a 67,6% nas idades entre 6 e 24 meses.(Ministério da Saúde, Programa Nacional de Saúde de ferro,2005).

A deficiência de ferro decorre, principalmente, da quantidade insuficiente de ferro na dieta para satisfazer as necessidades nutricionais individuais. Com o resultado da deficiência de ferro ocorre a anemia, um dos fatores mais importantes relacionadas ao baixo peso ao nascer, á mortalidade materna e o déficit cognitivo em crianças. A deficiência pode apresentar-se em graus variáveis, que vai desde a depleção do ferro, sem comprometimento orgânico até a anemia por deficiência de ferro que afeta vários sistemas orgânicos. A depleção de ferro supõe uma diminuição dos depósitos de ferro, mas a quantidade de ferro funcional pode não estar alterada, ou seja, indivíduos com depleção de ferro não possuem mais ferro de reserva para ser mobilizado, caso o organismo necessite. (Ministério da Saúde; PINAN).

A fortificação de alimentos tem se mostrado uma ação de grande sustentabilidade para o controle da anemia por carência de ferro em todo o mundo e deve ser incentivada. E realizado um investimento anual por habitante para execução de ações integradas de combate a esta deficiência, promoção de alimentarão saudável e orientação do consumidor para diversificação da dieta a baixo custo, distribuição de suplemento na rede de saúde e fortificação da parte de produção brasileira de farinhas de trigo e milho visando eliminar essa deficiência.


4.2 Quais as conseqüências da anemia por deficiência de ferro


O baixo consumo de alimentos rico em ferro ou sua biodisponibilidade é o principal fator da deficiência de ferro no organismo, os sinais e sintomas de carência de ferro são inespecificos e de difícil detecção sendo necessários exames laboratoriais para que seja confirmado o diagnostico de anemia por deficiência de ferro. Os principais sintomas são: Fadiga generalizada, anorexia, palidez de pele e mucosa, indisposição, apatia e déficit de aprendizagem.

O baixo nível de hemoglobina é um dos indicadores que tem sido amplamente utilizado em inquéritos epidemiológicos, além de ser considerado adequado em um diagnostico preliminar. (Ministério da Saúde; PINAN). O ponto de corte proposto pela OMS para nível de hemoglobina indicativo de anemia de 06 á 60 meses é abaixo de 11,0g/dl.


4.3 Como consumir ferro através dos alimentos


O ferro pode ser introduzido no organismo através de alimentos vegetal e animal. O ferro de origem animal é mais bem absorvido pelo organismo. São melhores fonte de ferro as carnes vermelhas principalmente o fígado de qualquer animal e outras vísceras como rins, coração, carne de aves e de peixe e mariscos crus, ao contrario do que as pessoas pensão leite e ovos não são fontes importantes de ferro. (Ministério da Saúde; PINAN).

Entre os alimentos de origem vegetal, destacam-se como fonte de ferro os alimentos folhosos escuros como agrião, couve cheiro verde, as leguminosas, feijão, grão de bico, ervilha, lentilha, grãos integrais ou enriquecidos, nozes e castanhas, melado de cana de açúcar, rapadura e açúcar mascavo. Atualmente á também no mercado alimentos enriquecidos com fero como farinhas de trigo, milho, cereais matinais e outros.

Segundo a OMS, a presença de ácido ascórbico, disponível em frutas cítricas e alimentos ricos em proteínas, melhora a absorção de ferro proveniente de produtos vegetais como, brócolis, beterraba, couve flor etc. Por outro lado existe alguns fatores como, fosfatos, polifenois, taninos e cálcio que podem inibir a absorção do ferro presentes em: Café, chá,mate,cereais integrais,leite e derivados



5 O USO DO SULFATO FERROSO NA ODONTOLOGIA

O cirurgião-dentista, por meio de uma anamnese bem elaborada e de um exame físico minucioso, pode suspeitar de um quadro de anemia ferropriva, ao observar sinais clínicos como palidez de pele e mucosa12, 6 queilite angular bilateral, candidíase e atrofia das papilas linguais. Diante do quadro, exames laboratoriais específicos são necessários para a confirmação da doença e o encaminhamento para tratamento médico adequado deve ser realizado.

O tratamento da anemia ferropriva consiste na administração de sais ferrosos7, 4 cujo efeito colateral pode ser o aparecimento de manchas extrínsecas negras nas superfícies dos dentes. Os tipos de pigmentações podem variar desde linhas incompletas ou contínuas no terço cervical da coroa dental, não se estendendo até a área proximal1, ou ainda pontilhados negros ou manchas acinzentadas recobrindo grandes extensões das superfícies dos dentes.

De acordo com Hadler, Juliano e Sigulem13, a deficiência de ferro deprime a função imunitária do organismo, e alguns patógenos podem apresentar maior virulência em meio pobre de ferro, proporcionando maior risco de infecções.

As manifestações bucais decorrentes são: queilite angular bilateral e candidíase, atrofia das papilas linguais assumindo um aspecto liso e sensação de queimação da língua, palidez de lábios, gengiva e língua.

Um dos efeitos colaterais do tratamento com sulfato ferroso é o aparecimento de pigmentações extrínsecas de cor negra nas superfícies dos dentes, comprometendo a estética. As pigmentações podem apresentar-se como linhas incompletas ou contínuas no terço cervical da coroa dental não se estendendo até a área proximal. Percebe-se, ainda, que a pigmentação pode manifestar-se como pontilhados negros ou manchas acinzentadas recobrindo grandes extensões. O escurecimento pode ser evitado com o uso de comprimidos entéricos, colocando-os na parte posterior da língua ou utilizando a forma líquida, com canudo plástico3.De acordo com Reide, Belley & Mac Donald9, o pigmento negro é resultante de um sal férrico, sulfeto férrico, formado pela reação entre o sulfeto de hidrogênio produzido pela ação bacteriana e o ferro na saliva ou pelo exsudato do fluido gengival.Segundo Thystrup & Fejerskov11, a pigmentação ocorre possivelmente pelos íons metálicos que se ligam fortemente aos compostos do biofilme bacteriano, através de forças eletrostáticas. A ligação desses íons metálicos às bactérias do biofilme altera a carga iônica da sua superfície dental, além de modificar a capacidade de aderência bacteriana. Desta forma, esses íons possuem propriedades cariostáticas e antiplaca.

As manchas extrínsecas causadas pelo uso de sais ferrosos devem ser diferenciadas das manchas originárias pelo uso de cariostáticos, fumo e consumo excessivo de chá preto ou substâncias que contenham corantes.

A remoção dos pigmentos é realizada pelo cirurgião-dentista por meio da profilaxia profissional, com o uso de pedra-pomes associada à pasta profilática e/ou jato de bicarbonato, após o término do tratamento médico. Observa-se que, em lesões de cárie ativas ou crônicas em esmalte, inclusive as lesões de mancha branca ou nos casos de dentina exposta, há maior impregnação do sulfato ferroso. Segundo Baratieri2, as irregularidades das superfícies dentárias permitem que os pigmentos penetrem nos dentes mais profundamente. Nesses casos, a remoção das manchas torna-se mais difícil, podendo ser realizada pela técnica de microabrasão utilizando uma mistura de pedra-pomes de granulação extrafina associada ao ácido fosfórico a 37%10, 10, aplicada com ponta de borracha abrasiva, em baixa velocidade, ou com espátula de madeira em movimentos circulares e sob pressão1, 8.



5.1 SITUAÇÃO DO PROGRAMA NO MUNICIPIO DE SIDROLANDIA

O Programa de Saúde de ferro foi criando no ano de 2005 e implantado no Município de Sidrolandia no ano de 2006, é ainda muito pouco estimulado por parte dos profissionais de Saúde e a adesão por parte dos usuários é bem aquém da meta estipulada. A meta do Município é que no mínimo 255 crianças estejam inscritas no programa e atualmente 38 crianças de 06 a 18 meses estão realizando acompanhamento de forma correta isso perfaz um total de 14,90%.

A baixa adesão se deve ao pouco interesse das equipes de Saúde da Família em estar divulgando o programa e orientando á população sobre a importância da prevenção da anemia ferropriva.

Quando as crianças são trazidas para o acompanhamento na Unidade de Saúde a Puericultura, geralmente as mães são orientadas a aderir ao programa saúde de ferro, porém poucas continuam o acompanhamento. De acordo com os enfermeiros das Unidades a falta do medicamento preventivo na maioria das vezes atrapalha o bom andamento do programa.

Uma profissional Nutricionista ficou responsável pelo programa desde janeiro de 2010, porém o que pudemos observar é que não houve melhora significativa na adesão por parte das famílias e boa vontade por parte dos servidores. O programa continua muito aquém do que gostaríamos, mas acreditamos que com um plano estratégico bem elaborado poderemos melhorar a adesão por parte dos usuários e melhorar o entendimento dos trabalhadores da Saúde.

6 METODOLOGIA


A metodologia consistirá em um projeto de intervenção para melhorar a adesão ao programa de saúde de ferro entre as crianças de seis a dezoito meses, sendo as etapas deste plano, descridas a seguir:



6.1 LISTAGENS DE PROBLEMAS


P1 - Crianças pertencentes a famílias de baixo nível sócio-econômico, onde a dieta é pobre em ferro.

P2 – Pigmentação dentária, devido ao uso do sulfato ferroso;

P3 – Desinformação da população (mães e cuidadores); ·.

P4 – Baixa adesão de crianças de seis meses á dezoito meses no programa Saúde de ferro;

P5 – Desistência das mães na continuidade do uso do sulfato ferroso.

P6 – Dificuldade (erro) na administração do medicamento


6.2 DESCRIÇÂO DOS PROBLEMAS




P1 - Crianças pertencentes a famílias de baixo nível sócio-econômico,com dieta é pobre em ferro.

  • D1 – Melhorar a dieta nesta etapa de vida, orientando para os alimentos ricos em ferro como a carne vermelha, lentilha, feijão, carne branca e salada verde.

  • D2 – Palestras educativas;



P2 – Pigmentação dentária, devido ao uso do sulfato ferroso;


  • D1 - O tratamento clínico é realizado com a administração de sulfato ferroso por via oral. Como efeito colateral, muitas vezes, quando não há uma higiene oral satisfatória pode ocorrer pigmentação negra nas superfícies dos dentes.


P3 – Desinformação da população (mães e cuidadores);

D1 – Palestras na unidade e na comunidade de orientação, mobilizando profissionais como médicos, dentistas e nutricionista para alertar quanto à doença, assim buscando a prevenção.



P4 - Baixa adesão de crianças de seis meses á dezoito meses no programa Saúde de ferro;
D1 – Desinformação, da comunidade e dos profissionais;

P5 - Desistência das mães na continuidade do uso do sulfato ferroso em doses prevalentes;
D1 – Desinformação quanto às conseqüências da anemia ferropriva.

D2 - Dificuldade na administração do medicamento.



P6 - Dificuldade (erro) na administração do medicamento.
D1 – O nível de ferro na alimentação é determinado pela quantidade deste nos alimentos e pela sua biodisponibilidade. Quanto ao sulfato ferroso não deve ser administrado com leite e logo após a refeição.

6.3 ÁRVORE EXPLICATIVA
















6.4 DESENHO DA SITUAÇÃO INICIAL E SITUAÇÃO OBJETIVO



VDP

VDR

Alta prevalência e a precocidade da anemia ferropriva.

Baixa adesão ao programa de prevenção.




Aumentar a adesão ao programa;

Aplicar medidas preventivas para evitar o aparecimento da doença.

Esclarecer sobre a importância do uso do sulfato ferroso em doses profiláticas á crianças de seis meses á dezoito meses para prevenção de anemia ferropriva.




6.5 SELEÇÃO DOS NÓS-CRITÍCOS



CAUSAS

IMPACTO

POSSIBILIDADE DE AÇÃO

SELEÇÃO

Desinformação da população

Alto

Atividades coletivas educativas, buscando a orientação das mães e cuidadores das crianças, quanto a importância do Sulfato Ferroso.

X

Falta de sensibilização dos profissionais para enfatizar o problema

Alto

Estimular os profissionais a realizarem palestras e orientar para o uso do Sulfato Ferroso

X

7. DESENHO DAS OPERAÇÕES E DEMANDAS DAS OPERAÇÕES



NÓ CRÍTICO

OPERAÇÕES

RESPONSÁVEL

APOIO

Desinformação da população

- Atividades coletivas educativas, buscando a orientação das mães e cuidadores das crianças, quanto a importância do Sulfato Ferroso.

- Médico

- Enfermeira

- Dentista

- Nutricionista



- Equipe da ESF

- NASF


- Secretaria de Saúde

Falta de sensibilização dos profissionais para enfatizar o problema

- Estimular os profissionais a realizarem palestras e orientar para o uso do Sulfato Ferroso

- Equipe da Estratégia Saúde da Família





8 CONCLUSÃO

A infância é um período em que se desenvolve grande parte das potencialidades humanas. Os distúrbios que incidem nessa época são responsáveis por graves conseqüências para indivíduo e comunidades.

Estudos realizados em Unidades de Saúde e escolas infantis mostraram que a prevalência de anemia por deficiência de ferro em crianças menores de cinco anos é de aproximadamente 50% (Hadler et,al,2002;Almeida et al,2004;Neves et al ,2005;)

Em nosso Município não existe ainda um levantamento do índice de crianças portadoras de anemia, porém com o estimulo, incentivo e uma estratégia para melhorar a adesão no programa Saúde de ferro esperamos contribuir para a prevenção da Anemia ferropriva em crianças de 06 á 18 meses no Município de Sidrolandia.



8.1 CONCLUSÃO DO ENFERMEIRO


O Programa Saúde de ferro é de suma importância para prevenção de anemia ferropriva em crianças menores de 18 meses, nos acompanhamentos da Puericultura o Enfermeiro pode avaliar as medidas antropométricas das crianças de acordo com a faixa etária de cada uma, orientar as mães ou cuidadores sobre os efeitos nocivos da Anemia ferropriva no desenvolvimento cognitivo e fisiológico das crianças em fase de desenvolvimento, e falar sobre a importância da prevenção da Anemia Ferropriva. A adesão e entendimento dos profissionais de atuam na Estratégia de Saúde da Família são muito importantes para que o índice de abandono ao programa seja mínimo e principalmente que tanto os profissionais que atuam na Estratégia de Saúde da Família como os usuários do Sistema Único de Saúde compreendam que a dosagem de suplemento é composta de dose preventiva dentro do programa Saúde de Ferro.






9 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS




Brasil, Secretaria de Atenção á Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia Alimentar para população Brasileira: Promovendo a Alimentação Saudável, Ministério da Saúde, 2006.

Brasil, Secretaria de Atenção á Saúde. Departamento de Atenção Básica.Saúde da Criança: Nutrição infantil: Aleitamento Materno e alimentação complementar. Caderno da Atenção Básica n.23. Ministério da Saúde, 2009.

Ministério da Saúde. Informe da Atenção Básica n.46: Anemia por deficiência de ferro: Questão de Saúde Publica ano IX, maio/junho, 2008.

Ministério da Saúde. PNAN: Política Nacional de Alimentação e Nutrição,

Vasconcellos, Ana Beatriz. A prevalência de Anemias por deficiência de ferro e as medidas de controle implantado pelo SUS. Coordenação Geral de Política de alimentação e Nutrição, departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção á Saúde/MS, 2009.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal