Ufv / II sen / outubro de 2008 / arquitetura e urbanismo a aplicaçÃo e a contribuiçÃo do paisagismo do século XVIII para os dias atuais: o sublime e o pitoresco na humanizaçÃo dos espaçOS



Baixar 5.42 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho5.42 Kb.




UFV / II SEn / OUTUBRO DE 2008 / ARQUITETURA E URBANISMO


A APLICAÇÃO E A CONTRIBUIÇÃO DO PAISAGISMO DO SÉCULO XVIII PARA OS DIAS ATUAIS: O SUBLIME E O PITORESCO NA HUMANIZAÇÃO DOS ESPAÇOS.

CARLA VITOR PAIM (Estagiário voluntário/UFV), PALOMA FABÍULA RODRIGUES SILVA (Estagiário voluntário/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV)

 A discussão teórica desenvolvida nesse trabalho se estabelece a partir do surgimento de uma nova e orgânica proposta de planejamento paisagístico, que substituiria aquela geometrizada originada no Barroco Europeu no século XVIII. Com o surgimento da Estética, enquanto ciência, nesse mesmo período, o critério de julgamento da beleza deixou a objetividade clássica e passou a ser subjetivo. Como arte subjetiva, a produção espacial passava pela articulação dos princípios do Sublime e do Pitoresco, ou seja, arranjos espaciais que conferiam intimidação ou aconchego, respectivamente, pelo uso da escala e de elementos compositivos. O objetivo do trabalho foi compreender o planejamento de jardins no século XVIII, verificando como os princípios do Sublime e do Pitoresco se concretizaram na prática de projeto, e verificar como poderiam ser aplicados na produção arquitetônica hoje. Para isso realizamos uma revisão bibliográfica, baseada em livros e artigos científicos, de autores como Burke, Pevsner e Morris. Em seguida fizemos um estudo de caso do paisagismo do Palácio de Schönbrunn, localizado em Viena, Áustria, um dos mais importantes jardins do século XVIII. Observamos o Sublime sendo aplicado em suas dimensões, através de extensos canteiros e avenidas internas, bem como o caráter surpresa em seu labirinto. O Pitoresco é observado através dos elementos como fontes, glorinetes, ruínas e na diversidade das plantas que conferem aos jardins uma sensação de aconchego e acolhimento. Essas duas possibilidades de produção espacial, a aplicação dos princípios do Sublime e do Pitoresco, em nossa produção arquitetônica atual, podem, e devem, extrapolar a aplicação no paisagismo exterior, contribuindo significativamente para os arranjos espaciais interiores, viés que o atual ensino de Arquitetura deve privilegiar. A contribuição positiva acontece pela humanização dos espaços, ou seja, efetivando a integração dos ambientes através da harmonia, acolhimento e aconchego, imprescindíveis para projetos arquitetônicos de hospitais, creches, escolas, entre outros.

 

 






©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal