Universidade presbiteriana mackenzie



Baixar 35.79 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho35.79 Kb.


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE
PLANO DE ENSINO


Unidade Universitária:

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE




Curso: EDUCAÇÃO FISICA


Núcleo Temático:




Disciplina:

FISIOLOGIA DO EXERCICIO I



Código da disciplina:

282.6501-7



Professor (es):

MARCELA MENEGUELLO COUTINHO



DRT:

201.153-4



Etapa



Carga horária: 03 aulas ( ) Teoria

( ) Prática



Semestre Letivo: 1º/2013

Ementa:

Essa disciplina pretende abordar as relações entre a Fisiologia do Exercício e a Educação Física. Ao final da disciplina o aluno deverá compreender os diferentes sistemas de transferência de energia e saber associá-los aos diferentes tipos de exercício físico, com base nas definições de potência e capacidade dos sistemas. O aluno também deverá entender os mecanismos de respostas agudas dos diferentes sistemas (sistema cardiovascular e respiratório) à execução de diferentes tipos de exercício físico (aeróbio, anaeróbio e de força). Ênfase especial será dada a conceitos clássicos em fisiologia do exercício, como o VO2máx e o Limiar Anaeróbio.




Objetivos:


Fatos e Conceitos

Procedimentos e Habilidades

Atitudes, Normas e Valores

Analisar de forma crítica as respostas fisiológicas e metabólicas que ocorrem durante a prática de diferentes tipos de exercícios e/ou atividades físicas;
Entender a inter-relação dos sistemas neuromuscular, cárdio-respiratório na adaptação ao treinamento aeróbio, anaeróbio, "de força" e concorrente;
Compreender os princípios do treinamento físico e sua relação com as adaptações fisiológicas dos diferentes sistemas;
Desenvolver a autonomia para o estudo e a pesquisa;


Utilizar do conhecimento adquirido para compreender o funcionamento corporal durante a prática de atividade física e exercício físico;
Construir as resoluções de problemas aplicados à atuação profissional baseado em consceitos desenvolvidos pela fisiologia;

Valorizar a articulação verbal baseada em uma linha de raciocínio científico;
Ser consciente da necessidade do conhecimento da fisiologia para a adequação da atividade física e/ou exercício físico à condição do indivíduo;
Avaliar criticamente as novas tendências e novos procedimentos usados na atuação profissional;



Conteúdo Programático:

Unidade Temática 1: Exercício Aeróbio


  • Dimensão Conceitual: Compreensão dos conceitos de: Atividade aeróbia; Ajustes agudos metabólicos e cárdio-respiratórios durante a realização do exercício aeróbio agudo; Compreensão dos ajustes metabólicos e cárdio-respiratórios durante a realização do exercício aeróbio agudo; Adaptação cardiovascular, respiratória, muscular e metabólica ao treinamento/exercício aeróbio.




  • Dimensão Procedimental: Classificação dos diferentes tipos de exercício aeróbio; Identificação dos Aspectos Fisiológicos aplicados na prescrição de exercícios aeróbios. Identificação das variáveis necessárias para a prescrição do treinamento aeróbio – utilização da freqüência cardíaca, VO2máx, Limiar anaeróbio e percepção subjetiva do esforço.




  • Dimensão Atitudinal: Posicionamento crítico sobre os principais objetivos a serem alcançados frente ao tipo de exercício realizado. Respeito e consideração ao princípio da individualidade biológica. Posicionamento crítico sobre a realização e adaptação ao exercício aeróbio. Resolução de problemas aplicados à atuação profissional.


Unidade Temática 2: Exercício Anaeróbio


  • Dimensão Conceitual: Compreensão dos conceitos de: Definição das atividades anaeróbias e de força; Funcionamento dos sistemas anaeróbios (alático e lático) durante o exercício de alta intensidade; Compreensão dos ajustes momentâneos da musculatura esquelética em decorrência da realização do exercício anaeróbio; Recuperação das reservas anaeróbias após o exercício de alta intensidade; Fisiologia na aplicação de treinamento/programas de exercícios anaeróbios; Adaptações musculares e enzimáticas ao treinamento/exercício anaeróbio; Fisiológicos no treinamento/exercícios de força; Adaptação neural e muscular ao treinamento/exercício de força – influência da intensidade do treinamento; Hipertrofia e hiperplasia muscular; Adaptação dos sistemas fisiológicos ao treinamento/exercício aeróbio e anaeróbio realizados concomitante. 




  • Dimensão Procedimental: Identificação dos procedimentos e análise de respostas do metabolismo anaeróbio durante o exercício de alta intensidade. Classificação da força (resistência, força e potência). Identificação das variáveis fisiológicas necessárias para a prescrição do exercício anaeróbio, bem como das adaptações fisiológicas crônicas decorrentes deste tipo de exercício.




  • Dimensão Atitudinal: Posicionamento crítico sobre o desenvolvimento do exercício aeróbio e de força, bem como às adaptações fisiológicas promovidas. Posicionamento frente à adequação do treinamento de força e treinamento concorrente às adaptações fisiológicas específicas. Resolução de problemas aplicados à atuação profissional.



Metodologia:
O conteúdo programático será assim desenvolvido:


  • Aulas expositivas e dialogadas: serão ministradas de forma a possibilitar a organização e síntese dos conhecimentos das respectivas Unidades Temáticas.




  • Leituras recomendadas e elaboração de textos em aula: serão indicadas com a finalidade de proporcionar ao graduando oportunidades para (a) consulta de uma bibliografia específica relacionada com a disciplina e (b) desenvolvimento das suas capacidades de análise, síntese e crítica.




  • Tarefas orientadas: quer realizados individualmente ou em pequenos grupos, devem estimular a participação ativa do graduando no processo de aprendizagem, proporcionando momentos para (a) apresentar e discutir assuntos relacionados à disciplina e (b) desenvolver suas capacidades criativas.




  • Aulas em laboratório: familiarizar os graduandos para a utilização de técnicas de manipulação de instrumentos e equipamentos específicos, como também vivenciar a aplicação de experimentos e coleta de dados.




  • Vivências motoras: serão oferecidas para que os graduandos experimentem a prática das habilidades específicas da modalidade e seu grau de complexidade, assim como para problematizar sua aprendizagem.




  • Elaboração de atas ou relatórios: elaborar registros com a síntese dos conhecimentos aprendidos em aula para estimular a reflexão e o envolvimento dos graduandos em seu próprio processo de aprendizagem.




  • Reflexão sobre a prática da intervenção: momento no qual os graduandos participam de atividades com ênfase nos procedimentos de observação (de forma direta ou indireta) e reflexão sobre a prática da intervenção, problematizando o cotidiano profissional.


a) Estudos de caso: para aproximar as discussões conceituais e teóricas da realidade profissional, serão analisados casos que envolvam o conteúdo da disciplina e acontecimentos reais ou simulados, analisando situações-problemas e propondo soluções.
b) Recursos audio-visuais: para viabilizar o aprendizado serão utilizados diapositivos, transparências, textos jornalísticos, filmes, fitas de vídeo, músicas e poesias.
c) Palestras com convidados: acompanhar a apresentação de profissionais e/ou acadêmicos tomando contato com a diversidade de experiências e conhecimentos, além de ampliar e enriquecer o conteúdo da disciplina.



Critérios de Avaliação:

De acordo com a resolução 1/2012 do Conselho Universitário da Universidade Presbiteriana Mackenzie de 03/01/2012, a avaliação será efetuada por meio de avaliações intermediárias, cuja média terá peso 5 e pela prova final com peso 5.


Será considerado aprovado o aluno que obtiver a média final igual a 6,0 e o mínimo de 75% de frequência

MF= (AI-1) + (AI-2) + (PAF*2)/4


Sendo:

AI-1: Avaliação intermediária 1 (valor de 0 a 10)

AI-2: Avaliação intermediária 2 (valor de 0 a 10)

PF: Prova Final (valor de 0 a10)



MF: Média final


Bibliografia Básica:

  1. MCARDLE, W.D.; KATCH, F. I. & KATCH, V. L. FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO: ENERGIA, NUTRIÇÃO E DESEMPENHO HUMANO. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. (ou a partir da 4ª edição).

  2. WILMORE, J. H.; COSTILL, D. L. FISIOLOGIA DO ESPORTE E DO EXERCÍCIO. Editora: Manole, 2010. (ou a partir da edição de 2001).

  3. POWERS, S. K. & HOWLEY, E. T. FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO: TEORIA E APLICAÇÃO AO CONDICIONAMENTO FÍSICO E AO DESEMPENHO. 6.ed. Editora: Manole, 2005. (ou a partir da edição de 2005).




Bibliografia Complementar:

  1. TORTORA, G.J.; GRABOWSKI, S.R. PRINCÍPIOS DE ANATOMIA E FISIOLOGIA. 9.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

  2. MAUGHAN, R.; GLEESON, M.; GREENHAFF, P.L. BIOQUÍMICA DO EXERCÍCIO E DO TREINAMENTO. São Paulo: Manole, 2007.

  3. GUYTON, A. C. TRATADO DE FISIOLOGIA MÉDICA. 10.ed. Editora: Guanabara Koogan, 2002.

  4. HOLLMANN, W.; HETTINGER, T. MEDICINA DO ESPORTE: FUNDAMENTOS ANATÔMICO-FISIOLÓGICOS PARA A PRÁTICA ESPORTIVA. 4.ed. Barueri: Manole, 2005.

  5. ACSM (American College of Sports Medicine) MANUAL DO ACSM PARA TESTE DE ESFORÇO E PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO. 5.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.














Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal