Universidade fernando pessoa



Baixar 0.58 Mb.
Página1/14
Encontro20.07.2016
Tamanho0.58 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


CRISTINA PINTO LOPES

MEMÓRIAS DA PELE:

O PROCESSO CRIATIVO NO TRATAMENTO DE MULHERES COM DEPRESSÃO

Estudo de caso em Arteterapia

UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

Ponte de Lima, outubro 2010

CRISTINA PINTO LOPES



MEMÓRIAS DA PELE:

O PROCESSO CRIATIVO NO TRATAMENTO DE MULHERES COM DEPRESSÃO

Estudo de caso em Arteterapia

UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA


Ponte de Lima, outubro 2010



AUTOR: CRISTINA PINTO LOPES



FIRMADO:__________________________________

MEMÓRIAS DA PELE:

O PROCESSO CRIATIVO NO TRATAMENTO DE MULHERES COM DEPRESSÃO

Estudo de caso em Arteterapia

Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa, como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Criatividade e Inovação sob orientação do Professor Doutor David de Prado Díez.



RESUMO

LOPES, Cristina Pinto. Memórias da pele: o proceso criativo no tratamento de mulheres com depressão. Estudo de caso em Arteterapia. Universidade Fernando Pessoa.

Esta pesquisa relata, num estudo de caso, as aproximações entre criatividade, feminino e depressão. O referencial teórico adotado provém da abordagem simbólica da psicologia analítica, da arteterapia e ativadores criativos.

Utilizou-se o conto da tradição oral “Pele de Foca Pele de Alma” como principal norteador do trabalho. Foram realizados 10 encontros tendo como participantes nove mulheres com faixa etária entre 30 e 60 anos, em tratamento no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Casa Forte com diagnóstico principal de depressão grave. Nos encontros, trabalhou-se diretamente com os seguintes ativadores criativos: relaxamento criativo, analogia inusual, torbellino de idéias e escrita criativa. Concluiu-se que uma metodologia de trabalho terapêutico com estímulos ao processo criativo se configura como um relevante instrumento de restauração da vitalidade feminina, atenuando os sintomas de sofrimento trazidos pala depressão.
 

Palavras-chave: Depressão. Feminino. Criatividade. Arteterapia.

 

ABSTRACT

LOPES, Cristina Pinto.Memoirs of the skin: the creative process in the treatment of women with depression.Case Study in Art Therapy.Fernando Pessoa University.

This case study focuses on the interface among creativity, “the feminine” and depression. The theoretical framework rests on the Analytical Psychology symbolic approach as well as Art Therapy´s creative activators. The oral tradition tale “Seal Skin, Soul Skin” served as a work tool in the process. Ten creative meetings were conducted with the participation of nine women between 30 and 60 years old, diagnosed with serious depression. The following creative activators were used: creative relaxation, unusual analogy, brainstorming and creative writing. The study led to the following conclusion: therapeutic work that includes stimuli to the creative process in patients is an important tool in restoring feminine vitality, thus lessening the symptoms of suffering brought about by depression.

Key words: Depression. Feminine.Creativity. Art Therapy.

Para minhas avós Nadyr e Cilinha (in memorian), minha mãe Neide e minha filha Maria.



AGRADECIMENTO

Agradeço a todos que já partilharam sonhos comigo.

Ao professor David Del Prado Diéz por seu olhar sempre inventivo e inquieto.

Lourdes Gimenes, Angela Philippini, Mércia Melo por ajudar a encontrar as rotas.

As mulheres do grupo que assumiram resgatar a criatividade nas suas vidas.

A Milena pela paciência e carinho.

A toda equipe do CAPS CASA FORTE, especialmente Marcos Noronha.

A Marilda de Camargo Credidio, companheira nessa aventura.

As irmãs que escolhi Andrea Graupen, Edna Lopes, Kika Avellar, Simone Avellar.

A Nasaré tia querida que um dia me entregou “A Fada que Tinha idéias”, livro que guardo até hoje comigo.

Aos meus irmãos Hugo, Tâmara, Carol, Artur, Naila amor incondicional.

A Clara Ferreira Lopes, minha flor da Índia que vive tão perto de mim.

Aos meus pais Mario e Neide pela constante simplicidade na vida.

Aos meus filhos Maria e Pedro por sempre me alimentar com poesia e beleza.

A Rafael Black de Albuquerque, companheiro de sempre, por segurar a minha mão.

INDÍCE


INTRODUÇÃO 12

I.1. Contribuições da Psicologia Humanista 20

I.2. Alcances da Ação Criativa 21

I.3 Transformações Criativas nos Grupos 24

I.4 Condições favoráveis à criação 26

CAPÍTULO II: FERRAMENTAS DA ARTETERAPIA – PROCURANDO OS ACHADOUROS. 29

II.1. Esconderijos da contemporaneidade 32

II.2. A arte como mapeamento psíquico 33

II.2.i.1. Do mundo objetivo ao subjetivo 35

II.2.i.2.O Inconsciente Criativo de Jung 37

II.2.i.3. Arquétipos e símbolos 38

II.3. A Clínica como experiência criativa 43

II.4. Arteterapia: Caminho criativo 45

III.1. Depressão e Ausência da Energia Vital 48

III.1. Organização da Pesquisa 51

III.2. Ativadores Criativos utilizados 53

III.2.i.1.Relaxamento Criativo 54

III.2.i.2. Pensamento Fluido e Ágil 56

III.2.i.3.Analogia Inusual 58

III.2.i.4.Escrita criativa 60

III.3.Descrição do Método – Etapas 63

III.3.i.1. Encontros 1 a 4 – Reconhecimento da Pele Primordial 64

III.3.i.2.Encontros 5 e 6 – Distanciamento da Pele Primordial 68

III.3.i.3. Encontros 7 a 10 – Retomada da Pele Primordial 70

IV.1. A História de A. C. 77

IV.1.i.1. Revelações da Primeira Fase 77

IV.1.i.2. Revelações da Segunda Fase 82

IV.2. Analisando o Percurso de A.C. 90

V.1.i.1. Restabelecimento da dor 105

V.1.i.2.Verdade Restituída 108

SÍNTESE DE AVALIAÇÃO METACOGNITIVA 116

Anexo A – Pele de foca, pele da alma 128

Anexo B – Canção para HuaMu-Lan 133

Anexo C – Poeminha em língua de brincar (Manoel de Barros) 134

Anexo D - Texto sobre a força feminina criativa e suas bênçãos. 135

Anexo E – Música “Fantasia” (Chico Buarque) 135




INDÍCE DE FIGURA

Figura 1: Na palma da minha mão. Imagem projetada na mão de F. nos encontros de estimulo a criatividade. 9

Figura 2: Energia contida. Imagem criada por M. nos encontros de estimulo a criatividade. 12

Figura 3: Estou pronta. Imagem projetada na mão de L. nos encontros de estimulo a criatividade. 17

Figura 4: Enlatado. Criada por F. nos encontros de estimulo a criatividade referindo a dificuldade emocional para vida criativa. 28

Figura 5: Memórias. Imagem projetada na pele de M. nos encontros de estimulo a criatividade. 30

Figura 6: Fantasmas. Criada por A. nos encontros de estimulo a criatividade referindo a dificuldade emocional para vida criativa. 48

Figura 7: Solidão. Realizada por M. nos encontros de estimulo a criatividade. 50

Figura 8: Abrindo o velho baú. Convite entregue as mulheres selecionadas para participar do grupo de estimulo criativo. 52

Figura 9: Foco. Imagem produzida pós Relaxamento Criativo. 55

Figura 10: O vazio. Realizada por B. nos encontros de estimulo a criatividade. 59

Figura 11: Reconhecendo a minha pele. 68

Figura 12: Mudando a estação. Imagem desenhada por A.C. nos encontros de estimulo a criatividade. 76

Figura 13: Meu corpo é coração. Imagem projetada no corpo de A.C. 80

Figura 14: Reconhecendo a minha pele. Imagem projetada na parede com finalidade de servir de estimulo gerador de palavras. 81

Figura 15: Medo. Imagem criada por A.C. representando o roubo da sua pele. 85

Figura 16: CorAção. Imagem da pintura na pele. 89

Figura 17: Saindo do casulo. Imagem projetada na pele de S. nos encontros de estimulo a criatividade. 97

Figura 18: Frutos. Imagem Pintada na mão de uma das mulhres do grupo de estimulo a criatividade. 98

Figura 19: Braços abertos. Imagem projetada na mão de uma das mulhres do grupo de estimulo a criatividade. 102

Figura 20: Lua nas minhas mãos. Imagem pintada na mão de uma das mulhres do grupo de estimulo a criatividade. 105

Figura 21: Voa borboleta. Imagem projetada na mão de uma das mulhres do grupo de estimulo a criatividade. 108

Figura 22: A nossa benção. Imagem da pintura na pele das mãos das mulheres do grupo de estimulo criativo. 112

Figura 23: Vida em movimento. Imagem síntese do meu processo de aprendizagem no Master em Criatividade. 117


INDÍCE DE TABELA

Tabela 1: Frases Limitadoras e Frases Instauradoras. 29

Tabela 2: Principais padrões arquetípicos vivenciados. 39

Tabela 3: Principais materiais (ferramentas em arteterapia) e suas funções. 46

Tabela 4: Estrutura básica dos encontros. 53

Tabela 5: Pensamento Flúido e Ágil – Lista de coisas sequeciadas. 57

Tabela 6: Pensamento Flúido e Ágil – Imagina quatro coisas que tenham estas características. 57

Tabela 7: Estrutura dos Encontros de Estímulo Criativo. 64

Tabela 8: Como estou? Encontro 01. 65

Tabela 9: Quem sou? Encontro 02. 66

Tabela 10: A pele original. Encontro 03. 67

Tabela 11: A pele e suas associações. Encontro 04. 68

Tabela 12: O Roubo da pele original. Encontro 05. 69

Tabela 13: Ampliando a visão. Encontro 06. 70

Tabela 14: A Guardiã interior. Encontro 07. 71

Tabela 15: A poesia em mim. Encontro 08. 72

Tabela 16: Benção para o caminho. Encontro 09. 73

Tabela 17: Pele criativa. Encontro 10. 74

Tabela 18: Pensamento Flúido e Ágil. 78

Tabela 19: Pensamento Flúido e Ágil. 79



APRESENTAÇÃO



Figura 1: Na palma da minha mão. Imagem projetada na mão de F. nos encontros de estimulo a criatividade.

As imagens simbólicas inscritas na pele norteiam as falas e revelações do presente texto. Temos aqui o desejo de uma vida afetiva que possa funcionar de maneira estruturante e revele as memórias da nossa historia. Na mais profunda camada o desejo é de acolhimento. A criatividade abre as portas para restauração da vida saudável.

Abro os olhos e vejo de imediato um pé de romã. Adorava o sabor daquela fruta, tinha gosto de casa de vô. Rua de calçada larga muita gente ao redor eu pequenina sempre chegando de algum lugar. Sou marcada pela mudança e solidão. Gente só lá no pé de romã ou na longa escada da casa de minha outra avó.

Eu não, sempre morei longe. Meu pai era um engenheiro mudador. Assim, passei por várias escolas, ruas, travessas. A solidão só veio mesmo quando peguei o avião. Enquanto o transporte era o automovel tudo mais fluidamente.

O avião represou a fluidez. Aviso que anos depois pude recupera-la em um consultório psicologico brincando e desenhando minha história. Queria ser artista, padre, cantora, professora e fui tudo isso. Adorava fantasiar, me via dançando, alegre, falante, viva.

Lembro as memórias de minha infância, as dores de menina e como fui no caminho me encantando com a beleza. A inquietação e fantasia seguiram acompanhando por toda a vida escolar. Não era boa aluna, não cabia no formato. E os anos passaram: infância, adolescência e idade adulta.

O amigo tempo seguido do sopro intuitivo me levou ao curso de Psicologia. De alguma maneira, comecei a achar as primeiras pistas. O ser humano me encantava, o mistério, a alma, a loucura. Seguindo essa sequência, fui parar no curso de Educação Artística. Eram duas graduações que aconteciam simultaneamente. E, para surpresa minha, encontrei muito mais do encantamento, do mistério, da alma e da loucura na segunda.

Desde o inicio de minha atividade profissional, o tema Saúde e Criatividade me acompanham. A necessidade de uma vida criativa levou-me à necessidade de uma prática profissional criativa. Neste caminho, encontrei a psicologia simbólica junguiana e, posteriormente, a Arteterapia. Assim, a área de saúde mental sempre esteve no foco das minhas vivencias e pesquisas. A presente pesquisa resultou dessa prática profissional que permite o reencontro da beleza nos espaços mais áridos da psique.

No ano de 2002, surgiu oportunidade de organizar com Marcos Noronha, amigo médico psiquiatra, uma instituição que trabalhasse com a promoção da saúde mental, numa perspectiva da ação criativa. Em janeiro, nasceu o Centro de Atenção Psicossocial Casa Forte – CAPS Casa Forte.

A ideia norteadora era unir o acompanhamento psiquiátrico e psicológico à arte e ao trabalho com terapias corporais como yoga, tai chi chuan, massagens. Buscamos organizar um espaço para cuidado do ser integral e dedicado a pessoas necessitadas de um atendimento intensivo, devido a grave sofrimento mental.

Decorridos oito anos desde o inicio dos trabalhos, temos hoje um campo de atuação solidificado com cerca de 20000 pessoas diretamente beneficiadas. Através das diversas atividades oferecidas, essas pessoas puderam redescobrir talentos, historias e novas maneiras de estar no mundo. Temos trabalhado não somente para a remissão do sintoma psiquiátrico, como também para o estabelecimento de relação autentica e criativa com o cotidiano.

Atualmente, coordeno O CAPS - Casa Forte, que trabalha com pacientes portadores de transtornos mentais, onde o foco do tratamento é também a redescoberta do caminho criativo na vida. Utilizamos para isso várias formas de expressão através de oficinas criativas como o teatro, artes plásticas, contação de histórias e trabalho com sonhos. Foi aí que nasceu e foi conduzida a pesquisa objeto desta dissertação.

Cristina Lopes

  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal