Universidade estadual de santa cruz uesc



Baixar 8.88 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho8.88 Kb.





UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC

DISCIPLINA: FORMAÇÃO DO LEITOR DE LITERATURA



ATIVIDADE ORIENTADA 1

Questão 1

(...) devem existir no texto complexos de controle, pois a comunicação entre texto e leitor só tem êxito quando ela se submete a certas condições. Estes meios de controle, no entanto, não podem ser tão precisos quanto numa situação de face a face, nem tão determinados com um código social que regula a interação diádica. A eles, portanto, cabe levar a interação entre texto e leitor a um processo de comunicação, no fim do qual aparece um sentido constituído pelo leitor, dificilmente referenciável, que, no entanto, contesta o significado de estruturas de sentido anteriores e possibilita a alteração de experiências passadas (ISER, 1979, p. 89).


Por um lado, a leitura é prática criadora, actividade produtora de sentidos singulares, de significações de modo nenhum redutíveis às intenções dos autores de textos ou dos fazedores de livros: ela é uma ‘caça furtiva’ (...) por outro lado, o leitor é, sempre, pensado pelo autor, pelo comentador e pelo editor como devendo ficar sujeito a um sentido único, a uma compreensão correcta, a uma leitura autorizada. Abordar a leitura é portanto, considerar, conjuntamente, a irredutível liberdade dos leitores e os condicionamentos que pretendem refreá-la. (CHARTIER, 1988, p. 123)

Com base nos fragmentos destacados, discorra sobre a complexidade da apropriação de um texto por um suposto leitor, levando em consideração os mecanismos de controle presentes no próprio texto. (mínimo 30 linhas, máximo 40).



Questão 2
Ser leitor, papel que, enquanto pessoa física, exercemos, é função social, para a qual se canalizam ações individuais, esforços coletivos e necessidades econômicas. (ZILBERMAN, 1999, p. 14)
A instituição literária, na complexidade de seus meandros, coloca novas questões para a história da leitura. É o lugar das convenções e protocolos literários, sendo sua dimensão a da regulamentação do negócio literário, isto é, do modo de produção da mercadoria do livro, em nome de cujo consumo é preciso que narradores e leitores estabeleçam uma certa parceria, constantemente rompida e refeita, e que favorecendo, de um lado, a legibilidade das obras, assegura, de outro, a vendabilidade delas (ZILBERMAN, 1999, p. 57).
Examinada a história da leitura desde a perspectiva de seus compromissos com a sociedade, evidencia-se que a prática leitora não independe dos interesses econômicos que a acompanham, decorrentes das necessidades do mercado dos bens culturais, produtor de obras destinadas ao consumo e a seu descarte, estejam ou não comprometidas com a literatura de massa. Por outro lado, a disseminação da leitura decorreu de a escola ter adotado a alfabetização como sua primeira tarefa, tornada um direito constitucional nas nações modernas. (ZILBERMAN, 2009, p. 25)
Com base nos fragmentos em destaque, discuta sobre as relações comerciais que se estabeleceram no Brasil, no tocante à produção e ao consumo da leitura e como isso vem influenciando o nosso sistema educacional. (30 a 40 linhas).


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal