Textos da orelha do livro



Baixar 5.07 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho5.07 Kb.
Textos da orelha do livro
“Este livro é de fundamental importância para a educação e cultura de Uberaba. André faz poesia das pessoas simples e comuns. André faz epopéia dos heróis anônimos e caminhantes das ruas de Uberaba. André faz história dos pobres e dos perdedores. Este livro é matéria-prima para muitas discussões em sala de aula entre professores e alunos, entre gente e gente, que curte, que ama, que admira gente. É uma semente! É uma explosão respeitosa, lírica e diferente de gente diferente! Valeu, André!”

Décio Bragança Silva, especialista em Língua Portuguesa pela Unicamp, professor de Língua Portuguesa na Uniube.


“Cotidianos culturais e outras histórias contempla os objetivos de renovação propostos pela Nova História.

Os fragmentos da vida cotidiana abordados nessa obra dão vida à memória, permitindo que ela seja reconstruída através de novas abordagens. É um livro inédito na historiografia uberabense, que vem sanar carências e esquecimentos, contribuindo na interpretação crítica do passado e do presente da cidade de Uberaba. A obra estimula o gosto pela preservação da memória e, ao mesmo tempo, incentiva professores e alunos a perceberem a efervescência do cotidiano histórico de nossa cidade.”



Eliane Mendonça Marquez, mestre em História pela UFG, professora de História da Uniube.
“Ao farejar as pegadas da história de Uberaba, o estudante de Jornalismo André Azevedo da Fonseca acaba por percorrer rastros profundos no cotidiano do homem brasileiro contemporâneo. Esse uberabense cosmopolita tem a perspicácia de analisar a cidade e o país não através de uma visão bairrista, mas com olhares focados pelas lentes multicoloridas de seres transculturados e, portanto, universais. Nele se apresenta um mediador que dialoga com o mundo, consigo mesmo e com o imaginário desse maravilhoso “real” latino-americano. Esse é o jornalismo que o mundo precisa – e que o curso de Jornalismo da Uniube incentiva. Um jornalismo lúcido, humanizado e consciente de seu papel político. A qualidade do trabalho do repórter já consagrado por diversos prêmios nacionais faz do livro uma referência de leitura que será de grande utilidade em salas de aula. E acima de tudo, essa obra satisfaz um anseio de leitores sedentos por textos afetivos sobre a identidade, a história e a cultura da cidade.”

Raul Osório Vargas, doutor em Epistemologia do Jornalismo pela USP, coordenador de Jornalismo no curso de Comunicação Social da Uniube.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal