Teoria Histórico-Cultural em foco: perspectivas (inter) nacionais



Baixar 54 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho54 Kb.
I CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE A TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL e 11ª JORNADA DO NÚCLEO DE ENSINO DE MARÍLIA
“Teoria Histórico-Cultural em foco: perspectivas (inter) nacionais”

07 a 10 de agosto de 2012



SUGESTÕES DIDÁTICAS DE ENSINO DE SOCIOLOGIA

Ângela Maria de Sousa Lima (autora)1

Professora Doutora da Universidade Estadual de Londrina, do Departamento de Ciências Sociais

Contato: angellamaria@uel.br

Angélica Lyra de Araujo (co-autora)2

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais – UNESP /FCLAR

Contato: lyradearaujo@hotmail.com

Eixo Temático 09: Ciências Sociais, Filosofia e Educação Escolar



Resumo: Após a obrigatoriedade da disciplina de Sociologia no Ensino Médio, novos desafios são postos aos professores que atuam com as juventudes nas escolas públicas nesta área do conhecimento. Dentre tantos, ressaltamos aqui as preocupações em torno da produção de materiais didáticos próprios e as condições ainda não favoráveis nas escolas para efetivá-los. Neste contexto, apresentamos, no presente artigo, os resultados finais de uma proposta de produção e de disseminação dos conhecimentos sociológicos para o Ensino Médio, desenvolvida durante três anos com um grupo de quarenta e um professores formados em Ciências Sociais na Universidade Estadual de Londrina e que deu origem a um livro intitulado “Sugestões Didáticas de Ensino de Sociologia”. Neste recorte, tratamos da gênese do projeto, da organização metodológica da proposta e de suas significativas interferências no processo de fortalecimento da licenciatura.

Palavras chave: Material didático. Ensino de Sociologia. Produção-Disseminação dos Conhecimentos.

TEACHING TIPS TEACHING SOCIOLOGY

Abstract: After the mandatory discipline of sociology in high school, new challenges are offered to teachers who work with youths in public schools in this area of knowledge. Among many, we emphasize here the concerns around the production of teaching materials themselves and the conditions in schools is not favorable to effect them. We present in this article, the end results of a tender for the production and dissemination of sociological knowledge to the school, developed over three years with a group of forty-one teachers trained in Social Sciences at the University of Londrina and which resulted in a book entitled "Suggestions for Teaching Teaching Sociology." In this survey we deal with the genesis of the project, the organization of the proposed methodology and its significant interference in the process of strengthening of licensure.

Keywords: Courseware. Teaching Sociology. Production of Knowledge Dissemination.

1. O Surgimento da Proposta

Muitos professores do Departamento de Ciências Sociais, desde a primeira metade da década de 1990, vêm desenvolvendo projetos de formação continuada, de pesquisa, de extensão e de ensino com professores de Sociologia do NRE/Lond. (Núcleo Regional de Educação de Londrina). A preocupação em assessorá-los metodologicamente no ensino da disciplina, auxiliá-los com materiais didáticos diversificados, conhecer suas práticas e ajudá-los a demonstrar a relevância da Sociologia nas escolas, foi sempre recorrente nos objetivos desses projetos. Por meio do LES (Laboratório de Ensino de Sociologia) e do GAES (Grupo de Apoio ao Ensino de Sociologia), foram concretizados muitos trabalhos nesta direção. Boa parte deles podemos encontrar sistematizados no livro “Sociologia no Ensino Médio: uma experiência” (2010), organizado pelo professor de Metodologia de Ensino de Sociologia e de Estágio Supervisionado: César Augusto de Carvalho.

Mas o livro “Sugestões didáticas de ensino de Sociologia” parece extrapolar um pouco estes nossos trabalhos iniciais, no que diz respeito à produção e à disseminação dos conhecimentos sociológicos pelos próprios professores do Ensino Médio. É a primeira vez que conseguimos reunir, com a parceria dos projetos do departamento de Ciências Sociais da UEL, um grupo tão grande de professores de Sociologia da rede estadual, de licenciandos e de egressos em torno de uma proposta coletiva de elaboração de material didático de ensino de Sociologia para o Ensino Médio.

Primeiramente há de se registrar que este livro3 se insere em meio à luta permanente e cotidiana pela consolidação da disciplina de Sociologia no Ensino Médio, após longo processo de intermitência nos currículos e de sua obrigatoriedade, com a lei nº 11.684, de 02 de junho de 2008. A obra é um dos resultados dessa luta e foi criada, sobretudo, pelos professores que no dia a dia da escola (em alguns casos, do estágio) estão repensando formas de ensinar essa ciência, produzindo seus próprios materiais didáticos, redefinindo suas práticas de ensino, na busca persistente pela ressignificação social, política e cultural dos conhecimentos e do espaço escolar para os estudantes de hoje.

A proposta inicial surgiu com a professora Silvia Longuin Conceição Motta, em novembro de 2009, em um diálogo no Colégio Estadual Professor Francisco Villanueva, em Rolândia, por ocasião de uma atividade de formação continuada de professores da Educação Básica, desenvolvida na instituição, em parceria com os Projetos de Extensão, do Departamento de Ciências Sociais da UEL: LENPES (Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de Sociologia), GEEMAS (Grupo de Estudos e de Extensão de Materiais Didáticos de Sociologia) e o Projeto “Semanas de Sociologia nas Escolas da Rede Pública”.

A proposta foi se materializando a partir de muitos encontros que ocorreram, desde fevereiro de 2010, aos sábados de manhã, na UEL (Universidade Estadual de Londrina) e/ou nas dependências das escolas estaduais do NRE/Londrina (Núcleo Regional de Educação de Londrina). Começamos as reuniões com uma equipe de aproximadamente dez professores das escolas estaduais. Nessas reuniões, estipulávamos prazos para a entrega de cada versão dos textos, discutíamos juntos os objetivos, a organização, o formato dos capítulos, a linguagem a ser utilizada, o roteiro e todos os demais detalhamentos necessários. Foi um trabalho bastante coletivo! Alguns professores da equipe inicial, em razão do excesso de trabalho, não conseguiram entregar seus textos ao longo destes anos.

As sugestões para o título da obra e para sua organização nasceram desde o momento, mas a cada encontro íamos afinando as propostas, convidando e agregando novos autores/parceiros. Pela Equipe de Ensino do NRE/Londrina, a professora Jaqueline Ferreira encaminhou aos diretores e equipe pedagógica das escolas, em onze de maio de dois mil e dez, o Memorando/Circular nº 133/2010, convidando professores de Sociologia para aderirem ao projeto.

Em onze de abril de dois mil e onze, outro Memorando/Circular nº 114/2011 reforçava o convite junto aos professores de Sociologia da rede estadual, solicitando artigos e relatos de experiências de aulas já ministradas. A pretensão inicial, sendo a que prevaleceu, era criar um livro de sugestões didáticas, que pudesse dar mais subsídios epistemológicos e propiciar alternativas de metodologias aos professores de Sociologia que atuam na Educação Básica, bem como tornar  público a criação e a recriação de propostas de ensino e de diversificados materiais didáticos, que uma vez testados em sala de aula, servissem como apoio pedagógico para quem ministra a disciplina.

No final de 2011 convidamos egressos licenciados em Ciências Sociais para contribuírem com relatos de regências ministradas nas escolas estaduais do NRE/Londrina, a partir de seus planos de aula, produzidos durante na graduação, dentro das disciplinas de Metodologia de Ensino de Sociologia e de Estágio Supervisionado. Hoje quase todos atuam como professores de Sociologia na rede estadual de ensino do Paraná e de São Paulo.

Nesse processo, conseguimos reunir quarenta e um professores para a construção da obra, todos graduados em Ciências Sociais4. Caracterizando o grupo de autores hoje, podemos afirmar que o livro foi escrito por teríamos licenciandos, professores concursados ou temporários atuando no ensino médio no Estado do Paraná e no Estado de São Paulo, alguns mestrandos e dois professores de Sociologia do departamento de Ciências Sociais.

Essa produção social de conhecimentos sociológicos, metodológicos e pedagógicos foi possível porque se acreditou em um projeto coletivo, mesmo sem saber se haveria recursos financeiros para concretizá-lo. Não conseguimos recursos financeiros em editais por meio dos projetos, por isso os professores concordaram em responsabilizarem-se por publicá-la por conta própria. Abrimos uma conta comum e todos os professores depositaram uma quantia para materializar a obra, que conterá mais de quatrocentos e cinquenta páginas. O livro tem lançamento marcado para dia 06 de agosto de 2012, na Sala de Eventos, durante a “XXIII Semana de Ciências Sociais Prof. João Valentin Wawzyniak” e “Seminário Integrado de Pesquisas em Ciências Sociais”, que ocorrerá de 06 a 11 de agosto de 2012.

2. Conteúdos e Organização Metodológica

Como salienta Silva (2008),5

[...] Estamos numa fase em que temos que estruturar essa dimensão da nossa ciência, a dimensão didática, pedagógica e de reprodução dos conhecimentos científicos nos níveis mais básicos da formação humana nas escolas. (SILVA, 2008, p. 03).
Então, incentivar a produção de materiais didáticos de Sociologia pelos próprios professores do Ensino Médio é um dos nossos grandes desafios. Há muitos conteúdos que ainda estão poucos contemplados nos livros didáticos públicos do Paraná. Reside aí mais um fato importante para constituirmos um livro de sugestões didáticas com a variedade de temáticas com que foi construído6.

Por outro lado, mesmo considerando sua relevância, o objetivo não era abarcar todos os conteúdos estruturantes propostos pelas Diretrizes Estaduais de Ensino de Sociologia do Estado do Paraná, pois os professores tiveram a liberdade de escolher conteúdos com os quais estavam trabalhando e/ou pesquisando, sobretudo, temas que haviam sido contemplados nas práticas diferenciadas de ensino em sala de aula e que gostariam de partilhar por meio do livro.


[...] conteúdos estruturantes [são] capazes de estender cobertura explicativa a uma gama de fenômenos sociais inter-relacionados. Conteúdos estruturantes são, portanto, instâncias conceituais que remetem à reconstrução da realidade e às suas implicações lógicas. São estruturantes os conteúdos que identificam grandes campos de estudos, onde as categorias conceituais básicas da Sociologia, – ação social, relação social, estrutura social e outras elegidas como unidades de análise pelos teóricos – fundamentam a explicação científica. Na afirmação de Marx (1977), as categorias simples são síntese de múltiplas determinações (PARANÁ, 2008, p.39).
Portanto, os conteúdos escolhidos são pautados pelo seu caráter científico e pedagógico, em estreita ligação com as práticas de ensino vivenciadas e refletidas pelos professores de Sociologia em exercício. Logo, o livro forma um conjunto orgânico que apresenta diferentes escolhas metodológicas, registro de ações singulares, peculiaridades na maneira de ver e de conceber a didática necessária à apreensão dos diferentes conteúdos sociológicos pelos estudantes do Ensino Médio, demarcando preocupações e comprometimentos comuns em assegurar a melhoria da qualidade do Ensino Médio público e uma política de formação científica e profissional dos professores, que dê maior visibilidade às suas produções e os auxilie no planejamento das aulas.

Sendo assim, o livro sistematiza os conhecimentos produzidos pelos professores e trabalhados na formação dos estudantes do Ensino Médio, mostrando maneiras diversificadas e criativas de sua apreensão em sala de aula.

A obra não pode ser tomada como proposta de organização sequencial no planejamento dos conteúdos da disciplina de Sociologia no Ensino Médio. São antes de tudo, textos de apoio, de sugestões didáticas, indicações metodológicas de práticas e reflexões que podem servir como alternativa para assessorar, aprimorar e diversificar ainda mais o trabalho dos professores. Nesta abordagem, com linguagem objetiva, pretensiosamente clara e didática, os textos almejam ser complementos metodológicos úteis para enriquecer os planos de ensino dos professores, ampliando o leque de tomada de decisões e alternativas pedagógicas diante dos conteúdos propostos, de modo a provocar, por diferentes caminhos, a pretensa imaginação sociológica entre os estudantes. Afinal, como pontua Silva,
[...] O oficio de professor é parecido com o ofício do artesão que aprende os conhecimentos com os mestres de ofício, mas vai criando suas técnicas ao longo de sua vida. A base do oficio é o saber, são os saberes elaborados historicamente sobre a arte, e nosso caso, sobre a ciência. As técnicas nascem das necessidades contemporâneas e do saber acumulado e apropriado pelo artesão e pelo professor. [...] Temos que nos concentrar em duas dimensões da nossa tarefa: o saber acumulado da sociologia e as necessidades contemporâneas da juventude, da escola, do ensino médio e dos fenômenos sociais mais amplos. Do saber acumulado, definimos princípios lógicos do raciocínio e da imaginação sociológica. Das necessidades contemporâneas, definimos modos de ensinar, técnicas de criação de vínculos da sociologia com os alunos (2008, p. 05).

A primeira parte da obra é constituída, em sua grande maioria, por textos gerados a partir de aulas ministradas no Ensino Médio, com sugestões de atividades e de metodologias, mas também de artigos e textos didáticos que, mesmo não sendo resultados de aulas já realizadas, tem por intenção aprofundar conteúdos que podem ser desenvolvidos com estudantes do Ensino Médio.

Métodos e técnicas de pesquisas sociológicas aplicadas ao ensino médio - Gonçalo José Machado Júnior; Famílias possíveis: experiência didática no ensino de Sociologia - Adriana Andrela Camponez; Nossa memória, nossa história: resgate histórico da Comunidade Escolar Cléia Godoy Fabrini Da Silva - Odete A. Alves Araujo; Partidos políticos e estado moderno - Jaqueline Ferreira; Juventude e política no Brasil - Angélica Lyra de Araújo; Movimentos sociais e direitos humanos - Vani Espirito Santo; Movimentos sociais: educar e transformar - Maria Luisa Marigo; Discriminação étnica: grilhões culturais - Silvia Conceição Longuin Motta;

Na sequencia demonstramos outros títulos e os respectivos autores da primeira parte do livro7,

Os sentidos do trabalho em diferentes sociedades: sugestões didáticas - Nilda Rodrigues de Souza; Taylorismo, fordismo e toyotismo: processos de trabalho no capitalismo - Luiz Lauro Bilek; Indivíduo e sociedade em Durkheim, Weber e Marx - Tiaraju Dal Pozzo Pez; Experiência didática em Sociologia: a moral em Émile Durkheim - Franciele Sussai Luz; Ética na política: algumas notas com base nos clássicos da Sociologia - Elsio Lenardão; O alcance e os limites da hipótese do caráter patrimonialista do estado brasileiro: crítica à ideia de estamento estatal - Elsio Lenardão; Teoria social brasileira - Luana da Silva Garcia

A segunda parte é composta de resultados e reflexões de experiências de professores do Ensino Médio e suas metodologias, organizados de acordo com o seguinte roteiro: tema, objetivo, recursos utilizados, avaliação, resultados, referências, INTITULADO “sugestões didáticas a partir de aulas ministradas no Ensino Médio”;

Estimulando o olhar sociológico: a desmecanização do olhar para o estranhamento da realidade - André Furtado Lima e Érica Martins; Instituição escolar: perspectivas e utopias - Alexandre Jeronimo Correia Lima; Apontamentos sobre educação e instituição escolar em Emile Durkheim e Pierre Bourdieu - Daniel Vitor Vicente; A escola como espaço de vivências e a construção de uma identidade patrimonial - Paulo Henrique Heitor Polon; Sociologia: debatendo NEE (Necessidades Educacionais Especiais) - Aline Cristian Guimarães Azevedo; introdução à Sociologia compreensiva de Max Weber (1864-1920) - Débora Angélica dos Santos Oliveira; os tipos ideais de ações sociais definidos por Max Weber - Franco Gimenez Menicucci; Trabalho e informalidade - Acleilton Lucio Ganzert Filho e Tiago André Maricato Basci; Trabalho e trabalho alienado no pensamento marxista - Murillo A. de Souza Van Der Laan; Oficina: “linha de montagem” - Cesar Luchiari Baraldi Junior;

No entanto, mesmo diante da riqueza do universo de conteúdos abordados, ressalto que muitos professores poderão perceber lacunas temáticas na obra, sentindo falta de alguns conteúdos, imagens e de outras propostas de intervenções didáticas. Estas “brechas” abrem novos desafios, inclusive ao grupo que se dispôs a concretizar este projeto. Encaro como indagações frutíferas para aglutinar novas produções e propostas de continuidade.

São também conteúdos desenvolvidos na segunda parte da obra;

Globalização, regionalização e neoliberalismo – Aline Cristiane Piva; A indústria cultural: desnaturalizando os conteúdos transmitidos pelos meios de comunicação de massa - Adriana Cristina Borges; O processo performático da televisão na sala de aula: propostas para uma aprendizagem significativa sobre a indústria cultural - Fernando Augusto Violin; Mídia e juventude - Isis Caroline Nagami; Desmistificação do Candomblé - Douglas Alexandre Boschini e Jamile Carla Baptista; Cultura Kaingang - Andressa Satiko Zukeran; Sexualidade: do senso comum ao conhecimento histórico cultural - Vânia de Lourdes Barroso Gazzoni; A Era Vargas - Suzana da Silva Ferreira; Era Vargas: o recrutamento dos “Soldados da Borracha” - Tathiane Vanessa Machado; Introdução aos direitos humanos - Talita Soares Leite; Cidadania e partidos políticos - Mariana de Oliveira Lopes; Movimentos sociais - Aline Graziele Rodrigues de Sales Borges - Wesley Sanches Moreira; Movimento estudantil - Jaqueline Fabeni dos Santos; A questão agrária em sala de aula: o debate da reforma agrária, o agronegócio, a agricultura camponesa e os novos sujeitos sociais no campo - Rogério Nunes da Silva; Relações de poder: política no cotidiano e participação da juventude - Camila Torres de Souza; A formação do estado moderno: as contribuições de Nicolau Maquiavel E Thomas Hobbes - Natália Milan; Sociologia para quê? E para quem? Apontamentos sobre a Sociologia no Ensino Médio à luz da teoria da Sociologia Pública - Marcelo Duarte Bezerra de Menezes;

A maioria das aulas registradas na segunda parte do livro, sobretudo dos autores licenciados e licenciados egressos de 2007 a 2011, foi planejada e ministrada de acordo com os aportes didáticos da Pedagogia Histórico crítica, sugerida por Gasparin (2005) no livro “Uma didática para a Pedagogia Histórico crítica”, mas depois adaptada ao roteiro proposto pelos autores/organizadores do livro.

3. Breve reflexão sobre os condicionantes estruturais que interferem na produção/disseminação dos conhecimentos produzidos pelos professores

Considero que o livro tem um significado único, coletivo, pioneiro e muito significativo para pensar o ensino de Sociologia hoje e seus desafios. Ele evidencia a intelectualidade, a criatividade e o empenho de cada um dos professores em meio a um contexto que ainda pouco favorece a sistematização e a disseminação da produção dos seus conhecimentos.

O fato de termos demorado três anos para concluí-lo e a necessidade de escrevê-lo nas férias, nos feriados e nos finais de semana, explicita os condicionantes estruturais e desiguais que ainda marcam nosso sistema de ensino. Isso evidencia como as condições de trabalho influenciam na produção/disseminação dos saberes produzidos cotidianamente pelos professores nas escolas. Por isso, essa publicação é mais um passo nessa luta por mudanças socioeducacionais urgentes. É importante registrar, então, que um projeto desta envergadura não teria sido possível sem o esforço coletivo dos professores que aderiram à causa e com recursos financeiros próprios persistiram ao longo destes anos para concretizá-la.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: a construção coletiva do livro colabora com o processo de consolidação da licenciatura e da disciplina de Sociologia no Ensino Médio

O conjunto da obra registra a busca coletiva e permanente pela valorização, fortalecimento e consolidação da disciplina de Sociologia no Ensino Médio, ampliando os diálogos e as parcerias entre a universidade e a escola pública, o que reflete diretamente no redimensionamento do estágio, da licenciatura em Ciências Sociais, dos projetos de ensino/pesquisa/extensão, aliados na formação da identidade do professor pesquisador.

Para Ileizi Luciana Fiorelli Silva8, a inclusão da Sociologia no Ensino Médio, após 1996, tem provocado um movimento intenso de reflexão sobre os conteúdos, as pesquisas, as teorias e as práticas dos processos de ensinar e de estudar a realidade social, em suas múltiplas dimensões e contextos. As principais características desse movimento revelam-se na forma coletiva e plural dos empreendimentos em torno da formação de professores/as, das estratégias de inserção dos/as cientistas sociais nas escolas e da produção de textos e materiais voltados para os/as estudantes da Educação Básica, especialmente do Ensino Médio. Observa-se um esforço nacional para registrar e analisar as experiências de ensino de Sociologia nas escolas.

No parecer da mesma autora (2012), pode-se afirmar que já temos algumas tendências que são recorrentes em todo o país. Há, claramente, um processo de institucionalização de nossa ciência nas escolas. Neste livro, materializa-se a forma coletiva e plural de dedicação às inovações, invenções e disseminação das tradições teóricas da Sociologia, tendo como centro irradiador a escola. A solidariedade estabelecida entre os agentes da Universidade Estadual de Londrina e das Escolas promoveu a junção de inúmeras experiências de aulas de Sociologia, praticadas ao longo de mais de cinco anos de trabalho. Os capítulos do livro são relatos, reflexões e sugestões didáticas para as aulas de Sociologia, que funcionam como portais para outras tantas ideias e práticas educativas. São mais de quarenta textos partilhados, generosamente, com a comunidade que se dedica ao ensino, adensando nosso fundo social de conhecimento sociológico, captado no diálogo com os jovens estudantes do Paraná. As questões levantadas por Ileizi Silva, em um texto anterior, nos leva a pensar esses desafios;

[...] no debate coletivo, com nossos pares, professores do ensino médio e do ensino superior, poderemos, pouco a pouco, ir percebendo que é possível definir princípios partindo da ciência de referência, tendo como parâmetro nossas experiências de ensino. O que já conseguimos ensinar? Como ensinamos determinados conteúdos? Quais técnicas de ensino criamos? Como os alunos conseguiram aprender? Como medimos essa aprendizagem? (2008, p. 20).
Como demonstra Angélica Lyra de Araújo, no texto da contra capa, este livro é de uma singularidade ímpar! Seus autores são profissionais da educação, que ressignificando a relação teoria/prática, numa linguagem acessível e didática, concretizam uma experiência pioneira de elaboração de textos, propiciando uma reflexão diferenciada sobre os temas sociológicos trabalhados na Educação Básica. Com uma composição riquíssima, de textos didáticos, artigos, relatos e planos de aula, objetiva promover o fomento de diferentes metodologias e constituir novos materiais de apoio ao ensino de Sociologia no Ensino Médio.

Segundo a referida autora e também organizadora da proposta, pretendemos que essa obra seja fonte de consulta, uma contribuição pedagógica e referência na troca de experiências entre os professores. Almejamos também que esse trabalho coletivo possa incentivar novas produções científicas, potencializando a disseminação das reflexões e a valorização do registro das práticas de ensino dos professores de Sociologia.



Referências

CARVALHO César Augusto de. Sociologia no Ensino Médio: uma experiência. Londrina: EDUEL: 2010. ISBN: 978-85-7216-555-6

GASPARIN, João Luiz. Uma Didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. 3.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

LIMA, Angela Maria de Sousa; ARAÚJO, Angélica Lyra de; FERREIRA, Jaqueline; MOTTA, Silvia L. Conceição. Sugestões didáticas de Ensino de Sociologia. Londrina. Mediograf. (no prelo)

MORAES, Amaury César; GUIMARAES, Elisabeth Fonseca; TOMAZI, Nelson Dácio. Sociologia. In MEC.SEB. Depto de Políticas do Ensino Médio. Orientações Curriculares do Ensino Médio. Brasília-DF, 2004.p.343-372. (400pp).

PARANÁ. SEED. Diretrizes Curriculares de Sociologia para o Ensino Médio.Curitiba: SEED-PR, 2008. Doc.PDF enviado por e-mail.


PASSERON, Jean-Claude. O Raciocínio Sociológico: o espaço não-popperiano do raciocínio natural. Tradução de Beatriz Sidou. Petrópolis: Vozes, 1995. 485pp.

Relatório de Encerramento do “Laboratório de ensino, extensão e pesquisa de sociologia (LENPES): fase II - formação de professores, integração entre universidade/escola e criação de novas metodologias de ensino e pesquisa educacional (ações em Ortigueira, Londrina e Rolândia/2010 - 2012)/SETI. Centro de Letras e Ciências Humanas. Departamento de Ciências Sociais. Londrina: PROEX/UEL, 2012.

Relatório de Encerramento do Projeto “Laboratório de Ensino, Extensão e Pesquisa de Sociologia (LENPES): consolidação da formação de professores e da integração entre universidade e escola pela superação das desigualdades sócio-educacionais no Estado do Paraná (ações em Ortigueira/ 2007-2008)”. Centro de Letras e Ciências Humanas. Departamento de Ciências Sociais. Londrina: PROEX/UEL, 2009.

Relatório de Encerramento do Projeto “Semanas de Sociologia nas escolas da Rede Pública”. Período do Relatório: 07/01/2009 a 31/12/2011. Centro de Letras e Ciências Humanas. Departamento de Ciências Sociais. Londrina: PROEX/UEL, 2012.



SILVA, Ileizi Luciana Fiorelli; LIMA, Angela Maria de Sousa; NUNES, Nataly; LIMA, Alexandre Jerônimo Correia. Caderno de Metodologia de ensino e de pesquisa de Sociologia. LENPES (Laboratório de ensino, pesquisa e extensão de Sociologia) SETI-PR, 2009. ISBN 978-85-7846-056-3.

1 Professora de Metodologia de Ensino de Sociologia e Estágio Supervisionado do Departamento de Ciências Sociais da UEL; Coordenadora do LENPES (Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de Sociologia).

2  Professora de Sociologia; Colaboradora do LENPES (Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão de Sociologia) e do projeto de pesquisa “Por uma Sociologia das novas e velhas formas de evasão escolar; Bolsista do CNPq.

3 São também organizadoras da obra: Silvia Conceição Longuin Motta: Professora de Sociologia do Colégio Estadual Professor Francisco Villanueva de Rolândia; coordenadora do setor de Promoção Etnicorracial da Prefeitura Municipal de Educação de Rolândia; especialista em Ensino de Sociologia pela UEL/Londrina. Jaqueline Ferreira: Professora de Sociologia do ICES (Instituto Catuaí de Ensino Superior); representante da disciplina de Sociologia na Equipe de Ensino do NRE/Londrina; mestre em Sociologia pela UNESP/Marília.

4 Quando nos referimos ao grupo de autores neste texto, licenciandos ou licenciados, estamos entendendo todos como professores e assim o denominaremos de forma geral.

5 Questões debatidas pela autora no I ENSOC – I Encontro Estadual de Ensino de Sociologia – RJ; ensino de Sociologia: conteúdos, metodologias e práticas pedagógicas para a formação dos jovens no Ensino Médio. Mesa: fundamentos e metodologias do Ensino Médio de Sociologia na Educação Básica. 20 de setembro de 2008.

6 Não podemos deixar de enfatizar que o programa de livros didáticos públicos no estado do Paraná (de doze diferentes disciplinas), elaborados por professores da rede estadual de ensino e distribuídos gratuitamente aos alunos, com conteúdo contextualizado à realidade do estudante, foi um passo relevante para o processo de consolidação da disciplina de Sociologia dentro deste contexto.

7 Fazemos questão de divulgar os respectivos autores de capítulos, pois está é a primeira vez que estamos apresentando a obra toda em um congresso fora da universidade.

8 Texto da orelha do livro “Sugestões didáticas de Ensino de Sociologia” (2012) no prelo.

Catálogo: upload -> trabalhos
upload -> Imposto de renda
upload -> Carência lei nº 213/91, artigo 24 10 conceito
upload -> Jat soluçÕes contábeis – Fale conosco
trabalhos -> O presente trabalho é parte integrante da dissertação de mestrado da autora
trabalhos -> Nascimento, P. H. C
trabalhos -> Makarenko: a proposal for the comunist male education
trabalhos -> ANÁlise ideológica da cosificaçÃo da transgressora e de sua subordinaçÃo dentro do crime
trabalhos -> Objetivo: Avaliar a relação entre a duração do qrs na derivação V2 (qrsdV2) com variáveis clínicas e eletrofisiológicas de risco. Métodos
trabalhos -> As desigualdades de gênero: análise das configuraçÕes familiares contemporâneas no brasil
trabalhos -> Ii congresso Nacional de Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas II conape


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal