Sumário Executivo o educaSão Miguel



Baixar 21.01 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho21.01 Kb.
Sumário Executivo

O EducaSão Miguel é um projeto de extensão universitária da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Brasil, iniciado em setembro de 2007 e realizado em parceria com a Fundação Tide Setúbal e com a Secretaria de Saúde de São Miguel Paulista. Seus objetivos são: estimular a promoção e prevenção em saúde, através da educação a 300 famílias que se encontram sob alta vulnerabilidade social em São Miguel Paulista, São Paulo, Brasil; promover educação continuada aos agentes (funcionários da Fundação Tide Setúbal); e interligar a prática acadêmica em suas atividades de ensino e pesquisa com as demandas dessa população, possibilitando a formação do profissional cidadão.

A organização do projeto baseia-se na autonomia dos acadêmicos de medicina em coordenar os recursos humanos, financeiros e tecnológicos envolvidos, favorecendo o desenvolvimento de maior estímulo e criatividade para solucionar questões administrativas e gerenciais. Dessa forma, o acadêmico enfrenta o desafio de recrutar voluntários, de estimular a adesão dos mesmos ao projeto durante todo o ano e de incentivá-los a explorar seus potenciais científicos, por meio da pesquisa em campo. Além disso, cada inserção na comunidade é precedida por planejamento teórico sobre o tema médico e busca ativa de atividade prática já existente na comunidade a fim de estimular a utilização de recursos próprios de saúde.

O projeto conta ainda com uma inovação tecnológica utilizada como metodologia de ensino no mundo moderno: a telemedicina. Nesse contexto, a telemedicina tem o intuito de diminuir a distância, dinamizar a informação e ampliar a rede de assistência. Dentre suas vantagens podem ser citadas: permitir o ensino em qualquer área geográfica, oferecer programas que atendam simultaneamente um grande número pessoas, implementar a educação continuada e permanente e atualizar conhecimentos e habilidades de forma mais ágil e facilitadora.


Capítulo 1: resumo sobre a questão social da comunidade

O público alvo do projeto é composto por: população de três núcleos comunitários de São Miguel Paulista, São Paulo, Brasil (Jardim São Vicente, Jardim Pantanal e Jardim Lapenna), totalizando 300 famílias; e agentes da Fundação Tide Setúbal (funcionários que atuam diretamente com as famílias, por meio de visitas domiciliares, identificando fatores de risco para problemas sócio-econômicos).

A escolha da comunidade baseou-se em estudo prévio realizado pela Fundação Tide Setúbal que evidenciou alta vulnerabilidade em sete aspectos analisados: saúde, educação, trabalho, cidadania, renda, dinâmica familiar e habitabilidade. Em relação à saúde, observou-se a inexistência do Programa de Saúde da Família (PSF) na região e a grande distância dos centros de saúde de referência mais próximos.

O PSF, criado pelo Ministério da Saúde, tem o propósito de reorganizar a prática da atenção à saúde priorizando as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio, pelos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes de saúde) que compõem as equipes de Saúde da Família. Assim, esses profissionais e a população acompanhada criam vínculos de co-responsabilidade, o que facilita a identificação e o atendimento aos problemas de saúde da comunidade. Dessa forma, a população de São Miguel Paulista encontra-se desprovida de assistência efetiva à saúde bem como de qualquer instrução básica de promoção à saúde. Assim, espera-se que o Projeto EducaSão Miguel, em parceria com a Fundação Tide Setúbal, promova uma maior autonomia das famílias, melhore a qualidade de vida e facilite o desenvolvimento local.

Como elo integrador das ações do EducaSão Miguel os agentes tornam-se o principal veículo de divulgação do projeto na comunidade e atuam facilitando a interação do aluno com a comunidade, quer seja por incentivar as famílias a participar das atividades propostas, quer seja por reproduzir posteriormente as informações adquiridas por eles mesmos sobre temas em saúde.
Capítulo 2: Visão geral da organização social

O EducaSão Miguel é composto por uma equipe coordenada por sete alunos do 1º ao 5º ano de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e um professor orientador.

A Fundação Tide Setúbal atua como patrocinadora do projeto, bem como fornecedora da infra-estrutura planejada em São Miguel Paulista (centros de convivência, equipamentos de datashow e funcionários).

O projeto conta ainda com a parceria das Ligas Acadêmicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, que são grupos de alunos que se reúnem para estudar e aprofundar seus conhecimentos sobre determinado assunto, e com o apoio da Faculdade no fornecimento de recursos tecnológicos, sendo disponibilizados o equipamento de videoconferência e o espaço para divulgação do projeto em seu site www.fcmscsp.edu.br.

Para participar do projeto, o aluno deve aceitar as condições do regimento interno, também disponível do site da faculdade, e realizar as seguintes tarefas: elaboração de aula, material didático e questionário sobre o tema; apresentação desta aula para os agentes, via videoconferência, e para os três núcleos comunitários de São Miguel Paulista abrangidos no projeto, de forma presencial.
Capitulo 3:  Descrição da inovação apresentada

Como estratégia para ampliar o poder de ação sobre a educação, são disponibilizados recursos da tecnologia da informação como base da metodologia do ensino.

Através de recursos áudio-visuais são elaboradas as atividades do projeto em duas frentes: com os agentes e com a população de São Miguel Paulista. Na primeira fase, são apresentadas, via teleconferência, palestras sobre temas em saúde pelos alunos participantes do projeto às agentes comunitárias, supervisionados por um professor. Nessa etapa os agentes recebem atualizações e educação continuada sobre o tema e, em contrapartida, a linguagem e a expressão corporal do acadêmico palestrante são corrigidas pelos agentes para se adequar a um público leigo. Uma vez aprovada pelos agentes, a palestra é novamente realizada para a população de São Miguel Paulista. Nesta etapa, no entanto, os alunos estão presentes fisicamente em São Miguel Paulista para ministrar a aula.

A inovação do instrumento de trabalho utilizado no projeto foi a utilização da videoconferência, visto que permite a interatividade em tempo real de imagem, som e dados, refletindo um processo em que a ‘distância’ propriamente dita do ensino deixa de existir como fator fundamental. Através da teleconferência pode-se interconectar diversos pontos do globo terrestre no intuito de melhorar a qualidade das discussões.

Além disso, usar este recurso tecnológico otimizou a dinâmica da informação, pois além de não ser mais necessário deslocar os participantes de um local para outro, consegue-se a adesão de maior número de pessoas dispostas a participar de cada evento.
Capitulo 4:  Desafios e benefícios resultantes da inovação

Pretende-se, com esse projeto, promover a formação da consciência sanitária da população, considerando que o profissional de saúde não deve se restringir à assistência curativa, mas sim buscar dimensionar fatores de risco à saúde e, por conseguinte, executar ações preventivas. Trata-se de um recurso por meio do qual o conhecimento cientificamente produzido no campo da saúde atinge a vida cotidiana da população, oferecendo subsídios para a adoção de novos hábitos e condutas de saúde.

Como principal desafio do projeto destaca-se o uso da telemedicina como instrumento de educação em saúde. Busca-se, dessa forma, uma melhoria da qualidade de vida da população envolvida, o aperfeiçoamento dos métodos de transmissão de conhecimentos sanitários e a adequação do linguajar técnico à condição mais cotidiana de entendimento dos envolvidos.
Capítulo 5: Avaliação e métricas

Como métodos de quantificação do real efeito das atividades desenvolvidas pelo projeto, são desenvolvidos questionários sobre o conteúdo ministrado. Esses questionários são aplicados antes de cada palestra e 45 dias após e, através da sua comparação, procura-se avaliar o impacto da transmissão das informações.

Caso seja verificada ineficácia do aprendizado, o tema é novamente abordado com a comunidade, buscando alternativas didáticas, como novas dinâmicas de grupos, atividades práticas, entre outras.
Capítulo 6: Recomendações e aprendizado

O grande desafio do acadêmico que participa do projeto é elaborar estratégias didáticas que tornem efetiva a transmissão do conhecimento para uma comunidade leiga. A alternativa de trabalho realizada no EducaSão Miguel foi a utilização da videoconferência, tanto para educar os agentes, que se tornarão multiplicadores da informação, como para reorientar a dinâmica das aulas ministradas pelos acadêmicos.

Existem alguns desafios que se mostraram difíceis de transpor no decorrer do projeto, como, por exemplo, a presença inexpressiva do grupo de ouvintes do sexo masculino. Nesse sentido, estamos elaborando novas estratégias de incentivo à participação dos homens nas atividades, como alteração de temas mais voltados a esse público, propostas de atividades práticas esportivas, entre outras.

Além disso, o projeto tem a pretensão de expandir o uso da videoconferência para interagir com a própria comunidade, o que gera um desafio técnico de levar recursos altamente sofisticados a lugares desprovidos de qualquer infra-estrutura adequada.

Espera-se que este projeto, além de causar impacto na comunidade, no sentido de provocar mudanças no comportamento individual, sirva de incentivo a outras faculdades e instituições na busca de iniciativas de caráter semelhante, ampliando a idéia de educação em saúde e medicina preventiva.

Pretende-se, portanto, a longo prazo, a redução dos gastos públicos com saúde através de iniciativas de educação em saúde, e não exclusivamente de ações médicas curativas.







©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal