Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed



Baixar 39.02 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho39.02 Kb.


Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED




PLANO DE ENSINO



DEPARTAMENTO:


Departamento de Ciências Humanas

ANO/SEMESTRE:

2012.1

CURSO:


Pedagogia

FASE:



DISCIPLINA:

História da Educação III

TURNO:

Noturno

CARGA HORÁRIA:

60 horas/aula

CRÉDITOS:

4

PROFESSOR:

Francisco Canella



1 EMENTA





A educação brasileira e catarinense no período republicano e suas ligações com as experiências européia e americana. As reformas educativas na Primeira República. A nacionalização da educação nas décadas de trinta e quarenta. Tendências e críticas educativas na segunda metade do século XX.



2 HORÁRIO DAS AULAS




DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Quarta-feira

20h às 22h30min

03

Quinta-feira

21h40min às 22h30min

01

3 OBJETIVOS



3.1 OBJETIVO GERAL


Compreender a educação brasileira e catarinense durante o Período Republicano, analisando os diferentes sujeitos e suas práticas, instituições e concepções.



3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS


.

Estimular a reflexão crítica acerca da educação contemporânea a partir de uma perspectiva histórica.


Conhecer a produção bibliográfica e as pesquisas mais recentes na área de História da Educação.
Estabelecer relações entre a dinâmica educacional brasileira e as particularidades da dinâmica catarinense.
Estimular a capacidade de interpretação de texto e a expressão oral e escrita.
Compreender a construção do conhecimento histórico a partir de uma experiência prática de pesquisa com relatos orais.



4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO




UNIDADE I - A educação na Era Vargas

1.1. O escolanovismo no Brasil.

1.2. O Estado e as políticas educacionais.

1.3. A nacionalização do ensino.
UNIDADE II - A educação no Período Populista

2.1. O conflito escola pública X escola privada.

2.2. Educação popular e movimentos sociais.
UNIDADE III – A educação no Período Militar

3.1. A política educacional dos governos militares.

3.2. O movimento estudantil e a resistência à ditadura militar.
UNIDADE IV - A educação no contexto da redemocratização

4.1. O movimento dos professores.

4.2. A educação brasileira e as perspectivas neoliberais.
UNIDADE V – História oral e educação

5.1. A pesquisa na história oral contemporânea e a produção do conhecimento histórico.

5.2. História oral e educação: pesquisa sobre vidas de professoras.


5 METODOLOGIA





- Aulas expositivas.

- Trabalho em equipes de análise de textos.

- Exibição de filmes, seguida de debates.

- Trabalhos de pesquisa em história oral (em equipes).






6 CRONOGRAMA DAS AULAS

MÊS

DIAS

Fevereiro

15, 16, 23, 29 08 ha

Março

01, 07, 08, 14, 15, 21, 22, 28, 29 26 ha

Abril

04, 11, 12, 18, 19, 25, 26 40 ha

Maio

02, 03, 09, 10 48 ha

Junho

06, 13, 14, 20, 21, 25 60 ha


7 AVALIAÇÃO





ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Prova Escrita (individual, sem consulta bibliográfica).


Clareza do texto escrito. Objetividade da resposta. Apropriação adequada da bibliografia. Compreensão das discussões estabelecidas em aula.

30%

Resenhas (individuais).


Clareza e objetividade do texto escrito. Apropriação adequada da bibliografia.

Poder de síntese. Pontualidade na entrega.



40%

Pesquisa (em equipes).


Envolvimento com a atividade. Articulação das entrevistas com o conteúdo da disciplina. Capacidade de organização em grupo. Clareza e objetividade do texto escrito.

30%



8 BIBLIOGRAFIA




8.1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA


ALBERTI, Verena. História oral: a experiência do Cpdoc. Rio de Janeiro, Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, 1989.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Em campo aberto: escritos sobre a educação e a cultura popular. São Paulo: Cortez, 1995.
CUNHA, Maria Teresa Santos. “Centelhas de idealismo”. O “ser professora” nos discursos de formatura do Curso Normal: a voz das oradoras. Florianópolis, (SC) 1945-1960. In: SCHEIBE, Leda & DAROS, Maria das Dores (org). Formação de professores em Santa Catarina. Florianópolis, NUP/CED, 2002.
DALLABRIDA, Norberto. Privatização e elitização do ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX – meados do século XX). In: DALLABRIDA, Norberto & VALLE, Ione Ribeiro. Ensino médio em Santa Catarina: histórias, políticas, tendências. Florianópolis, Cidade Futura, 2006.
FÁVERO, Osmar. Cultura popular e educação popular – memória dos anos 60. Rio de Janeiro, Graal, 1983.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005,
FREITAG, Bárbara. Escola Estado e sociedade. São Paulo, Moraes, 1986.
FREITAS, Marcos Cezar de & BICCAS, Maurilane de Souza. História social da educação no Brasil (1926–1996). São Paulo: Cortez, 2009.
MONARCHA, Carlos. A reinvenção da cidade e da multidão: dimensões da modernidade brasileira: a Escola Nova. São Paulo, Cortez; Autores Associados, 1989.
NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.
PAIVA, Vanilda. Paulo Freire e o nacionalismo desenvolvimentista. São Paulo: Graal, 2000.
VALLE, Ione Ribeiro. A era da profissionalização: formação e socialização profissional do corpo docente de 1ª a 4ª série. Florianópolis, Cidade Futura, 2003.
VICENTINI, Paula Perin & LUGLI, Rosario Genta. História da profissão docente no Brasil: representações em disputa. São Paulo, Cortez, 2006.

8.2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


AMADO, Janaína, FERREIRA, Marieta de Moraes (org). Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação como cultura. Campinas, SP, Mercado de Letras, 2002.
CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Ed. da UNESP, 2000.
CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a República. São Paulo,Brasiliense, 1989.

FIORI, Neide de Almeida. Aspectos da evolução do ensino público: ensino público e e política de assimilação cultural no Estado de Santa Catarina nos períodos imperial e republicano. Florianópolis, Secretaria da educação, 1975.


FISCHER, Beatriz Daudt. Professoras: histórias e discursos de um passado presente. Pelotas: Seiva. 2005.
FREITAS, Marcos Cezar de (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo, Cortez, 1997.
GHIRALDELLI Jr., Paulo. História da educação. São Paulo, Cortez, 1991.
SOUSA, Cynthia Pereira de (org.). História da educação: processos, práticas e saberes. São Paulo, Escrituras Editora, 1998.
TEIVE, Gladys Mary Ghizoni. “Uma vez normalista, sempre normalista”: cultura escolar e produção de um habitus pedagógico (Escola Normal Catarinense – 1911-1935). Florianópolis: Insular, 2008.




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal