Universidade Federal do Tocantins Especialização em Gestão Escolar



Baixar 62.56 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho62.56 Kb.
Universidade Federal do Tocantins

Especialização em Gestão Escolar
Adriana Brandina de Santana

Carmelita da Silva Sousa




GESTÃO EDUCACIONAL DE QUALIDADE COMO CONTRIBUIÇÃO PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INTERDISCIPLINAR

Araguaína, maio de 2010



Universidade Federal do Tocantins

Especialização em Gestão Escolar
Adriana Brandina de Santana

Carmelita da Silva Sousa



GESTÃO EDUCACIONAL DE QUALIDADE COMO CONTRIBUIÇÃO PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INTERDISCIPLINAR

Trabalho apresentado como requisito parcial de avaliação do curso de GESTÃO ESCOLAR do Programa ESCOLA DE GESTORES da UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS – UFT, sob a orientação da Profª Mª. Klívia de Cássia Silva Nunes e Marizângela Reis.

Araguaína, maio de 2010


GESTÃO EDUCACIONAL DE QUALIDADE COMO CONTRIBUIÇÃO PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INTERDISCIPLINAR

Adriana Brandina de Santana1

Carmelita da Silva Sousa2

Klívia de Cássia Silva Nunes3

Marizângela Reis 4


RESUMO
Este artigo tem como objetivo apresentar a relevância de uma gestão participativa dentro do processo de ensino aprendizagem, bem como a sua contribuição para que a interdisciplinaridade possa existir de forma satisfatória oferecendo recursos essenciais para a conquista de uma aprendizagem coesa e eficaz, verificando a problemática, observando a disponibilidade dos recursos didáticos, bem como as ações e metas pedagógicas utilizadas, buscando suprir as principais necessidades e alcançar os objetivos de uma educação voltada para formação de cidadãos críticos e conhecedores de seus direitos e deveres, para coleta das informações foi realizada uma consulta bibliográfica, para embasamento teórico da pesquisa, aplicação de questionário para os professores e gestor, e apresentação dos dados em forma gráfica para facilitar a compreensão dos leitores, a pesquisa evidenciou que a maior problemática da unidade escolar, consiste na falta do apoio escolar no desenvolvimento da aprendizagem, verificando que a escola tende a assumir completamente o processo educativo desenvolvido na escola.
Palavras – chave: Gestão Escolar; Prática Pedagógica e Interdisciplinaridade.

Introdução
O processo educativo necessita da participação de todos que fazem parte do processo de aprendizagem, onde cada um deve desenvolver sua função, de forma que o objetivo e metas traçados sejam atingidos.

Diversos são os métodos utilizados para que a conquista de tal êxito, no decorrer desse trabalho apresenta-se a relevância da gestão escolar na ministração das aulas de forma interdisciplinar, sendo que a interdisciplinaridade quebra barreiras existentes entre as disciplinas e suas particularidades e proporciona uma aprendizagem diferenciada e eficaz, pois promove a abertura a novos saberes, favorece a compreensão e a reconstrução através da descoberta.

O gestor precisa buscar ações utilizando de ferramentas inovadoras e que desperte o interesse de todos, oferecendo oficinas e reuniões periódicas para que as trocas de experiências ofereçam oportunidade de inter-relacionar as disciplinas, numa transposição didática, cujos recursos de instrumentalização são a interdisciplinaridade e a contextualização.

Evidenciando que a gestão possui grande relevância no desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem, demonstrando que a interdisciplinaridade é essencial na ministração das aulas e no despertar do interesse dos alunos e somente a partir de uma gestão democrática e participativa pode-se envolver a todos de forma contínua e eficiente.

Este artigo buscou informações bibliográficas que reforça-se a linha de raciocínio pré–estabelecida, verificando que todos podem contribuir na aprendizagem de forma frequente e contínua, utilizando a interdisciplinaridade para envolver ainda mais a todos que fazem parte do processo de ensino aprendizagem.

Para reforçar o conteúdo teórico deste trabalho foi realizada uma pesquisa de campo na Escola Estadual João Guilherme Leite Kunze, utilizando questionário com perguntas claras e objetivas com professores da unidade escolar para avaliar as principais dificuldades e como era desenvolvido o trabalho das gestoras da unidade, sendo detectado que um dos problemas mais frequentes é a falta de acompanhamento familiar no desenvolvimento da aprendizagem, verificando as ações realizadas para atrair a participação dos pais à escola e apresentando os benefícios de uma boa gestão para uma prática pedagógica eficiente e que satisfaça os interesses da comunidade escolar.



2. Gestão Escolar
a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, nº 9394/96, declara que a educação abrange processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, dentre outros. Desta forma nos deteremos no que diz respeito às instituições de ensino e aos gestores, por estarem a frente da equipe escolar e como os mesmos se articulam para fazer aquilo que lhes é próprio: promover um ensino de qualidade.

Para tanto nos deteremos a algumas acepções sobre a gestão escolar e sua função no processo de ensino e aprendizagem de qualidade e as opiniões entre os teóricos sobre o papel do gestor no processo pedagógico.

Este profissional vem buscando justificar sua presença na escola, já que, para muitos, o gestor é tido como aquele que somente assina papeis se configurando assim como aquele “cuida” das questões referentes à burocracia. Desta forma percebe-se uma distância entre o mesmo e o processo pedagógico escolar.

Essa prática tem sido ao longo dos anos, fundamentada em uma postura que é consequência da falta de conhecimento aprofundado acerca dos fundamentos teóricos e de uma definição do verdadeiro papel do gestor. Esse desconhecimento acaba por levar esse profissional a cumprir funções exclusivamente burocráticas, deixando de lado questões pedagógicas importantes.

Por isso nos perguntamos será que falta à educação brasileira somente recursos financeiros? Acredita-se que não, falta às pessoas que inseridas no processo educativo clareza sobre suas funções.

Para tanto seguem abaixo algumas das diversas acepções modernas sobre o papel da gestão escolar, que consiste em aprimorar a qualidade do ensino, oportunizar a criação de estratégias e metas que favoreça ao processo educativo, de forma coesa e eficaz.

Segundo Heloisa Lück (2008) gestão escolar constitui-se em um meio para realização das finalidades, princípios, diretrizes e objetivos educacionais orientadores da promoção de ações educacionais com qualidade social.

Desta forma percebe-se que a gestão de uma escola para ser eficaz deve estar em consonância com o Projeto Político Pedagógico e as Políticas Públicas Educacionais, além de atender os anseios da comunidade.

Assim temos por certo que o papel do gestor escolar tem ganhado uma nova configuração, já que na sociedade atual há esta exigência. A esse respeito, Moraes, Oliveira e Dourado [200-, p.1] afirmam que o redimensionamento do papel político do diretor implica a criação e/ou consolidação de espaços de gestão colegiada, onde a gestão se efetive por meio de processos de articulação entre todos que compõem a comunidade escolar, no sentido de construir uma gestão democrática.

Assim não se pode pensar nos dias atuais em uma prática de gestão desarticulada e isolada, pois tal prática equivaleria a uma gestão longe de fazer contribuir para um ensino de qualidade e ainda estaria ferindo o direito fundamental de todo cidadão.


3. a gestão e o processo de ensino
Somos sabedores que a razão de ser da gestão escolar é a promoção da formação e aprendizagem do aluno, para que os mesmos desenvolvam competências sociais e pessoais necessárias para sua inserção na sociedade. Afirma Heloísa Lück (2008), quando diz que o gestor deve ter a capacidade de levar pessoas a aprenderem, a desenvolverem compreensões, hábitos e atitudes.

Tal atitude revela o conhecimento pedagógico do gestor escolar. Para tanto nos valemos da semântica, ciência que estuda o sentido das palavras. O adjetivo “pedagógico” é diretamente oriundo da Pedagogia, a ciência e a arte de influenciar sistemática e organizadamente os processos de aprendizagem de pessoas, mediante método compatível com resultados pretendidos (LÜCK, 2008 apud DEBESSE e MIALARET, 1974).

Assim pensar em gestão significa pensar em ensino, pois a razão de ser da gestão está intrinsecamente ligada a promoção do ensino de qualidade que responda a exigências da sociedade atual.

Segundo Heloísa Lück (2007), a responsabilidade do processo pedagógico em sua efetividade permanece com o diretor escolar, cabendo-lhe liderança, coordenação, orientação, planejamento, acompanhamento e avaliação do trabalho pedagógico exercido pelos professores e praticados na escola como um todo.

Do comentário acima podemos confirmar que o sucesso da instituição escolar (e de todos que dela fazem parte) depende da visão do diretor, de como o mesmo articula os interesses da instituição com os interesses dos alunos e profissionais, isto é, promovendo o que a autora acima chama de competências pedagógicas e aprimoramento das condições favoráveis à criação de ambiente escolar favorável à melhoria das experiências de formação e aprendizagem dos alunos.

4. A interdisciplinaridade e sua contribuição na construção do conhecimento

A interdisciplinaridade é um conceito fundamental no discurso da educação contemporânea, chegando até mesmo ser denominada como eixo organizador da doutrina curricular que expressa-se na Lei de Diretrizes e Bases da educação.

A interdisciplinaridade, segundo Lago (2009), caracteriza-se como uma tentativa de transformar o saber fragmentado, encontrado nos recortes disciplinares dos currículos escolares, num saber de totalidade.

Estudos revelam que há duas formas de conceber a interdisciplinaridade, ou seja, a primeira é concebendo-a como articuladora de disciplinas, já a segunda seria concebê-la (num nível mais complexo) como articuladora de conteúdos. Dentre as concepções acima mencionadas historicamente a concepção de interdisciplinaridade assumida pelos professores, foi a segunda.

Garcia (2009) adverte que a formação para interdiscilinaridade na Educação Básica ainda é algo a avançar no Brasil, já que a formação inicial do professor não propicia experiências interdisciplinares. Depreende-se do comentário acima que viciamos os nossos alunos a pensar de forma compartimentada, como se o conhecimento assim o fosse.

Desta forma evidencia-se que o mundo atual as coisas não devem ser compreendidas de formas isoladas, mas sim com interações, pela complementaridade de dimensões que fazem parte de diversos processos.

Esclarecendo que o processo de ensino aprendizagem tem o objetivo de projetar-se em todas as disciplinas, ampliando a possibilidade na conquista do conhecimento rompendo barreiras e criando novas oportunidades, utilizando de inovações metodológicas que desperte o interesse dos alunos, sendo que as ações interdisciplinares favorecem para a exploração das relações disciplinas e a conquista mais acentuada de novos saberes.

A interdisciplinares consiste de uma nova maneira de ensinar e aprender, onde consegue despertar o interesse dos alunos, realizar a interação de disciplinas, favorece para a produção do conhecimento e interligar os dois mundos, o escolar e a vida real.

Depreendendo desta forma que a interdisciplinaridade é centrada no conhecimento e está conectada com a vida e com mundo e pode ser uma resposta positiva ás pessoas que dela se valem para de fato produzir conhecimento.


5. PESQUISA DE CAMPO
A pesquisa foi realizada na Escola Estadual João Guilherme Leite Kunze, localizada na Rua São Pedro, nº 560, Setor São Miguel na cidade de Araguaína – TO, situada em uma região periférica, atendendo aos alunos de 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, alunos da EJA de II e III segmentos, funcionando nos períodos matutino, vespertino e noturno.

Na pesquisa foram entrevistados 11 professores, sendo 10 professores regentes e o gestor da unidade escolar. O questionário aplicado foi único, onde as questões foram apresentadas, seguidas por um gráfico da tabulação dos dados para melhor facilitar a compreensão dos leitores.

A escola pesquisada foi fundada em fevereiro de 1993, e está situada no setor São Miguel, e atende aos alunos na segunda fase do ensino fundamental, no período diurno, além de ser autorizada a ministrar conteúdos para Educação de Jovens e adultos no período noturno. Desde sua fundação atende a uma clientela expressiva.

O questionário é composto por 5 questões abertas, onde o entrevistado precisa colocar seu ponto vista e apresentar possíveis soluções para elucidação da problemática apresentada, considerando que a análise será feita sob diversos aspectos, tanto das condições físicas, as pessoas envolvidas, o cargo de desempenha dentro da instituição.

Quando perguntado para os educadores da Escola Estadual João Guilherme Kunze sobre os fatores que influenciam negativamente na prática docente, foi constatado a seguinte resposta no gráfico 1, p. 9.
Gráfico 1: Fatores que influenciam negativamente na prática docente.

Fonte: Pesquisa de campo realizada em 2010.


As pessoas entrevistadas na unidade escolar demonstram que as dificuldades apresentadas pelos professores são as mesmas, pois todas as ações desenvolvidas na escola que necessita da presença da família ficam a desejar, onde essa falta de apoio da família dificulta o bom andamento do processo de ensino e interfere na interdisciplinaridade realizada em sala de aula.

Embora o gestor incentive para as ações serem desenvolvidas, observa-se que a falta do acompanhamento familiar dificulta o trabalho pedagógico, limita as ações a serem desenvolvidas e desmotiva os alunos em sala de aula.

Quando perguntado para os educadores da Escola Estadual João Guilherme Kunze sobre a dificuldade na ministração dos conteúdos de sua disciplina agregados aos conteúdos de outras disciplinas. Foi constatado a seguinte resposta.

Todos os entrevistados responderam que não, pois consegue haver uma sintonia entre professores e encontram apoio na gestão da escola o ameniza a falta do acompanhamento familiar na aquisição dos resultados positivos.

Quando perguntado para os educadores da Escola Estadual João Guilherme Kunze em relação ao que entendia por interdisciplinaridade, a maioria afirmou que é um movimento, um conceito e uma prática inacabada que envolve duas ou mais ciências em um mesmo objetivo para atingir determinado resultado. Relatando que a interdisciplinaridade favorece para a construção do conhecimento e favorece para o despertar do interesse dos alunos e amenizar problemas de aprendizagem encontrados na sala de aula.

Os professores reconhecem a importância da interdisciplinaridade para o desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem, demonstrando que para a conquista de um bom resultado é preciso inovar nas metodologias e propiciar um ambiente agradável que favoreça para a aprendizagem, tal como Klein (1990, p. 24), diz:

A interdisciplinaridade tem sido usada para alcançar respostas a questões complexas, dirigir iniciativas amplas, explorar relações disciplinares e profissionais, resolver problemas que estão além do escopo de qualquer disciplina individual e buscar a unidade de conhecimento. Questões alinhadas com os motivos que levam a ciência de volta a busca pela unificação do conhecimento.
Perguntou-se aos educadores se a equipe gestora motiva o trabalho interdisciplinar, 100% dos entrevistados afirmam que a gestão da unidade escolar pesquisada está diretamente envolvida com os problemas da escola, motivando a interdisciplinaridade e reconhecendo os esforços realizados pelos professores no intuito de amenizar os problemas surgidos no cotidiano escolar.

Dentro do ambiente escolar todos possuem sua parcela de contribuição, a soma dos esforços é extremamente necessária, o papel do gestor é diferenciado pelo fato de estar na liderança dos serviços, tendo a oportunidade de criar uma gestão democrática e eficiente.

Segundo Libâneo (2001, p. 79), afirma que:
A participação é o principal meio de se assegurar a gestão democrática da escola, possibilitando o envolvimento de profissionais e usuários no processo de tomada de decisões e no funcionamento da organização escolar. Além disso, proporciona um melhor conhecimento dos objetivos e metas, da estrutura organizacional e de sua dinâmica, das relações da escola com a comunidade, e favorecem uma aproximação maior entre professores, alunos, pais.
A forma de direcionar a unidade escolar determina a eficiência dos trabalhos realizados, e quando se consegue envolver pais, alunos e professores os resultados tendem a ser mais eficiente, pois proporciona um melhor envolvimento e maior integração das partes envolvidas no processo de ensino.

Quando perguntado para os educadores se sente apoiado (a) pela equipe gestora para trabalhar a interdisciplinaridade, conforme a questão anterior, os professores só complementaram a afirmativa, pois relatando que a gestora busca envolver todos da escola nas atividades e dificuldades encontradas, coletando sugestões e realizando o PPP – Projeto Político Pedagógico com todos para que as ações atendam as necessidades de todos que fazem parte da comunidade escolar.

A educação tem passado por inúmeras transformações, uma delas trata-se da evolução tecnológica que beneficia toda a unidade escolar com a inserção de novas metodologias de ensino, bem como mudanças ocorridas no papel da gestão escolar, permitindo que o gestor tenha mais autonomia e participação efetiva na construção de saberes, assim ele atua de forma mais eficaz para nortear e validar as ações do Projeto Político Pedagógico (PPP). A esse respeito Gadotti (1994, p.56), faz uma observação importante sobre o PPP para a escola:
Observa que fazer um projeto significa lançar-se para frente, antever o futuro. O projeto é, pois, um planejamento em longo prazo, atividade racional, consciente sistematizada que as escolas realizam para traçarem a sua identidade como organização educativa. Um plano seria uma previsão de caráter mais restrito, onde se enumeram as ações, tarefas, objetivos e metas, definidas pelo projeto da escola.
O projeto determinar criar condições para a melhoria dos trabalhos a serem realizados, criando uma visão em longo prazo e oportunizando a realização de atividades que estejam voltadas para o interesse e a realidade dos alunos.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Na pesquisa realizada pode-se observar que a gestão da escola busca inovar as suas ações e atitudes de forma que atenda as necessidades da comunidade, apesar das dificuldades encontradas, o gestor conta com o apoio dos colegas de trabalho, por acreditar que uma educação de qualidade, é realizada por um conjunto de opiniões e estratégias, sendo justificada pelo dito popular “que uma andorinha sozinha não faz verão”

No trabalho com a interdisciplinaridade a gestão representa-se de extrema importância, pois mesmo que a vida em si, sejam interdisciplinar, muitos professores ainda não experimentaram conscientemente essa vivencia, e somente com reuniões periódicas, oficinas, essas experiências podem ser repassadas, cabendo ao gestor incluir no seu plano de trabalho encontros periódicos que possam oferecer metodologias eficazes e que atenda os anseios da comunidade escolar.

Embora a gestão não possa ser interpretada independentemente de uma perspectiva mais política da realidade organizacional, que questiona a pretensa homogeneidade cultural (ao nível dos valores e da missão) da organização. Não pode omitir a indução institucional e o poder regulador do Estado sobre as escolas e os modelos de gestão intentados nas periferias do seu sistema educativo.

O responsável, pois, pela concretização de um modelo de gestão estratégica numa dada escola, a ser possível, deve considerar a responsabilidade social dos seus atos questionados no sentido de ir além dos meros interesses economicistas e etnocentrados da organização e almejar objetivos e atividades civicamente críticas e socialmente empenhadas.

Sendo assim, entendemos que a gestão da escola pesquisada orienta seus trabalhos pela interdisciplinaridade, como parte de um processo contínuo. A participação dos professores na escola para que a interdisciplinaridade aconteça de fato é expressiva, já que a prática comum da escola busca superar o ensino fragmentado.
Abstract:
This article aims to present the importance of participatory management within the process of teaching and learning, as well as its contribution to that interdisciplinarity can be satisfactorily providing essential resources for achieving a cohesive and effective learning, noting that the largest detected problem is the lack of training courses and regular meetings between officials, looking meet the key needs and achieve the goals of an education aimed at training of critical citizens and knowledgeable of their rights and duties, to collect the information was performed a bibliographic search for theoretical research, questionnaires for teachers and managers, and data presentation in graphical form to facilitate the understanding of readers, ending with the final considerations of the research done by presenting the benefits of a sound educational practice for an efficient and satisfying the interests of the school community.


Key - words: school management, pedagogical practice and interdisciplinarity.


Referências BIBLIOGRÀFICAS
BRASIL. Constituição da República Federativa. Brasília: MEC, 1988.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Barsília, 1996.

DOURADO, Luiz Fernandes; MORAES, Karine Nunes de e OLIVIERA, João Ferreira de. O papel político-pedagógico do diretor. In.__________. Unidade II: Gestão Democrática da Escola e o Sistema de Ensino -  Sala Ambiente de Políticas e Gestão na Educação (texto de apoio), [200-, p.1].

KLEIN, Julie Thompson, Crossing boundaries: Knowledge, disciplinarities, and interdisciplinarities. Charlottesville, Virgínia: University Press of Virginia, 1990.

LIBÂNEO, José Carlos. Educação escolar: políticas, estrutura e organização, 2 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

____________________. Organização e gestão da escola: teoria e prática, Goiânia: Alternativa, 2001.

LÜCK, Heloísa, 2008. Dimensões da Gestão escolar e sua competências. Curitiba: Positivo, 2008.

_______2007. Pedagogia Interdisciplinar: fundamentos teóricos e metodológicos. 15ª ed. Petrópolis. Vozes 2008.

SILVA, Edna Lúcia da, MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da Pesquisa. Ed 3. Florianópolis, 2003.

VEIGA, Ilma P. A. Projeto político pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papyrus, 1998.




1 Graduada em Licenciatura de ciências Habilitação Plena em Matemática.

2 Graduada em Licenciatura de Letras com Habilitação em Inglês e Português e suas respectivas Literaturas.

3 Professora Orientadora Graduada em Pedagogia (ULBRA), Especialista em Gestão Educacional (ULBRA) e Mestrado em Educação (UCG)

4 Professora Orientadora Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Educação Ciências e Letras de Paraíso (2002), Especialista em Políticas Públicas pela Universidade do Tocantins - UNITINS (2009)





Catálogo: uft -> file.php
file.php -> As Contribuições do Gestor Escolar na Formação de sua Equipe e no Ensino Aprendizagem na Creche Paroquial Irmã Ivone Mcnulty
file.php -> Gestão democrática e participativa e as contribuiçÕes para a geraçÃo da qualidade no âmbito escolar
file.php -> Gilvana Nunes Silva Tavares 1
file.php -> Gestão participativa um caminho importante para um ensino-aprendizado de sucesso luciene Vitor Pereira e Silva Resumo
file.php -> A importância da família na escola para o desenvolvimento do ensino aprendizagem
file.php -> O conselho escolar participando da gestão democrática
file.php -> Proposta política pedagógica e suas contribuiçÕes para o incentivo à aprendizagem, através da motivaçÃo do professor
file.php -> FundaçÃo universidade federal do tocantins programa escola de gestores da educaçÃo básica
file.php -> AlfabetizaçÃo e aprendizagem diversificada neli Miranda Cabreira
file.php -> ReestruturaçÃo do projeto político pedagógico da escola municipal de formaçÃo integral professora generosa pinto de castro


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal