Teoria skinneriana 1 dados sobre o autor



Baixar 26.92 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho26.92 Kb.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA – CENTRO DE EDUCAÇÃO


DISCIPLINA – PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO II


TEORIA SKINNERIANA

1 - DADOS SOBRE O AUTOR


- O norte-americano Burrhus Frederic Skinner nasceu em 1904, em Susquehanna, Pensilvânia e faleceu em 1990. É considerado por muitos o mais expressivo psicólogo americano.

- Graduou-se em inglês e desejava tornar-se escritor, mas após dois anos de formado, frustrado com sua incapacidade literária, declarou que “não tinha nada importante a dizer”.

- Estava tão desesperado e com a auto-estima tão abalada que chegou a pensar em procurar ajuda psiquiátrica. Mas, após a ler obras de Watson e Pavlov, decidiu transferir seu interesse literário pelas pessoas para um interesse mais científico.

- Em 1931 pós-graduou-se em Psicologia, em Harvard, abordando pela primeira vez a posição que iria nortear toda sua carreira: que um reflexo nada mais é do que a correlação entre um estímulo e uma resposta.

- O sistema de psicologia de Skinner é sob muitos aspectos um reflexo das suas primeiras experiências de vida.

- Skinner considerava a vida um produto de reforços passados e afirmava que a sua própria vida fora era predeterminada, organizada e ordeira quando o seu sistema ditava que todas as vidas humanas fossem.

- Skinner manteve-se produtivo até a sua morte, aos oitenta e seis anos. Suas principais obras foram: “Sobre o behaviorismo”, “O mito da liberdade”, “Walden II” (1948), “Ciência e comportamento humano” (1953) e “Contingências de reforço - uma análise teórica”.


  • Para compreendermos melhor a teoria skinneriana, precisamos primeiro analisar os principais pressupostos da teoria behaviorista.

2- TEORIA BEHAVIORISTA


- Os princípios de aprendizagem em que se apóia a teoria behaviorista, foram desenvolvidos tendo em vista quatro regras básicas da construção do conhecimento: empirismo, determinismo, parcimônia e manipulação científica. (Witter, 1984)

- EMPIRISMO - tem por base fatos realmente observados, para sustentar as explicações da natureza. Enfatiza que a fonte de todo conhecimento é a experiência sensorial. A base do empirismo é a observação.

- DETERMINISMO - estabelece que qualquer evento é resultado de um grupo de determinadas condições e variáveis.

- PARCIMÔNIA - diante de duas explicações igualmente sustentadas em dados e plausíveis para um mesmo fato, deve-se dar preferência a mais simples delas.

-MANIPULAÇÃO CIENTÍFICA - as conclusões devem ser decorrentes de experimentos em que a aplicação sistemática e freqüente de certos procedimentos demonstre a validade das mesmas.

- Baseados em dados e considerando estas regras gerais, foram estabelecidos pressupostos básicos para a descrição, explicação e previsão do comportamento.

- Os behavioristas defendiam que quase todos os comportamentos característicos do ser humano eram aprendidos. Desta forma, como veremos, a aprendizagem torna-se a área de maior interesse para os behavioristas.

- Os behavioristas atribuem um imenso poder ao ambiente no desenvolvimento humano, considerando o homem como um ser que desenvolve suas características em função das condições presentes no meio em que está inserido. Partem do princípio de que manipulando os elementos presentes no ambiente (estímulos) pode-se controlar o comportamento. O homem é, portanto, produto do meio.

- Para os comportamentalistas, a ciência consiste numa tentativa de descobrir a ordem na natureza e nos eventos. Os seguidores desta teoria procuram demonstrar que certos acontecimentos estão relacionados, que o meio pode ser manipulado e o comportamento modificado se alterados os elementos ambientais.

- Watson, considerado pai do behaviorismo, foi o primeiro a utilizar o termo behaviorismo, defendendo que o objeto da psicologia era o comportamento, definido como: um OBJETO OBSERVÁVEL, MENSURÁVEL, que podia ser REPRODUZIDO em diferentes condições e em diferentes sujeitos.

- A partir desta perspectiva watsoniana, o homem começa a ser estudado como produto do processo de aprendizagem pelo qual passa desde a infância, ou seja, como produto de associações estabelecidas durante a vida, entre estímulos (do meio) e respostas (manifestações comportamentais).

- O mais importante behaviorista, após Watson, foi Skinner. Vai além dos estudos de Watson e Pavlov, preocupado em condicionar condicionamentos operantes. A partir de suas experiências elabora uma teoria que repercutiu amplamente no meio educacional.

3 - TEORIA DO CONDICIONAMENTO OPERANTE

- O comportamentalismo skinneriano, também conhecido como ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO, influenciou e ainda influencia muitos psicólogos e educadores do mundo todo.

- Skinner vê o mundo como algo já construído, para ele a realidade é um fenômeno objetivo e o meio pode ser manipulado. Pode-se mudar o comportamento alterando-se os elementos (estímulos) ambientais.

- O papel do indivíduo nesta sociedade é um ser passivo e respondente ao que dele é esperado. É uma peça numa máquina planejada e controlada, realizando a função que ele realize de maneira eficiente.

- A base de todo conhecimento na teoria behaviorista é a experiência planejada.

- A preocupação de Skinner em seus estudos sempre foi com o controle dos comportamentos observáveis, os chamados “estados internos” não são considerados relevantes em uma análise funcional.

- Toda teoria de Skinner tem por objetivo uma modificação social, uma sociedade ideal regida pelas leis da engenharia comportamental.

- Na obra Walden II (1948) o autor deixa bem claro o que ele pretende como sociedade: o homem pode obter uma vida melhor se as tradições sociais forem substituídas por um planejamento amplo que busque o bem-estar de todos, e que utilize, para isso, a teoria do reforço.

- A principal contribuição de Skinner, profundamente difundida e aplicada na educação, é, sem dúvida, sua idéia de comportamento operante.

- COMPORTAMENTO OPERANTE - são todas as coisas que fazemos e que têm um efeito sobre o ambiente ou operam sobre ele. Não são automáticos e não se relacionam com estímulos conhecidos. Ex.: caminhar, andar de bicicleta, ler, estudar, etc.

- Provocam respostas operantes definidas por Mosquera (1985, p. 21) como “um tipo de respostas que surge espontaneamente na ausência de qualquer estimulação com a qual possa ser especificamente correlacionada.”

- No modelo operante a resposta é a condição do reforço: o organismo deve atuar sobre o ambiente para obtê-lo.

- A preocupação central das pesquisas e da teoria de Skinner era o condicionamento de comportamentos operantes. A partir de suas experiências com ratos albinos na chamada “caixa de Skinner”, o psicólogo conseguiu condicionar o comportamento dos ratos. A partir disto, estabeleceu as bases de sua teoria, acreditando que os princípios do condicionamento operante poderia ser aplicado em qualquer pessoa.

- De acordo com o condicionamento operante, manipulando os elementos presentes no ambiente (os estímulos) pode-se controlar o comportamento:

- fazer com que aumente o diminua a freqüência com que ele aparece;

- extingui-lo;

- fazer com que apareça em situações adequadas.

Este processo é chamado de condicionamento.

No condicionamento operante o comportamento é controlado por suas conseqüências, pelos estímulos que se segue às respostas.

REFORÇO - é o fator que torna provável o aumento de freqüência de uma resposta. Pode ser positivo ou negativo.

- Reforço positivo - é um estímulo apresentado que atua no sentido de fortalecer o comportamento que a ele se segue. É o acréscimo de alguma coisa à situação. Por exemplo, chamar o aluno que levantou a mão, salário no final do mês.

- Um dos reforços positivos mais poderosos, que é tradicionalmente usado para manter o controle, é a afeição ou aprovação do professor. A maioria dos alunos preocupa-se com a maneira como o professor os vê, se reprova ou aprova seu comportamento.



- Reforço negativo - é aquele cuja supressão de estímulos reforça o comportamento; é a remoção de alguma coisa da situação. Por exemplo, não andar de bicicleta enquanto as notas de matemática não melhorarem. Não ganhar comissão enquanto não atingir uma determinada cota de vendas.

- TIPOS DE REFORÇO - um reforço pode ser contínuo ou intermitente.

- Ele é contínuo quando reforçamos um comportamento toda vez que ele ocorre. Este tipo de reforço provoca, geralmente, comportamentos pouco resistentes a extinção.

- O reforço é intermitente quando um comportamento é reforçado de forma descontínua. Este tipo de reforço provoca um comportamento mais estável e resistente à extinção.

- EXTINÇÃO - É a negação do reforço com o propósito de eliminar ou enfraquecer um comportamento. Para que isto aconteça, é necessário retirar do ambiente as conseqüências que mantém o comportamento.

Ex.: A criança que tem ataques para conseguir comida e atenção. Quando os pais atendem, estão reforçando o comportamento. Se os pais não a atenderem, pouco a pouco este comportamento será extinto, porque não haverá mais reforço.



4 - A teoria behaviorista no processo educacional

- A influência da teoria comportamentalista foi e ainda é muito grande dentro do universo educacional. Durante muito tempo, o conceito de aprendizagem adotados por livros e manuais de psicologia da educação, utilizavam a definição comportamentalista da mesma: aprendizagem é mudança de comportamento.

- Esta teoria deu suporte, durante muito tempo, à escola americana e depois, durante a ditadura militar, foi importada para nosso país. A tendência conhecida como tecnicismo pedagógico, extremamente difundida no final da década de 60 e durante a década de 70 no Brasil, propunha justamente uma educação baseada na emissão de respostas, no reforço e na superficialidade. Não havia interesse algum no questionamento de conceitos e normas aprendidas na escola, era necessário que cada emitisse a resposta correta.

- Vamos analisar agora, alguns pressupostos desta tendência, também chamada de TECNOLOGIA DO ENSINO.



- EDUCAÇÃO - Nesta perspectiva, a educação deverá transmitir conhecimentos, comportamentos éticos, práticas sociais, habilidades consideradas básicas para manipulação e controle do mundo/ambiente. A educação tem um poder controlador.

- ENSINO - arranjo e planejamento de contingências de reforço sob as quais os estudantes aprendem.

- CONTEÚDO - visa objetivos e habilidades que levem à competência .

- Este ensino baseado na competência é caracterizado por:

- especificação de objetivos em termos comportamentais;

- especificação dos meios de avaliação;

- fornecimento de uma ou mais formas de ensino pertinentes aos objetivos;

- conhecimento público dos objetivos, critérios, formas de atingi-los e avaliação.



- ALUNO - passivo, à mercê das contingências do ambiente e dos agentes controladores

- PROFESSOR - planejador e analista de contingências. Sua função é arranjar contingências de reforço, possibilitando o aumento da probabilidade de ocorrência de uma resposta.

- Para Skinner, o que faltava nas salas de aula era o reforço positivo. Segundo MILHOLLAN e FORISHA (1978), Skinner acreditava que os estudantes não aprendiam apenas porque alguma coisa lhes era mostrada, mas que agiam e aprendiam em função das conseqüências de seus atos. Para ele, a principal tarefa da escola era a de colocar o comportamento sob numerosas espécies de estímulos.



- METODOLOGIA - individualização do ensino - máquinas de ensinar, instrução programada

- apresentação de contingências de reforço de forma controlada

- De uma certa forma, se fizermos uma análise no cotidiano da escola hoje, percebemos sinais bem claros da herança comportamentalista: o sistema de avaliação, os planos de curso, de ensino, de aula, o sistema de promoção de um ano a outro... É evidente que também se nota um movimento de superação desta tendência, mas ela foi de tal forma marcante e determinante que o ensino se organizou em função dela e, dificilmente, se modificará totalmente pois sua influência foi muito marcante.

- Um grande destaque foi dado às máquinas de ensinar e à instrução programada, técnicas propostas por Skinner, que tinham por objetivo, estabelecer reforços que mantivessem as resposta dos alunos de uma forma padrão, sem com isso desrespeitar o ritmo de cada um. Estas técnicas proporcionavam ao professor a supervisão de toda classe ao mesmo tempo.



- AVALIAÇÃO - parte integrante das condições necessárias para a ocorrência da aprendizagem - ex.: respostas na caixa de skinner. Reforço (tudo pela nota).

- preocupada com aspectos mensuráveis e observáveis

- Em uma análise funcional, comportamentalista, a noção de controle está implícita. Os controles mais eficazes da conduta são exercidos através de instâncias especificamente definidas, tais como governo, religião, economia, educação, grupo social. Antes destes controles se estabelecerem, o próprio indivíduo exercer um controle sobre seu próprio comportamento. Cada um desses controles desencadeia um reforço, seja ele positivo ou negativo.

- Não se pode negar a influência da teoria comportamentalista nem na educação, nem em nossas próprias vidas. A sociedade em que vivemos constantemente mantém o controle social por meio de reforços positivos e negativos, de punição e recompensas.

- Desta forma a escola aparece como agência controladora à medida que


“A escola atende, portanto, aos objetivos de caráter social, à medida em que atende aos objetivos daqueles que lhe conferem o poder.” (Mizukami, 1986, p. 29)




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal