Universidade federal da bahia



Baixar 0.77 Mb.
Página7/8
Encontro28.07.2016
Tamanho0.77 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8

MATTOS, Paulo; COUTINHO, Gabriel. Qualidade de vida e TDAH. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. vol.56  suppl.1, Rio de Janeiro,  2007.

LUBISCO, S.C; SANTANA, I.V. Manual de Estilo Acadêmico- Monografias, Dissertações e Teses. 4. Ed. Ver. E ampl.-Salvador: EDUFBA, 2008.


MESQUITA, Raquel Cabral de. A Implicação do Educador diante do TDAH: Repetição do Discurso Médico ou Construção Educacional ?. Faculdade de Educação da UFMG. Belo Horizonte, 2009.
NAPARSTEK, Rebeca. Bioenergética: uma alternativa para o tratamento do transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH). In: CONVENÇÃO BRASIL LATINO AMERICA. CONGRESSO BRASILEIRO E ENCONTRO PARANAENSE DE PSICOTERAPIAS CORPORAIS. Foz do Iguaçu. Anais. Centro Reichiano, 2004. CD ROM.
NOBRE, João Paulo dos Santos; FERREIRA, Eleonora Arnaud Pereira. Adesão ao tratamento da asma e qualidade de vida: uns estudos com crianças, adolescentes e seus cuidadores. Relatório PIBIC/CnPQ, 2007.
NOBRE, João Paulo dos Santos. Asma e Qualidade de Vida: Estudo Comparativo entre um Grupo de Crianças e Adolescentes Diagnosticados com Asma e um Grupo sem Doença Crônica. Trabalho de conclusão de Curso. Faculdade de Psicologia. Universidade Federal do Pará. Belém, 2008.
NOBRE, João Paulo dos Santos. Mudanças Comportamentais em Crianças com Características de Risco para Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade: Intervenção a partir da educação musical. 2010. 30f. Projeto de Mestrado. Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento. Universidade Federal do Pará, Belém, 2010.
NOGUEIRA, Marilene de Almeida Monteiro. Formação do ouvinte: um direito do cidadão. Cadernos de Educação, Goiânia, 1995.
PAIM, Sara. Diagnóstico e Tratamento dos Problemas de Aprendizagem. Porto Alegre, Artes Médicas, 1986.
PAIVA, et. al. A música como recurso de aprendizagem para o aluno hiperativo: uma pesquisa com 6 alunos entre 8 e 11 anos.In: XVI ENCONTRO ANUAL DA ABEM. Anais. Campo Grande, 2007.
PALLANT, J. (2001). SPSS Survival Manual. Glasgow: Open University Press.
PASTURA, G.; MATTOS, P.; ARAÚJO, A. Desempenho escolar e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade Revista Psíquica Clínica, 2005.
PATTO, Maria. Helena. A produção do fracasso escolar: história de submissão e rebeldia. Casa do Psicólogo, São Paulo, 1999.
PEREIRA, H.; ARAUJO, A.; MATTOS, P. Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH): aspectos relacionados à comorbidade com distúrbios da atividade motora. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, 5 (4): 391-402, out. / dez., 2005.
PEREZ, Matilde Esteves. Hiperatividade: um desafio à ação educacional. Ponta Grossa, 2008.
PREBIANCHI, Helena Bazanelli. Medidas de qualidade de vida para crianças: aspectos conceituais e metodológicos. Pontifícia Universidade Católica de Campinas. São Paulo- Campinas: Psicologia: Teoria e Prática, 5 (1):57-69, 2003.
REIS, Maria das Graças Faustino. A teia de significados das práticas escolares: transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) e formação de professores. 246p. Campinas: PUC, 2006.
REITZ, Daniel. Implications of ADHD Research on Music Education Practices. 2006.
RICKSON, D.J.; WATKINS, W.G. Music therapy to promote prosocial behaviors in aggressive adolescent boys--a pilot study. Journal Music of Therapy. Winter; 40(4):283-301, 2003.

ROHDE, L.et.al. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 22, s. 2, dez. 2000.

ROHDE, Luis Augusto; MATTOS, Paulo. Princípios e práticas em TDAH-Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Porto Alegre: Artmed, 2003.


ROHDE, Luis Augusto; HALPERN, Ricardo. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: atualização. Jornal de Pediatria: Rio de Janeiro. v. 80, n. 2 (supl), 2004.
SANTOS, Regina Márcia. A Natureza da Aprendizagem Musical e suas Implicações Curriculares- Análise Comparativa de Quatro Métodos. Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM). Rio Grande do Sul, p.7. junho,1994.
SÉ, Elisandra; LASCA, Valéria. Exercite sua Mente. Guia Prático para Aprimoramento da Memória, Linguagem e Raciocínio. São Paulo. Prestígio, 2005.
SEIDL, Eliane Maria Fleury; ZANNON; Célia Maria Lana da Costa. Qualidade de vida e saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 20(2):580-588, mar- a b r, 2004.
SLOBODA, John. The Musical Mind: The Cognitive Psychology of Music. Oxford: Oxford University Press, 1985.
SLOBODA, John. A mente musical: psicologia cognitiva da música. Tradução de Beatriz Ilari e Rodolfo Ilari. Londrina:EDUEL, 2008.
SILVA, Rejane Augusta; SOUZA, Luiz Augusto. Aspectos lingüísticos e sociais relacionados ao transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade. Revista CEFAC, São Paulo, v. 7, n. 3, 295-9, jul-set, 2005.
SILVA, Tatiana Laufer da. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade tipo desatento: Um estudo de farmacogenômica. Setor de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.Porto Alegre, 2009.
SOUZA et. al. Comorbidades em Crianças e Adolescentes com Transtorno de Déficit de Atenção. Arquivo de Neuro- Psiquiatria. São Paulo, v. 59 n. 2B , 2001.
SOUZA, et. al. ADHD: The Impact When not Diagnosed. Jornal brasileiro de psiquiatria. v. 57 n. 2, Rio de Janeiro, 2008.
SUZUKI, Shinichi. Nurtured by Love. New York: Exposition Press, 1969.
TOPCZEWSKI, Abram. Como lidar com a hipertividade?. 2002. Entrevista a Rodrigo Apolloni.
TORRESAN, R. C. et. al. Qualidade de Vida no Transtorno Obsessivo-Compulsivo: Uma Revisão. Revista Psiquiátrica. 35 (1);13-19, São Paulo, 2008.
VICÁRIO, Maria Inês; ESPERÓN, César Soutullo. Universidad de Navarra. Pamplona, 1999.
WALLANDER, Jan. Theorethical and developmental issues in quality of life for children and adolescents. In H.M. Koot & J.L. Wallander (Eds.), Quality of life in child and adolescent illness: Concepts, methods and findings (pp. 23-45). New York: Brunner-Routledge, 2001.
WEISS, Maria Lucia L. Psicopedagogia Clínica: uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar. 6° Ed. - Rio de Janeiro: Ed. Lamparina, 2007.
WIEBE, Joni. ADHD, the Classroom and Music: A Case Study, 2007.


ANEXOS

Anexo 1 - Termo De Consentimento Livre E Esclarecido (TCLE)



Serviço Público Federal

Universidade Federal do Pará

Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento

Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento

Projeto de pesquisa: Mudanças comportamentais em crianças com transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade: intervenção a partir da educação musical
Solicitamos a sua colaboração para participar de uma pesquisa que busca identificar possíveis mudanças comportamentais em crianças com diagnóstico comportamental de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). A sua participação se dará por meio de questionários, bem como por meio da permissão para que a criança sob sua responsabilidade responda a questionários e participe de aulas de música na Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA) por um período de 6 meses. A entrevistas, tanto com o responsável, quanto com o aluno ocorrerão antes do início das aulas. Após a fase de entrevistas, terá início às aulas de música (prática do instrumento violoncelo), que acontecerão duas vezes por semana, com 45 minutos de duração cada aula. As aulas e entrevistas serão gravadas em áudio e vídeo. Asseguramos que a pesquisa não trará qualquer risco para os participantes. Os resultados obtidos nesta pesquisa serão publicados e apresentados em eventos científicos, mas a sua privacidade e a de sua família serão mantidas. A sua participação neste estudo será de caráter voluntário, não trazendo qualquer ônus para o pesquisador ou para o participante. Se desejar o senhor (a) poderá interromper sua participação a qualquer momento, sem que isso lhe traga qualquer prejuízo.

Pesquisadores responsáveis:
_________________________________

João Paulo dos Santos Nobre

Bolsista CNPQ

Fone: 8151 9018 / 8412 9048

CRP 10/03064

_________________________________ _________________________________

Thaís Cristina Santana Carneiro Prof. Dr. Áureo Déo DeFreitas Jr.

Fones: 3226 3541 / 8801 8558 Fone: 8128 8328 / 8412 9048


Consentimento Livre e Esclarecido

Declaro que li as informações acima sobre a pesquisa e que sinto-me esclarecido sobre o conteúdo da mesma. Declaro ainda, que por minha livre vontade, aceito participar da pesquisa cooperando com a coleta de dados para análise.

Belém,____/ ____/ ____

__________________________________


Assinatura do responsável

Anexo 2 - Inventário de Qualidade de Vida de Crianças e Adolescentes

Algumas vezes você está muito infeliz?

Diga por quê?



Algumas vezes você está infeliz?

Diga por quê?



Algumas vezes você está feliz?

Diga por quê?



Algumas vezes você está muito feliz?

Diga por quê?








































Diga como você se sente:




Muito

Infeliz

Infeliz

Feliz


Muito

Feliz





1.À mesa, junto com a família

( )

( )

( )

( )




2. À noite, quando você se deita

( )

( )

( )

( )




3. Se você tem irmãos, quando brinca com eles

( )

( )

( )

( )




4. À noite, ao dormir

( )

( )

( )

( )




5. na sala de aula.

( )

( )

( )

( )




6. quando você vê uma fotografia sua

( )

( )

( )

( )




7. em momentos de brincadeiras, durante o recreio escolar

( )

( )

( )

( )




8. quando você vai a uma consulta médica

( )

( )

( )

( )




9. quando você pratica um esporte

( )

( )

( )

( )




10. quando você pensa em seu pai

( )

( )

( )

( )




11. no dia do seu aniversário

( )

( )

( )

( )




12. quando você faz as lições de casa

( )

( )

( )

( )




13. quando você pensa em sua mãe

( )

( )

( )

( )




14. quando você fica internado no hospital

( )

( )

( )

( )




15. Quando você brinca sozinho

( )

( )

( )

( )




16. quando seu pai ou sua mãe falam de você

( )

( )

( )

( )




17. quando você dorme fora de casa

( )

( )

( )

( )




18. quando alguém te pede









































































































































19. quando os amigos falam de você

( )

( )

( )

( )

20. quando você toma remédios

( )

( )

( )

( )

21. durante as férias

( )

( )

( )

( )

22. quando você pensa em quando tiver crescido

( )

( )

( )

( )

23. quando você está longe de sua família

( )

( )

( )

( )

24. quando você recebe as notas da escola

( )

( )

( )

( )

25. quando você está com seus avós

( )

( )

( )

( )

26. quando você assiste televisão

( )

( )

( )

( )
Anexo 2 - Inventário de Qualidade de Vida de Crianças e Adolescentes (cont.)

Anexo 3 - Escala de Avaliação do Aprendizado Musical


  1. Definição Operacional do Comportamento do Estudante

























Sim

Não

1 – Posição do Instrumento e Postura do Músico




  • Mantém o instrumento ligeiramente inclinado para a direita.







  • Mantém a cabeça na posição correta.







  • Mantém os pés na posição correta, encontram-se paralelo ao chão.







  • Mantém o tamanho do espigão apropriado.







  • Mantém a coluna ereta









2 – Posição da Mão Esquerda




  • Toca com os dedos ligeiramente afastados.







  • Toca com o 4º dedo sobre a referência.







  • Não toca com o pulso quebrado.







  • Toca com o 3º dedo sobre a referência.







  • Toca com o 1º dedo sobre a referência.









3 – Posição da Mão Direita





  • Toca com o dedo mindinho na posição correta.







  • Toca com os dedos ligeiramente afastados.







  • Toca com flexibilidade do braço, antebraço, e pulso.







  • Toca com o dedo indicador na posição correta.







  • Toca com o cotovelo e ombro na posição correta









4 – Qualidade do Som



  • Toca com o arco na corda







  • Toca sem esbarra nas cordas













  • Toca com a velocidade do arco apropriada.







  • Toca com o arco na posição correta.






1   2   3   4   5   6   7   8


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal