Tom Jobim / Vinícius de Moraes – Garota de Ipanema Conteúdos: Competências culturais



Baixar 97.15 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho97.15 Kb.

Tom Jobim / Vinícius de Moraes – Garota de Ipanema


Conteúdos:

Competências culturais: música e cultura brasileira; o movimento Bossa Nova; “Garota de Ipanema”; informações sobre o compositor Tom Jobim e o poeta Vinícius de Moraes;

Competências linguísticas:

- competência semântico-lexical: sinonímia e antonímia; conectores; provérbios;

- competência gramatical: valores fonéticos do grafema x; adjetivos qualificativos e relacionais; grau dos adjetivos; porque / por que / porquê (no PE e PB); expressão da causa; os verbos copulativos ser / estar / ficar; interjeições;

Competências pragmático-discursivas: descrições; argumentar; conversação;

Competências sociolinguísticas: compreender textos; exprimir opiniões; exprimir sentimentos; falar sobre o conceito de beleza.
Nível QECR: A2

Tempo aproximado: 180 minutos

CULTURA – COMPETÊNCIA SOCIOCULTURAL


1. "GAROTA DE IPANEMA" é uma das mais conhecidas canções da Bossa Nova, composta em 1962, com letra de Vinícius de Moraes e música de Tom Jobim. A primeira gravação pela Verve estreia-se no dia 19 de março de 1963 e no ano seguinte sai o LP Getz/Gilberto, por ser interpretado por João Gilberto (a parte em português e no violão) e Astrud Gilberto (a parte em inglês), acompanhados pelo músico de jazz americano Stan Getz no saxofone e com a participação de Tom Jobim no piano. A gravação em inglês, com letra de Norman Gimbel, transformou “Garota de Ipanema” num sucesso mundial. Vencedor do Grammy em 1965, é considerado o álbum que popularizou a Bossa Nova nos Estados Unidos e, posteriormente, no resto do mundo.

O álbum Getz/Gilberto

[http://www.bossa.net/verve/000194.html]


Heloísa Pinheiro: a Garota de Ipanema

[http://ipanemaeetd.blogspot.pt/2008_04_01_archive.html]

2. HISTÓRIA. A versão original, com o nome de Menina que passa, composta também por Vinícius de Moraes, era diferente e não recebeu a aprovação de Tom Jobim. A versão definitiva foi refeita mais tarde por Vinícius, inspirado em Heloísa Pinheiro, uma moça que passava frequentemente em frente ao Bar Veloso (hoje em dia, Garota de Ipanema), no cruzamento da Rua Montenegro (hoje em dia, Rua Vinícius de Moraes) com Prudente Morais, em Ipanema. Tom e Vinícius frequentavam o bar por ser ponto de encontro dos intelectuais e boémios da cidade. A Garota de Ipanema, Heloísa Pinheiro, morava na rua Montenegro e somente dois anos e meio depois ficou a saber que era a inspiração da canção. [texto adaptado, http://pt.wikipedia.org/wiki/Garota_de_Ipanema]

Bar Veloso, atual bar Garota de Ipanema [http://www.pierdeipanema.com.br/image/679/bar-veloso-atual-bar-garota-de-ipanema]



3. A VERDADEIRA GAROTA DE IPANEMA. Eis um texto divulgado por Vinícius de Moraes em 1965 a propósito da verdadeira Garota de Ipanema: “Seu nome é Heloísa Eneida Menezes Paes Pinto, mas todos a chamam de Helô. Há três anos ela passava, ali no cruzamento de Montenegro e Prudente de Morais, em demanda da praia, e nós a achávamos demais. Do nosso posto de observação, no Veloso, enxugando a nossa cervejinha, Tom e eu emudecíamos à sua vinda maravilhosa. O ar ficava mais volátil como para facilitar-lhe o divino balanço do andar. (…) Para ela fizemos, com todo o respeito e mudo encantamento, o samba que a colocou nas manchetes do mundo inteiro

e fez de nossa querida Ipanema uma palavra mágica para os ouvintes estrangeiros. Ela foi e é para nós o paradigma do broto carioca; a moça dourada, misto de flor e sereia, cheia de luz e de graça mas cuja visão é também triste, pois carrega consigo, a caminho do mar, o sentimento da mocidade que passa, da beleza que não é só nossa – é um dom da vida em seu lindo e melancólico fluir e refluir constante”. [http://www.recantodasletras.com.br/cron/as/108126]

Vinícius de Moraes e Heloísa Pinheiro

[http://www.rocknbeats.com.br/2012/03/18/ha-meio-seculo-a-garota-de-ipanema-vem-e-passa-sem-perder-o-charme/]


Vocabulário:

enxugar = (fig.) beber

broto = (Br.) adolescente; namorado/a
4. OUTRAS VERSÕES. A segunda música mais executada em todo o mundo no século XX, depois de "Yesterday" dos Beatles, “Garota de Ipanema” faz 50 anos e conheceu já 170 versões desde que foi criada. Foi interpretada por inúmeros artistas: Elis Regina e Hermeto Paschoal, Caetano Veloso e Roberto Carlos, Gilberto Gil, Baden Powell, Simone e Toquinho, Maria Creuza, Gal Costa, entre outros. "Garota de Ipanema" foi também


Tom Jobim e Frank Sinatra

[http://supermouser.com.br/blog/geral/25-de-janeiro-aniversario-de-87-anos-de-tom-jobim/]

imortalizada em inglês por Frank Sinatra (junto a Tom Jobim), Ella Fitzgerald (que refere um rapaz – Boy From Ipanema), Madonna, Cher e, mais recentemente, por Stevie Wonder no Rock in Rio 2011. Uma das últimas versões foi pela voz de Amy Winehouse, incluída num álbum lançado depois da sua morte. [texto adaptado, http://expresso.sapo.pt/garota-de-ipanema-faz-50-anos=f702445]


5. HISTÓRIAS DA “GAROTA DE IPANEMA”:

  • “Garota de Ipanema” foi apresentada pela primeira vez num espetáculo na casa Bom Gourmet, em Copacabana, no Rio, em agosto de 1962, por João Gilberto, Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

  • Quando foi composta, a música tinha os seguintes versos: “Vinha cansado de tudo / De tantos caminhos / Tão sem poesia / Tão sem passarinhos / Com medo da vida / Com medo de amar / Quando na tarde vazia / Tão linda no espaço / Eu vi a menina / Que vinha num passo / Cheio de balanço / Caminho do mar”. Esta versão não recebeu a aprovação de Tom Jobim, por seu início ser um tanto quanto depressivo. Como descreve Sérgio Cabral em Antônio Carlos Jobim – Uma Biografia, Tom costumava trocar o verso “Tão sem passarinho” por “Tom sem passarinho” para desconcertar Vinícius. Era assim em todos os trabalhos da dupla: quando Tom não gostava de algo que o poeta escrevia, ele não rejeitava diretamente, mas sim fazia trocadilhos com alguns versos que não lhe agradavam. [texto adaptado, http://www.rocknbeats.com.br/2012/03/18/ha-meio-seculo-a-garota-de-ipanema-vem-e-passa-sem-perder-o-charme/]

  • A versão mais recente da música foi gravada pelo neto de Tom, Daniel Jobim, e pela cantora Xuxa e faz parte da trilha sonora de Aquele beijo, telenovela brasileira que começou em outubro de 2011.

  • Hoje em dia, encontram-se no YouTube versões da “Garota de Ipanema” em várias línguas: inglês, francês, espanhol, alemão, hebraico, até esperanto.


6. IPANEMA é um bairro nobre da cidade brasileira do Rio de Janeiro, fundado em 1894 por José Antônio Moreira, conde de Ipanema. O nome tupi Ipanema admite duas interpretações: primeiro, "água ruim, rio sem peixes", através da junção dos termos 'y ("água") e panema ("imprestável"); segundo, "lagoa fedorenta", através da junção dos termos upaba ("lago") e nem ("fedorento"). Sinónimo de vanguarda nos anos 1960 e 1970, Ipanema foi palco do movimento cultural brasileiro chamado Tropicalismo, da Bossa Nova, do semanário Pasquim, entre outros.

[http://pt.wikipedia.org/wiki/Ipanema_(Rio_de_Janeiro)]


Ipanema [http://www.riototal.com.br/riolindo/tur006.htm]





7. BOSSA NOVA. Estilo musical nascido no final da década de 50, no Rio de Janeiro, derivado do samba e com forte influência do jazz norte-americano. De início, o termo era apenas relativo a um novo modo de cantar e tocar samba naquela época, ou seja, a uma reformulação estética dentro do moderno samba carioca urbano. Com o passar dos anos, a Bossa Nova tornar-se-ia um dos movimentos mais influentes da história da música popular brasileira, conhecido em todo o mundo e, especialmente, associado a João Gilberto, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Baden Powell, entre outros.

O movimento Bossa Nova iniciou-se para muitos críticos quando foi lançado, em agosto de 1958, um compacto simples do violonista baiano João Gilberto, contendo as canções Chega de Saudade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e Bim Bom (do próprio cantor). A expressão bossa nova era utilizada para aqueles sambas de breque, baseado no talento de improvisar paradas súbitas durante a música para encaixar falas. Outras características do movimento eram as letras que abordavam temáticas leves. A forma de cantar também se diferenciava da que se tinha na época; segundo o maestro Júlio Medaglia, “desenvolver-se-ia a prática do canto-falado ou do cantar baixinho, do texto bem pronunciado, do tom coloquial da narrativa musical, do acompanhamento e canto integrando-se mutuamente, em lugar da valorização da 'grande voz'”.

[http://pt.wikipedia.org/wiki/Bossa_Nova]



Vocabulário

breque = (Br.) travão

samba de breque = estilo musical derivado do samba, cuja principal característica é a pausa no acompanhamento sincopado para uma intervenção do intérprete, sendo estas paradas bruscas chamadas breques, designação abrasileirada do inglês break

encaixar = introduzir, inserir




8. TOM JOBIM E VINÍCIUS DE MORAES. Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Tom Jobim) foi o compositor popular brasileiro mais famoso e mais respeitado tanto no Brasil como fora dele nos últimos 50 anos; ao lado de Marcus Vinícius da Cruz de Melo Moraes (Vinícius de Moraes), o mais culto letrista e mais intelectualizado compositor da música popular brasileira, formaram a mais importante dupla de compositores, com participação muito ativa na criação do movimento Bossa Nova e na renovação e divulgação da moderna música popular brasileira.

[http://www.paixaoeromance.com/60decada/garota_ipanema62/hgarota.htm]


Tom Jobim e Vinícius de Moraes: parceria que mudou a história da música popular brasileira e fez o mundo cantar a Bossa Nova

[http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_19/2012/01/29/ficha_musica/id_sessao=19&id_noticia=48926/ficha_musica.shtml]


COMPREENSÃO DA LEITURA

Atividade 1. Para completar as afirmações seguintes, assinale a opção correta de acordo com os textos que acabou de ler:

1. “Garota de Ipanema” tornou-se um sucesso mundial

(a) logo após a sua estreia em 1963.

(b) depois de ter sido interpretada em inglês por Astrud Gilberto.

(c) por ter sido imortalizada por vários cantores norte-americanos.
2. Ao escrever as letras da “Garota de Ipanema”, o poeta Vinícius de Moraes inspirou-se

(a) numa menina que ia à praia em Ipanema.

(b) numa menina que ia ao antigo Bar Veloso em Ipanema.

(c) numa menina que frequentava o bairro de Ipanema.


3. Uma das características da Bossa Nova refere-se

(a) ao tom da voz que deve ser alto.

(b) às temáticas profundas contidas pelas letras.

(c) à maneira como se tocava e cantava samba nos anos 50.


4. Uma das versões mais recentes da “Garota de Ipanema”

(a) foi gravada em várias línguas.

(b) foi gravada por artistas brasileiros, mas também por cantores em inglês.

(c) foi gravada nos Estados Unidos.


Atividade 2. Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo. No caso de a afirmação ser F, corrija-a e dê a informação correta:

1. O primeiro LP Getz/Gilberto saiu em 1964.

2. O letrista e o compositor da canção ficavam melancólicos quando viam a sua musa de inspiração, Heloísa Pinheiro, passar em direção à praia.

3. Na internet há versões da “Garota de Ipanema” em várias línguas, exceto esperanto.

4. A primeira versão da “Garota de Ipanema” foi rejeitada pelo compositor Tom Jobim.
COMPREENSÃO ORAL

Atividade 3. Ouça a canção “Garota de Ipanema”, interpretada por Tom Jobim e Vinícius de Moraes, disponível no site http://www.youtube.com/watch?v=JbMr8KWROhk&feature=fvsr. Depois de ter lido o texto Bossa Nova acima transcrito, diga qual é a sua opinião sobre a canção, tomando em conta a maneira de cantar e tocar, o tom da voz e o tema da canção.
Atividade 4. Volte a ouvir a canção e preencha os espaços em branco para reconstituir as suas letras. Qual é a classe gramatical a que pertencem as palavras que faltam? Verifique as suas respostas com base na versão acompanhada da letra disponível no site http://letras.terra.com.br/tom-jobim/20018/:


Olha que coisa mais ________
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
Num ________ balanço
A caminho do mar

Moça do corpo ________


Do sol de lpanema
O seu balançado

É mais que um poema


É a coisa mais ________

Que eu já vi passar

Ah, por que estou tão ________?
Ah, por que tudo é tão ________?
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa ________

Ah, se ela soubesse


Que quando ela passa
O mundo ________

Se enche de graça


E fica mais ________
Por causa do amor

Por causa do amor



Por causa do amor


Atividade 5. Oiça duas interpretações diferentes da “Garota de Ipanema”: a versão interpretada por João Gilberto em 1964, tirada do álbum Getz/Gilberto, disponível no site http://www.youtube.com/watch?v=-pyoP0iA_k0 (será suficiente ouvir a primeira parte em português) e a versão interpretada por Daniel Jobim, neto do compositor Tom Jobim, em dueto com a cantora Xuxa, em 2011, disponível no site http://www.youtube.com/watch?v=pQ4yk7pwDf8. Que diferenças existem entre as duas versões no que diz respeito às letras? Qual das duas variantes prefere e porquê?
PRODUÇÃO ORAL

Atividade 6. A canção “Garota de Ipanema” pode ser interpretada como sendo uma dedicação à beleza da mulher. Descreva uma mulher que considere bonita, sem se esquecer da maneira de andar, de se vestir e enfeitar. De seguida, compare a sua descrição com as dos seus colegas: quais são as semelhanças e as diferenças?
PRODUÇÃO ESCRITA

Atividade 7. Escreva um texto de opinião em que discuta sobre o conceito de beleza, altamente subjetivo, tendo como ponto de partida o ditado “Os gostos não se discutem”. (20 linhas)
ÂMBITO LINGUÍSTICO GERAL

Exercício 1. Nos textos acima transcritos, constam algumas palavras cuja grafia com x pode apresentar algumas dificuldades de pronúncia: saxofone, texto, enxugando, executada etc. Em português a letra x pode ter vários valores fonéticos, nomeadamente, [ks], [∫], [s], [z]. Divida as seguintes palavras em quatro colunas de acordo com o valor fonético que apresenta: saxofone, texto, executar, peixe, próximo, exame, exercício, fax, auxílio, expressão, máximo, encaixar, táxi, baixinho, exemplo, enxugar.


[ks]

[∫]

[s]

[z]






































Exercício 2. Depois de realizar a Atividade nº 4 acima proposta e de preencher os espaços em branco com as palavras corretas, dê um sinónimo para cada uma das palavras com as quais reconstituiu a letra da canção.
Exercício 3. Uma vez realizada a Atividade nº 4, classifique os adjetivos de acordo com as subclasses abaixo apresentadas, argumentando a favor ou contra a inclusão dos adjetivos numa determinada subclasse. De seguida, dê um antónimo para cada um dos adjetivos.

Lembrete gramatical. Em português, os adjetivos classificam-se em qualificativos e relacionais, sendo cada uma destas subclasses caracterizadas pelos seguintes traços:

qualificativos

relacionais

não são denominais: moça linda

denominais: estilo musical (< música)

exprimem qualidades

função classificatória

posição pré- ou pós-nominal: moça linda ~ linda moça (embora possam ter interpretações diferentes)

posição pós-nominal: estilo musical

predicativos: a moça é linda

não predicativos: *o estilo é musical

graduáveis: podem ser modificados por expressões de grau (menina muito linda), admitem antónimos (moça linda ≠ feia), ocorrem em construções exclamativas e comparativas (que menina linda!)

não graduáveis


Exercício 4. Os adjetivos que se seguem são qualificativos e podem ocorrer tanto em posição pré-nominal, como pós-nominal. No entanto, apresentam interpretações diferentes. Explique a diferença de sentido dos seguintes pares:

1. O meu amigo velho regressou a Portugal. / O meu velho amigo regressou a Portugal.

2. Um homem pobre bateu à nossa porta. / Um pobre homem bateu à nossa porta.

3. O António é um homem grande. / O António é um grande homem.



4. A Joana é uma pessoa rica. / A Joana é uma rica pessoa.
Exercício 5. Grau dos adjetivos

Lembrete gramatical. Tal como se depreende da tabela acima, uma das características dos adjetivos qualificativos é o facto de poderem ser modificados por expressões de grau. A categoria gramatical da comparação é apresentada nas duas tabelas abaixo:

GRAU

FORMAÇÃO

EXEMPLOS

Normal




A menina é linda.


Comparativo

de superioridade

mais(do) que …

A menina morena é mais linda do que a loira.

de igualdade

tão … como / quanto …

A menina morena é tão linda como a loira.

de inferioridade

menos … (do) que …

A menina morena é menos linda do que a loira.



Superlativo


relativo

de superioridade

o / a + mais …

A menina morena é a mais linda.

de inferioridade

o / a + menos …

A menina morena é a menos linda.

absoluto

sintético

-íssimo

A menina é lindíssima.

analítico

advérbio muito

A menina é muito linda.

Os seguintes adjetivos apresentam irregularidades na formação de grau:

Grau normal

Comparativo de superioridade

Superlativo

absoluto sintético

relativo de superioridade

bom

melhor

ótimo

o melhor

mau

pior

péssimo

o pior

grande

maior

máximo

o maior / o máximo

pequeno

menor

mínimo

o menor / o mínimo

Complete as frases seguintes com os adjetivos contrários utilizados no comparativo de superioridade, de acordo com o modelo: A letra desta música é pessimista; gostava de ouvir uma mais otimista.

1. A versão mais antiga da “Garota de Ipanema” data de 1962 e a __________ de 2011.

2. Tocar piano pode ser difícil, mas para quem pratica torna-se __________.

3. Esta música é muito má, gostava de ouvir uma __________.

4. Estas canções caracterizam-se por uma temática leve, ao passo que aquelas se caracterizam por uma temática __________.

5. As notas baixas desta canção casam bem com as notas __________.

6. A versão que tenho desta música é curta; gostava de ter a versão __________.

Exercício 6. Dois versos da canção “Garota de Ipanema” contêm a forma por que, muitas vezes confundida com a forma porque, mas também porquê, sendo todas estas três formas utilizadas para exprimir uma causa ou para pedir uma explicação.

Lembrete gramatical. As formas por que, porque e porquê apresentam as seguintes diferenças:

1. porque:

→ advérbio interrogativo de causa, nas orações interrogativas diretas e indiretas: Porque estás triste? Vou dizer-te porque estou triste.



Obs. A variante brasileira do interrogativo porque é por que, tal como consta nos versos da canção!

→ conjunção subordinativa causal, introduz uma oração subordinada causal: Estou triste porque não fui ao concerto de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.



2. por que:

→ preposição por e pronome interrogativo que, nas orações interrogativas diretas e indiretas: Por que motivo estás triste? Vou dizer-te por que motivo / razão estou triste.



Obs. No português europeu (PE), a presença do nome motivo / razão / causa é obrigatório, o que não acontece no português do Brasil (PB), onde se escreve: Por que estás triste? / Vou dizer-te por que estou triste.

→ preposição por e pronome relativo que: Vou dizer-te o motivo / a razão por que estou triste. As ideias por que lutamos são as melhores.



3. porquê: → advérbio interrogativo: Estás triste? Porquê? – Não sei porquê, talvez porque não fui ao concerto.

Obs. A variante brasileira do interrogativo porquê é por quê: Estás triste? Por quê? – Não sei por quê, talvez porque não fui ao concerto.

Obs. Tanto no PE, como no PB, porquê pode ser utilizado como nome: Não entendo o porquê disso tudo (derivação imprópria).

Preencha os espaços em branco com uma das três formas por que / porque / porquê:

1. Sei muito bem __________ motivo comprei este CD com música brasileira.

2. Agora não saio com vocês __________ à noite vou a um concerto.

3. __________ não leste estes poemas escritos por Vinícius?

4. __________ toda esta confusão?

5. ___________ causa não estiveste ontem presente?

6. Perguntei-te ___________ faltaste ao prometido e não me devolveste os discos.

7. Explicou-me a razão ___________ não quer ouvir esta canção.

8. Estás desconfiada em relação a este estilo musical. Mas ___________?


Exercício 7. Expressão da causa

Lembrete gramatical. Para exprimir a causa, em português há outros meios linguísticos para além dos apresentados acima. Atenda às seguintes possibilidades:

1. orações coordenadas através de pois, portanto, por conseguinte, por consequência, por isso, sendo a ordem causa – conector – efeito: Tenho muito trabalho, por isso não vou ao concerto.

2. orações causais introduzidas pelas conjunções / locuções conjuncionais subordinativas de causa porque, como, pois que, uma vez que, visto que, já que, dado que seguidas por um verbo no modo Indicativo: Como estou de férias, tenho tempo para ir à praia de Ipanema.

3. orações causais introduzidas pelas preposições / locuções prepositivas por causa de, devido ao facto de, dado, visto, por seguidas pelo infinitivo: Por estar de férias, vou visitar o Rio de Janeiro.

4. orações causais gerundivas e participiais, sem conectores: Estando de férias, tenho muito tempo para ouvir estes discos. Magoada, a miúda dirigiu-se a caminho do mar.

5. preposições / locuções prepositivas por causa de, devido a, por, sem, com seguidas de nome: O mundo fica mais lindo por causa do amor.

Una as duas orações numa única frase de forma a conter uma construção causal e utilizando para isso os meios linguísticos mencionados nos dados teóricos acima:

1. Não tinha bilhete. Não assisti ao concerto.

2. O João faz anos. Os pais oferecem-lhe uma viagem ao Rio de Janeiro.

3. Tenho que fazer um trabalho sobre a Bossa Nova. Estou a fazer uma pesquisa.

4. Esta música venceu um Grammy. Agora ouço-a na rádio todos os dias.
Exercício 8. As orações abaixo são efeitos cujas causas são desconhecidas. Imagine quais as causas que possam ter levado a tais efeitos e, para tal, construa frases utilizando o maior número possível de meios linguísticos para exprimir a causa:

1. Ficou muito feliz.

2. Roubaram-me dois discos.

3. Estou muito cansado.

4. Esta canção foi interpretada por dezenas de cantores.
Exercício 9. Nos versos da canção “Garota de Ipanema” constam os verbos copulativos estar e ficar, ambos seguidos de um adjetivo: estar triste e ficar lindo. Depois de ler abaixo as principais diferenças entre os verbos copulativos ser, estar e ficar seguidos de uma forma adjetival, preencha os espaços em branco com a forma verbal correta:


  • ser → indica uma qualidade ou características permanentes;

  • estar → indica uma qualidade ou características transitórias ou temporárias;

  • ficar → indica uma mudança de estado.

1. O João ______ feliz, mas às vezes ______ triste.

2. A cantora ______ surpreendida quando recebeu a notícia.

3. O compositor ______ mais conhecido do que o letrista.

4. A Joana ______ um pouco nervosa, mas ontem ______ muito calma.

5. Este álbum ______ no topo das vendas há duas semanas.

6. Ela ______ feliz quando pode viajar.


Exercício 10. Nos versos da canção “Garota de Ipanema” a interjeição Ah! é utilizada quatro vezes e apresenta dois valores diferentes. É conhecido o facto de o valor de cada interjeição depender do contexto de enunciação e corresponder a uma atitude do falante, sem esquecer a entoação que se lhe dá. Leia cada uma das frases seguintes em voz alta com a entoação que melhor traduz o sentimento indicado:

1. Ah, porque estou tão sozinho… → tristeza

2. Ah, estava a divertir-me tão bem e lá estás tu a chamar-me!... → desilusão

3. Ah, tanto se me dá como se me deu! → indiferença

4. Ah, era mesmo o álbum que queria! Obrigada pela prenda! → alegria

5. Ah, como é possível? Ainda ontem me prometeu que vinha e não veio. → indignação



6. Ah, mas que linda paisagem à nossa frente! → admiração
Exercício 11. Construa frases exclamativas à volta da interjeição ui! de forma a exprimir os seguintes sentimentos: dor, medo, espanto, surpresa e repugnância. De seguida, leia-as em voz alta.

Languages & Integration through Singing; http://www.languagesbysongs.eu



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal