Verdades Inconvenientes



Baixar 13.7 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho13.7 Kb.
Verdades Inconvenientes
O filme-documentário de Al Gore – Uma Verdade Inconveniente – possui, sem dúvida, um papel importantíssimo no que se refere à conscientização da população sobre a destruição do meio ambiente. É mais um alerta urgente, dentre outros tantos que, felizmente, vimos assistindo nos últimos anos, para que possamos, se não reverter, pelo menos retardar de alguma forma, a devastação assustadora que nós, seres humanos, deflagramos neste planeta por meio da nossa cultura e valores.

Al Gore, ex-candidato perdedor à presidência dos EUA, tem como missão de vida, segundo palavras suas, mostrar ao mundo os efeitos do aquecimento global e a urgência de se tomarem medidas que venham frear a destruição eminente do planeta. O filme é didático, com o formato de uma aula, onde Al Gore expõe inúmeros dados oriundos de pesquisas científicas, para uma classe de alunos. E faz isso de modo brilhante, mostrando com números, gráficos, fotografias de satélites e os mais modernos recursos da tecnologia, a destruição dos glaciares, o aquecimento das águas dos oceanos, as mudanças climáticas, ou seja, os fatos incontestáveis resultantes do aquecimento global. Mas e as suas causas? Aqui o Sr. Al Gore não apenas deixa de ser brilhante mas torna-se extremamente parcial, apontando como responsáveis pelo aquecimento global, a emissão de gases tóxicos produzidos pela queima de combustíveis fósseis, o crescimento populacional e a má utilização dos recursos do planeta, omitindo a causa número um da emissão de gases tóxicos: a pecuária. Em 29 de novembro de 2006 a FAO publicou em sua página oficial que “o setor pecuário gera mais emissão de gases tóxicos produtores do efeito estufa, medido em CO2 equivalente - 18% - do que o setor de transportes”. (leia o artigo na íntegra: http://www.fao.org/newsroom/en/news/2006/1000448/index.html



http://www.apolo11.com/mudancas_climaticas.php?posic=dat_20061130-093109.inc versão em português).

Como é possível que o Sr. Al Gore esteja realmente empenhado em solucionar um problema de tamanha magnitude, omitindo a sua principal causa? Falta de conhecimento? Impossível. A constatação dos fatos apresentados em seu filme é fruto de vários anos de consulta a cientistas de vários países, todos eles muitíssimo bem documentados. Desnecessário dizer que quando queremos resolver um problema temos que ir às suas causas, a todas elas, ou nossas ações serão sempre paliativas, para não dizer ineficazes.

Qual a razão desta omissão por parte do Sr. Al Gore? Qual será a sua verdade inconveniente?

Durante o documentário, o Sr. Al Gore, talvez com o intuito de exibir o seu lado humano, vai mesclando os fatos referentes ao aquecimento global com a história de sua família, de origem agricultora e pecuarista, plantadora de fumo e criadora de gado. Parece que então fica esclarecida a razão da sua ausência de imparcialidade ao tratar do assunto. O Sr. Al Gore não está ligado à indústria do petróleo, como seu oponente nas últimas eleições, o Sr. Bush, mas está ligado à indústria da exploração e carnificina animal. E por isso gasta milhares de dólares para produzir um documentário falacioso. Por isso e também por ficar claro que o Sr. Al Gore continua com todas as intenções de se tornar presidente dos EUA, custe o que custar.

Poderá a Terra ser salva da destruição, com a chegada do Sr. Al Gore à presidência do país mais devastador do planeta? Desnecessário responder.

Será ainda possível salvarmos o planeta Terra? Talvez. Mas unicamente através das nossas escolhas pessoais e diárias. Escolhas que precisam, obrigatoriamente, nascer da verdadeira consciência de que todos os seres que habitam este planeta, sejam eles humanos, animais, vegetais, minerais, possuem os mesmos direitos à vida, à dignidade e ao respeito. Chegamos a este ponto de caos total por termos nos distanciado de tal consciência. Utilizamos os recursos do planeta como se eles nos pertencessem, matamos e causamos sofrimento por não sermos mais capazes de sentir ou de nos importarmos com a dor do outro, nos apropriamos de tudo o que podemos, em maior ou menor escala. E, na maior parte das vezes, fazemos isso para satisfazer as nossas necessidades mais consumistas e fúteis.

Haverá retorno para uma sociedade totalmente arraigada a valores tão egoístas?

Em “Desonra,” de J.M. Coetzee, escritor africano, o protagonista do livro questiona-se sobre o porquê de ter assumido a ingrata tarefa de levar para o crematório, cães que haviam sido eutanasiados. Fazendo questão de ele mesmo colocar os cães dentro do forno, evitando que fossem esquartejados, reflete: “Por que assumiu esse trabalho?... para isso bastava descarregar os sacos no depósito e ir embora. Por causa dos cachorros? Mas os cachorros estão mortos; e o que sabem a cerca de honra e desonra? Por ele mesmo, então. Por sua visão de mundo, por um mundo em que homens não usam pás para reduzir corpos a uma forma mais conveniente de eliminar.”

Não tenho a certeza de ainda haver tempo para salvarmos o planeta Terra da devastação total, mas tenho a certeza de que existem práticas que não cabem no meu mundo, na minha vida diária. E por mais confinada que eu esteja à vida urbana e não presencie o desaparecimento dos glaciares, a tortura a que são submetidos os animais nos matadouros e laboratórios, ao corte impiedoso das árvores em todos os cantos do mundo, a escravidão à que são submetidos milhares de seres humanos, quero que a minha participação nesse holocausto seja cada vez menor. Por isso escolho e questiono cada uma de minhas ações no mundo. Por isso estou sempre atenta às minhas incoerências, às minhas “verdades inconvenientes” que são fruto da sociedade e da cultura em que vivo, mas que cabe a mim encará-las. Talvez aí esteja o verdadeiro sentido da vida e da missão do ser humano no mundo.
Fernanda Ferreira de Ferreira

f.pessoal@terra.com.br

http://conscienciaanimal.spaces.live.com/

Abaixo, alguns links para aqueles que desejam ler mais sobre o assunto:



http://www.svb.org.br/home/home.htm

http://www.guiavegano.com/

http://www.svb.org.br/depmeioambiente/VegetarianismoePrevencaoaPoluicao.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Direitos_animais
http://www.thecorporation.com/
http://www.isawearthlings.com/

http://www.ourdailybread.at
http://meat.org/
http://www.institutoninarosa.org.br/video/acarneehfraca.wmv


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal