Voz da ermida do padre pio



Baixar 22.75 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho22.75 Kb.
Julho 2008 VOZ DA ERMIDA DO PADRE PIO Ano V Número 7

Quarta Colônia, Faxinal do Soturno – E-mail: Solcas@verizon.net

REZE TENHA CONFIANÇA E NÃO SE PREOCUPE (Padre Pio)



É HORA DE AGRADECER: “Muitos pais, não querendo repetir com os filhos os erros de seus genitores, decidiram ser mais dedicados e compreensivos, e acabaram sendo os mais bobos e inseguros da história”. Assim começa um longo e-mail anônimo sobre os problemas educativos da família moderna, e termina com a pergunta: Quando chegaremos a um equilíbrio? Para tempos como estes, foi-nos dado João Paulo II e sua teologia do corpo. Baseadas nas palavras de Jesus, as reflexões do Papa sobre o corpo e a sexualidade nos levam à raiz da crise moderna e traçam o caminho para uma autêntica libertação sexual. O teólogo católico George Weigel descreve essa teologia do corpo como “uma das mais ousadas reconfigurações da teologia católica dos últimos tempos” (...), “algo como uma bomba-relógio teológica, programada para detonar com dramáticas conseqüências (...), talvez no século 21”. Essa visão nova do amor sexual “apenas começou a contagiar a teologia da Igreja, a pregação e a educação religiosa”. Quando, porém, ela se impuser plenamente – prenuncia Weigel – produzirá um dramático desenvolvimento no modo de pensar, virtualmente, sobre todos os temas importantes do Credo. Todos nós desejamos acertar, especialmente, quando se trata de nossos próprios filhos. Agradeçamos a Deus, pois logo estará à disposição, aqui no Brasil, o livro: Teologia do Corpo para Principiantes, uma introdução à revolução sexual iniciada pelo saudoso João Paulo II. Lendo-o, podemos alcançar o “equilíbrio” que tanto desejamos e, conjuntamente, a verdadeira felicidade já aqui na terra.

(O livro pode ser pedido à Editora Myrian,

Rua Mal. Sampaio, 87 – Jd. Floresta – 91040.110

Porto Alegre-RS. Fone/fax: (51) 3341.0769.

E-mail: editoramyrian@terra.com.br).
O PAPA FALOU: “A centralidade da Eucaristia, tanto pela celebração digna da Ceia do Senhor como pela adoração silenciosa do Sacramento, deveria tornar-se visível especialmente nas vidas dos sacerdotes e dos bispos” (...) “Isto levaria os fiéis a seguirem vosso exemplo, e também a uma avaliação mais profunda da presença permanente do Senhor no meio deles”. (Essa presença é capaz de) “...reorientar radicalmente a forma como os cristãos pensam, dizem e agem no mundo, e fazer presente o significado salvífico da morte e ressurreição de Cristo, renovando a história e vivificando a criação” (...) “A fração do Pão nos recorda uma vez mais que a violência absurda nunca tem a última palavra, já que Cristo venceu o pecado e a morte com sua magnífica ressurreição”.
A IGREJA ENSINA: “...O matrimônio não é efeito da casualidade nem produto da evolução de forças naturais inconscientes”. Trata-se, isto sim, de uma “sábia instituição do Criador para realizar na humanidade seu desígnio de amor. Os esposos, mediante sua recíproca doação pessoal, típica e exclusiva deles, tendem à comunhão de seus entes, buscando um aperfeiçoamento pessoal mútuo, para colaborar com Deus na geração e na educação de novas vidas”.

ENTRE ASPAS: Para muitos, a Idade Média é ainda considerada um período de obscurantismo, superstição e repressão intelectual. No entanto, foi nesse tempo (segunda metade do século 12), que surgiu o sistema universitário, coisa que não existia na antiguidade, na Grécia nem em Roma. Tal sistema é considerado fruto da Igreja porque, segundo o historiador Lowrie Daly, ela era “a única instituição na Europa que mostrava um interesse constante na preservação e cultivo do conhecimento”. Com o apoio dos Papas: (1) as universidades obtiveram certa autonomia (administração e leis próprias); (2) os professores com o seu ius ubique docendi, podiam ensinar em toda parte; (3) e os alunos, com os “benefícios clericais” tiveram seus direitos humanos reconhecidos. Devido, em grande parte, à consistente proteção do Papa de Roma, as Universidades chegaram ao número de 81, já antes do período da Reforma (1517). Nelas estudavam-se as sete artes liberais, a lei civil e o direito canônico, a filosofia “natural”, a medicina e a teologia; havia também a distinção entre os cursos de bacharelado e os de pós-graduação. O texto de lógica (Summulae logicales), atribuído a Pedro da Espanha, futuro papa João XXI, teve, até o século 17, nada menos que 166 edições. Para resolver as questões, não se recorria primeiramente à autoridade e sim à razão, educada pelo estudo sério da lógica. Essa época foi conhecida também como a do Ecolasticismo, cujo método era: propor uma pergunta, considerar os argumentos contra e a favor, apresentar o próprio ponto de vista e, por fim, responder às objeções. Os escolásticos mais conhecidos foram: Santo Anselmo (1033-1109), Pedro Abelardo (1079-1142), Pedro Lombardo (1100-1160 – autor de: Sentenças que, unido à Bíblia, foi o livro de texto para os estudantes de teologia por uns cinco séculos) e, o maior deles, Santo Tomás de Aquino (1225-1274 – autor da famosa Suma Teológica, que inclui milhares de questões, tanto de teologia como de filosofia). As universidades, jóias da civilização cristã, com sua vida intelectual (discussão lógica e sério espírito de pesquisa), trouxeram contribuições indispensáveis à Civilização Ocidental. Sem elas – opina o historiador Eduard Grant – teria sido inconcebível o subseqüente progresso, tanto da ciência quanto da filosofia “natural” e das ciências sociais, um fenômeno sem paralelo em outras civilizações. Por que, então, não reconhecer que uma das maiores contribuições intelectuais ao mundo moderno: o sistema universitário – se originou da Idade-Média Latina? Seria pelo fato de ter vindo de uma civilização em cujo centro estava a Igreja Católica?


MOMENTOS: Conheci o Padre Pio em 1950, e já no ano seguinte fui aceita como filha espiritual dele. Em 1959, estando em San Giovanni Rotondo, para onde ia cada ano, para me confessar, não querendo perder a vez, e tão pouco passar a Páscoa sozinha, convidei os familiares a me acompanharem. Carlos, meu marido, não me acompanhava... ; sua desculpa era: não tenho fé, não acredito nessas ‘experiências maravilhosas’. Mas desta vez veio para acompanhar meu pai. Apenas chegaram, o pai, cuja alma já havia sido “tocada” pelo Padre Pio, foi logo escrever o nome dos dois na lista de espera das confissões. O pai sabia desses pormenores pois já me havia acompanhado várias vezes antes. Precisava agora levar Carlos para o confessionário; nada fácil pois sua resposta era sempre: Não tenho fé! Desde que casamos, nunca mais foi à igreja nem recebeu os sacramentos. Era bom, mas indiferente. Eu não queria forçá-lo. Meu pai era otimista e insistia... Sua última proposta foi: pelo menos me acompanhe até o convento, assim poderá ver o Padre Pio de perto. A resposta veio só na manhã seguinte: Está bem, vou até o convento mas, não leve a mal, vou conservar-me à distância. O pai aceitou, ...já se dava por vitorioso! No corredor, aguardaram na fila com os demais. Padre Pio aproximou-se, e meu pai lhe beijou a mão. Neste mesmo momento, Carlos, apesar de retirado e perdido em seus pensamentos, ouviu nitidamente (nunca soube como) esta mensagem: Meu filho, não se pode viver sem Deus! A todas estas, eu, na igrejinha, esperava e rezava. Quando Carlos se aproximou de mim, vi que havia recebido a graça da fé... Seus olhos estavam ainda úmidos... notava-se que tinha chorado! A assinatura “falsa” do meu pai valeu! Chegando sua vez, ele se confessou. A partir dali, sua amizade com Padre Pio só fez crescer e produzir enormes frutos. Não perdia mais Missa. Até quando em cadeira de rodas, fazia o impossível para ir à igreja comigo. Era muito fervoroso! Na hora da Unção dos Enfermos estava tão emocionado e feliz como no dia do casamento. Teve uma morte serena, belíssima. (Lúcia Barocchi)
E-MAILS E COMENTÁRIOS

Aqui tudo bem. Semana passada visitamos o Uruguai. Em Punta del Este, uma estátua ao lado da igreja me chamou a atenção. Cruzei a estrada... Apesar de diferente da nossa, constatei ser o Padre Pio. Uma segunda estátua dele se erguia dentro da igreja. Nós, faxinalenses, quase nos sentimos em casa ao constatar que uma das ruas tinha o nome de Padre Pio de Pietrelcina. De volta, no ônibus, contei ao pessoal que, na noite de 11 para 12 de setembro, em 1941, o Padre Pio tinha estado em Salto, Uruguai (em bilocação), para assistir ao bispo Dom Alfredo Viola, na hora de sua morte. Ver o “nosso santo”, noutro país, nos deixou muito felizes!” (O relato desta visita por bilocação ao bispo moribundo, você encontra no livro “Padre Pio, o Santo do terceiro milênio, 3ª edição, pp. 172-173).

É sempre interessante ler esse jornalzinho, pois contém novidades e notícias que induzem à meditação, ao agradecimento a Deus e à oração”.

Ontem (08/06/2008) Terço e Missa na Ermida, para umas 30 pessoas (na maioria residentes no Cerro Comprido). Mas houve também gente nova, de Ivorá. Esta participação pequena se deveu sobretudo à chuva recente, à neblina no monte e à ameaça de mais chuva. E um pouco também à falta de clareza nos anúncios... – Fez-se presente o Pe. Osvaldo Cremonese (pároco em São João do Polêsine). Ele celebrou a Missa, acompanhado pelo Pe. Bernardino. – Assim, não se rompeu o elo das celebrações dos 2º e 4º domingos. De 13/01/2008 até 8 de junho, umas 2.240 pessoas assinaram o caderno de presença. Ótimo resultado, considerando que nos dias de celebrações poucos se dão o tempo de escrever aí seus nomes”.

Quantas noticias... Li Voz da Ermida como se fosse uma das belas páginas da Bíblia. Apesar de minha debilitada saúde, ainda estou vivo e passo os dias e muitas noites rezando. Caminho pouco; recebo a Comunhão em casa; às vezes parece estar melhorando... Neste belo mês de junho, que o Sagrado Coração Jesus seja luz e fonte de graças para os que a Ele recorrem”.

Passei um mês muito difícil. Um câncer foi diagnosticado nas cordas vocais de meu pai. Após muitas orações, promessas e a ajuda do Padre Pio, as notícias foram melhorando. Primeiro, o câncer não se tinha espalhado; contudo, a cirurgia podia deixá-lo sem voz. Felizmente, a cirurgia foi um sucesso, e ontem consegui falar com o pai. Praticamente um milagre. O médico falou que isto é muito raro de acontecer. Depois do período de recuperação (uns 2 meses), voltará a ter vida normal. Segundo, minha tia fez 3.000 santinhos do Padre Pio para distribuir nas cidades do sul catarinense; muitos lhe pedem mais informações. Os livros que comprei estão circulando de casa em casa, e as pessoas se encantando cada vez mais com este Santo Especial. Rezemos para que o pai tenha uma melhora plena”.

Domingo (15.06.2008): Pe.Bernardino estava já paramentado para a Missa na Matriz de Faxinal, quando foi surpreendido por uns turistas de Cachoeira do Sul; precisavam comunicar-lhe sua admiração pelo que viram na 4ª Colônia. Visitar a Ermida num dia ensolarado, acharam o máximo! As lembranças que levaram e o entusiasmo, com certeza, atrairão mais romeiros. Para nossos doentes, nossas orações!”



Uma situação que me deixa triste é a de minha mãe, que está com Alzaimer. Mesmo sendo tratada e bem cuidada, a doença avança mais veloz do que imaginávamos, e aí ocorrem situações que nos dão tristeza, angústia e uma certa impotência por saber que estamos fazendo tudo, e esse tudo ainda não é o bastante, pois não soluciona o problema. – Em agosto dia 5, sairemos daqui de Alegrete para uma peregrinação a todos os santuários marianos da Europa. Minha alegria e graça maior será ver o corpo do Padre Pio, que se encontra exposto em San Giovanni Rotondo. Minha confiança em Maria e nele são a minha fortaleza”.

22/06/08 – Missa e Terço na Ermida. Pe. Bernardino presidiu e os padres Ládio e Genésio concelebraram. Participaram umas 90 pessoas, o que lota o Santuário. Leoveral trouxe uns 19 (sendo 4 novos). Tarde bonita, de sol – própria para exercitar a fé e também para o turismo! O Prefeito de Faxinal fez de Comentarista. No fim da Missa resolveu recordar os meus 85 anos, bem como o aniversário de casamento de Leoveral e Neuza. Rezamos por várias intenções, em especial pelos doentes Pio Rocha e Matilde Refatti.


VOCE DI PADRE PIO

Em 27 de janeiro último faleceu o engenheiro Giovanni Marini. Aos 18 anos, em conseqüência de um acidente grave, ficou muito machucado e teve uma lesão na coluna vertebral, que o reduziu à imobilidade. O pai dele dirigiu-se logo a San Giovanni Rotondo para pedir a graça da cura ao Padre Pio. Dos próprios lábios dele ouviu esta resposta: Volte para casa, seu filho está curado. E aconteceu isso mesmo. Giovanni, o miraculado, aprendeu a amar seu benfeitor e ia muitas vezes a San Giovanni Rotondo para agradecer e receber conselhos providenciais para sua vida”.

ORAÇÃO

Meu Senhor e meu Deus, eu te amo e preciso de ti;

toma conta de meu coração e abençoa-me,

cuida de minha família, de meu lar e



meus amigos!







Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal