Universidade federal de santa catarina centro de comunicação e expressão programa de póS-graduaçÃo em literatura



Baixar 30.95 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho30.95 Kb.

Universidade federal de santa catarina

centro de comunicação e expressão

PROGRAMA DE PÓS-gRADUAÇÃO EM LITERATURA



A palavra em rede: literatura, corpo e cotidiano na cultura digital


Profa. Dra. Tereza Virginia de Almeida
A cultura digital transformou os lugares e agentes tradicionalmente relacionados à escrita e à vocalidade. A escrita se aproxima da fala, a publicação pode ocorrer sem mediação, assim como é possível transmitir a voz em arquivos. Além disto, a noção de compartilhamento desafia os usuais lugares de autoria e aproxima os polos de produção e recepção.

Se a cultura do impresso representou o recalque do corpo e o processo de autonomização do texto, a cultura digital, em sua demanda pela conexão constante, aproxima o corpo do texto. Seria, assim, possível definir a cultura contemporânea como uma cultura barroca, pelo infinito apelo ao sensorial que oferece aos corpos conectados? Quais impactos oferece o arquivo contemporâneo em que se pode transportar imagem, escrita e som quando comparado ao texto impresso?

A partir dessas questões, a disciplina tem como objetivo investigar a emergência de renovadas concepções do literário nas próprias performances de escrita e vocalidade que se dão na rede de computadores. Trata-se de pensar não somente a literatura para além da cultura do impresso, como, ainda, de surpreende-la nas narrativas do cotidiano que não cessam de fluir. Na infinita rede onde se entrelaçam narrativas que se compõem de escrita, imagens fotográficas, charges, áudios, vídeos, etecetera, será possível, ainda, investigar o estatuto do ficcional. Afinal, na rede se criam constantemente representações do real coletivo que podem ser compreendidas como novas formas de ficção, bem como os sujeitos ficcionalizam a si mesmos através das incessantes representações que ali inscrevem.

Bibliografia geral
AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo e outros ensaios. Tradução de Vinicius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos. 2009.

ALMEIDA, Tereza Virginia de. A voz como provocação aos estudos literários. In: ALMEIDA, Tereza Virginia de; OLIVEIRA, Susan Aparecida; ALMEIDA, Lucia. Outra travessia: literatura e música, Florianópolis, UFSC, 2011.

ATTALI, Jacques. Noise: the political economy of music. Translated by Brain Massumi.

Minneapolis, University of Minnesota Press, 1985.

AUSLANDER, Philip. Liveness: performance in a mediatized culture. London & New York, Routledge, 1999.

_________________. Digital liveness: a historico-philosophical perspective. In: PAJ: A Journal of Performance and Art. September 2012 XXXIV, n. 3. Cambridge, MIT Press.


BARTHES, Roland. O prazer do texto. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1993.

_________________. O grão da voz. Tradução de Teresa Menezes e Alexandre Melo. Lisboa, Edições 70, 1981.


BAUDRILLARD, J. À sombra das maiorias silenciosas: o fim do social e o surgimento

das massas. Tradução de Suely Bastos. São Paulo: Brasiliense, 1985.


BRUNS, A. Blogs,Wikipedia, Second Life and Beyond: From Production to Produsage

(Digital Productions). New York: Peter Lang, 2008.
CAVARERO, Adriana. Vozes plurais: filosofia da expressão vocal. Tradução de Flavio

Terrigno Barbeitas.Belo Horizonte, UFMG, 2011.


DELEUZE, Gilles. Le pli: Leibniz et le Baroque. Paris, Editions de Minuit, 1988.
DERRIDA, Jacques.. Mal de arquivo: uma Impressão Freudiana. Tradução de Cláudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.
DOLAR, Mladen. A voice and nothing more. Massachussets, MIT Press, 2006.
DYSON, Frances. Sounding new media: immersion and embodiment in the arts and culture. Berkeley, University of California Press, 2009.
ELLISON, Nicole etalli. Connection strategies: social capital implications of facebook. New media society 2011,13, p.873-892.
EWALD, Felipe Grüne et alli. Cartografias da voz. São Paulo, Paraná, Letra e voz, Fundação Araucária, 2011.
FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo, Martins Fontes, 1995.
_________________ Arqueologia do saber. 4ª edição, Tradução de Luiz Felipe

Baeta Neves. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. Technologies of the self. In: Hutton

P.H., Gutman H. e Martin L.H., ed. Technologies of the Self. A Seminar with Michel Foucault. Anherst: The University of Massachusetts Press, 1988, pp. 16-49.


GOOD, Katie Day. From scrapbook to facebook: a history of personal media assemblage and archives. New media society, 213, 15, p, 557-573.
GUMBRECHT, Hans Ulrich. Modernização dos sentidos. São Paulo, 34 Letras, 1998.
_________________. Corpo e forma. Rio, EDUERJ, 1998.
_________________. Production of presence. Stanford, Stanford University Press, 2002.
HEIM, Michel. The metaphysics of virtual reality. New York. Oxford University Press, 1993.
KITTLER, Friederich. Gramophone, film, typewriter. Translated by Georffrey Winthrop-Young and Michael Wutz. Stanford, Stanford University Press, 1999.
_________________. Discourse networks 1800/1900. Translated by Michael Metteer a with Chis Cullens. Stanford, Stanford University Press, 1990.
KONIJN, Elly A et alli (Editors). Mediated interpersonal communication. New York and London, Routledge, 2008
LADDAGA, Reinaldo. “Uma fronteira do texto público: literatura e meios eletrônicos”. In: OLINTO, Heidrun Krieger e SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Literatura e mídia. Rio,

Editora PUC Rio, 2009, p. 17-31.


LAVER, John. The phonetic description of voice quality. Cambridge, Cambridge

University Press, 1980.


LÉVI, Pierre. O que é o virtual. Tradução de Paulo Neves. São Paulo, 34 Letras, 1996.
__________. Collective intelligence: Mankind’s emerging world in cyberspace.

Translated by Roberto Bononno. New York and London, Plenum Trade, 1997.


LYOTARD, Jean-François. O inumano: considerações sobre o tempo. Tradução de Ana Cristina SEABRA e Elizabete Alexandre. Lisboa, Estampa, 1990.
MÜNSTER, Anna. Materializing new media: embodiment in information aesthetics.

Hanover, New Hampshire, Dartmouth College Press, 2006, p. 32-33.


NANCY, Jean-Luc. Listening. Translated by Charlotte Mandell. New York, Fordham

University Press, 2007.

NEUMARK, Norie et alli (eds). Vocal aesthetics and digital arts and media. Cambridge, MIT Press, 2010.

NEUMARK, Norie and CHANDLER, Annemarie( Editors). At a distance: precursors of art and activism in the internet. Cambridge, The MIT Press, 2005


ONG, Walter. Orality and literacy. London e New York: Routledge, 1982.

____________.The aesthetics of disappearance. Translated by Philip Beitchman. New York, Semiotexte, 1991.

VIRNO, Paolo. A grammar of the multitude: for an analysis of contemporary forms of life. Translated by Isabella Bertolletti, James Cascaito and Andrea Casson. Semotexte Foreign Agent Series,
SUNDEN, Jenny. Material virtualities. New York, Peter Lang, 2003.
ZIZEK, Slavoj e SALECL, Renata. Gaze and voice as love objects. Durham , London,

Duke University Press, 1996.


ZUMTHOR, Paul. Escritura e nomadismo. Tradução de Jerusa Pires Ferreira et alli. São Paulo, Ateliê Editorial, 1999.
_______________. A letra e a voz. Tradução de Jerusa Pires Ferreira et alli. São Paulo, Companhia das Letras, 2001.
_______________ Performance, recepção, leitura. Tradução Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo, Cosac & Naif, 2007.


Campus Universitário – Trindade – Sala 309 – 88.040-900 – Florianópolis – SC

Fone: (48) 3721 9582 – Fax: (48) 3721 6612 – e-mail: pglb@cce.ufsc.br




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal