Teatro no Pequeno Auditório, dia 27 “Não se brinca com o amor” pelos Artistas Unidos



Baixar 9.73 Kb.
Encontro22.07.2016
Tamanho9.73 Kb.

Nota à Imprensa | Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Teatro no Pequeno Auditório, dia 27
“Não se brinca com o amor” pelos Artistas Unidos

Na sexta, dia 27 de Janeiro, o TMG apresenta no Pequeno Auditório a peça “Não se brinca com o amor”, do dramaturgo francês Alfred de Musset.

Numa encenação de Jorge Silva Melo, este drama amoroso é protagonizado por Catarina Wallenstein e Elmano Sancho. A peça foi publicada em 1834 e esta é a primeira vez que é representada em Portugal. A sessão é para maiores de 12 anos e está marcada para as 21h30.

«(…) Lembrei-me da invenção da juventude, essa melancólica inocência que para sempre ficou no romantismo de Musset. Ninguém falou tão bem da palpitação do coração, da incerteza dos dias, da tragédia que é ser jovem e não saber o que fazer dos seus anseios. Esta será a estreia em Portugal de um dos mais belos clássicos de sempre, o dorido “On ne badine pás avec l’amour”. Numa produção quase sem cenário, com um elenco muito jovem, pronta para digressão. Como se voltássemos às récitas escolares...», Jorge Silva Melo, o encenador, explica assim a escolha desta peça para o reportório da companhia.

Na história, o orgulho é a causa principal deste drama dos amores de infância de dois adolescentes que não chegam a alcançar o mundo amoroso dos adultos.
Cinema no Pequeno Auditório, dia 28

Ângelo de Sousa: tudo o que sou capaz”, de Jorge Silva Melo

Depois da passagem pelo TMG de “Não se brinca com o amor” dos Artistas Unidos e numa altura em a Galeria de Arte tem patente uma exposição de Ângelo de Sousa, o TMG exibe na noite de sábado, dia 28 de Janeiro, o documentário “Ângelo de Sousa: tudo o que sou capaz”, da autoria de Jorge Silva Melo.

Um documentário sobre Ângelo de Sousa, pintor. «Uma conversa ininterrupta com um homem cordial, extrovertido, divertido, irreverente, bem disposto, generoso. Ou melancólico? Inquieto, Ângelo guia-me pela sua sempre declarada alegria, permanente conquista diária das formas simples», refere o realizador a propósito deste trabalho.

A sessão está marcada para o Pequeno Auditório, às 21h30 e a Entrada é livre.
Exposição na Galeria de Arte até 11 de Março
Ângelo de Sousa [1938- 2011]: Ainda as esculturas

O TMG tem patente Galeria de Arte a exposição “Ângelo de Sousa [1938 – 2011]: ainda as esculturas”.

Ângelo de Sousa nasceu em 1938 em Moçambique e faleceu no Porto, a 29 de Março de 2011, onde viveu e trabalhou desde 1955. Em 1963 terminou o curso de Pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde exerceu funções de docente entre 1963 e 2000. Em 1995 tornou-se o primeiro Professor Catedrático de Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

As suas experiências escultóricas datam dos anos 50, mas é em 1966, primeiro com as folhas de acrílico e finalmente com as chapas de aço, que as esculturas tomam as formas que hoje prontamente identificamos com o seu nome. Em 1967 Ângelo de Sousa foi bolseiro do British Council na St. Martin's School of Fine Art. Durante a sua estadia em Londres, matura o seu interesse pela escultura e começa a trabalhar com fotografia e filme. Forma o grupo Os Quatro Vintes, em 1968, com Armando Alves, Jorge Pinheiro e José Rodrigues, desfeito em 1972, altura em que lhe é atribuído o prémio Soquil. Desde essa altura, Ângelo de Sousa afirma-se como um dos artistas mais inovadores na cena nacional, expondo desenhos, esculturas, pintura, fotografia e filme. Em 1993, a sua obra foi objecto de uma exposição antológica na Fundação de Serralves onde, em 2001, expôs os seus trabalhos de fotografia e filme. Em 2000 foi-lhe atribuído o prémio EDP. A Fundação Gulbenkian e a Cordoaria Nacional acolheram uma grande mostra da sua escultura em 2006. Estas últimas exposições representaram uma oportunidade para o autor rever as esculturas que vinha a projectar desde os anos 60.

“Ângelo de Sousa [1938 – 2011]: Ainda as esculturas” ficará patente até 11 de Março e pode ser visitada de terça à sexta das 16h às 19h e das 21h00 às 23h, aos sábados das 15h às 19h e das 21h00 às 23h e aos domingos das 15h às 19h. A entrada é livre.

Esta exposição tem os apoios: Studio Ângelo de Sousa, Artistas Unidos e Galeria Quadrado Azul.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Para mais informações, contactar:

Gabinete de Comunicação e Imagem

Culturguarda E.M. / Teatro Municipal da Guarda

Rua Batalha Reis, 12, 6300-668, GUARDA, PORTUGAL



Tel. 00351 271 205 240 • Fax. 00351 271 205 248

gci@tmg.com.pt

www.tmg.com.pt
Catálogo: Images -> file
file -> Estado de mato grosso
file -> Teatro no Grande Auditório, dia 1 de Junho Companhia João Garcia Miguel traz “Romeu e Julieta” ao tmg
file -> No Pequeno Auditório, dia 15 de Julho Música electrónica e vídeo com Phill Niblock e Katherine Liberovskaya
file -> Música no Grande Auditório, dia 23 Março
file -> Espectáculo que comemora os 812 anos da Guarda, dias 26 e 27 de Novembro no tmg a guarda e o seu universo poético revisitados por guardenses em dia de aniversário!
file -> Música no Pequeno Auditório, dia 27 de Setembro Ensemble Vortex abre o ciclo Síntese no tmg
file -> Teatro de sombras na Sala de Ensaios, dia 26 de Maio Catabrisa no último dia do ovni
file -> Musical em Patins, dia 14, no Grande Auditório “Cinderela” no Famílias ao Teatro
file -> Dança no Grande Auditório, dia 26 de Outubro Companhia Nacional de Bailado apresenta coreografias de Anne Teresa De Keersmaeker
file -> No Pequeno Auditório, dia 13 de Julho


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal