Texto sobre a semana da vida – 2009



Baixar 7.36 Kb.
Encontro08.08.2016
Tamanho7.36 Kb.
TEXTO SOBRE A SEMANA DA VIDA – 2009
A Semana da Vida, que estamos comemorando nestes dias, é uma ocasião especial para colocar em evidência o valor e a beleza desse Dom precioso que recebemos de Deus: a nossa vida. De modo especial, salientamos o valor da vida humana, em todas as suas dimensões, desde o sagrado momento da fecundação até o seu término natural.
Diante de tantos ataques que a vida vem sofrendo em nossos dias, é nossa missão reafirmar sua importância inestimável e inegociável. A vida é o fundamento sobre o qual se apóiam todos os demais valores e direitos. É, verdadeiramente, o primeiro direito do Homem.
O Evangelho da vida está no centro da mensagem cristã. Deus, que é o Senhor da Vida, confiou aos seres humanos, o nobre encargo de preservá-la. Por isso, a Igreja declara que o respeito incondicional do direito à vida de toda pessoa – desde a fecundação até a morte natural – é um dos pilares sobre o qual assenta toda a sociedade e um Estado verdadeiramente humano. Defender este direito primário e fundamental à vida é um dever do Estado.
Atuar em favor da vida é contribuir para a renovação da sociedade através da edificação do bem comum. De fato, não é possível construir o bem comum sem reconhecer e tutelar o direito à vida, fundamento de todos os demais direitos inalienáveis do ser humano, estando aqui inserido o Nascituro (que é o bebê no ventre materno), desde o momento da fecundação.
Desde 2005 vem tramitando na Câmara Federal o Projeto de Lei 1135/91 que propõe a legalização do aborto no Brasil. Nesta ocasião, por mais um voto a favor o referido projeto de lei teria sido aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família e estaria aberto o caminho para sua aprovação pelo Plenário da Câmara. O que impediu isso? A mobilização popular, a ação da Igreja, das igrejas irmãs, dos movimentos pró-vida, e o trabalho corpo a corpo feito junto aos parlamentares, resultando, em 2007, na rejeição do PL por 33 votos a zero. Ainda em 2007, nova vitória pela Vida foi conseguida na Comissão de Constituição e Justiça, onde o PL foi declarado inconstitucional. Essas duas rejeições à legalização do aborto em nosso país seriam suficientes para o arquivamento do projeto. Mas... um grupo de 67 deputados, encabeçados por José Genoíno, apresentou um pedido de encaminhamento do PL 1135/91 ao Plenário. Portanto, a qualquer momento, ele poderá ser colocado na pauta da votação.
Não pode ter sólidas bases uma sociedade que se contradiz radicalmente, por um lado afirmando valores básicos como a dignidade da pessoa, a justiça e a paz, mas por outro, aceitando ou tolerando as mais diversas formas de desprezo e violação da vida humana, sobretudo as mais frágeis e marginalizadas. Só o respeito à vida pode fundar e garantir bens tão preciosos e necessários à sociedade como a democracia e a paz.
Todo crime contra a vida é um atentado contra a paz. O aborto é um crime contra a vida e contra a paz, pois a vida individual e a paz geral estão estreitamente ligadas. Aqui lembramos também o direito à vida do nenê anencéfalo e de tantos com anomalias congênitas que a moderna tecnologia pode detectar. Se quisermos uma ordem social é necessário construí-la sobre princípios tangíveis, na base dos quais está o respeito à vida humana, base também da civilização.
A civilização do amor e da vida é que dá à existência das pessoas e da sociedade, o seu significado humano mais autêntico.
Conclamamos a todos que se empenhem sempre na defesa e promoção da vida e que participem ativamente desta Semana Nacional da Vida e do Dia Nacional do Nascituro, comemorado em 8 de outubro. Em Jundiaí, este dia foi instituído e incluído no calendário municipal de eventos pela Lei 7160 de 06 de outubro de 2008.

(Texto elaborado pela Comissão Diocesana em Defesa da Vida)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal