The Camarilla Brasil Cenário da Cidade de Brasília 0 Venue Réquiem 2007



Baixar 15.37 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho15.37 Kb.
The Camarilla - Brasil

Cenário da Cidade de Brasília 1.0 – Venue Réquiem - 2007


 

 

Fanzine Nº 1/jan/2007 - produzido pelo Capítulo de Brasília

Responsável: Henrique Martins – Narrador

Contato: holy_alastor@yahoo.com.br

Comunidade no orkut: Vampire: the Requiem Brasília

Lista de email: camarillabrasília-ooc@yahoogrupos.com.br

Parte 1 – Os clãs do Palácio Cartesiano



Gangrel





Os Gangrel são primitivos, fortes e selvagens. Eles incorporam os mitos dos vampiros que se transformam em animais (lobos, morcegos) e dos que, de alguma forma, alteram sua forma corpórea (névoa). Muitos vampiros acreditam que o clã Gangrel é muito antigo, mas devido a sua natureza bestial, poucos recordam existir algo que possa conectar suas origens a uma época especifica da história.



Ainda que a obscura pré-história dos vampiros contenha um bom número de lendas sobre vampiros bestiais, não são todos esses contos que coincidem com a verdadeira atuação dos selvagens. Geograficamente, os Gangrel parecem ter suas origens no que é hoje considerado o leste europeu, quando eles tiveram contato com a nascente Camarilla e foram relutantemente jogados dentro desta arcaica sociedade. Historiadores também teorizam que os Gangrel tem fortes raízes no que é hoje a moderna Escandinávia.

Desde aquelas primeiras noites da sociedade vampírica, os Gangrel tem escolhido permanecer nos limites das fronteiras dos domínios de seus próprios territórios. Como tal, o clã é freqüentemente visto como desbravador, formando novos domínios em territórios desconhecidos, isolados e selvagens.

Os Gangrel são considerados os predadores entre os predadores, a mais selvagem das bestas. São de certa forma considerados os “nobres selvagens” da raça vampírica. Em síntese, eles gastam mais tempo em comunicação com seu lado bestial que os outros vampiros.

Muitos membros do clã não se importam nem um pouco com as questões políticas que envolvem a danse macabre, mas isso não quer dizer que eles não tenha suas próprias opiniões a respeito do assunto. Surpreendentemente, uma significante porcentagem do clã faz parte do “Circle of the Crone”. Alguns dos mais pro-ativos Gangrel se encontram no “Carthian Movement”, um alto numero de motivados selvagens tem levado a frente a causa do movimento nos últimos anos.

Poucos Gangrel tem entrado no “Lance Sanctum” e “Invictus”, devido à natureza das crenças de cada “Convenant”, os que estão ativos dentro destes dois grupos usualmente trabalham para importantes anciões ou são poderosos anciões. Um grande número de Gangrel também encontra seu lugar entre os independentes. A estes é agradável a sensação de liberdade, que preferem que os anciões e outros clãs mantenham suas políticas para eles mesmos.

Pelo que se pode perceber, esse talvez seja o mais desorganizado dos clãs. Eles não têm nenhuma hierarquia definida e são imensamente desinteressados em manter estruturas ou atividades internas do clã. Há somente um evento ao qual eles parecem se preocupar, um encontro social conhecido como: “Gathering”. Este evento serve para dois objetivos. Primeiro como uma oportunidade de unir e atualizar qualquer outro evento que posso vir a ser realizado. Segundo, como um fórum para resolução de disputas internas do clã.

Como resultado desta pratica, o clã tem crescido mais cooperativamente, havendo poucas mortes por causa de disputas internas.

Gangrel em Brasília
A família Gangrel é considera a primeira a colocar os pés na conhecida capital brasileira, a cidade de Brasília. No final do ano de 1959, relatam os membros da cidade, que Juan Esteban y Gonzáles, Gangrel que veio do sul do país, avistou pela primeira vez os prédios e casas sendo construídos. Contam ainda que o mesmo instalou-se numa região de mata que atualmente compreende o Parque da Cidade. Depois de algum tempo residindo em Brasília, cidade que é conhecida pelos membros da sociedade vampírica como o Palácio Cartesiano, Juan conheceu um outro membro, Leon Fernandez. Os dois conversaram e depois seguiram seus caminhos. Alguns anos depois, Juan abraçou cerca de dois ou três escolhidos, mas esta primeira linhagem toda caiu em combate contra seus inimigos. Agatha e Hoff são os nomes que são lembrados de terem sido os primeiros filhos de Juan. A segunda linhagem, atualmente vivendo na cidade é composta por João Pedro Couto, Almir e Alan Santos. Juntamente com Juan, eles são os membros principais da linhagem na cidade.

Rumores contam que todos eles se refugiam no Parque da Cidade, apesar de que sabe-se que todos possuem algum outro refugio fora da cidade. È sabido também que esses membros fazem parte do Movimento Carthiano.




Próxima edição: O Movimento Carthiano e sua atuação em Brasília


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal