Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências da Educação cce



Baixar 64.08 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho64.08 Kb.

Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Centro de Ciências da Educação – CCE





PLANO DE ENSINO



DEPARTAMENTO:


HISTÓRIA

ANO/SEMESTRE:

2012.1

CURSO:


HISTÓRIA

FASE:



DISCIPLINA:

História de Santa Catarina II

TURNO:

Noturno

CARGA HORÁRIA:

72

CRÉDITOS:

4

PROFESSOR:

Arnaldo Haas Júnior



1 EMENTA


A transição para a República e a Revolução Federalista. Urbanização, modernização e tensões sociais. A industrialização e os trabalhadores. A guerra do Contestado. A revolução de 1930, integralismo e nacionalização. Redemocratização, transformações econômicas e inovações culturais. O golpe de 1964, a repressão e a abertura política. Novas identidades culturais.



2 HORÁRIO DAS AULAS

DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Segunda-feira

21:40 – 22:30

1

Terça-feira

20:00 – 22:30

3

3 OBJETIVOS


3.1 OBJETIVO GERAL

- Abordar aspectos culturais, políticos, sociais e econômicos relativos à História de Santa Catarina de fins do século XIX ao século XXI.

- Explorar vínculos entre os âmbitos regional e nacional.

- Relacionar a produção historiográfica recente ao conteúdo da disciplina.


3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Perceber distintas perspectivas da produção historiográfica relativa à Santa Catarina;

- Estabelecer relações passado/presente;

- Conhecer a historiografia recente produzida em âmbito acadêmico em Santa Catarina;

- Compreender a História regional a partir de seus múltiplos sujeitos e construções socioculturais.


4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


UNIDADE 1: O relevo de uma transição

1.1. República, tensões e modernização.

1.2. Os confinantes: questões do Contestado

1.3. Do Contestado à expropriação e ocupação do território: Planalto e Oeste


METODOLOGIA

Aulas expositivas com base em textos, ensaios acadêmicos e suporte de vídeos. Seminários. Discussões em grupo.






UNIDADE 2: O nacional-estatismo

2.1. Revolução de 30 e o poder oligárquico

2.2. Tensões culturais e política autoritária

2.3. A construção da nação na região


METODOLOGIA

Aulas expositivas, seminários e discussões em grupos.






UNIDADE 3: Conflitos e dissensos

3.1. Entre as elites e os grupos populares

3.2. A(s) identidade(s) catarinense(s)

3.3. Trabalho, gênero, etnia e família


METODOLOGIA

Aulas expositivas, seminários e discussões em grupos.






UNIDADE 4: Culturas e Políticas

4.1. Política oligárquica e redes sociais

4.2. Modernização e impactos culturais

4.3. Santa Catarina e a indústria do turismo


METODOLOGIA

Aulas expositivas com base em textos, discussões, seminários, e palestras com especialistas nas respectivas áreas.



6. CRONOGRAMA DAS AULAS

MÊS

DIAS

Fevereiro

13 (2ª), 14 (3ª), 27(2ª), 28(3ª) – 08h/a

Março

05 (2ª), 06 (3ª), 12 (2ª), 13 (3ª), 19 (2ª), 20 (3ª), 26 (2ª), 27 (3ª) – 16 h/a

Abril

02 (2ª), 03 (3ª), 09 (2ª), 10 (3ª), 16 (2ª), 17 (3ª), 23 (2ª), 24 (3ª) – 16 h/a

Maio

07 (2ª), 08(3ª), 14 (2ª), 15 (3ª), 21 (2ª), 22 (3ª), 28 (2ª), 29(3ª) – 16 h/a

Junho

04 (2ª), 05 (3ª), 11 (2ª), 12 (3ª), 18 (2ª), 19 (3ª), 25 (2ª), 26 (3ª) – 16 h/a

Julho

Exames finais


8 AVALIAÇÃO


ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Prova I

Conteúdo histórico e consistência, capacidade de escrita e articulação de autores.

1

Seminário

Apresentação clara e objetiva levantando pontos importantes do(s) texto(s) e apresentando problemas relacionados a ele(s). No ato da apresentação cada equipe deverá distribuir para todos os ouvintes uma lauda contendo um resumo/roteiro da apresentação. As apresentações, embora feitas em equipes, implicarão em notas individuais pautadas na capacidade de argumentação e compreesão da proposta do(a) autor(a).

1

Prova II

Conteúdo histórico e consistência, capacidade de escrita e articulação de autores.

1

Participação, interesse e assiduidade

Assiduidade (serão aprovados/as na disciplina aqueles/as que obtiverem frequência igual ou superior a 75% das aulas). Pontualidade nas aulas. Participação nas atividades realizadas em sala de aula. Leitura dos textos solicitados e participação nas discussões realizadas em sala.


1

9 BIBLIOGRAFIA


1. BÁSICA

ARAÚJO, Hermetes Reis. A invenção do litoral: reformas urbanas e reajustamento social em Florianópolis na 1ª República. Dissertação (Mestrado em História), São Paulo: PUC, 1989.

BARRETO, Cristiane Manique. Entre laços e nós: formação e atuação das elites no Vale do Itajaí (1889-1930). Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre: UFRGS.

BRANCHER, Ana (org.). História de SC: estudos contemporâneos. Fpolis: Let Contemporâneas, 1999.

____________ & AREND, Silvia. História de SC no século XIX. Fpolis: UFSC, 2001.

CAMPOS, Emerson Cesar de. Territórios Deslizantes: recortes, miscelâneas e exibições na cidade contemporânea - Cricúma (SC) (1980-2002). Tese (Doutorado em História). Florianópolis, UFSC: 2003.

CAMPOS, Cynthia M. A política da língua na Era Vargas. Campinas: Unicamp, 2006.

CEOM. Para uma história do Oeste catarinense: 10 anos de CEOM. Chapecó: Unoesc, 1995.

CEOM. A viagem de 1929: Oeste de SC: documentos e leituras. Chapecó: Argos: 2005.

COLLAÇO, Vera. O teatro da União Operária: um palco em sintonia com a modernização brasileira. Florianópolis: UDESC, 2010.

DALLABRIDA, Norberto. A fabricação escolar das elites: o Ginásio Catarinense na 1ª República. Fpolis: Cidade Fut, 2001.

ESPIG, Márcia Janete; MACHADO, Paulo Pinheiro (orgs.). A guerra santa revisitada: novos estudos sobre o movimento do Contestado. Florianópolis: UFSC, 2008.

FALCÃO, Luiz F. Entre ontem e amanhã: diferença cultural, tensões sociais e separatismo em SC no séc. XX. Itajaí: Univali, 2000.

FÁVERI, Marlene de. Memórias de uma (outra) guerra: cotidiano e medo durante a Segunda Guerra Mundial em SC. Fpolis: UFSC, 2004.

FLORES, Mª. Bernardete Ramos. A farra do boi: palavras, sentidos, ficções. Fpolis: UFSC, 1998.

____________. et al (orgs.). A casa do baile: estética e modernidade em Santa Catarina. Fpolis: Boiteux, 2006.

____________. Oktoberfest: turismo, festa e cultura na estação do chopp. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1997.

GONÇALVES, Janice. Sombrios umbrais a transpor: arquivos e historiografia em Santa Catarina no século XX. Tese (Doutorado em História). São Paulo, USP, 2006.

GALLO, Ivone C. D´Avilla. O contestado: o sonho do milênio igualitário. Campinas: Unicamp, 1999.

HAAS JÚNIOR, Arnaldo. Horizontes da Escrita: historiografia, uma idéia de região e a monumentalização do passado. Alto Vale do Itajaí – SC (1985-2007). 2009. Dissertação (Mestrado em História) – UDESC, Florianópolis.

MACHADO, Paulo Pinheiro. Lideranças do Contestado: a formação e a atuação das chefias caboclas (1912-1916). Campinas: Unicamp, 2004.

MORGA, Antonio. História das mulheres em Santa Catarina. Chapecó, Argos, 2001.

MAY, Patrícia Z. Santos. Redes político-empresariais de SC (1961-1970). Dissertação (Mestrado em História). Florianópolis: UFSC, 1998.

NECKEL, Roselane. A república em SC: modernidade e exclusão. Fpolis: EdUFSC, 2003.

NIEBUHR, Marlus. Ecos e sombras: memória operária em Brusque na década de 50. Itajaí: Univali, 1999.

OTTO, Clarícia. Catolicidades & italianidades. Fpolis: Insular, 2006.

PEDRO, Joana Mª. Mulheres honestas e mulheres faladas: uma questão de classe. Fpolis: UFSC, 1998.

RAMPINELLI, Waldir J. (org.). História e poder: a reprodução das elites em SC. Fpolis: Insular, 2003.

RENK, Arlene. A luta da erva: um ofício étnico no Oeste Catarinense. Chapecó: Grifos, 1997.

____________. Narrativas da diferença. Chapecó: Grifos, 2004.

____________. Sociodicéia às avessas. Chapecó: Grifos, 2000.

RENAUX, Maria Luiza. “As falsas Europas: colônias alemãs no sul do Império”. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe (organizador). História da vida privada no Brasil 2 (Império: a corte e a modernidade nacional). São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

SEYFERTH, Giralda. Aspectos da proletarização do campesinato no Vale do Itajaí (SC): os colonos operários. In LOPES, José Sérgio Leite (org.). Cultura e identidade operária: aspectos da cultura da classe trabalhadora. São Paulo: Marco Zero, s/d.

THEIS, Ivo M. et alii (orgs.). Nosso passado (in) comum: contribuições para o debate sobre a História e a historiografia de Blumenau. Blumenau: Furb, 2000.

VEIGA, Eliane Veras da. Florianópolis: memória urbana. Florianópolis: FFC, 1993.

WITTMANN, Luisa Tombini. O vapor e o botoque: imigrantes alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/SC (1850-1926). Florianópolis: Editora Letras Contemporâneas, 2007.

WOLFF, Cristina S. Historiografia catarinense: uma introdução ao debate. Revista Catarinense de História, n. 2, 1994.


2. COMPLEMENTAR

AGUIAR, Itamar. Violência e golpe eleitoral: Jaison e Amin na disputa pelo governo catarinense. Fpolis: UFSC, 1995.

ANDRADE, Djanira Maria M. Hercílio Luz: uma ponte integrando SC. Fpolis: EdUFSC, 1981.

ARAÚJO, Camilo Buss. Os pobres em disputa. Dissertação (Mestrado em História), UFSC, 2006.

AREND, Silvia M. F. Os filhos de criação: uma história dos menores abandonados no Brasil (Florianópolis, década de 1930). Porto Alegre, Tese (Doutorado em História) UFRGS, 2005.

ASSIS, Gláucia de Oliveira. De Criciúma para o mundo: rearranjos familiares e de gênero nas vivências dos novos migrantes brasileiros. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Campinas: Unicamp, 2004.

AURAS, Marli. Guerra do Contestado: a organização da irmandade cabocla. Fpolis: UFSC, 1984.

____________. Poder oligárquico catarinense: da guerra aos “fanáticos” do Contestado à opção pelos “pequenos”. Tese (Doutorado em Educação). São Paulo: PUC, 1991.

BALDESSAR, Maria J.; CHRISTOFOLETTI, Rogério (orgs.). Jornalismo em perspectiva. Fpolis, 2005 (http://www.scribd.com/doc/6884200/Jornalismo-em-Perspectiva-SC)

BAUMGARTEN, Christina. A reinvenção da economia catarinense: a história da FIESC e seus líderes. Blumenau: HB, 2000.

BLOEMER, Neusa Mª. S. Brava gente brasileira: migrantes italianos e caboclos nos campos de Lages. Fpolis: Cidade Fut, 2000.

BOSSLE, Ondina Pereira. História da Industrialização Catarinense (das origens à integração no desenvolvimento brasileiro). Florianópolis, FIESC: 1988.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

CABRAL, Oswaldo Rodrigues. História de Santa Catarina. Florianópolis: Laudes, 1970.

____________. A Campanha do Contestado. Florianópolis, Lunardelli, 1979.

CAMPIGOTO, José A. Roças, Empresas e Sonhos: Jogos e discursos (A CPT em Santa Catarina). Dissertação (Mestrado em História) Florianópolis: UFSC,1996.

CAMPOS, Nazareno José de. Terra comunais na ilha de Santa Catarina. Fpolis: FCC, 1991.

CARREIRÃO, Yan de Souza; BORBA, Julian (org). Os Partidos na política catarinense. Fpolis: Insular, 2006.

CAROLA, Carlos Renato. Dos subterrâneos da História: as trabalhadoras das minas de carvão de Santa Catarina, 1927-1964. Florianópolis: UFSC, 2002.

CARREIRÃO, Yan de Souza. Eleições e sistema partidário em SC (1945-1979). Fpolis: EdUFSC, 1990.

CASCAES, Franklin. O fantástico na Ilha de SC. 1 e 2. Florianópolis: UFSC, 1990.

CORRÊA, Carlos H. Um Estado entre duas repúblicas: a revolução de 30 e a política em SC. Fpolis: UFSC, 1984.

____________. Militares e civis num governo sem rumo. Florianópolis: UFSC, 1990.

____________. História ilustrada de Florianópolis. Fpolis: Ed. Insular, 2004.

COSTA, Licurgo. O Continente das Lages e sua influência no sertão da Terra firme. Fpolis, FCC, 1982.

COSTA, Marli de O. Tudo isso eles contavam: memórias dos moradores do bairro Santo Antônio. Criciúma: SME, 2000.

CUNHA, Idaulo. O salto da indústria catarinense: um exemplo para o Brasil. Fpolis: Paralelo 27, 1992.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Tenha Modos! A correspondência em manuais de civilidade e etiqueta (anos 1920-1960). In: Alcides Freire Ramos; Rosangela Patriota; Sandra Jathay Pesavento. (Org.). Imagens na História. São Paulo: HUCITEC, 2008.

ESPÍNDOLA, Carlos J. As agroindústrias no Brasil: o caso Sadia. Chapecó: Grifos , 1999.

FANTIN, Márcia. Cidade dividida: dilemas e disputas simbólicas em Fpolis. Fpolis: Cid Futura, 2000.

FANTIN, Maristela. Construindo cidadania e dignidade. Florianópolis: Insular, 1997.

FAUSTO, Bóris (dir.). História Geral da Civilização Brasileira. Vol. 7

FÁVERI, Marlene. Moços e moças para um bom partido: a construção das elites – Itajaí, 1929-1960. Itajaí, Univali, 1999.

FERREIRA, Cristina & FROTSCHER, Méri (orgs.). Visões do Vale: perspectivas historiográficas recentes. Blumenau: Nova Letra, 2000.

FERREIRA, Sérgio L. O banho de mar na Ilha de Santa Catarina. Fpolis: Águas, 1998.

FLORES, Maria B. R. Tecnologia e Estética do Racismo: ciência e Arte na Política da beleza. Chapecó: Argos, 2007.

GOULARTI F°., Alcides (org.). Memória e cultura do carvão em SC. Fpolis: Cidade Futura, 2004

GUEDES, Sandra P. L. de C. (Org.). Histórias de (I)Migrantes:o cotidiano de uma cidade. Joinville: UNIVILLE, 2005.

HASS, Mônica. O linchamento que muitos querem esquecer (1950-56). Chapecó: Argos, 2003.

HASS, Mônica. Os partidos políticos e a elite chapecoense: um estudo de poder local (1945-1965). Chap: Argos, 2000.

HERING, Maria Luiza Renaux. Colonização e indústria no Vale do Itajaí: o modelo catarinense de desenvolvimento. Blumenau: Furb, 1987.

KLANOVICZ, Jô; NODARI, Eunice. Das araucárias às macieiras: transformações da paisagem de Fraiburgo. Fpolis: Insular, 2004.

LAUS, Sonia P. A UDN em Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em História). Fpolis: UFSC, 1985.

LEMOS, Valmir. Tombados e esquecidos. Blumenau: Nova Letra, 2005.

LENZI, Carlos Alberto Silveira. Partidos e políticos de Santa Catarina. Fpolis: UFSC, 1983.

LUNA, Gloria A. G.; FÁVERI, Marlene de. Irene Boemer: dama do rádio: cronista da cidade. Itajaí: Maria do Cais, 2008.

LUZ, Aujor Ávila da. Os Fanáticos: crimes e aberrações da religiosidade dos nossos caboclos. Fpolis: s/ed, 1952

MACHADO, Aldonei. A cidade no dial: Florianópolis nas ondas médias e curtas do rádio (décadas de 40 e 50). 145 f. Dissertação (Mestrado em História) - UFSC, Florianópolis, 1999.

MARTINS, Celso. Os Comunas: Álvaro Ventura e o PCB catarinense. Fpolis: Paralelo 27/FFC, 1995.

____________. Os quatro cantos do sol. Florianópolis: UFSC/Boiteux, 2006.

MATOS, Felipe. Uma ilha de leitura: notas para uma história de Florianópolis através de suas livrarias, livreiros e livros (1830-1950). Florianópolis: UFSC, 2008.

MEIRINHO, Jali. A república em Santa Catarina. Florianópolis: UFSC, 1982.

MEIRINHO, Jali. República e Oligarquias: subsídios para a história catarinense (1889-1930). Fpolis: Insular, 1997.

MOSER, Anita. A nova submissão. Porto Alegre: Edipaz, 1985.

MONTEIRO, Duglas T. Os errantes do novo século: um estudo sobre o surto milenarista do contestado. SP: Duas Cidades, 1974.

NUNES, Karla L. D. Santa Catarina no caminho da Revolução de 30. Tese (Doutorado em História). Fpolis: UFSC, 2009.

OLIVEIRA, Eveli Souza D’Ávila de. Mais além da vitória: ritos de instituição do movimento de 30 em Fpolis – imprensa, governo e memória. Dissertação (Mestrado em História). Fpolis, UFSC, 2001.

PAULILO, Maria Ignez Silveira. Terra à vista…. e ao longe. Florianópolis: UFSC, 1996.

PEREIRA, Moacir. Imprensa e poder: a comunicação em Santa Catarina. Fpolis: FCC, 1992.

PEREIRA, Nereu do V. Desenvolvimento e modernização. Fpolis: Lunardelli, s/d.

PIAZZA, Walter. Dicionário Político catarinense. Florianópolis: ALESC, 1985.

PIMENTA, Margareth de C. A. (org.). Florianópolis: do outro lado do espelho. Fpolis: UFSC, 2005.

QUEIRÓZ, Maurício V. de. Messianismo e conflito social: a Guerra Sertaneja do Contestado 1912-1916. SP: Ática, 1981.

RADIN, José Carlos. Italianos e ítalo-brasileiros na colonização do Oeste. Joaçaba: Unoesc, 1997.

RAUPP, Marcelo Coelho. Pequenos Getúlios: o PSD e as elites políticas catarinenses (1945-1970). Dissertação (Mestrado em História), Florianópolis: UDESC, 2010.

REVISTAS: Esboços (UFSC); Fronteiras; Blumenau em Cadernos; Cadernos do CEOM; Revista do IHGSC; Arquivo Histórico de Joinville; História Regional (UEPG); Tempo e Argumento (UDESC).

CEAG-SC. Evolução histórico-econômica de SC: estudo das alterações estruturais (séc. XVII-1960). Fpolis: Ceag, 1980.

SANT’ANNA, Mara Rúbia. Aparência e poder. Tese (Doutorado em História). Porto Alegre: UFRGS, 2005.

SANTOS, Paulo César dos. Espaço e memória: o Aterro da Baía Sul e o desencontro marítimo de Fpolis. Dissertação (Mestrado em História) Fpolis: UFSC, 1997.

SANTOS, Sílvio Coelho dos. Índios e Brancos no Sul do Brasil. Florianópolis: Edeme, 1973.

____________. Nova História de Santa Catarina. Fpolis: 3°. Milênio, 1998.

SCHERER-WARREN, Ilse. Redes de movimentos sociais. São Paulo: Edições Loyola.1993.

SCHMITZ, Sérgio. Planejamento governamental. Fpolis: UFSC, 1990.

SERPA, Élio C. Igreja e poder em SC. Fpolis: EdUFSC, 1997.

SEVERINO, José Roberto. Itajaí e a identidade açoriana: a maquiagem possível. Itajaí: Univali, 1999.

SEYFERTH, Giralda. Imigração e cultura no Brasil. Brasília: UnB, 1990.

SILVA, Adolfo N. da (org.). Ruas de Florianópolis. Fpolis: FFC, 1999.

SILVA, Cristiani Bereta da. As fissuras na construção do novo homem e da nova mulher: relações de gênero e subjetividades no MST 1979-2000. Tese (Doutorado em História). Florianópolis, UFSC: 2003.

SILVA, Elisabeth F. O fracasso da oposição no poder. Lages: 1972-1982. Fpolis: Letras Contemporâneas, 1994.

THIAGO, Raquel S. Coronelismo urbano em Joinville: o caso de Abdon Batista. Fpolis: IOESC, 1988.

TORRES, Mateus Gamba. “A justiça nem ao diabo se há de negar”: a repressão aos membros do PCB na Operação Barriga Verde (1975-1978). Dissertação (Mestrado em História), Florianópolis: UDESC, 2009.

THOMÉ, Nilson. Trem de ferro: a ferrovia no Contestado. Florianópolis: Lunardelli, 1983.

____________. A política no Contestado: do curral da fazendo ao pátio da fábrica. Caçador: UnC, 2002.

VIEIRA, Jaci Guilherme. História do PCB em SC: da gênese até a operação barriga-verde (1922-1975). Dissertação (Mestrado em História), Fpolis: UFSC, 1994.

VOLPATO, Terezinha G. A pirita humana: os mineiros de Criciúma. Fpolis: UFSC, 1984.

ZIMERMANN, Joseane. Ao sul dos desejos: a cidade transfigurada na poesia de Eglê Malheiros. Dissertação (Mestrado em História). Fpolis: UFSC, 1996.



Catálogo: arquivos -> id submenu -> 110
110 -> Plano de ensino
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação – faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Humanas e da Educação
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Departamento
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação cche


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal