T. Números 21, 4-9 Maceió 13-09-2003 L. 1 Cor. 10, 1-13 Corrigido e revisado 29/12/2014



Baixar 20.13 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho20.13 Kb.
T. Números 21, 4-9 Maceió 13-09-2003

L. 1 Cor. 10, 1-13 Corrigido e revisado 29/12/2014

João 3, 14-15
Queridos irmãos em Jesus Cristo,
Com certeza já viram na televisão a propaganda contra drogas. Um jovem vende uma coisa e recebe dinheiro, com este dinheiro ele compra uma arma, e com esta arma ele assalta outras pessoas, para receber mais dinheiro para comprar... Drogas! Ajude a lutar contra as drogas é a mensagem deste filme. É um aviso que vem para nós pela televisão; da mesma maneira Deus usa a Bíblia para avisar-nos. Deus nos avisa para termos cuidado, pois há muitos perigos ao redor de nós. Assim funciona a história da COBRA DE BRONZE, que acabamos de ler. Essa não é somente uma história dum povo desconhecido, que vivia no passado, numa situação completamente diferente da nossa. Não, irmãos, esta história quer nos ensinar alguma coisa.

Paulo fala sobre isso em 1 Cor. 10. Ele aponta umas quatro histórias, que aconteceram durante a viagem de Israel pelo deserto. No vs. 7 ele fala sobre a idolatria com o bezerro de ouro; no versículo 8 ele conta a história do adultério com as filhas de Moab; no versículo 9 sobre a cobra de bronze; e, finalmente, no versículo 10, sobre a rebelião de Coré, Datã e Abiram. E no fim Paulo diz: Irmãos prestem atenção! Leiam bem estas histórias. E não esqueçam, pois estas histórias foram escritas para te acordar, para te avisar contra os perigos do pecado. Os pecados seguintes: desprezar a Deus, uma vida imoral, tentar ao Senhor, murmurar e ser rebelde contra o Senhor. Se estes pecados dominarem a sua vida, o Senhor não será (mais) o seu Deus; Ele não será mais o grande aliado, o grande amigo, mas Ele se tornará um inimigo; Quem viver assim provocará ao Senhor. Isso acontece. Pode ser que uma pessoa é batizada; pode ser que ela pode participar na santa ceia, mas essa não é uma garantia de que ele tem uma boa relação com Deus. Paulo nos mostra isso. O povo de Israel foi batizado, eles comeram uma comida espiritual, eles beberam uma bebida espiritual, mas, apesar disso, a maioria deles não agradou a Deus, pois caíram mortos no deserto. Isso aconteceu! E por causa disso é bom ler esta história cuidadosamente.


A COBRA DE BRONZE É UM SINAL PARA A IGREJA DE TODOS OS SÉCULOS


  1. É UM SINAL CONTRA O MATERIALISMO;

  2. É UM SINAL EM FAVOR DE DEUS.

Irmãos, lendo a história da cobra de bronze, devemos nos perguntar: qual foi o pecado do povo? Será que o povo estava sem paciência? Pois eles estavam perto do país Canaã; perto da terra prometida. Eles estavam na fronteira de Edom. Quase na terra prometida, mas eles não podiam entrar, pois Edom recusou a passagem. Eles deviam fazer um caminho longo ao redor de Edom e ao redor de Moab para poder entrar no país prometido. Essa foi uma grande decepção. Todo mundo pode imaginar isso. Eles já tinham viajado pelo deserto por mais de 40 anos, caminhando para terra prometida; e agora eles tinham chegado bem perto, mas ainda não podiam entrar. O povo ficou decepcionado e sem paciência. Mas esse não era o motivo da murmuração deles. Eles não reclamavam porque queriam entrar na terra prometida. Seria bom se fosse isso; se o povo tivesse o desejo de entrar na terra prometida. Mas não era esse o motivo. Parece que o verdadeiro motivo foi o desejo de ter carne, pão e água fresca. O povo queria comer outra coisa depois de 40 anos. E podemos nos perguntar: Qual é o problema? Isso não é razoável? Quando nós comemos somente feijão durante 40 semanas, já sentimos uma aversão por isso. Depois de tanto tempo, queremos comer outra coisa. Há um ditado que diz: a mudança de comida dá vontade de comer. Então, podemos entender que este povo estava enjoado da sua comida de cada dia: a cada manhã, o maná doce; a cada tarde, as codornas. Já fazia 40 anos que eles comiam isso. No início eles tinham fome e queriam comer e Deus lhes deu o maná e as codornas. Naquele momento Deus não tinha ficado furioso, mas agora sim. Por quê?


Bom, irmãos! Se tivessem prestado atenção bem, descobririam que o DESEJO por carne, pão e água se combina com uma AVERSÃO pelo Maná. No início da viagem pelo deserto (40 anos atrás), eles reclamaram por que tinham fome. Eles fugiram do Egito e entraram no deserto, onde não havia nada. Só pedras quentes e areia seca. No deserto só cresce o cacto. É bom para os animais, mas não para o homem. Nenhuma árvore frutífera se encontrava naquela campina seca. O povo sofria e tinha fome. E, naquela situação, o Senhor ajudou e deu o Maná, o pão dos anjos. Mas quem compara a situação do início, com a situação atual no fim, descobrirá uma grande diferença. Pois agora o povo não sofre de FOME, agora o povo sofre de DESEJO. O povo teve bastante para comer, houve o Maná, mas eles ficaram ENJOADOS do Maná. E foi exatamente isso que DESAGRADOU o Senhor Deus. Pois o Maná foi a comida que salvou a vida deles. Dando lhes o maná, Deus os salvou da morte. Eles sobreviveram no deserto por causa do maná. Deus cuidou da vida deles durante todos os 40 anos. Enquanto eles não podiam encontrar NADA no deserto, Deus lhes deu comida. O maná! Este maná insosso foi uma prova do amor saboroso de Deus. Quem comeu o maná pôde sentir que Deus era bom. Cada dia de novo. O maná ensinou o povo de Israel que ele podia fazer planos para o futuro com este Deus. Mas o povo de Israel perdeu ESTE SABOR. VENDO a terra prometida, eles se esqueceram de Deus; vendo a terra prometida, eles não precisavam mais de Deus. O amor de Deus não tinha mais sabor, e por causa disso, O maná perdeu o SEU SABOR. Não tinha mais sabor, pois o gosto do povo estragou. O povo estava enjoado não somente por causa do Maná, mas também por causa de Deus, que lhes tinha dado. O povo não era mais satisfeito com o que tinha recebido de Deus. Pior ainda: o povo mostrou uma falta de respeito por Deus, desejando as panelas de carne de Egito. O DESEJO DE LUXO E PROSPERIDADE infectou a mente deles. Eles cobiçaram as coisas dos povos de Canaã. E, por causa disso, começaram a reclamar. Eles começaram a resmungar como crianças que desejam alguma coisa que os pais não querem dar. Elas continuam chorando, chorando, testando a paciência dos seus pais. Era exatamente o que estava acontecendo. O povo estava testando o Senhor. O povo estava procurando os limites do Senhor. O povo testa ao Senhor que tinha dito: nem só de pão o homem viverá, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

A cobiça e o espírito de materialismo entraram no coração do povo. A cobiça estava dominando a mente dele. Isso é muito perigoso. É perigoso se as coisas materiais dominam a nossa vida, e se as coisas materiais tomam o lugar de Deus. As coisas materiais podem se tornar uma ameaça para a vida com Deus.

Este perigo ameaça a todos nós. Vou dar um exemplo: Deus nos deu a Sua Palavra. Comida espiritual. E nós devemos comer espiritualmente para ser alimentados. Para alimentar a nossa fé. Mas como está o nosso apetite? A palavra de Deus ainda é saborosa? Pois pode acontecer que uma pessoa fique enjoada; que não goste mais de comer esta comida espiritual que Deus nos deu; Há pessoas que não querem comer; que deixam a Palavra na gaveta e não abrem para ler. Como está com a sua vida? Há pessoas que se interessam mais pela novela das sete do que pelo estudo bíblico; e por quê? Porque a comida é pesada demais? Pode ser.

O autor da carta aos Hebreus repreende a congregação dizendo (Hebr. 5, 12-13) que ela ainda é inexperiente na Palavra de Deus; E isso depois de muitos anos. O autor reclama sobre isso. A congregação ainda é como uma criança, que precisa de leite. A congregação ainda não está pronta para receber alimento sólido. Isso acontece, irmãos, se nós não aprendemos a comer. Há pessoas aqui que já visitam a igreja por muitos anos, mas ainda tomam leite. Se há um estudo bíblico um pouco mais pesado, elas desistem, pois não entendem nada. Mas por que não entendem nada? Por que ainda são inexperientes! Ainda precisam comer o alimento básico. Nesta situação a pergunta principal é: COMO ESTÁ COM A NOSSA RELAÇÃO COM O SENHOR? Pois não é somente uma falta de interesse para com a palavra do Senhor, OU para a igreja do Senhor, OU para os cultos, mas atrás disso pode se manifestar uma falta de fé, uma falta de amor.

O apóstolo Paulo, irmãos, lembrou-se da história da cobra de bronze, quando escreveu a sua carta aos Coríntios. Ele colocou esta história na sua carta. E ele fez isso de propósito. Ele fez isso porque a cobiça e o desejo de ganhar coisas eram grandes. Houve membros que provaram o Senhor com os seus desejos. Cobiçando comida, bebida, prostituição, imoralidade, festas. Os membros acharam que podiam viver assim. Mas Paulo disse: NÃO! Não podem! Vocês não podem fazer isso. O SEU CORPO É O SEU DEUS! O SEU CORPO ESTÁ EM PRIMEIRO LUGAR. O SEU CORPO domina a sua vida e a sua agenda. E por causa disso ele aponta a congregação de Coríntios para o povo de Israel que tinha a mesma mentalidade. Este povo se enjoou. Não queria mais viver simplesmente com o que Deus deu, mas cobiçou mais. E no momento em que eles não o receberam, eles começam a reclamar. Eles testaram Moisés e Deus para ver se eles dariam o que eles queriam receber. E, diz Paulo, quais foram as consequências? O Senhor Deus mandou COBRAS em vez de COMIDA. Serpentes abrasadoras entraram no acampamento e morderam muitas pessoas. E morreu muita gente. “Está vendo isso?!”, perguntou Paulo a congregação. “Está vendo isso?!”. Tudo isso foi escrito para dar exemplo, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Pois quem quer viver SEM DEUS morrerá SEM DEUS. Quem tem uma aversão contra a palavra de Deus, de fato tem uma aversão contra o próprio Deus, e Ele terá uma aversão contra aquela pessoa.

O povo de Deus experimentou isso. Deus reagiu imediatamente. Deus mostrou logo as consequências do seu pecado. Deus mandou cobras venenosas, que mataram muitas pessoas. E, vendo isso, o povo se arrependeu. Ele descobriu que testou a Deus. Cheios de remorso, eles procuraram a Moisés com o pedido de que fizesse uma oração para que Deus tirasse aquelas cobras. E Moisés fez isso, mas desta vez o Senhor Deus não faz o que eles queriam. Deus não deu uma ordem para tirar as serpentes. Ele fez uma outra coisa. Ele mandou Moisés construir uma cobra de bronze, e falou para colocar esta cobra de bronze sobre uma haste alta. Tão alta que todas as pessoas possam ver. E Deus acrescenta e diz: “E será que todo mordido que olhar para ela viverá”.

Por um lado pode parecer estranho que Deus deixe a praga continuar. Deus podia facilmente dar uma ordem para acabar com esta praga, mas Ele não fez isso. Por que não? Parece que Deus quer testar a fé e a confiança do seu povo. Foi esse o problema de Israel. O problema foi maior do que só o desejo por pão e água. O problema foi mais profundo. O problema não estava no estômago do povo, mas no coração dele; começou uma aversão contra o maná e uma aversão contra Deus, que controlava a vida deles. Começou uma aversão no coração do povo e Deus só podia curar isso se deixasse a praga continuar. O povo teve que descobrir de novo que só o Senhor salva. Por causa disso, Deus deixa continuar a praga e deixa Moisés construir uma cobra de bronze.

Então, irmãos, Deus pode mandar uma praga na nossa vida para nos testar. Para nos chamar de volta. Especialmente se as pessoas não respeitam mais a Deus como o seu Salvador. Se as pessoas pensam que podem viver sem Deus, Deus pode mandar uma doença na nossa vida para que descubramos que somos dependentes dele. O povo de Israel deveria aprender de novo que não poderia viver sem Deus. Eles deveriam olhar para cima, para a cobra de bronze, que Deus deixou construir. Esta cobra é um símbolo, não tem nenhum poder mágico. Esta cobra não curou as pessoas. A cobra foi um símbolo, que contém uma promessa. O Senhor está disposto a salvar. Ele quer salvá-los. Ele lhes promete salvar. Mas esta promessa vem com uma CONDIÇÃO. O Senhor coloca uma condição: CONFIANÇA! Quando uma pessoa era mordida, ela deveria procurar o Senhor. Ela deveria olhar para a cobra de bronze; só assim, só com fé, as pessoas podem sobreviver.

Então, irmãos, A FÉ É MUITO importante nesta história. O Senhor exige uma atitude com fé e obediência. Quem ouve a Palavra de Deus, quem guarda esta palavra no seu coração, quem respeita esta palavra e obedece esta palavra, será salvo.

Jesus apontou também esta história uma vez (João 3). Ele disse: “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele CRÊ tenha a vida eterna”.

Jesus Cristo fez um paralelo entre a cobra de bronze, que foi levantada no ar numa haste e o filho do homem, que seria levantado. É claro que Jesus pensa na sua morte na cruz. Ele é o Filho do Homem que, como a cobra de bronze, seria levantado no ar para salvar todos os que CRÊEM nele. Quem olhou para cima com fé, para a cobra de bronze, foi salvo da morte; Quem olha para cima com fé, para o Filho do Homem, será salvo da morte eterna e receberá a vida eterna!

MAS VOCÊ TEM QUE CRER!

CRER COM TODO CORAÇÃO!

CRER COM AMOR.


Amém.

Pastor Abram de Graaf


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal