Teste de conhecimentos da doutrina racionalista cristã



Baixar 0.75 Mb.
Página1/7
Encontro02.08.2016
Tamanho0.75 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7
Teste de conhecimentos da doutrina racionalista cristã

Este texto contém perguntas (em itálico) formuladas com o objetivo de convidar e incentivar ao estudo da doutrina racionalista cristã. Será atualizada periodicamente, com as respostas.


Lembremos, porém, que o livro Racionalismo Cristão não tem por objetivo responder explicitamente todas as perguntas que se possam fazer. Muita informação fica, necessariamente, subentendida nas entrelinhas. Cabe a cada um colocar-se em condições de captar essas informações.
1. Qual a diferença entre um mundo de estágio, um mundo-escola e o mundo próprio do espírito?
A resposta a esta pergunta teve por base a "Introdução" e os capítulos "O Espaço", "A encarnação do espírito" e "A desencarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão, 43ª edição. A elaboração da resposta ensejou vários desdobramentos, não explicitamente enunciados nas obras racionalistas cristãs que conhecemos. Contudo, foram resultados de raciocínios elaborados tendo em vista que não podemos compreender o universo e suas leis tomando como parâmetro e base apenas o curtíssimo segmento terreno, das encarnações e desencarnações, da trajetória evolutiva das Forças.
O Universo é constituído de Força e Matéria. A Força está em constante e imperiosa evolução. Somente após passar pelos reinos mineral, vegetal e animal é que a Força tem os atributos necessários para atuar em um corpo humano. A partir daí, passa a ser denominada espírito e deixa de fazer parte do mundo físico, passando a pertencer aos mundos espirituais. São os seus mundos próprios. Cada espírito pertence, portanto, não mais ao planeta Terra e sim ao mundo espiritual relativo ao grau de evolução atingido.
A evolução do espírito, de qualquer classe, se dá nos mundos-escola, ou mundos de escolaridade. É nesses mundos de escolaridade que espíritos promovem, entre si, o intercâmbio de conhecimentos intelectuais, morais e espirituais. O planeta Terra é um mundo-escola onde evoluem apenas espíritos pertencentes às primeiras 17 classes. Espíritos de classes mais elevadas também continuam sua evolução, desenvolvendo ainda mais a sua espiritualidade, ou seja, desenvolvendo seus atributos intelectuais e morais.
Onde se desenvolve a intelectualidade? Nos mundos de escolaridade. Daí ser lícito inferir que mundos de escolaridade não são apenas os mundos-escola do plano físico, como a Terra. É preciso fazer notar que, embora o livro Racionalismo Cristão não mencione explicitamente essa conclusão, parece-nos perfeitamente lógico concluir que há mundos de escolaridade também no Espaço. É nesses mundos que espíritos do Astral Superior evoluem desenvolvendo tarefas em seus planos (seus mundos próprios) e nos planos inferiores ao que pertencem. Por exemplo, nos mundos de escolaridade associados aos mundos diáfanos, evoluem espíritos da 18ª à 25ª classe, trocando experiência e conhecimentos entre si. Uma diferença importante com respeito ao mundo-escola Terra é que nesses mundos de escolaridade superiores não há as perturbações intrínsecas do astral inferior.
O livro básico, no capítulo "O Espaço", nos ensina que os mundos de escolaridade são de natureza idêntica à do nosso planeta. Em nosso entendimento, natureza idêntica não significa mundos do plano físico, como o mundo-escola Terra, mas, sim, mundos onde o espírito desenvolve atividades condizentes com seu grau de evolução. Sabemos que uma universidade é uma escola de natureza idêntica à de uma escola de ensino fundamental, isto é, numa e noutra se ministram ensinamentos apropriados aos alunos que as freqüentam. Porém, há uma diferença entre essas escolas, embora sendo de mesma natureza. A diferença é o grau de conhecimento entre os alunos que freqüentam uma ou outra.
O aprimoramento do saber e o da moral caminham juntos. Talvez caiba aqui uma pergunta: – Nos planos superiores, o que significa "moral"? Seria apenas um conjunto de normas de boa conduta, bons costumes ditados por preceitos definidos e aceitos por uma determinada sociedade, como a terrena? Não pensamos assim. Da mesma forma que os conhecimentos disponíveis em planos superiores não estão ao alcance da compreensão da humanidade, também a "moral" observada nesses planos é de ordem e natureza nem imaginada por nós.
Mundo de estágio é onde o espírito programa suas atividades futuras. Por exemplo, ao desencarnarem, espíritos das primeiras 17 classes se encaminham, mais cedo ou mais tarde, ao seu mundo de estágio, de onde e somente de onde, poderão voltar a encarnar. Logicamente, nada nos impede de supor que há mundos de estágio para espíritos de classe superior à décima-sétima. Nenhum espírito evolui quando está em seu mundo de estágio, pois lá não há atividades e trocas de conhecimentos. Evolução se adquire apenas nos mundos de escolaridade.
Em resumo: mundo próprio é o plano astral a que pertence um espírito, avaliado pelo seu grau de evolução; mundo de estágio é onde o espírito planeja suas atividades futuras; mundo de escolaridade é onde o espírito desenvolve suas atividades e adquire mais luz. Um mundo de escolaridade pode pertencer ao plano físico, mas, tanto o mundo próprio como o mundo de estágio pertencem necessariamente aos planos superiores.
Finalmente, lembremos que nossas conclusões serão mais abrangentes e ricas se não nos limitarmos a raciocinar com base na nossa experiência e conhecimentos do mundo físico. Isto é, será muito mais produtivo raciocinar sob uma perspectiva universal, em vez de terrena. Ainda em outras palavras, nossas ponderações devem ter por base, isto é, devem levar em consideração o espírito em sua própria natureza e não em sua condição temporária de encarnado. É uma tendência, até compreensível, desenvolver nossas análises sob a perspectiva de encarnações e reencarnações. Encarnações e reencarnações são etapas limitadíssimas da trajetória evolutiva de um espírito. Devemos extrapolar esses conceitos se quisermos enriquecer nossos conhecimentos espirituais.
Julho 2007

__________________________________________________________________


2. Partindo do pressuposto de que há vida semelhante à da Terra em planetas de outros sistemas solares, espíritos de outros planetas podem escolher encarnar na Terra. Certo ou errado? Justificar a resposta.
A leitura cuidadosa da "Introdução", do livro Racionalismo Cristão, 43ª edição, sugere que a afirmação é falsa. Os espíritos que fazem sua evolução no mundo-escola formam uma grande família, que aqui evolui e é chamada de humanidade. Note que humanidade não é o conjunto de seres humanos e, sim, de espíritos. Logo, são espíritos associados ao planeta Terra e não a outro.
OBS.: Muitos responderam apresentando suas opiniões e arrazoados, o que é muito positivo. Essas respostas foram publicadas em julho na Lista RC para que os interessados as possam analisar. É perfeitamente compreensível que nem todos aceitem nossa interpretação do texto na "Introdução". O importante, e este é o objetivo principal das perguntas, é incentivar o estudo constante da doutrina racionalista cristã, meditando sobre os ensinamentos oferecidos.
Julho 2007

__________________________________________________________________


3. Cristo foi enviado à Terra para nos esclarecer sobre a vida espiritual,

a vida fora da matéria. Certo ou errado? Justifique a resposta.
Ensina-nos o Racionalismo Cristão que após passar pelos três reinos da natureza mineral, vegetal e animal a Força passa a ser denominada espírito, adquire a faculdade do livre-arbítrio e, conseqüentemente, assume responsabilidades. O livre-arbítrio é, assim, uma conquista da Força, é dela e dela faz uso. Nem as Forças Superiores interferem no livre-arbítrio de cada um. A Doutrina menciona duas exceções, a saber, quando o espírito ainda se encontra nas primeiras classes evolutivas, são Forças Superiores que determinam onde e em que condições vão encarnar. Isto porque o espírito ainda não tem discernimento suficiente para poder avaliar o que fazer, situação semelhante à da criança que freqüenta a escola escolhida pelos pais. A outra situação pode ocorrer, por exemplo, durante a limpeza psíquica realizada nas casas racionalistas cristãs e um espírito desencarnado teima em ficar por aqui, no astral inferior. Diante dessa postura, ele é coagido a deixar a atmosfera da Terra por ação da corrente astral formada nessas Casas.
Vemos, assim, que a resposta à questão proposta é: certo e errado. Errado, porque Jesus não poderia ter sido enviado por ordem superior. Isto seria violar o livre-arbítrio desse luminoso espírito. Certo, porque ele aqui veio, por livre e espontânea vontade (com grande sacrifício, aliás) para trazer à humanidade valiosíssimos ensinamentos para ajudá-la a despertar para a realidade da vida espiritual.
Cabe acrescentar que muitos enviaram suas respostas à Lista RC. Foram distribuídas em julho. Alguns emitiram suas opiniões pessoais e outros com uma base mais firme nos ensinamentos racionalistas cristãos. Em nossa avaliação, em geral, foram todas elas muito boas.
Julho 2007

__________________________________________________________________


4. Os espíritos inferiores, pelas intuições que provocam, são os únicos responsáveis pelas obsessões, síndromes diversas e outras enfermidades psíquicas. Certo ou errado? Justifique a resposta.
Pensar é atrair, nos ensina o Racionalismo Cristão.
Como é feita a atração? Por sintonia com correntes que cortam todos os quadrantes do Espaço.
Atrai-se o quê? Depende da natureza do pensamento. Pensamentos positivos, por afinidade, entram em sintonia com correntes positivas criando condições para uma assistência astral superior e, assim, trazendo-nos energias que fortificam o corpo e o espírito, além de boas intuições.
Pensamentos negativos entram em sintonia com correntes inferiores criando condições para a aproximação de espíritos inferiores, ignorantes ou de má índole, que espargem seus fluidos deletérios sobre nosso corpo astral debilitando-o, e suas intuições estimulam e fortalecem nossos pensamentos negativos. São os espíritos do astral inferior que causam os problemas mentais. Mas, não são a causa primeira. Esta está em nós mesmos, pois somos nós que produzimos os pensamentos que os atraem, e somos nós que damos guarida às suas más intuições possibilitando que nos influenciem e dominem.
A resposta à questão proposta é, portanto, "certo" e "errado", ao mesmo tempo. Certo, porque as enfermidades psíquicas são causadas pela ação de espíritos do astral inferior. Errado, porque não são eles os únicos responsáveis. A contribuição do ser encarnado, por seus pensamentos e ações, é fundamental para que essas enfermidades se manifestem.
Agosto 2007

__________________________________________________________________


5. Os espíritos das classes mais baixas ainda estão evoluindo nos reinos mineral e vegetal. Certo ou errado? Justifique sua resposta.
Errado. A Força somente passa à categoria de espírito após percorrer sua trajetória pelos reinos mineral, vegetal e animal inferior. Já como espírito, não mais volta a atuar nesses reinos.
Agosto 2007

__________________________________________________________________


6. Analise as seguintes afirmações e faça seus comentários: "O Astral Superior sabe tudo. Assim sendo, não há lugar para imprevistos."
Esta questão foi motivada pelo fato de termos observado que algumas pessoas se referem ao Astral Superior como se fosse uma entidade, um ser superior. Lendo com cuidado o livro básico "Racionalismo Cristão", aprendemos que Astral Superior é o Espaço "acima" do astral inferior, que também é um espaço, como o que contém a atmosfera da Terra, por exemplo. É no Astral Superior que espíritos esclarecidos, que já passaram com proveito pelo reino hominal (e outros que decidem não encarnar) desenvolvem seu trabalho continuando seu processo evolutivo.
Imprevistos não há, como também não há o acaso, pois tudo é regido por leis universais e ocorre com exatidão (Capítulo "Força e Matéria", Racionalismo Cristão).
6-a. A próxima questão não se enquadra no espírito das questões que vêm sendo apresentadas. Desta forma, vamos numerá-la como 6-a . O que se pede são comentários sobre as expressões "site do Racionalismo Cristão" e "site oficial do Racionalismo Cristão". Note que não se pede opinião sobre o site.
Existe apenas um site do Racionalismo Cristão. O endereço, como todos sabemos, é www.racionalismocristao.org, de propriedade da Casa-Chefe. Não há outro. Portanto, ao nos referirmos a ele, não é necessário qualificá-lo de "oficial".

Agosto 2007

__________________________________________________________________
7. O que significa "concentrar-se" quando se faz a limpeza psíquica?
Quando se faz a limpeza psíquica, "concentrar-se" nada mais é que prestar atenção ao sentido das palavras que compõem as irradiações, deixando de lado qualquer outro pensamento. Esse é também o sentido das palavras "Concentrem-se todos bem." ditas pelos presidentes das reuniões que se realizam nas casas racionalistas cristãs antes da manifestação do Espírito do Astral Superior, ao final da reunião. Essas palavras alertam todos os presentes para que dediquem toda atenção às palavras que vão ouvir.
Agosto 2007

__________________________________________________________________


8. O que se entende por "Centro Redentor"?
Assim como, no ser humano, o espírito tem seu corpo físico, a Doutrina também tem o seu, que é o Centro Redentor, sua sede material, localizada na cidade do Rio de Janeiro, Brasil, o edifício que abriga a Casa-Chefe do Racionalismo Cristão. O Centro Redentor, organização sem fins lucrativos, é a pessoa jurídica voltada tão-somente para as relações de natureza pública e privada no Brasil, e tem, como único objetivo, manter e assegurar a forma de explanar, praticar e divulgar, na Casa-Chefe, nas filiais e nos correspondentes, o Racionalismo Cristão.
Assim, recomenda-se não mais haver menção a "Centro Redentor" ou "Redentor" quando o assunto é a Doutrina. Deve-se dizer "O Racionalismo Cristão localiza-se na Rua...", em vez de "O Centro Redentor localiza-se na Rua..."; e "Procurem o Racionalismo Cristão" em vez de "Procurem o Centro Redentor", etc. Notem que as novas placas afixadas nas casas racionalistas cristãs (Filiais e Correspondentes) não mais mencionam "Centro Redentor".
O que se pretende é eliminar qualquer nomenclatura que possa associar o Racionalismo Cristão com centros espíritas e suas práticas.
É oportuno lembrar que a explicação de Fernando Faria no livro Racionalismo Cristão responde foi redigida quando a Casa-Chefe ainda não havia tomado a decisão de se eliminar referências ao "Centro Redentor" para identificar a Doutrina racionalista cristã.
Agosto 2007

__________________________________________________________________


9. Por medida de segurança e para outras atividades, o Astral Superior está presente 24 horas por dia na Casa-Chefe, nas Filiais e nos Correspondentes do Racionalismo Cristão. Certo ou errado? Justifique sua resposta.
Errado. Para haver assistência Astral Superior é necessário criar-se um pólo de atração. Os tijolos dos edifícios (ou qualquer outro tijolo) não têm essa capacidade. É necessária a formação de correntes fluídicas apropriadas, o que é feito por militantes sob uma rigorosa disciplina durante os horários estipulados para o preparo e desenvolvimento das reuniões de limpeza psíquica.
Setembro 2007

__________________________________________________________________


10. Se alguém nos perguntar sobre o Racionalismo Cristão, é nosso dever dar todos os detalhes que pudermos. Certo ou errado?
Pela primeira vez, vamos apresentar a que consideramos ter sido a melhor resposta dada à questão. Essa prática poderá vir a ser utilizada no futuro. Gostaria de saber a opinião de vocês (não sobre a resposta, mas, sobre a prática).
É de Edna Pereira. As palavras-chave de sua resposta são "sucintamente", "indicar" uma casa racionalista cristã, "informar sobre o site", "emprestar um livro". Eis a resposta na íntegra:
"Se formos abordados por alguém sobre o Racionalismo Cristão, devemos aproveitar a oportunidade para sucintamente explicar o que é o Racionalismo Cristão. Se vivermos num local onde haja uma casa Racionalista Cristã, nossa obrigação é indicar ao interessado a direcção ou até acompanhar essa pessoa até lá. Se residirmos num local onde não haja nenhuma Casa Racionalista Cristã, poderemos para além da explicação sucinta, informar sobre o site do Racionalismo Cristão, ou emprestar o Livro Básico do Racionalismo Cristão para ser estudado pelo interessado."
Setembro 2007

__________________________________________________________________


11. Em várias doutrinações do Astral Superior, somos orientados a resolver os problemas na hora certa. Qual o significado desse ensinamento?
Ótimas respostas foram enviadas à raciona-lista. Parabéns.
Como o conceito central do teste é "hora certa", precisamos entender o que isso significa.
Há vários tipos de "hora certa". Pode significar num preciso momento, imediatamente, não deixar a solução do problema para depois. Exemplo: em um acidente, pode ocorrer uma situação que requeira socorro imediato. Qualquer demora pode custar a vida do acidentado.
"Sem precipitação" é outro sentido para "hora certa". Quantas vezes um problema não é adequadamente equacionado e resolvido por falta de calma, reflexão ou serenidade? Serenidade e confiança são fatores importantes para captar boas intuições que indicarão o caminho para a solução inteligente do problema.
É, também, importante considerar o aspecto "antes do tempo". Não estamos nos referindo ao caso de precipitações discutido no parágrafo anterior. É uma situação diferente. Vamos ilustrá-la com dois exemplos.
Imaginemos alguém que acha que tem alguma enfermidade. Diante da suspeita, marca uma consulta com o médico. A hora de resolver o problema é no momento do resultado da consulta, não antes. Em outras palavras, antes do exame médico não se deve estar "ruminando" o assunto pensando constantemente na suposta enfermidade. Ela pode não existir ou ser um problema físico passageiro sem importância maior.
Outro exemplo: alguém ficou de realizar algo de nosso interesse (como: saldar uma dívida que tem conosco, prestar-nos um serviço). Ficar preocupado imaginando que a pessoa não vai cumprir com o compromisso e procurar uma solução é tentar "resolver o problema antes da hora". Ficar "matutando" sobre a possibilidade de a pessoa falhar é perda de tempo, é debilitar a vida anímica. Afinal, a pessoa pode não falhar em seu compromisso. O que adiantou ficar pensando no problema "antes do tempo"? Não é raro dormir mal porque se ficou "resolvendo um problema antes do tempo". Daí o prejuízo para a vida anímica, debilitando corpo e espírito.
Setembro 2007

__________________________________________________________________


12. Os animais têm livre-arbítrio?
O livre-arbítrio tem como fonte a vontade. Esta e o pensamento têm como fonte, como origem, o espírito. É, pois, o livre-arbítrio uma força inata na vontade de cada encarnado estando, portanto, sujeita ao grau de adiantamento deste.
Em outras palavras, "o livre-arbítrio é uma faculdade espiritual [grifo nosso] controlada pela vontade e, quando bem usada, orientada pelo raciocínio" (Racionalismo Cristão, capítulo "O livre-arbítrio"). Continuando a citar a mesma obra: "A faculdade do livre-arbítrio começa a despontar quando a partícula inteligente ascende à fase evolutiva que lhe dá condições de encarnar em corpo humano".
Desta forma, os animais irracionais não têm livre-arbítrio, pois a Força que os anima ainda não atingiu o grau de espírito. Por não ter livre-arbítrio, não podem ser responsabilizados pelos seus atos.
Setembro 2007

__________________________________________________________________


13. As crianças são jovens apenas no corpo. Ao encarnarem, trazem consigo a bagagem espiritual acumulada em inúmeras vidas passadas. Desta forma, devemos respeitá-las e deixá-las livres, sem interferências, para que essa bagagem possa aflorar em ações e empreendimentos. Certo ou errado? Comente sua resposta.
É inegável que o espírito, ao encarnar, traz consigo a bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória evolutiva. São experiências que se somaram e passaram a acompanhar o espírito, delineando o seu caráter global. Nesta resposta, vamos considerar duas características distintas dessa bagagem que devem ser consideradas separadamente.
Desde cedo, a criança demonstra inclinações e temperamentos.
As inclinações são conseqüências do plano que o espírito, usufruindo do seu livre-arbítrio, arquitetou antes de encarnar. Refletem, portanto, as aspirações do espírito, metas que espera atingir e, assim, aproveitar a encarnação. Os pais e educadores devem estar atentos para identificar essas inclinações, que invariavelmente se manifestam nos gostos da criança, no comportamento dela diante de afazeres a que se dedica, nas coisas e atos que admira. Umas vão gostar de artes, outras de ciências, etc. Essas inclinações devem ser respeitadas, estimuladas e apoiadas criando-se condições para que a criança possa desenvolvê-las com proveito.
Os temperamentos também merecem atenções e cuidados. Da mesma forma que uma criança demonstra suas inclinações, ela também deixa evidentes os vícios e maus hábitos que a vêm acompanhando, talvez desde muitas e muitas encarnações anteriores. Ela deve ser ajudada a se livrar desse lado negativo de sua formação. Uma vez identificadas, as más tendências e temperamentos devem ser combatidos com todo rigor, impondo disciplina à criança e punindo-a com repreensões e castigos sempre que se fizerem necessários. Nada de sentimentalismos, sempre prejudiciais à criança. Punir é, sim, necessário. Um castigo, quando bem aplicado (e justo) é sempre benéfico. Porém, punir não significa usar de violências e agressões, físicas ou morais. Nada de chineladas ou ofensas com palavras depreciativas, que sempre prejudicam a criança em sua auto-estima. Bastam castigos simples, como proibir de ver um programa favorito de TV, cortar uma sobremesa, e coisas assim. A criança percebe que está sendo punida por algo que fez. Ela tem perfeita noção do que é certo ou errado. Essa percepção, do certo e do errado, já vem com o espírito desde suas primeiras encarnações.
Se o castigo ajuda a criança a moldar seu caráter, igualmente útil é o elogio. Nem um nem outro deve faltar sempre que a criança o merecer. Sempre com moderação. Castigos e elogios comedidos, sem exageros. Caso contrário, a criança perde o respeito aos pais e educadores. E isso é um desastre na formação do caráter da criança.
Outubro 2007

__________________________________________________________________


14. Não devemos fazer as irradiações em qualquer lugar. Certo ou errado? Justificar a resposta.
A resposta é "certo", não devemos fazer as irradiações em qualquer lugar. Exemplos de lugares onde não se devem fazer as irradiações: ambientes avassaladores como necrotérios, igrejas, hospícios, enterros, cemitérios, terreiros, locais onde ocorrem discussões acaloradas. Não porque a prática seja proibida – o Racionalismo Cristão nada proíbe, em respeito ao livre-arbítrio de cada um –, mas, porque as Forças Superiores não podem irradiar nesses ambientes. Os desdobramentos de médiuns são ferramentas que as Forças Superiores utilizam para terem acesso a esses ambientes e semelhantes.
Notem que não se pergunta "quando" devemos fazer as irradiações, embora alguns tenham expressado suas opiniões a respeito. Como é um tema importante, vamos considerá-lo na pergunta da próxima semana.
Outubro 2007

__________________________________________________________________


15. As irradiações podem ser feitas em qualquer momento? Justifique sua resposta.
Os testes 14 e 15 nos levaram a ponderar sobre o significado das irradiações, onde e quando fazê-las. As respostas enviadas foram excelentes, revelando, para alegria de todos, gemas legítimas de estudiosos entre os participantes deste notável grupo, que já passa de 1000 pessoas!
Para reflexão de todos, seguem ponderações da Casa-Chefe sobre tão importante assunto:
“A resposta e essas perguntas parece simples, mas não é. Além do solicitado, há umas "pegadinhas", pois se a pessoa faz as irradiações recomendadas ela não freqüenta terreiros, por exemplo. Por outro lado, dizer-se que as Forças Superiores não podem adentrar determinados ambientes é subestimá-las e também nós humanos, por mais estudo que tenhamos, não conseguimos ter a visão completa do assunto.
A recomendação da Doutrina é para praticarmos a limpeza psíquica nos horários pré-determinados, ou seja, 7 da manhã e 8 da noite. Isso deve ser feito dentro de uma Casa RC, sendo dia de reunião pública ou em nossos lares, reunindo a família se esta concorda com a disciplina recomendada pelo RC ou sozinhos.
Recomenda-se, em casos excepcionais, fazer-se um preparo espiritual, através das irradiações, ANTES de adentrarmos em determinados ambientes – alguns deles já citados em resposta ao teste 14 – e, também, APÓS deixarmos esses mesmos ambientes. Nesse caso, embora não esteja escrito em lugar nenhum, um preparo mental (importante antes de empreender-se uma viagem, por exemplo) consiste em fazer-se em voz alta ou mentalmente, uma irradiação A, 3 B e mais uma B ao nosso Presidente Astral Antonio Cottas. Mas, por exemplo, é comum fazermos esse procedimento durante os chamados "velórios", mas sendo o desencarnado uma pessoa racionalista cristã e a família também, costumam-se fazer as irradiações.
Portanto, para resumir, não devemos fazer a Limpeza Psíquica em qualquer

lugar [ou a qualquer hora], mas que, em determinadas situações e locais,

podemos sim, irradiar nossos pensamentos.”
Outubro 2007

__________________________________________________________________


16. O que é corpo fluídico? Os minerais, vegetais e animais têm corpo fluídico?
Corpo fluídico e corpo astral são sinônimos.
O ser encarnado é composto de três partes: o corpo físico, o corpo astral e o corpo mental. O corpo físico é constituído de matéria toda ela provinda do planeta Terra. O corpo astral é constituído de matéria própria do mundo a que pertence o espírito. O corpo mental é o próprio espírito, é luz, nada tem de material nele.
O espírito se utiliza do corpo astral para atuar sobre o corpo físico. É uma ferramenta do espírito. Embora minerais, vegetais e animais não tenham espírito (isto é, a força que atua nesses reinos da natureza ainda não evoluiu até o atingir o grau de espírito), a força que neles atua ainda necessita de matéria fluídica, de diafanidade apropriada, para intermediar sua ação sobre a parte física do corpo. Não nos parece legítimo chamar de corpo astral essa matéria fluídica intermediária. Um corpo astral nos leva a considerar a possibilidade de desdobramento astral. Como imaginar uma força que opera sobre um mineral, vegetal ou animal deixando o corpo físico e dirigindo-se a outro lugar?
Sugestões para aprofundar-se nesse assunto: Capítulos "A aura" e "A encarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão.
No capítulo "A aura", sugerimos dedicar atenção à frase "Ainda que pareça uma única, são três, na realidade, as auras humanas: a do espírito, a do corpo fluídico e a do corpo físico, cada uma das quais correspondendo à natureza do corpo de que emana."
Embora a Doutrina não se pronuncie explicitamente sobre o assunto, podemos imaginar que os animais superiores aqueles nos quais o raciocínio começa a desabrochar têm um corpo astral rudimentar. Se for certo, cabe a pergunta: a qual mundo pertenceria a matéria desse suposto corpo astral? Qualquer resposta será mera especulação.
Outubro 2007

__________________________________________________________________


17. O que são espíritos de mundos opacos e como podem colaborar com Espíritos de Luz do Astral Superior?
Espíritos de mundos opacos são os que pertencem da 6a à 11a classes. Eles podem encarnar de acordo com o processo usual de evolução ou, por terem perdidos sucessivas encarnações, podem optar por trabalhar em plano astral trabalhando em colaboração e sob orientação de espíritos do Astral Superior. Por não serem ainda muito evoluídos, os espíritos dos mundos opacos possuem um corpo fluídico mais denso e pesado e podem entrar em ambientes muito materializados a que espíritos do Astral Superior não têm acesso, por terem corpo fluídico muito diáfano e leve.
Outubro 2007

__________________________________________________________________


18. O que é obsessão? Cite alguns caminhos que levam a ela.
A obsessão é uma perturbação, uma doença psíquica causada pelo mal uso do livre-arbítrio. Assim sendo, psiquicamente deve ser combatida. Procedimentos para vencê-la são detalhados na obra Prática do Racionalismo Cristão.
Do capítulo "Obsessão", do livro A vida fora da matéria, 22a. edição", p. 48, citamos alguns caminhos que levam a ela: "vontade mal educada, desregramentos sexuais, descontrole nos atos cotidianos, nervosismo irrefreável, desejos insuperáveis, ambição desmedida, temperamento voluntarioso".
Para quem quiser se aprofundar no tema, sugerimos o estudo do mencionado capítulo.
Novembro 2007

__________________________________________________________________


19. O Racionalismo Cristão sempre nos fala em "raciocinar com acerto". O que isso quer dizer?
Consultando o dicionário (Houaiss), raciocinar significa "fazer uso da razão para estabelecer relações entre (coisas e fatos), para entender, calcular, deduzir, julgar (algo); refletir [...]"; completando, "com acerto" significa "com sabedoria".
Portanto, raciocinar com acerto implica usar nossa capacidade de pensar com base em nossos conhecimentos, em nosso saber. Dentro do Racionalismo Cristão, devemos entender pensar com base nos conhecimentos espiritualistas.
Esses conhecimentos nos indicam que o pensamento, sendo uma vibração do espírito, pela Lei de Atração, entra em sintonia com vibrações similares, atraindo influências dessas vibrações. Ninguém pode supor que seja sábio atrair influências negativas, portanto podemos deduzir que "raciocinar com acerto" é pensar, analisar, julgar, refletir sempre com o objetivo de alcançar o Bem. A base de nossos sucessos reside em saber "raciocinar com acerto", isto é, vibrar sempre nosso espírito com objetivos elevados, nobres.
Se tivermos dúvidas se nosso pensar estar sendo realizado "com acerto", basta ouvirmos nosso íntimo, nossa consciência, pois, no fundo, basicamente todos sabemos o que é acerto e o que é erro. (Elenir Aguilera de Barros)
Novembro 2007

__________________________________________________________________


20. O espírito em seu mundo de estágio já define que vai passar por determinadas situações em sua próxima encarnação?

A resposta será SIM e NÃO. Sim, pois o espírito pode determinar-se a sofrer na pele o mal que praticou em relação a outras pessoas em encarnações passadas. Não, o espírito não particulariza todas as situações que terá de enfrentar, pois muitas delas são resultados de sua maneira de pensar e de agir nesta presente encarnação. (Elenir Aguilera de Barros)


Sugestão para aprofundar-se na matéria: Capítulo "A encarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão.
Novembro 2007

__________________________________________________________________


21. Teçam comentários sobre a gravura 24 do livro A vida fora da matéria, 22ª ed. (Gravura 35 na edição anterior, disponível na seção Biblioteca do site www.racionalismocristao.org).
Ensina-nos o Racionalismo Cristão que as discussões, desavenças, discórdias, bate-bocas, querelas abrem as portas para a aproximação e atuação de espíritos do astral inferior. Uma vez atraídos, esses espíritos passam a alimentar e intensificar o ódio, que sempre permeia esses conflitos, e a intuir fortemente os envolvidos para que se tornem mais e mais agressivos. Cria-se, então, um clima propício a descargas de fluidos maléficos que atuam diretamente no corpo astral dos participantes danificando seriamente sua saúde. É exatamente essa dinâmica astral que a gravura ilustra.
Se não houver o afastamento desses espíritos inferiores, o resultado invariavelmente será deplorável, ou mesmo funesto. Se nos encontrarmos presentes numa situação destas, o recomendável é nos afastar e dirigir nossos pensamentos ao Astral Superior procurando desligar-nos do incidente.
Novembro 2007

__________________________________________________________________


22. Completar: A prática da limpeza psíquica recomendada pelo Racionalismo Cristão é importante porque ...
... purifica nosso corpo astral beneficiando nossa saúde, afasta eventuais espíritos obsessores melhorando o ambiente, desanuvia nossa mente permitindo-nos raciocinar com acerto. Ao efetuarmos a limpeza psíquica no lar, estamos criando pólos de atração em que se apóia o Astral Superior para retirar da atmosfera terrestre espíritos que por ela perambulam em detrimento próprio e de terceiros, além de estarem perdendo tempo atrasando sua caminhada evolutiva.
Após a limpeza psíquica, devemos nos manter calmos, alimentar pensamentos positivos e orientar nossa vontade para a prática do bem.
Triste fato: Ao terminar uma reunião de limpeza psíquica nas casas racionalistas cristãs, não é raro ver pessoas que a primeira coisa que fazem ao sair é acender um cigarro. Ou seja, se conectam imediatamente com o astral inferior. É como uma criança que logo após o banho vai brincar na lama.
Dezembro 2007

__________________________________________________________________


23. Os vícios abrem portas para a aproximação e ação de espíritos do astral inferior. Como eles atuam nesses casos?
Os vícios são deformações morais, imperfeições adquiridas agora ou trazidas de encarnações anteriores. Precisam ser eliminados, como qualquer outro defeito, pois, são obstáculos sérios no prosseguimento da evolução espiritual.
Os vícios são sempre supérfluos, além de terrivelmente nocivos.
Ao entregar-se a um vício, a pessoa atrai espíritos do astral inferior que tiveram o mesmo vício quando encarnados. A presença desses espíritos sempre é nociva, pois eles se "encostam" no viciado para sentirem o mesmo prazer que sentiam quando tinham um corpo físico. Nessa aproximação, há trocas de fluidos entre os perispíritos em detrimento da saúde física e psíquica do encarnado ocasionando, não raras vezes, a desencarnação prematura. Note-se que o espírito desencarnado é ele também um viciado. Por não mais ter corpo físico, não tem condições de sentir o mesmo prazer que tinha quando encarnado. Daí estar sempre intuindo o encarnado para que este se entregue ao vício.
Portanto, é importante que os pais combatam com determinação e energia eventuais vícios que seus filhos demonstrem trazer de encarnações passadas. Ao encarnar, o espírito deposita confiança na ajuda dos pais.
Sugestão de estudo: Capítulo "A desencarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão.
Dezembro 2007

__________________________________________________________________


24. O que acontece com as crianças que desencarnam? Ficam por aqui se os pais forem mal-assistidos espiritualmente?
Lembremos o que nos ensina o Racionalismo Cristão. Ficam presos na atmosfera da Terra, ou astral inferior, os espíritos que, durante a última encarnação, se apegaram demasiada e obsessivamente aos valores materiais, às crendices, aos vícios, etc.
Uma criança ainda não teve tempo para se envolver nessas más práticas. Quando elas desencarnam, seja por acidente seja por enfermidade, são logo arrebatadas pelo Astral Superior, independentemente da assistência espiritual do pais. Notemos que, em encarnações anteriores, os espíritos podem ter tido todas as más qualidades que mencionamos. Contudo, ainda não teve tempo para se envolver nelas durante a infância do corpo físico, se é que iria se envolver.
Como explicar, então, relatos de médiuns videntes que afirmam ver espíritos de crianças? Lembremos, novamente, o que nos ensina a doutrina racionalista cristã. Por ação do pensamento, os espíritos podem engendrar em seu corpo astral a forma que bem entenderem. Geralmente o fazem para mistificar ou para amedrontar e aterrorizar médiuns videntes.
Exemplos dessas formas podem ser encontrados no livro A vida fora da matéria. Esses supostos espíritos de criança nada mais são do que formas astrais produzidas por espíritos do astral inferior.
Dezembro 2007

__________________________________________________________________


25. Comentar a afirmação: "A mediunidade é uma graça divina".
A expressão "graça divina" nos leva a imaginar um ente que pode, ou não, privilegiar uma pessoa ou um grupo. Como racionalistas cristãos, sabemos que no Universo não há privilégios. Há, isto sim, Leis Naturais como a da Causa e Efeito. Sabemos, portanto, que tudo que nos acontece não é favor algum. São conseqüências de nossos atos e pensamentos. Lembremos, também, deste simples, mas profundo, ensinamento do Racionalismo Cristão: "Pensar é atrair".
Janeiro, 2008

__________________________________________________________________


26. Nossa vida melhora e nossos êxitos serão mais freqüentes se constantemente estivermos pronunciando palavras como "felicidade", "boa saúde", "otimismo", etc. Certo ou errado? Comentar.
Errado. As palavras não têm poderes. Se tivessem, bastaria ensinar um papagaio a repetir "burro", "burro", "burro" seguidas vezes para que lhe crescessem rabo e orelhas compridas.
Dar valor demasiado às palavras, com a certeza de que trarão a felicidade, pode ser um caminho para a obsessão. Cuidemo-nos.
"Pensar é atrair", ensina-nos o Racionalismo Cristão. O poder do espírito está no pensamento e não estritamente nas palavras que pronuncia. São nossos pensamentos e ações que nos conduzem por caminhos tortuosos ou descomplicados. Aliás, como muitas respostas recebidas já alertavam.
Janeiro, 2008

__________________________________________________________________


27. De onde viemos?
Como partícula de Força, viemos do Grande Foco e começamos nossa trajetória evolutiva na formação de átomos. Já na condição de espíritos, viemos a este mundo-escola oriundos de uma das primeiras 17 classes, conforme a seguinte classificação:
1. dos mundos materializados (espíritos da 1ª à 5ª classes)

2. dos mundos opacos (espíritos da 6ª à 11ª classes )

3. dos mundos brancos (espíritos da 12ª à 17ª classes).
Espíritos destas 17 classes aqui estão misturados, aprendendo e ensinando uns aos outros.
Espíritos de mundos superiores aos acima, não mais têm necessidade de encarnar.
Fonte: Racionalismo Cristão, capítulo "O Espaço".
Janeiro, 2008

__________________________________________________________________


28. Viemos ao mundo para sofrer, pois este é o caminho para evoluir. Certo ou errado? Comentar sua resposta.
Errado. O sofrimento não é o caminho para a evolução. Quem aqui sofre é por razões circunstanciais ou porque usou mal seu livre-arbítrio. Dois exemplos de razões circunstanciais: estar prisioneiro do corpo físico; ser vítima de injustiças cometidas por terceiros. Exemplo de mal uso do livre-arbítrio é descuidar dos deveres que todos temos a cumprir.
Quais são esses deveres, o Racionalismo Cristão nos aponta constantemente em suas lições.
Viemos para trabalhar pela nossa evolução. O sofrimento não é a finalidade da encarnação, contudo, serve para nos alertar sobre algo errado que estamos fazendo, ou já fizemos. Ganha muito quem sabe aproveitar esse tipo de sofrimento.
Janeiro, 2008

__________________________________________________________________


29. Como devemos proceder para ajudar um alcoólatra?
Ótimas e ponderadas respostas foram enviadas: indicar uma casa racionalista cristã (até levá-lo a uma delas se ele solicitar), mostrar a ação de espíritos inferiores ilustrada no livro "A vida fora da matéria"; indicar uma instituição ou clínica especializada nesse tipo de dependência; ensiná-lo, e os familiares, a fazer a limpeza psíquica nos horários recomendados pelo Racionalismo Cristão. Isso tudo se o viciado demonstrar vontade de se livrar do mal. Caso contrário, qualquer esforço será inútil. Em geral, um alcoólatra não admite que é viciado.
Se ele estiver disposto a nos ouvir, não precisamos mostrar-lhe os danos que o vício causa a si próprio e aos seus familiares e amigos. Isso ele sabe de cor e salteado. Nem admoestá-lo, pois ele está cansado de ser criticado. Devemos, isto sim, demonstrar que queremos e estamos dispostos a ajudá-lo.
Notando que ele nos dá atenção, prosseguimos com as recomendações citadas no início deste comentário.
Fevereiro, 2008

__________________________________________________________________


30. O que você tem a dizer sobre o tema "aborto"?
Não vamos considerar o caso de abortos acidentais ou de natureza fisiológica. Nossa intenção é analisar o caso de aborto provocado.
O Racionalismo Cristão não se pronuncia explicitamente sobre o aborto. Seus ensinamentos nos orientam a bem usar nosso livre-arbítrio para resguardar-nos de sofrimentos que poderiam ser evitados.
Todos temos uma consciência que nos indica o que é certo e o que não é. Sabemos que um aborto significa impedir um espírito de vir à Terra cumprir suas obrigações diante das Leis Naturais. Desta forma, em princípio, o aborto provocado é um crime espiritual.
Como foi bem colocado nas respostas enviadas, há situações que requerem uma análise mais cuidadosa. Em 1996, em entrevista de José Alves Martins publicada na edição especial de dezembro do jornal "A Razão", o dr. Humberto Machado Rodrigues, Presidente do Racionalismo Cristão, admitiu o aborto quando houver risco de vida para a mãe; do nascituro; e no caso em que a gravidez for conseqüência de estupro. Estas três exceções são admitidas pela legislação penal brasileira, a qual considera crime o aborto praticado fora delas.
Fevereiro, 2008

__________________________________________________________________


31. O Racionalismo Cristão nos ensina que somos Força e Matéria. O que você entende por esta afirmação?
Como o tema Força e Matéria constitui um dos ensinamentos centrais do Racionalismo Cristão, vamos tratá-lo em três etapas-teste, considerando situações diferentes. Com esta prática, esperamos criar oportunidades para que ele seja mais bem compreendido.
Referindo-nos ao fato de que estamos encarnados, podemos simplificadamente dizer que o significado de "somos Força e Matéria" é que somos constituídos de uma parte física nosso corpo perecível e uma parte eterna, não física. Assim de simples! Contudo, a ciência materialista ainda insiste em atribuir aos órgãos do nosso corpo todas as suas funções físicas, químicas e psíquicas conhecidas.
Fevereiro 2008

__________________________________________________________________


32. No teste anterior, consideramos a nossa condição de encarnado. Quando desencarnados, ainda somos Força e Matéria? Justifique sua resposta.
A resposta encontra-se no capítulo "A desencarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão. Lá vamos encontrar:
"Quando isso [a desencarnação] acontece, o espírito faz com que se desprendam os laços fluídicos que transmitiam a vida ao corpo físico, e dele se afasta com o seu corpo astral."
Portanto, quando desencarnados ainda somos Força e Matéria, uma vez que o corpo astral é material, constituído de fluidos astrais do mundo a que pertence o espírito.
Fevereiro 2008

__________________________________________________________________


33. Quando desencarnam, os animais também são Força e Matéria? Em outras palavras, levam consigo um corpo astral?
Aprendemos no Racionalismo Cristão que em qualquer dos domínios da Natureza, a Força está sempre acompanhada de Matéria, sobre a qual constantemente atua. À medida que a Força evolui, essa Matéria vai sendo substituída por outra mais diáfana. Apenas em sua etapa final de evolução a Força é Luz puríssima, confundindo-se com o Grande Foco.
Em cada animal, há uma Força atuando, origem de sua vida. Ao separar-se do animal quando o corpo deste fenece, a Força se desliga assim como a Matéria que intermediava sua ação sobre o corpo físico do animal. Ambos retornam aos seus mundos próprios por afinidade. Para saber mais detalhes sobre este último ponto, sugerimos estudar o livro "Pela Verdade", de Luiz de Mattos, em particular, a segunda parte.
Março 2008

__________________________________________________________________


34. Na resposta ao teste 30, com referência ao aborto provocado afirmou-se que "[...] em princípio, o aborto provocado é um crime espiritual". Fomos indagados sobre a razão dessa ressalva "em princípio". Que explicação você daria?
Se é uma ressalva, então há casos em que o aborto não constituirá crime espiritual.
Uma das faculdades conquistada pela Força em sua evolução é o livre-arbítrio. Todo espírito pode pensar e agir como bem entender. Em consequência, sua caminhada para as classes espirituais superiores à que se encontra terá uma trajetória mais, ou menos, longa.
Se um casal, por livre vontade de ambos, pratica ato sexual do qual decorre uma gravidez, então o aborto será crime.
Por outro lado, se a gravidez foi causada por estupro, a mulher não tem obrigação de assumi-la, pois não resultou de um ato do qual participou livremente. Neste caso, o aborto não constitui crime seja perante as leis sociais seja perante as leis espirituais.
Contudo, e não é raro, ela pode aceitar e cuidar da criança que virá. Obviamente, isso contabilizará créditos espirituais.
Março 2008

__________________________________________________________________


35. O Racionalismo Cristão recomenda, enfaticamente, a prática diária da limpeza psíquica. Recomenda, também, que seja preferencialmente realizada às 7 e às 20 horas. Por que esses horários?

Ter horário definido para nossas atividades diárias é uma das recomendações centrais da Doutrina para disciplinarmos nosso viver. Contudo, fazer as irradiações nos horários indicados é uma prática que se reveste de especial importância, pois é nesses horários que muitas pessoas, em conjunto ou isoladamente, fazem as irradiações fortalecendo, assim, as correntes fluídicas das quais se serve o Astral Superior para efetuar diversos trabalhos. Em particular, no horário das 20 horas, nas casas racionalistas cristãs militantes e assistentes colaboram, com seus pensamentos elevados, para reforçar as correntes.


Deve-se notar que os horários indicados acima são locais, ou seja, horários de cada país.
As irradiações também são transmitidas pela Rádio A Razão, via internet (www.radioarazao.com.br), às 4 e 7 da manhã e às 17 e 20 horas (horários de Brasília). Os horários de 4 e 17 horas correspondem a 7 e 20 horas, respectivamente, em praticamente toda Europa.
Março 2008

__________________________________________________________________


36. Você acha que, em um banco de embriões, a cada um deles fica atrelado um espírito?
Quando ocorre a concepção, um espírito prepara-se para encarnar e fica atento aos acontecimentos.
Entretanto, não nos parece lógico pensar que, em um banco de embriões, estejam milhares de espíritos já ligados à vida que poderá daí advir, ficando nesse impasse durante anos dependendo do livre-arbítrio de terceiros.
Uma reflexão sobre o assunto leva-nos a concluir que o espírito aguarda a oportunidade em que esse embrião será implantado em um útero feminino e aí comece a se desenvolver.
Pela leitura do que tem sido publicado sobre o assunto, e com base nas declarações dos cientistas que se dedicam a essa pesquisa, sabe-se que os embriões, depois de certo tempo, são descartados, isto é, são, literalmente, jogados no lixo.
Conclui-se que os espíritos também saibam disso e devem ficar atentos às famílias que desejam usar esses bancos de embriões e não aos embriões em si, pois esses, se não houver ninguém interessado em aproveitá-los, não terão nenhum futuro.
Por outro lado, imaginamos, também, que as Forças Superiores, que trabalham incansavelmente pelo bem da humanidade, estão atentas aos benefícios que podem advir dessas pesquisas que oferecem a possibilidade de reabilitar o corpo físico de tantos espíritos já encarnados.
Essas são conclusões a que se chega, colocando-se o raciocínio em ação.
Março 2008

__________________________________________________________________


37. Por que a palavra "racionalismo" faz parte do nome da Doutrina? Essa palavra não atrela o Racionalismo Cristão à filosofia racionalista?
A palavra "racionalismo" estabelece uma das bases da Doutrina, que é o uso da razão, da nossa capacidade de observar, analisar o que ocorre à nossa volta, e, colocando o raciocínio em ação, chegarmos a conclusões lógicas, que resistem ao crivo da razão.
Em certo sentido, portanto, tem muito em comum com posturas filosóficas racionalistas que privilegiam a razão como o melhor instrumento para se chegar a algum conhecimento válido.
A linha filosófica ligada ao racionalismo, por outro lado, tende a ser materialista, pois rejeita tudo o que a razão não confirma. Só é considerado racional aquilo que é comprovado cientificamente, o que pode ser confundido com a tendência de considerar científico apenas o que é mensurável, observável em laboratório etc. Essa tendência inclinou a filosofia para o campo materialista, da mesma forma que contaminou o espírito científico que, ainda hoje, rejeita tudo que não seja materialmente comprovado.
Março 2008

__________________________________________________________________


38. Por que a palavra "cristão" faz parte do nome da Doutrina? Essa palavra não atrela o Racionalismo Cristão à bíblia?
A doutrina racionalista cristã, como o nome o diz, segue os ensinamentos deixados por Cristo, que aqui encarnou para nos esclarecer sobre a vida espiritual.
Na obra básica Racionalismo Cristão, estudando seus ensinamentos e analisando o capítulo "Síntese dos princípios racionalistas cristãos", encontramos a base da conduta que a Doutrina nos orienta a assumir, Fácil será verificar que seus princípios estão de acordo com aqueles divulgados por Cristo; ensinamentos esses que, se tivessem sido assimilados, já teríamos alcançado progressos espirituais mais expressivos e não verificaríamos as barbaridades que ainda são cometidas, muitas em nome de Cristo.
O Racionalismo Cristão não é uma religião, não adota a Bíblia, por isso o que esse livro atribui a Cristo não constitui exatamente a base dos ensinamentos explanados pela Doutrina a respeito da vida espiritual.
Abril 2008

__________________________________________________________________


39. Podem os médiuns desdobrar-se sempre que acharem que serão úteis aos Espíritos Superiores? Justifique sua resposta.
Não. A disciplina estabelecida no Racionalismo Cristão alerta os médiuns para não exercerem a mediunidade fora das correntes formadas nas casas racionalistas cristãs.
O motivo de tal determinação disciplinar são os perigos a que se sujeitam as pessoas que se desdobram sem a assistência do Astral Superior, pois podem ficar à mercê de espíritos do astral inferior que as induzem ao erro com o objetivo de subjugá-las e mantê-las sob seu domínio. Entre esses perigos está o de cair no engodo das mistificações.
Abril 2008

__________________________________________________________________


40. Se temos o livre-arbítrio, isto é, se podemos escolher qual caminho seguir, por que cometemos tantos erros?
Em primeiro lugar, é necessário lembrar que, para bem usarmos nosso livre-arbítrio, precisamos ter consciência clara de que tudo o que fizermos reverterá em malefícios ou benefícios futuros. Portanto, o esclarecimento sobre a vida espiritual é uma base sólida para fazermos boas escolhas, ou, em outras palavras, para bem usarmos nosso livre-arbítrio e evitarmos cometer erros.
Por outro lado, sabemos que, enquanto encarnados, estamos de posse de um corpo físico, constituído de matéria própria deste planeta e, portanto, sujeito às atrações materiais que o planeta oferece. Para bem usarmos nosso livre-arbítrio precisamos ter sempre em mente a finalidade de nossa encarnação. Voltamos, assim, à necessidade básica acima apontada: conhecimentos espiritualistas contribuem para que aumentemos nossos acertos e diminuamos nossos erros.
Abril 2008

__________________________________________________________________


41. Qual a diferença entre as reuniões públicas, que acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, e as particulares, que acontecem às terças e quintas-feiras nas filiais do Racionalismo Cristão? Por que somente militantes participam das particulares?
Como sempre, muitos participantes enviaram respostas que ajudam a compreender a principal finalidade de cada um dos tipos de reuniões realizadas pelo Racionalismo Cristão. Segue abaixo nossa contribuição.
Segundo o livro Prática do Racionalismo Cristão, no capítulo dedicado às sessões realizadas, o objetivo principal das reuniões públicas "é esclarecer as criaturas de boa vontade sobre a Verdade relacionada com as leis e os deveres que a vida impõe, e, ainda, o de beneficiar, com a limpeza psíquica, as pessoas presentes, para que possam fazer bom uso do seu livre-arbítrio e se preparar, deste modo, para melhor cumprir as suas atribuições terrenas e espirituais" (p. 135).
Como se observa, essas reuniões destinam-se ao esclarecimento do semelhante, pois, ainda citando a mesma obra e mesmo capítulo, "estamos num mundo-escola – a Terra onde precisamos saber interpretar as lições que ele nos apresenta" (p. 136).
A leitura das páginas 151 e 152 da mesma obra mostra-nos que as reuniões particulares são totalmente destinadas ao desdobramento, através do qual as Forças Superiores, firmadas nas correntes formadas nas casas racionalistas cristãs, "vão a qualquer parte do planeta libertar das garras do astral inferior indivíduos ou corporações. É por esse meio que os Espíritos Superiores procuram amenizar a existência de governantes e governados, beneficiando enfermos cuja causa seja a obsessão, e livrando-os, muitas vezes, da desencarnação prematura". Dedicam-se, portanto, essas reuniões à limpeza psíquica do planeta como um todo.
Obs.: As páginas indicadas referem-se à 12ª Edição do livro, em papel, datada de 1989.
Abril 2008

__________________________________________________________________


42. Durante o sono, o espírito e seu corpo astral deixam o corpo físico. Para onde vão?
"Durante o sono, o espírito se afasta com o corpo astral (do qual não se aparta nunca), sem interromper, contudo, a união com o corpo carnal, ao qual continua a transmitir o calor e a vida através dos cordões fluídicos [...]". (Capítulo "A encarnação do espírito", do livro Racionalismo Cristão.
"Durante o sono, o espírito toma o curso que o seu pensamento deseja". Gravura 41 da 22a edição e 55 da edição anterior do livro A vida fora da matéria.
Para saber mais sobre o sono, recomendamos o livro Ciência espírita, de Antonio Pinheiro Guedes (trechos relacionados com o assunto estão reproduzidos no capítulo "Traços gerais" da obra Racionalismo Cristão.
Maio 2008

__________________________________________________________________


Em complemento à questão já feita anteriormente, a pergunta desta semana remete-nos para a auto-análise.
43. Todas as pessoas que conhecem o Racionalismo Cristão deixam de cometer erros? Justifique sua resposta.
A resposta é "não". Erra quem pensa que o racionalista cristão está sempre certo e age sempre corretamente.

Para que deixemos de cometer tantos erros, não basta conhecer o Racionalismo Cristão, é preciso colocar em prática seus ensinamentos. Para isso, devemos colocar nossa vontade em ação e nos determinarmos a realmente diminuir o número dos erros, que nada mais são que desvios do código de conduta que a Doutrina explana e que nós ainda não assimilamos.

Portanto, continuamos a cometer erros por não darmos a devida importância ao que nos ensina o Racionalismo Cristão e deixarmos que os atrativos materiais falem mais alto quando temos de fazer nossas escolhas.

Para fugir desses atrativos e aprender a usar melhor nosso livre-arbítrio, evitando cometer tantos erros, precisamos colocar nosso raciocínio em ação, refletir sobre a importância do que o Racionalismo Cristão explana, dedicar diariamente um tempo, ainda que pequeno, ao estudo, à leitura e à reflexão e praticar a disciplina e os ensinamentos que nos são oferecidos.


Maio 2008

__________________________________________________________________


44. Nas obras fundamentais do Racionalismo Cristão, capítulo "Pensamento", assevera-se que o espírito jamais deverá se deixar abater. Como devemos interpretar esse ensinamento?
Os racionalistas cristãos temos conhecimentos espirituais que nos mostram como conduzir nossa vida para bom aproveitamento da encarnação. Esses conhecimentos não nos tornam privilegiados, mas, sim, implicam em mais responsabilidades de nossa parte.
Sabemos, também, que os reveses, as dificuldades e outros sofrimentos devem ser encarados como oportunidades para aperfeiçoar-nos. Em vez de entendê-los como castigo, devemos tomá-los como desafios a serem vencidos. Assim, não devemos nos deixar abater, mas, sim, enfrentar essas situações com serenidade, coragem e determinação para superá-las.
Maio 2008

__________________________________________________________________


45. Um dos ensinamentos centrais da doutrina racionalista cristã diz respeito à disciplina. Comentar.
Estamos neste mundo-escola para trabalhar pela nossa evolução espiritual. Quanto mais eficiente esse trabalho, mais rapidamente promovemos nosso progresso. Quando a doutrina nos recomenda disciplina, tem por objetivo indicar-nos que devemos otimizar nosso tempo. Assim, disciplina passa a ser sinônimo de organização, método.
Nosso tempo é muito precioso. Por esta razão, recomenda o Racionalismo Cristão que tenhamos horário para todas as nossas atividades. Se assim fizermos, veremos que conseguiremos tempo para tudo, trabalho, estudo, lazer e descanso. Contudo, não basta atribuir um horário para nossos afazeres. É necessário cumprir esse horário. Daí ser importante estabelecer um programa diário realista, isto é, que tenhamos condições para cumpri-lo.
Por oportuno, vale relembrar o que diz a Doutrina sobre esse assunto:
  1   2   3   4   5   6   7


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal